Arquivos da categoria: Geral

Bienal de arte e cultura digital exibe obras de artistas mundiais

14 dezembro, 2017 às 15:50  |  por Marianna Camargo

A partir deste sábado (16/12), às 17 horas, o público poderá conferir a exposição “Subli_me / The Wrong New Digital Art Biennale”, na AIREZ – Galeria de Artistas Independentes. Considerada a maior e mais diversificada bienal internacional de arte e cultura digital, o evento apresenta os trabalhos de jovens talentos da cena de cultura digital de todo o mundo.

 

Os alemães do Looping Lovers têm como marca uma preocupação crítica ou satírica com maus hábitos, capitalismo de consumo e cultura popular. Foto Divulgação

Os alemães do Looping Lovers têm como marca uma preocupação crítica ou satírica com maus hábitos, capitalismo de consumo e cultura popular. Foto Divulgação

 

No dia da abertura, às 18h, a artista porto-alegrense Sayuri Kashimura apresenta a performance inédita de “Entre o Peso e o Espelho” desenvolvida em suporte de realidade virtual onde os novos modelos estéticos se referem aos novos modos de vida e às novas formas de percepção. Além de Curitiba, seus trabalhos já foram expostos em galerias de São Paulo, Rio de Janeiro e Bangkok na Tailândia. Em seguida, às 19h, ocorre a apresentação musical do Caosmic.

 

Connor Sherlock cria espaços virtuais onde é possível se perder e ficar só. Seus jogos eletrônicos se concentram na permeabilidade dos limites dos níveis e na futilidade da autonomia total do jogador em um mundo que irá ignorá-lo. Foto Divulgação

O canadense radicado no Reino Unido CONNOR SHERLOCK cria espaços virtuais onde é possível se perder e ficar só. Seus jogos eletrônicos se concentram na permeabilidade dos limites dos níveis e na futilidade da autonomia total do jogador em um mundo que irá ignorá-lo. Foto Divulgação

 

 

Curadoria

Flávio Carvalho que já expôs seus trabalhos de arte e tecnologia na Madatac, em Madrid, no Subtle Technologies Festival, em Toronto e no Bideodromo, na Espanha, entre outros, é o responsável por assinar a curadoria desta edição, em Curitiba. Para ele, possibilitar com que a cidade seja uma das embaixadas da The Wrong, no Brasil, fomenta a fusão entre o universo artístico, maker e tecnológico, com o objetivo de uma reflexão e tomada de ação na cultura digital contemporânea.

Fundada pelo empreendedor cultural, escritor e artista maker espanhol David Quiles Guilló, desde 2013 a The Wrong tem o objetivo de criar, promover e fomentar o pensamento inovador artístico. Além de incitar a acessibilidade da arte nos espaços públicos, em Curitiba, nas linhas dos ônibus da cidade está sendo exibido alguns vídeos dos artistas que integram a edição da Subli_me e em breve serão disponibilizados em canais da TV pública.

 

ADAM PIZURNY é um artista digital que vive e trabalha em Praga, República Tcheca. É obcecado em criar formas humanas mutantes e explorar as fronteiras da percepção humana entre o belo e o feio.

ADAM PIZURNY é um artista digital que vive e trabalha em Praga, República Tcheca. É obcecado em criar formas humanas mutantes e explorar as fronteiras da percepção humana entre o belo e o feio. Foto Divulgação

 

Destaques

Outro destaque do evento, são as exibições ao vivo das obras na Galeria Airez. A partir do dia de estreia, neste sábado, o visitante poderá assistir em diversas plataformas móveis os trabalhos em “work in progress’’ da Subli_me, entre outras já disponíveis desde o dia 01/11 no site https://subli-me.org/.

 

MATTIS DOVIER é um ilustrador e animador francês que gosta de explorar a relação entre música e imagem de forma dark e divertida. Faz especial referência à estética dos primórdios da internet, ao mangá e à cultura gif contemporânea. Foto Divulgação

MATTIS DOVIER é um ilustrador e animador francês que gosta de explorar a relação entre música e imagem de forma dark e divertida. Faz especial referência à estética dos primórdios da internet, ao mangá e à cultura gif contemporânea. Foto Divulgação

 

Artistas

Participam os artistas:  Leandro Catapam (Brasil), Sayuri Kashimura (Brasil),  Guilherme Zawa (Brasil), Herbert Baioco (Brasil), LIVENOISETUPI, coletivo de performance multimídia colaborativa formado por Ricardo Palmieri e Alexandre Torres Porres (Brasil), Dina Karadzic  (Croácia), Adam Pizurny (República Tcheca), Mattis Dovier (França), LOOPING LOVERS, dupla formada por Phillipp Ries e Thomas Mayer ( Alemanha) e Connor Sherlock (Canadá).

A mostra pode ser vista até dia 31 de janeiro de 2018. A entrada é gratuita mediante o preenchimento deste formulário:  http://bit.ly/2yihmNE

 

 

A croata DINA KARADŽIĆ  é ativa na área de arte visual, digital e net.art, trabalhou com animação stop-motion e design de personagens. Foto Divulgação

A croata DINA KARADŽIĆ é ativa na área de arte visual, digital e net.art, trabalhou com animação stop-motion e design de personagens. Foto Divulgação

 

Serviço

SUBLI_ME / THE WRONG – NEW DIGITAL ART BIENNALE

Coquetel de abertura: 16 de dezembro, sábado

Horário:  17h.

Local: • AIREZ • Galeria de Artistas Independentes

Endereço: Rua 13 de maio, 778, cj 15 – São Francisco – Curitiba.

Horários de visitação:

10h às 18h (segunda a sexta)

14 às 18h (sábados)

O evento é gratuito, mas é necessário preencher o formulário

http://bit.ly/2yihmNE

 

Evento reúne gama de artistas no Solar do Barão

11 dezembro, 2017 às 13:53  |  por Marianna Camargo
 logos_novascor
Nos dias 16 e 17/12/2017, sábado e domingo, acontece a terceira edição da “Feira Solar”, nos ateliês do Museu da Gravura Cidade de Curitiba, no Solar do Barão.
 
A proposta começou como uma iniciativa dos artistas frequentadores do espaço, com o objetivo de estimular a pluralidade artística no contexto contemporâneo com a exposição e venda de gravuras, desenhos, fotografias, colagens, botons, imãs, publicações, revistas, livros, encadernações, livros de artistas, zines, camisetas, cerâmicas, quadrinhos, objetos de arte, etc. Além dos artistas locais, participam artistas de outros estados, como Santa Catarina e São Paulo. O evento também oferece shows e apresentações musicais gratuitas ao público, boa comida e um ambiente de cultura e lazer no centro da cidade.
cartaz
Os expositores confirmados são: Acerca | Aline Moraes | Ana González | Anaiaiá | Ana Paula Málaga | Andreia Las | Black Ship | Brutas | Cezar Regina | Coletivo de dois | Columbeas (Coletivo) | Conde Baltazar | Crisrobert Caires e Marta Leal Caires | Elaine Stankiewich | Elenize Dezgeniski | Estudio Avelã | Estúdio Mandrana | Everly Giller | Franco Palioff | Fu.deu | Gláucia Flügel | Itiban Comic Shop | Ivana Lima | JMZoccoli | Jonas Ferri | Julcimarley Totti | La Resistencia Gráfica | Lauro Borges | Lilian Reif | Marina Dubia | Márcia Szeliga | Noturno Citadino | Pedro Hayashi | Plantae Studium | Regina Costacurta | Poupée Rouge Publicações Independentes | Romário Mourato | Sebastião G. Branco | Selva Press | Silvia da Silva | Silvio De Bettio | Silvio Dose | STAR | Stely | Tais Ueda | Toni Graton | Vertov | Vinicius Flores | Vitória Albino | Vivaldo Vieira Neto | Walter Thoms | ZONZO ESCAPES
 
Serviço:
Terceira Edição da Feira Solar
Solar do Barão
Rua Pres. Carlos Cavalcanti, 533
Curitiba PR
Fone: (41) 3321 3360
 
16/12 Sábado: das 11h às 20 horas
17/12 Domingo: das 11h às 18 horas
 

 

 

Cleverson Oliveira lança mostra na Miyako Yoshinaga, em Nova York

29 novembro, 2017 às 20:15  |  por Marianna Camargo

 

 

Empire (2014) Expoisção Rainy Days. Divulgação Miyako Yoshinaga

Empire (2014) Exposição “Rainy Days”. Divulgação Miyako Yoshinaga

 

O artista curitibano Cleverson Oliveira inaugura a mostra individual intitulada “Rainy Days”, na Galeria Miyako Yoshinaga, sediada em Nova York, nesta quinta, dia 30/11, às 18h.

Suas obras exploram a linha entre realidade e ilusão. À primeira vista, parecem ser fotografias monocromáticas da chuva, mas um segundo olhar revela desenhos elaborados com complexidade.

A exposição desafia as representações tradicionais da natureza, usando memórias, inventividade e paisagens imaginárias de Oliveira que dão a impressão da realidade. O pó de grafite, o lápis e o marcador permanente, em papel e tela, são usados ​​para realizar as paisagens urbanas imaginadas pelo artista.

A mostra “Rainy Days” fica em cartaz até 6 de janeiro de 2018.

 

 

O artista Cleverson Oliveira lança mostra individual em Nova York. Foto Kraw Penas

O artista Cleverson Oliveira lança mostra individual em Nova York. Foto Kraw Penas

 

Sobre o artista

Cleverson Oliveira nasceu no ano de 1972 em Curitiba, cidade onde vive e trabalha atualmente. Em 1994 concluiu o bacharelado em Escultura na Faculdade de Música e Belas Artes do Paraná e em 1996 tornou-se Especialista em História da Arte (curso de extensão universitária) pela New York University em Nova York, Estados Unidos. Sua produção artística concentra-se em desenho, vídeo, áudio, fotografia e instalação. De 1996 a 2008 foi um dos principais artistas do coletivo B’N’S Sessions em Nova York. Participou de diversas exposições individuais e coletivas no Brasil e no exterior.

 

Serviço:

MIYAKO YOSHINAGA GALLERY

547 West 27th Street 2nd Floor
New York NY 10001-5511, USA
T: 212 268 7132

terça a sábado – 11h às 18h

Últimos dias da mostra de André Nacli no Palacete dos Leões

15 novembro, 2017 às 10:49  |  por Marianna Camargo

 

Tempo-Matéria explora

O tempo, o silêncio, as forças da natureza e a obra do homem são temas recorrentes no trabalho de Nacli. Foto Divulgação

 

 Exposição “Tempo-Matéria” , de André Nacli, segue até sexta-feira (17/11) no Palacete dos Leões

“Tempo-Matéria”, de André Nacli, segue em cartaz até 17 de novembro, no Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões. Com curadoria de Eder Chiodetto, é composta por obras inéditas, que desdobra a investigação do artista acerca dos desvãos existentes entre natureza e cultura.
Os eventos escultóricos produzidos pela ação do vento, da água e dos ciclos que regem a pulsão de toda matéria orgânica, se sobrepõem em grande medida a ação racional que impomos às paisagens.

Neste novo trabalho, os vestígios deixados pela ação do homem surgem de forma mais sutil à medida que as lentes do artista se deixam seduzir pelo embate entre matérias que se auto esculpem no decorrer do tempo.

 

“Tempo-Matéria” desdobra a investigação do artista acerca dos desvãos existentes entre natureza e cultura. Foto Divulgação

“Tempo-Matéria” desdobra a investigação do artista acerca dos desvãos existentes entre natureza e cultura. Foto Divulgação

Para o curador, Eder Chiodetto, “A pesquisa do artista enfatiza o ponto de contato transformador dos elementos da natureza percebidos a partir de uma visada contemplativa e silenciosa. Os mistérios da criação e da recriação do cosmos ganham símbolos potentes colhidos na crista de uma onda, numa nebulosa, no desenho de uma revoada de pássaros”.

A exposição é gratuita e segue aberta para visitação até sexta, 17 de novembro. Além disso, é uma ótima oportunidade de visitar ou conhecer o Palacete dos Leões, marco da arquitetura curitibana, construído em 1902.

 

André Nacli na escadaria do Palacete dos Leões. Foto Mariana Alves

André Nacli na escadaria do Palacete dos Leões. Foto Mariana Alves

 

Sobre o artista

André Nacli (Curitiba, 1986) vive e trabalha na cidade em que nasceu. Cursou Arquitetura e o interesse pela área se perpetuou e hoje reflete na forma em que enxerga o mundo e realiza seu trabalho fotográfico. Seu campo de investigação é resultado da união do mundo arquitetônico com o mundo natural. O tempo, o silêncio, as forças da natureza e a obra do homem são temas recorrentes em seus trabalhos. http://www.andrenacli.com

Sobre o curador

Eder Chiodetto é curador especializado em fotografia, com mais de 70 exposições realizadas nos últimos 10 anos no Brasil e no exterior. Mestre em Comunicação e Artes pela ECA/USP, jornalista, fotógrafo, curador independente e autor dos livros O Lugar do Escritor (Cosac Naify), Geração 00: A Nova Fotografia Brasileira (Edições Sesc), Curadoria em Fotografia: da pesquisa à exposição (Ateliê Fotô/Funarte), entre outros. É curador do Clube de Colecionadores de Fotografia do MAM-SP desde 2006. Desde 2011, coordena o Ateliê Fotô, espaço de encontro dos Grupos de Estudos e Criação em Fotografia, orientando o trabalho de mais de 60 fotógrafos por semana. http://ederchiodetto.com.br

 

SERVIÇO
Tempo-Matéria, André Nacli
Até 17 de novembro de 2017
De Segunda a Sexta, das 13h às 18h
Espaço Cultural Palacete dos Leões – BRDE –

Oficina de estamparia Block Printing na Album Hits

7 novembro, 2017 às 14:15  |  por Marianna Camargo
Divulgação/Okan

Divulgação/Okan

 

Block Printing é uma técnica artesanal de estamparia, em que blocos de madeira entalhados são usados na impressão manual de tecidos. Nas oficinas os participantes desenvolvem um desenho para padronagem de estampa, criam seu próprio carimbo e saem com um tecido estampado.

Nos dias 10 e 11 de novembro, sexta e sábado, acontece na Album Hits uma oficina sobre esta técnica com Ligia Meneghel, designer da marca OKAN AFRICA e a artista Luciana Bertarelli do projeto XILOMÓVEL, ambas de São Paulo (SP).

No encontro, os participantes aprenderão sobre referências de estampas e padronagens,  especificações técnicas dos materiais e procedimentos, *prática, criação do desenho de estampa e padronagem, xilogravura: produção do carimbo de madeira e estamparia.

​As inscrições são limitadas para até 10 pessoas e seguem até dia 09/11. Duplas ou trios ganham 15% de desconto!

 

Divulgação/Album Hits

Divulgação/Album Hits

 

Sobre as ministrantes

Luciana Bertarelli​

Artista Visual, cursa Mestrado em Artes Visuais na Unicamp, onde pesquisa a xilogravura e a padronagem em um percurso poético próprio. Fez Licenciatura e Bacharelado em Artes Visuais também pela Unicamp (2008).

É criadora e integrante do Projeto “Xilomóvel – Ateliê Itinerante” desde sua concepção em 2009, onde desenvolve projetos e ministra oficinas de xilogravura e Block Printing em parceria com Ligia Meneghel da OKAN. Participou também, de 2004 a 2007 do projeto GRAVURANAKOMBI (projeto do CPGravura da Unicamp), voltado à difusão da xilogravura.

Ligia Meneghel

Formada em Comunicação em Multimeios pela PUC-SP, é designer e sócia-criadora do Coletivo OKAN, projeto iniciado em 2012, de criação de moda, estamparia manual e desenvolvimento de figurino. Viajou ao Senegal em 2013 com apoio do Edital de Intercâmbio e Difusão Cultural do Ministério da Cultura, para pesquisa e formação em arte têxtil tradicional africana – estamparia bogolan, indigo, batik e block printing.

Desde 2013 desenvolve parceria com Luciana Bertarelli, do Xilomóvel – Ateliê Itinerante, para criação de projeto de estamparia com a técnica do block printing.

 

Serviço:

Oficina de estamparia Block Printing

Album Hits – R. Brigadeiro Franco, 1193 – Centro – Curitiba.

Sexta e Sábado, dias 10 e 11 de Novembro
10h às 13h e das 14h as 17h nos dois dias (12h no total)

 

INVESTIMENTO:

Valores: R$575  (em até 3x no cartão)

:::: P R O M O Ç Ã O :::::
Inscrevam-se em duplas ou trios e ganhem 15% de desconto! A oficina fica de R$575 por R$488 e ainda pode parcelar em até 3x

Vagas: 10 alunos
*Prazo para inscrição: 09/11 (na loja ALBUM, via depósito ou pagamentos em crédito pelo telefone: 41 3408 0205)

MATERIAIS INCLUSOS:
- tintas serigráficas
- madeira e goiva
- 1m de algodão cru
MATERIAIS SOLICITADOS:
- pedaços de tecidos diversos (sugestão: viscose, cambraia, moleton, linho, veludo, musseline, meia malha, entre outros)* Emitimos certificado.

 

“Visiva” realiza um dos maiores eventos de arte e tatuagem do país

12 outubro, 2017 às 15:51  |  por Marianna Camargo

 “Visiva 2017″  tem várias atrações nacionais e internacionais confirmadas. A curadora de arte nova-iorquina Morgan English vai falar sobre a renomada galeria digital tattrx.com, fundada e editada por ela

 

kat2

Kat Alden (Brasil)

 

A segunda edição do Visiva, “Arte que Transforma”, será realizada de 13 a 15 de outubro e traz a Curitiba artistas, tatuadores e pesquisadores de várias mídias e de diversas partes do mundo para pensar, fomentar e produzir tatuagem e arte contemporânea.

A abertura é nesta sexta (13), a partir das 19 horas, no Estúdio e Galeria Teix .  O evento  terá exposições de arte, tatuagem, oficinas, shows e diversas outras atividades, como workshop para tatuadores iniciantes, palestras, debates e bate-papos. “Todo esse conjunto deve dialogar com o tema principal do Visiva: a arte geradora não apenas de transformações sociais, mas também de profundas mudanças no corpo e na alma dos que se dispõem a viver essa experiência”, conta a organizadora Jô Maciel.

 

“Vartemkorobov1

Artem Korobov (Russia)

 

 

 

andre__instagram

André Cast (Brasil)

 

Participam convidados nacionais e internacionais, como o coletivo argentino Kizun, Valeria e Pablo, que trabalham juntos em diferentes suportes – o principal deles a pele; e a ucraniana Rita Zolotuhina, a ‘Rit Kit’, que tem chamado atenção no mundo todo por suas tatuagens botânicas bem diferentes das que costumamos ver, pois ao invés do estêncil utiliza carbono e plantas vivas, pressionando-as contra a pele, para criar os desenhos. Também do Leste Europeu vem o russo Artem Korobov. E, do México, Stan Leeray, além de diversos tatuadores de vários estados brasileiros, como a “tattoista” Ingryd Guimarães.

 

jackholmer_2_credito Rafael Dabul

Jack Holmer (Brasil). Foto Rafael Dabul

 

Crítica 

Nem apenas artistas estarão presentes nesta edição. Dos Estados Unidos virá uma das principais curadoras de arte contemporânea da tatuagem do mundo, nova-iorquina Morgan English. Ela é fundadora e editora da renomada e mundialmente famosa galeria digital tattrx.com e trabalha também como crítica de tatuagem independente e agente para novos artistas. Ela fará palestra sobre o tattrx, seguida de bate-papo com o público.

 

A abertura oficial do evento será na noite do dia 13 de outubro, sexta-feira, com coquetel, exposição da dupla Kizun e show da banda Gringo’s Washboard, trazendo ao evento a tradicional música negra de New Orleans.

 

Kizun ( Argentina)

Kizun ( Argentina)

 

 PROGRAMAÇÃO

SEXTA, 13 de outubro

15h Oficina de tatuagem para iniciantes, com Marco Teix. Três horas de duração e vagas limitadas.

19h Abertura oficial, seguida da abertura da exposição do grupo de artistas Kizun e coquetel aberto ao público, com show da Gringo´s Washboard Band.

 

SÁBADO, 14 de outubro

 

11h Conversa informal com tatuadores residentes e convidados — Passando por temas tais quais construção de portfolio, desenvolvimento de carreira, questões técnicas, equipamento, inspiração, vida e tudo mais que possa surgir no momento. A conversa será aberta e, quando necessário, haverá tradução.

 

13h30 Sessões de tatuagem experimental — Seguindo o ideal da tatuagem como linguagem, tatuadores convidados irão propor e executar, ao vivo, trabalhos altamente artísticos e/ou conceituais nos bravos de coração que aceitarem participar dessa experiência única, celebrando juntos a mudança através da arte.

 

18h00 Contextualizando a tatuagem contemporânea — Quem são os agentes da tatuagem nos dias de hoje? Como funcionam todos esses diferentes processos? A forma de trabalho realmente influencia o resultado? Marco Teixeira tentará obter respostas para estas e outras perguntas.

 

18h30 Uma conversa sobre arte multimeios — O professor da EMBAP, Jack Holmer, especialista em multimeios, discutirá as últimas interseções entre arte contemporânea, tatuagem e tecnologia.

 

19h30 Tattrx, a brief history — Morgan English compartilhará algumas de suas aventuras na curadoria do Tattrx e nos contará o que realmente está acontecendo agora—e, quem sabe, o que ainda está por vir.

 

DOMINGO, 15 de outubro

Tatuagem, arte, música, comida, bebida… — Um dia inteiro dedicado ao caos, com sessões de tatuagem, exposições de arte, comida e bebida, bandas ao vivo, djs, bazar, pessoas legais e muito mais!

 

SERVIÇO

 

VISIVA 2017

13 a 15 de outubro

Estúdio e Galeria Teix (Rua Augusto Stellfeld, 1581 – Batel Soho – Curitiba)

Informações: (41) 3018-2732 | 3019-2294 | estudioteix@gmail.com

Site: http://visiva.teix.ink

Atsuo Nakagawa e Acervo Circular lançam “Monstro Circular”

6 outubro, 2017 às 13:51  |  por Marianna Camargo
Foto: Heloise Imaguire/Acervo Circular

Fachada do Acervo Circular (Cristian Sapo, em frente à porta, e Atsuo Nakagawa, no telhado). Foto: Heloise Imaguire/Acervo Circular

 

Neste domingo, dia 8 de outubro, às 15 horas, acontece a abertura da exposição “Monstro Circular”. As obras foram feitas em parceria entre o artista e grafiteiro japonês Atsuo Nakagawa e os donos do “Acervo Circular” Heloise Imaguire e Cristian Sapo. O espaço é um ateliê colaborativo urbano, idealizado e criado por Cristian e Heloise, que envolve criação, desenvolvimento e produção em costura, artes e carpintaria.

O projeto traz uma visão sustentável da arte e o traço nipônico forte em personagens efêmeros, como monstros, dragões, gatos e a caveira da bandeira dos últimos espadachins do Japão, os Shinsengumi, o maior e mais forte grupo da história japonesa que tinham a missão de defender Kyoto e foram derrotados pelas armas de fogo modernas, desaparecendo na história. A exposição apresenta o resultado da fusão de mentes lúdico-criativas que se direcionam ao simples reaproveitado. Materiais descartados, abandonados ou achados em cantos de gavetas são ressignificados e adquirem novos valores.

 

Obra "Santa Sapo". Foto Heloise Imaguire/Acervo Circular

Obra “Santa Sapo”. Foto Heloise Imaguire/Acervo Circular

 

Atsuo Nakagawa

O artista e grafiteiro Atsuo Nakagawa nasceu em Kyoto, no Japão. Há 7 anos, adotou São Paulo por conta das leis restritivas do Japão com relação ao grafite. Na sua arte estão presentes elementos da arte japonesa tradicional misturados a um repertório de referências modernas. Teve sua primeira participação artística no Brasil, na Galeria Choque Cultural. Fez trabalhos para grandes marcas como New Era e Onitsuka Tiger, produzindo modelo exclusivo de tênis para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, na campanha “The Art of Mixing”. Participou no ano passado da exposição “Olhar Incomum : Japão Revisitado” no Museu Oscar Niemeyer, com artistas nipo-brasileiros. Também tem muitos trabalhos e grafites espalhados em várias cidades brasileiras.

 

IMG_2729

“Cara Fechada”. Foto Heloise Imaguire/Acervo Circular

 

Heloise Imaguire, Acervo Circular

Formada em Farmácia Industrial, começou a trabalhar na parte criativa da Maha Skates, onde se tornou estilista. Atuando no mercado de skatewear por longos anos. Criou a Hi Stuff em 2012, que presta serviços, cria, desenvolve e executa ideias na costura e no design de peças decorativas funcionais. Inventa e reinventa com arte e sustentabilidade. Produtos exclusivos feitos um a um e em pequenas quantidades, com amor e dedicação slow, descompromissados de uma linha de tempo.

Cristian Sapo, Acervo Circular

Cristian Sapo, skatista profissional, carpinteiro e técnico em edificações. Trabalhou muito anos no mercado de skate, quando elaborou e executou projetos de pistas, miniramps e obstáculos em madeira e alvenaria. Foi Presidente da Federação de Skate do Paraná, Diretor de Árbitros e Secretário de Esportes da Confederação Brasileira de Skate (CBSK). Criou a DxStar que dentro do Acervo Circular tem foco na ressignificação de materiais descartados e abandonados, recriando com exclusividade e originalidade peças únicas.

 

Goemon. Foto Heloise Imaguire/Acervo Circular

Goemon. Foto Heloise Imaguire/Acervo Circular

 

 

Foto Heloise Imaguire/Acervo Circular

Foto Heloise Imaguire/Acervo Circular

 

Serviço:

ABERTURA

Dia 8 de outubro de 2017

Horário das 15 às 21h

 

PERÍODO EXPOSITIVO

Quintas e sextas de outubro das 17h às 20h

Domingos de outubro das 10h às 15h

 

ACERVO CIRCULAR

Rua Mateus Leme, 142 e

Centro Histórico de Curitiba

Fones 30101218 e 999655375

 

 

 

Guerrilla Girls no Museu da Fotografia

2 outubro, 2017 às 17:08  |  por Marianna Camargo
Guerrilla_Girls_-_V&A_Museum,_London

Guerrilla Girls no V&A Museu em Londres. Foto Eric Huybrechts

 

Algumas obras do coletivo Guerrilla Girls serão exibidas na exposição “O museu é feminista e outras esperanças sobre o futuro”, dentro da programação da Bienal de Curitiba 2017, que abre nesta terça, dia 3 de outubro, a partir das 19 horas, no Museu da Fotografia.

“A mostra não tem como objetivo único de apresentar obras icônicas das Guerrilla Girls, mas também de usar essas obras como ponto de partida para o diálogo, debate e discussão sobre o que podemos fazer para contribuir por um futuro feminista”, diz a curadora Carolina Loch.

O coletivo Guerrilla Girls expôs pela primeira vez no Brasil, em Curitiba, em 1992. Vinte e cinco anos depois, as artistas retornam com uma participação no Trienal de Frestas, em Sorocaba, e com uma exposição no MASP, em São Paulo.

 

Sobre as Guerrilla Girls

 

As Guerrilla Girls são artistas ativistas feministas e iniciaram em 1985, em Nova York. Elas usam máscaras de gorila em público e usam fatos, humor e irreverência para expor questões de gênero no mundo da arte, bem como a corrupção na política, entre outras questões. Mais de 55 pessoas foram membros ao longo dos anos, algumas por semanas, algumas por décadas.

Segundo elas, o anonimato mantém o foco nas questões: “Podemos ser qualquer um e estamos em todos os lugares. Acreditamos em um feminismo interseccional que combate a discriminação e apoia os direitos humanos para todas as pessoas e para todos os sexos. Derrubamos a ideia de uma narrativa convencional, revelando o subtexto, o negligenciado e o injusto”, de acordo com o texto de apresentação no site.

Realizam centenas de projetos (cartazes, ações, livros, vídeos, adesivos) em todo o mundo, como Bilbao, Islândia, Istambul, Londres, Los Angeles, Cidade do México, Nova York, Roterdã, São Paulo e Xangai. Também fazem intervenções e exposições em museus. Em 2016, produziram novos projetos de rua e museu na Tate Modern e na Galeria Whitechapel, em Londres; e em Paris, Colônia e Minneapolis.

 

Serviço:

Abertura: “O museu é feminista e outras esperanças sobre o futuro”

Data: 3 de outubro

Até 25 de fevereiro de 2018

Horário: a partir das 19 horas

Local:  Museu da Fotografia Cidade de Curitiba – Solar do Barão.

Rua presidente Carlos Cavalcanti, 533

Curitiba/PR

A nudez surreal dos sonhos por André Donadio

30 setembro, 2017 às 10:57  |  por Marianna Camargo

 

Andre_1

Fotógrafo André Donadio mostra a nudez surreal dos sonhos em exposição no Café Botanique. Abertura é neste domingo (01/10)

 

O surrealismo e o onirismo da nudez estão presentes na exposição “O Irracional, o Surreal, o Onírico, a Essência Animal”, do fotógrafo André Donadio, que abre no próximo domingo (01/10) às 16 horas no Café Botanique, como parte da Bienal de Curitiba 2017.

 

Obra_1

 

Maringaense radicado em Curitiba, André largou a advocacia em 2016 para se dedicar integralmente à arte fotográfica. Mesmo antes dessa guinada profissional, já desenvolvia projetos e ensaios fotográficos, a maioria relacionada à fotografia do cotidiano e de nus. O projeto da nudez surreal, especificamente, foi ganhando forma até se transformar no ensaio da mostra, composta por 16 obras com diferentes modelos retratadas em Curitiba e São Paulo. Nenhuma das pessoas retratadas foi contratada – todas se dispuseram a ser fotografadas nuas.

 

Foto André Donadio

Foto André Donadio

 

“Há mais de um ano desenvolvo um trabalho com o surrealismo da nudez. A exposição é parte desta jornada. Tentei reproduzir as imagens de acordo com meus sonhos. E nos meus sonhos com pessoas peladas, elas não têm rostos”, conta André.

A partir desses sonhos, surgiu a ideia de mostrar o nu em situações inusitadas, oferecendo ao espectador o exercício da inconsciência, de maneira que a sua interpretação passeie pelo mundo onírico, surreal e absurdo antes de esbarrar em conceitos cristalizados. “As máscaras de animais surgiram para compor essa sensação de estranheza, remetendo aos seres irracionais, que tendem a viver mais próximos da essência da natureza, do puro, sendo menos influenciados pela cultura suas regras e leis”, explica o fotógrafo. “Por isso fui buscar a relação animal. É uma nudez sem conceito racional.”

 

Interatividade – A exposição traz também uma proposta bastante inusitada. Haverá um espaço para que os espectadores que se propuserem a fazer parte da mostra possam ser fotografados, no mesmo estilo das demais obras expostas – nus e com máscara de animais. Os interessados devem deixar um contato e serão convocados para a data do ensaio. Não haverá custo para os participantes.

 

SERVIÇO

O Irracional, o Surreal, o Onírico, a Essência Animal

Exposição fotográfica de André Donadio

* Café Botanique – segundo andar (Rua Brigadeiro Franco, 1193 – Curitiba)

* De 01 de outubro a 26 de novembro. Domingo a quinta-feira das 10h as 23h / Sexta e sábado das 10h as 24h

* Festa de abertura no dia 01/10, domingo, a partir das 16h, com DJs convidados

* ENTRADA FRANCA

* Todas as obras expostas (42cm x 60cm, em fine art) estarão à venda por R$ 600

Mostra “QUEER QUARREL” reage às recentes polêmicas na arte

19 setembro, 2017 às 09:57  |  por Marianna Camargo
Foto/Divulgação

Foto/Divulgação

 

A mostra “Queer Quarrel”, idealizada pelo curador Tom Lisboa, abre nesta quarta, dia 20/09, às 19 horas, na Galeria Airez. Com  a participação de diversos artistas como: Alex Flemming, André Coelho, André Malinski, Antonio Wolff, Edilson Viriato, Fabio Motta, Foca e Vilma Slomp, a exposição foi pensada como uma reação aos recentes atos de cancelamento da mostra “Queermuseu- Cartografias da diferença na Arte Brasileira”, pelo Santander Cultural; da apreensão da obra “Pedofilia” na mostra “Cadafalso”, no Museu de Arte Contemporânea (Marco), no Parque das Nações Indígenas, em Campo Grande (feita pela Polícia Civil  do Mato Grosso do Sul por alegação de apologia à pedofilia e já devolvida depois de colocada a faixa etária); e o espetáculo “O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu”, que teve sua temporada cancelada no SESC Jundiaí por provocar reflexões sobre a questão de gênero.

Tom Lisboa explica a ideia: “QUEER QUARREL é uma inconformada reação ao cenário atual e possível alerta sobre o que está por vir. A invisibilidade é uma condição que certos grupos tentam impor a outros seres humanos por não se adequarem a um padrão considerado vigente. Uma situação paradoxal, é bom deixar claro. As diferenças não devem ser associadas à escuridão mas à claridade que dá forma às principais perguntas de nossa existência.

Neste embate entre o que se quer ver e ser, construímos nossas QUARRELS. Felizmente esta tentativa de apagamento de um modo de viver veio cercada das mais diversas iniciativas em sentido contrário. Não podemos nunca nos esquecer que, se um espaço for fechado, faz-se necessário inaugurar outros. Se a censura nos proibir de dizer algo, precisamos falar de outro jeito e mais alto. We will survive”, conclui.

 

Obra "Sagrado Coração partido  do Andy Warhol, de André Malinski

Obra “Sagrado Coração partido do Andy Warhol”, de André Malinski.

 

SERVIÇO:

Exposição “QUEER QUARREL”, por Tom Lisboa.
Curadoria: Tom Lisboa
Local: • AIREZ • Galeria de Artistas Independentes.

Data de abertura: 20 de setembro, quarta, 19h.

• AIREZ • Galeria de Artistas Independentes – Rua 13 de maio,778, cj 15 . São Francisco – Curitiba.

Horários de visitação: 13h às 19h (segunda a sexta).