Guerrilla Girls no Museu da Fotografia

2 outubro, 2017 às 17:08  |  por Marianna Camargo
Guerrilla_Girls_-_V&A_Museum,_London

Guerrilla Girls no V&A Museu em Londres. Foto Eric Huybrechts

 

Algumas obras do coletivo Guerrilla Girls serão exibidas na exposição “O museu é feminista e outras esperanças sobre o futuro”, dentro da programação da Bienal de Curitiba 2017, que abre nesta terça, dia 3 de outubro, a partir das 19 horas, no Museu da Fotografia.

“A mostra não tem como objetivo único de apresentar obras icônicas das Guerrilla Girls, mas também de usar essas obras como ponto de partida para o diálogo, debate e discussão sobre o que podemos fazer para contribuir por um futuro feminista”, diz a curadora Carolina Loch.

O coletivo Guerrilla Girls expôs pela primeira vez no Brasil, em Curitiba, em 1992. Vinte e cinco anos depois, as artistas retornam com uma participação no Trienal de Frestas, em Sorocaba, e com uma exposição no MASP, em São Paulo.

 

Sobre as Guerrilla Girls

 

As Guerrilla Girls são artistas ativistas feministas e iniciaram em 1985, em Nova York. Elas usam máscaras de gorila em público e usam fatos, humor e irreverência para expor questões de gênero no mundo da arte, bem como a corrupção na política, entre outras questões. Mais de 55 pessoas foram membros ao longo dos anos, algumas por semanas, algumas por décadas.

Segundo elas, o anonimato mantém o foco nas questões: “Podemos ser qualquer um e estamos em todos os lugares. Acreditamos em um feminismo interseccional que combate a discriminação e apoia os direitos humanos para todas as pessoas e para todos os sexos. Derrubamos a ideia de uma narrativa convencional, revelando o subtexto, o negligenciado e o injusto”, de acordo com o texto de apresentação no site.

Realizam centenas de projetos (cartazes, ações, livros, vídeos, adesivos) em todo o mundo, como Bilbao, Islândia, Istambul, Londres, Los Angeles, Cidade do México, Nova York, Roterdã, São Paulo e Xangai. Também fazem intervenções e exposições em museus. Em 2016, produziram novos projetos de rua e museu na Tate Modern e na Galeria Whitechapel, em Londres; e em Paris, Colônia e Minneapolis.

 

Serviço:

Abertura: “O museu é feminista e outras esperanças sobre o futuro”

Data: 3 de outubro

Até 25 de fevereiro de 2018

Horário: a partir das 19 horas

Local:  Museu da Fotografia Cidade de Curitiba – Solar do Barão.

Rua presidente Carlos Cavalcanti, 533

Curitiba/PR

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>