Quer uma ilha “quase” deserta? Ko Yao Yai

22 outubro, 2012 às 10:30  |  por Candice Bittencourt

Saímos de Phi Phi no sábado de manhã, no ferry até Phuket (viagem de uma hora e meia), de lá um táxi até outro ferry e depois mais um speed boat de meia hora para a Ilha de Ko Yao Yai. Mas por quê?

Depois de conhecer as ilhas Phi Phi e toda sua fama, decidimos ir para uma ilha desconhecida (presumindo-se quase deserta também) e quem sabe arriscarmos a sorte de encontrar uma praia estilo “Phi Phi” virgem!
A ilha escolhida: Ko Yao Yai



Só para situar: Ko Yao se resume a duas ilhas bem no meio da baia de Phang Nga, no meio do lindo e azul mar do Andaman: Ko Yao Yai e Ko Yao Noi (a maior e a menorzinha, respectivamente).


Entramos no booking.com de última hora e achamos um hotel resort no meio da floresta pra lá de charmoso, com aquelas piscinas infinitas conectando com o marzão e decidimos nos dar de presente duas noites nesse hotel.


Já no píer da ilha deu pra sacar que estávamos meio que “ilhados”. Três tailandeses e mais uma mulher que estavam por ali se aproximaram. E lá vamos (de novo) brincar de imagem e ação! Sorrisos pra cá, gestos pra lá, eles apontaram para um mapa grande, bem rústico que ficava pertinho do desembarque da lancha. Ali caiu a ficha: duas vilas e três resorts? Hum, o que vem por ai…


Em cinco minutos chegou uma caminhonete estilo safári do resort e mais nove km de estradinha e já estávamos praticamente entrando no hotel.


Como é fácil ser feliz em um lugar onde tudo é lindo, de extremo bom gosto, com uma cama absurda de boa e um chuveirão ao ar livre! Na verdade, o tal “quarto” que você reserva é um bungalow alto nível com janelões de vidro e com uma enorme varanda no meio da floresta. Aproveitamos o final de tarde na piscina e a noite jantamos no próprio hotel. Tudo melhor do que o esperado.


www.kohyaoyaivillage.com


Aproveitamos o dia seguinte pra fazer um reconhecimento na ilha com uma scotter alugada no próprio hotel. Em duas horas conseguimos dar quase a volta em toda na ilha e se encontramos pelo menos uns vinte turistas passeando pela ilha foi muito.


Não sei a porcentagem real, mas a população massiva da ilha é muçulmana e quase todas as mulheres usavam burca, que no calor que fazia, só por Alá!


Escolhemos uma praia bonita para almoçar e depois fazer uma caminhada. Bem longe da beleza de Phi Phi, diga-se de passagem.





Ao entrar no mar, não deu um minuto e comecei a sentir várias picadas por todo o corpo, bem ardidas e  incômoda. S do mar às pressas e fui conferir o estrago, mas não apareceu nenhuma marca, só a sensação do queimado em alguns pontos. Não sei o que aconteceu (talvez micro água-vivas) mas não foi nem um pouco agradável.


De volta para o hotel, tentamos achar um vilarejo ou algo parecido, mas nada. Nessa ilha, a surpresa é ver um lagartão atravessar a estrada bem devagar, um monte de siri na praia, conchinhas andantes, enfim, uma fauna viva e tanto!



Só pra ter uma idéia da precariedade do local, a gasolina você compra em garrafa pet em vendinhas bem pequenas.


Resumindo Ko Yao Yai: uma ilha que tem seus encantos, mas sem nenhuma infra-estrutura turística (nem uma vilazinha sequer). Se você está procurando ficar isolado, escrever um livro ou algo que precise de silêncio, esse é o lugar.


Diária no Ko Yao Yai Village – $ 110
Aluguel da moto – $ 18

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>