Paris: quando ir, onde ficar, o que fazer e muito mais – Parte II

16 janeiro, 2014 às 20:15  |  por Candice Bittencourt

Como se locomover em Paris – metrô (em qualquer época do ano)

Paris é uma cidade fácil de se locomover graças a seu metrô, considerado um dos melhores e mais movimentados do mundo e que atende quase toda a cidade. Imagine, 214 quilômetros divididos em 16 linhas (numeradas de 1 a 14 com duas pequenas linhas 3bis e 7bis), com 62 conexões entre as linhas e 303 estações espalhadas pela cidade.

Além de ser rápido e barato, é o meio de transporte que te leva de um ponto a outro do mapa sem grandes dificuldades. Só precisa prestar atenção porque algumas vezes é necessário fazer conexões nas estações, ou seja mudar de uma linha para outra para se chegar ao destino desejado.

O que facilita bastante é que as linhas do metrô têm cores, o que nos ajuda muito na hora de se localizar. Eu lembro que ir para a minha casa temporária em Paris, eu precisava sempre chegar até a linha 11, a marrom.

E não se assuste se você se sentir uma sardinha enlatada na hora do rush, afinal são cerca de 5 milhões de pessoas diariamente utilizando o meio de transporte número 1 na cidade luz. Vamos ao mapa:

A primeira linha ( linha 1) do metrô de Paris foi inaugurada em 1900 e a última, linha 14 foi construída no final de 1990 e é toda automatizada.

Dicas de qual bilhete comprar

Se você for explorar apenas o grande centro de Paris compre os bilhetes de zona  1-2. Todos os passeios que estiverem fora da zona 1-2 como por exemplo, o castelo de Versalhes que fica na zona 4, ou o parque da Disneyland que fica na zona 5 ou mesmo os aeroportos Charles de Gaulle, na zona 5 e o Orly, na zona 3 , já tem um acréscimo no valor do bilhete. 

Eu comprei a zona1-2 por uma semana e quando queria ir além como o La Defense, por exemplo, comprava o bilhete individual. Repare no mapa as zonas como são divididas:

Quais são as opções para comprar tickets para a zona 1-2?

- comprar individualmente por 1.70 euros cada vez que for usar ou escolher a opção do pacote com 10 bilhetes (conhecido por carnet voyage) por 13.30 euros. O ticket t+  não tem data de validade e também pode ser usado no ônibus, nos bondes, no funicular de Montmartre e nos trens RER da zona 1.

- outra opção é comprar o passe metro Navigo por uso ilimitado por uma semana, um mês ou um ano.

 Para comprar você precisa pedir para um atendente no guichê do metrô um passe Navigo. Primeiro eles vão te perguntar para qual zona você quer  e depois por quanto tempo.

Importante saber que a validade do passe semanal começa sempre na segunda-feira e termina no domingo. Ou seja, se você chegar na quinta em Paris, vale mais a pena comprar o pacote de 10 bilhetes, a não ser que você vá fazer bem mais de 10 viagens entre quinta a domingo.

Quando comprei escolhi a zona1-2 por uma semana. O preço do passe semanal custa 19,80 €, além dos 5 € para comprar o cartão magnético Navigo. Ou seja, quase 25 euros por uma semana (de segunda a domingo) ou seja, 3,57 € por dia com direito a fazer viagens ilimitadas. Vale a pena né?

 

Como se locomover em Paris – Vélib bike  (para dias de calor ou meia estação) 

Vélib é uma empresa que no verão de 2007 inventou um novo jeito de se locomover por Paris de uma forma barata, rápida, inteligente e bem charmosa: eles espalharam estações de bicicletas por toda a cidade com a idéia de apanhá-la em uma estação (por exemplo na frente da catedral de Notre Dame) e devolvê-la em outra (por exemplo próximo da Torre Eiffel) em no máximo 30 minutos ( tempo máximo em que ela é gratuíta ) para que a rotatividade seja grande e para que todos possam usar.

Hoje em dia, esse sistema de bicicleta de auto-atendimento (disponível 24 horas por dia, durante o ano todo) oferece mais de 20 mil Vélibs com mais de 1.400 estações por toda a cidade.

E nós que somos turistas podemos usufruir desses serviço? sim e é bem fácil e confiável.

Siga os passos que aprendi com meus amigos parisienses:

1 – Vá até a estação mais próxima de você. É muito fácil de encontrar Vélibs pelas ruas de Paris.

2 – Para acessar o serviço, ou seja para retirar uma bike da estação, você precisa ir até o terminal computadorizado, que é tipo um tótem que tem junto com as bikes, mas, antes de passar o cartão de crédito escolha que bike você vai pegar na estação e já anote o número dela.

3 – Para escolher uma boa bike observe primeiro se os pneus estão em boas condições e se as correntes se estão correndo bem ( é só dar uma girada no pedal).  Sempre que você for pegar uma bike, observe se o botão verde está ligado. Se tiver vermelho, não mexa com ela. Ela está indisponível por alguma razão.

Tenha uma dica: toda vez que vc vê as bikes com o assento virado ao contrário é sinal que ela está com algum problema. Os franceses já fazem isso para ajudar um ao outro na hora de escolher uma boa bike.

Quando você encontrar um banco virado assim é porque a bike está com algum defeito. Escolha outra.

4 – Volte para o tótem e agora você verá uma tela e um display com botões. Primeiro, escolha o idioma mais apropriado para se entender com a máquina. Os opções são: inglês, francês, espanhol, alemão e italiano. Agora é só seguir as instruções.

5 – Você vai precisar digitar o número da sua bike escolhida e logo depois passar o seu cartão de crédito no momento solicitado. Eles também pedirão uma autorização para um depósito de segurança caso aconteça alguma com a sua bike, tipo roubo, furto. Depois eles devolvem esse valor, não se preocupe.

6 – Assim que o seu cartão for aceito pela máquina, um ticket será impresso e você só precisa ir até a sua bike, passar o ticket sobre o leitor do lado da bicicleta e ela automaticamente será liberada, fazendo um barulhinho. Aí é só tirá-la do encaixe e pronto, você está pronto para a diversão!

Se você quiser, também dá para alugar a Vélib através da internet. 

Veja como funciona:

1 – vá até o site deles e você verá na primeira página 3 opções do lado esquerdo: sign up now / buy a 1-day ticket por 1.70 Euros / buy a 7 days tickets por 8 Euros. Não clique no signup now e sim na compra para um dia ou para uma semana de acordo com a sua permanência na cidade.

2 – Depois de você escolher entre 1 dia ou 7 dias, eles vão pedir para digitar duas vezes seu email e depois uma senha de 4 dígitos ( PIN ) também duas vezes. Daí você precisa colocar que dia você quer começar a validar sua corrida de bike, Pode ser no mesmo dia ou no dia seguinte…ou o dia que for!

3 – na próxima página vem a confirmação e o pedido dos dados do seu cartão de crédito. Eles farão um depósito de segurança de 150 euros e que depois que terminar o contrato eles liberam de volta esse crédito para você. Eles não cobram esse 150 euros, eles só deixam “pendurado” no seu cartão, da mesma maneira quando você faz check in num hotel.

4 – depois do pagamento você receberá seu número de contrato, ou sua ID number (acredito que são uns 8 a nove números juntos) que você precisa marcar e guardar com você por onde você andar, porque vc precisará toda a vez que for retirar uma bike da estação.

5 – Nos tótens, na hora de retirar a bike, é muito fácil: é só seguir as instruções da máquina: digitando seu ID number, depois sua senha de 4 dígitos (aquela digitada no computador) e o número da bike que você quer destrancar na estação e pronto!

Uma dica muito importante: quando você for devolver sua bike, tenha certeza que ela ficou travada na estação: como? toda vez que ela fizer um CLIC e aparecer uma luz verde, está tudo certo! 

Se aparecer uma luz vermelha ( o que é raríssimo) você vai precisar voltar ao tótem, munidos com o numero da sua ID, o nome da estação e pedir para falar com uma das atendentes ( eles tem atendimento pelo tóten também e falam inglês, uh la la) para reportar que sua bike está com a luz vermelha. 

O resto eles resolvem por você. Já aconteceu comigo uma vez e é tranquilo e tudo se resolve rapidamente, mas é preciso ser feito, porque quando você devolve a bike e aparece a luz vermelha significa que a máquina não registrou que sua bike não foi devolvida e isso pode te trazer problema.

Como funciona os preços para andar de Vélib:

Se você tiver a manha e quiser pagar uma mixaria para conhecer Paris você vai precisar de um cronômetro ou ficar ligado no relógio.

Como funciona: a cada primeira meia-hora o serviço é gratuito, ou seja, se você pega numa estação, roda 25 minutos, devolve na estação mais próxima, espera 2 minutos ( por que é uma regra) pega outra bike na mesma estação que você devolveu sua última bike e roda por mais 25 minutos e vai indo nesse ritmo, você não pagará mais de 1.70 ao dia ou 8 euros a semana patra conhecer Paris de Vélib.

Se você passar a meia hora os preços vão subindo como um foguete:

A próxima meia hora com a mesma bike custará 1 Euro.

A segunda próxima meia hora com a mesma bike, mais 2 Euros.

A terceira próxima meia hora com a mesma bike, mais 4 Euros.

Qualquer adicional meia hora com a mesma bike custará 4 Euros.

Calculando: se você pegar um bike meio-dia e devolver às 4 da tarde por exemplo, a brincadeira custará  23 Euros! Ou seja, não dá chamar a Vélib de “sua” por muito tempo, a brincadeira aqui é comunitária.

O segredo é andar um pouquinho, no máximo por uma horinha, e já troca por outra, compris?

Boa sorte com sua experiência com a Vélib!

 

eu e a  Lu rodando Paris de Velib

 

No próximo e último post : venha descobrir alguns encantos e segredinhos da cidade! Voilá

Mais dicas sobre Paris? Segue alguns links abaixo:

Paris: quando ir, onde ficar, o que fazer e muito mais – Parte I

Paris: quando ir, onde ficar, o que fazer e muito mais – Parte III

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>