A sina do craque Messi.

27 junho, 2016 às 10:36  |  por Capitão Hidalgo

O futebol paranaense vai se recuperando de alguns maus resultados no início dessa competição brasileira. Ontem, na Arena, com uma excelente apresentação, o time atleticano venceu com autoridade o Grêmio dos Pampas (2×0), enquanto o Coritiba saiu e empatou jogando contra o Figueirense (0×0). No sábado,  o Paraná Clube venceu em casa o Joinville (1×0), dando mostras que tem tudo para se recuperar no certame. Para que as coisas aconteçam será necessário que as comissões técnicas não sejam alteradas. No Furacão,tenho notado que o técnico, Paulo Autuori, depois de um começo incerto, vai dando mostras da sua competência com algumas mudanças táticas interessantes. Quanto ao Coxa, mesmo que venha um profissional na área, também devemos registrar que o interino, Pachequinho, vem dando conta do recado. Quanto ao Tricolor da Vila, espero, também, que a diretoria não se desespere e fique com o recente contratado, Martelotte.

Que sina o selecionado argentino vem passando, isto desde 1993, que não ganha um título quando chega a uma final. Ano passado, perdia para o Chile, em Santiago, nas penalidades máximas. Na partida, de ontem em gramado americano de New Jersey,  mesmo indo a prorrogação contra esse mesmo Chile, perdeu novamente nos tiros diretos. Como na vida nunca se tem tudo, o caso do Messi  chega ao exagero, pois o craque argentino que serve a anos o time do Barcelona, aliás ganha tudo por lá,  não consegue nada em sua seleção. Ontem, perdeu mais uma chance , sobretudo, por errar uma penalidade máxima e ao sair triste do gramado disse não querer mais jogar no time platino. Cabeça quente. 

Como é bonito esse evento Euro Copa, minha gente, onde acredito seja até melhor que um Campeonato Mundial. Organização magnífica, excelentes estádios, gramados impecáveis, e seleções que jogam de forma determinada. As vitórias são consagradoras aos jogadores. Fica o exemplo para os nossos jogadores, hoje em baixa técnica, praticando um péssimo futebol. Vendo o selecionado alemão jogar é um prazer.

Quando aqui jogou o time do Internacional dos Pampas,  fiz questionamentos quanto a conduta tática e técnica desta equipe que é dirigida pelo técnico, Argel, acostumado a fazer times que dirige a jogar de forma rústica. Não deu outra, pois, perdeu em casa na partida de ontem para o Botafogo (3×2). Atlético Mineiro e Cruzeiro vão melhorando na tábua de classificação, enquanto o time sãopaulino perdeu de goleada para a molecada do time peixeiro (3×0) . Quem vem despencando é o Santa Cruz e a Chapecoense.

Com um 2º tempo primoroso ao vencer o Gremio Portoalegrense (2×0), o Atlético Paranaense vai consolidando pontos necessários, principalmente, quando atua na Baixada. Venho afirmando que será difícil algum time ganhar na Arena. Claro, que poderá acontecer em alguma oportunidade, mas, se olharmos as últimas dez partidas, em que jogou em casa, não desperdiçou o momento. As atuações brilhantes do Thiago Heleno, Hernani, Otávio, Sidcley, Nikão, Vinícius e André Lima, tem ajudado muito o esquema atleticano.

Lembre-se: Que o melhor da vida e sua história.

Na Arena só dá o Furacão.

20 junho, 2016 às 14:56  |  por Capitão Hidalgo

O time atleticano vem dando mostras que será jogando, em casa, que conseguirá somar o maior número de pontos nesse Campeonato Brasileiro/2016, muito complicado pelas nuances técnicas distorcidas das agremiações. Queira ou não é um handicap bastante favorável, pois, todas as equipes brasileiras não estarão reunindo essa condição de ganhar pontos, principalmente, em seus redutos. No sábado, mais um exemplo, por sua determinação de combatividade ao mesmo exigindo do adversário, no caso o time do Santos, que sentiu na pele a adversidade em ter  buscado o maior número de tempo com a bola para não sofrer a correria do Furacão. Como já tinha visto esse filme nas partidas contra o Brasil de Pelotas, Criciuma, Paraná Clube, Londrina, Coritiba, Figueirense, Santa Cruz e agora o Santos, não tenho nenhum receio de afirmar que será na Arena o melhor do clube na pontuação.

Ouvi do técnico santista, Dorival Júnior, dizer após o jogo que considerava um resultado injusto, afinal, seu time teve a posse de bola por uns 65 minutos. Não sabia que só reter a bola ganha jogo, mas,  como conheço essa figura, quaquer coisa êle quer justificar. Diria que não é só segurar a bola, é necessário jogar na vertical. Na verdade, o que o time peixeiro fêz foi jogar circulando a bola, sem penetração nenhuma na área do time atleticano, muito mais querendo levar o empate para casa. Com isso caiu do cavalo.

Enquanto o time atleticano encontra meios de sobrevivência, nesse campeoanto brasileiro, um dos motivos da desigualdade envolvendo os time do Coritiba e Paraná Clube, é que não há como sobreviverem com vitorias esporádicas. O Tricolor da Vila mudou sua direção esportiva é perdeu em casa para a equipe da Luverdense, enquanto o Coritiba que havia empatado com o Palmeiras em casa, foi a Belo Hoizonte e não conseguiu ganhar do fraco time do América Mineiro.

Bonita homenagem fêz  a direção corintiana ao técnico, Tite, que em lágrimas agradeceu demonstrando seu carinho para o clube e torcedores. Como é um fato diferente à acontecer, afinal, os técnicos entram e saem das agremiações num passe de mágica,  temos mais é que enaltecer essa atitude dos dirigentes atuais do time da fazendinha. Para somar a solenidade o time corintiano ganhou do Botafogo do Rio de Janeiro (3×1). Ao mesmo tempo já se sabia da contratação do técnico, Cristovão Borges.

depois da desclassificação prematura do selecionado brasileiro, o que se vê na Copa América Centenário, é que difícilmente a Argentina vá deixar de papar o título. O que se observa é que os platinos estão com a bola toda.

Lembre-se: Que o mehor da vida é sua história. 

 

Braço de ferro.

15 junho, 2016 às 12:09  |  por Capitão Hidalgo

Poucos sabem mais existe um fator muito forte para que o técnico, Tite, não tenha de momento aceito o convite dos dirigentes da CBF. Qual é o entrave?  Dias atrás ja comentava esse assunto pela Rádio Globo 670 AM, pois, existe um personagem nesse meio e o seu nome é Andrés Sanchez., ex- presidente corintiano e atualmente Deputado Federal. A amizade entre Sanchez e Tite é de longa data, e que se iniciou quando o dirigente apoiou a continuidade do Tite, depois que a equipe corintiana havia sido desclassificada no caminho à Libertadores de América. Fincou-se com isso um enorme elo de confiabilidade. Você poderá estar incrédulo como um profissional do quilate do técnico escolhido ficar nessa dúvida. Diria que não é nem o problema do atual estágio do futebol brasileiro.

Na verdade, meus amigos, existe uma grande dose de espectativa, do Andrés Sanchez, de se tornar presidente da CBF nas próximas eleições. Guerra política pura atrás dos  muros, já que não existe nenhuma aproximação do atual, Del Nero com o procer corintiano, por saber que a campanha já está posicionada. A dúvida, então, do Tite, é que no futuro será com certeza o técnico do selecionado, e se adiantar essa situação em quebrar esse rótulo de amizade, facilitará o momento do Del Nero. Com isso  o serviço do dirigente do Timão é dificultar essa ida do técnico .

Mesmo trocando de técnico, o Paraná Clube venceu por 2×0 do Goiás, tirando pelo menos de momento alguma dúvida de continuidade. O interino, Fernando Miguel, que outrora já havia trabalhado no clube como técnico, deu conta do recado. O jogo seguinte será contra a Luverdense, novamente em Vila Capanema. Quanto a nova contratação de um técnico parece que já está estabelecida. Será o Martelotti, que andou muito pelo nordeste e interior de São Paulo.

Se o time atleticano ganhar esse jogo da Ponte Preta, logo mais à noite em Campinas, poderá chegar próximo a linha das 4 melhores equipes do campeonato. Como terá no sábado o time santista, em casa, viverá um bom momento e passar, principalmente, um moral de motivação ao time do técnico Paulo Autuori, depois da boa vitória contra o time sãopaulino.

Dizer que a equipe do Palmeiras seja de momento a melhor é muito cedo, pois, as irregularidades técnicas nesse Brasileirão/2016 é enorme. Não há time que encaixe vários resultados positivos. Portanto, o Coritiba, nessa noite no Couto Pereira, poderá mostrar essa realidade .

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história. 

 

Analfabetos da bola.

13 junho, 2016 às 08:27  |  por Capitão Hidalgo

Depois de 33 anos de espera, o Atlético voltou a ganhar do São Paulo, no Morumbi, por 2×1, jogando um péssimo futebol, no 1º tempo, para esbanjar qualidade na etapa complementar. O técnico, Paulo Autuori, antes da partida, dizia da lógica do jogo, pois, sabedor que iria ser dominado, inicialmente, montou um esquema tático para reter a bola, mas, com o gol sãopaulino já não estava valendo mais nada. Na etapa complementar, voltou com Nikão, saindo Ewandro sem nenhuma função, e depois complementado pelo Walter, aliás o ”gordinho” entrou muito bem. O Furacão mostrou competência em virar o placar (2×1). Boas as presenças do Otávio, Wanderson e Léo. Próximo compromisso será na Arena  contra o ”molecada” do Santos. 

Mesmo que tomando gols inaceitáveis, o Coritiba ganhou do Sport de Recife( 3×2), com bom desempenho e motivação. Durante a semana na conversa com alguns torcedores, da Império, que estiverm no CT de Quatro Barras, o presidente,  Bacelar,  falou sôbre suas iniciativas quanto a pagamentos de muitas contas, mas, que nem por isso, deixaria de trazer alguns jogadores. Ontem,  inclusive, estrearam Edinho(Gremio) e Felipe(Goiás), com boas atuações.  Enquanto teve ‘gás’, o meia que joga avançado, Vinicius, arrebentou a zaga do Sport.   

Fico a imaginar a imprensa esportiva que anda lá pelas Américas, que esperava por uma boa participação do selecionado brasileiro, e vê a equipe naufragar contra um time como a do Perú. Se já não bastasse ainda tomar o gol do atacante Ruidias, chamado calorosamente pelos torcedoes alviverdes,  de “Ruím Dias ” Com custo altíssimo para deslocamento das equipes esportivas de radio e televisão, além  dos terceirizados que escrevem em portais, a repercussão é negativa. Conhecendo alguns deles entendo que estejam prostados e ainda mais terem que conviver nos proximos dias em transmissões que não exigem nenhum interesse ao torcedor brasileiro. É estar e não estar. De nada está valendo as iniciativas de quem ainda continua acreditando nesse selecionado nacional, que passa longe dos bons momentos do nosso futebol. Hoje só podem  escrever páginas tristes.

Será que a era Dunga está no fim? Mudar por mudar até será louvável para responder a imprensa e ao povo brasileiro. O grande culpado na verdade  está no comando da CBF. Essa seleção que foi desclassificada, ontem, nos Estados Unidos, não é do povo e sim dos péssimos dirigentes. Sempre  criticaram João Havelange e Ricardo Teixeira. Pelo menos as vitórias aconteciam . E agora, com esse bando de analfabetos do futebol, que além de não entenderam nada da coisa convivem com falcatruas. Fora todos.

Depois dessa derrocada, onde nem chegou a disputar essa Copa América, com um técnico que ainda terá que atender a seleção olímpica, onde é que vamos parar. Pelo menos uma satisfação esses dirigentes devem promover.

O que é Profut?

10 junho, 2016 às 08:54  |  por Capitão Hidalgo

Profut – Parcelamento da Lei 13.155/2015 é o programa de modernização da gestão e de responsabilidade fiscal do futebol brasileiro. Portanto,  os clubes profissionais terão até o dia 28 de julho desse ano, a oportunidade de aderirem ao plano de refinanciamento em 20 anos dos impostos atrasados com a poder público. Claro, que para isso o importante é conhecer as principais regras para se manter no Profut. Algumas delas é a utilização de no máximo de 80% da receita bruta do clube para o futebol profissional; não atrasar salários de carteira ou direitos de imagem; Regularizar as ações trabalhistas; não antecipar verbas referentes a período posterior ao fim do mandato; restringir aos presidentes no máximo em 4 anos seu mandato, com apenas uma reeleição e comprovar a existência de um conselho fiscal autônomo.

Os clubes, então, que aderirem êsse programa de refinanciamento terá um desconto de 70% das multas e 40% nos juros. O dirigente que assinar esta confissão de dívida e não cumprir com as obrigações, inicialmente não terá o CND que é o Certidao Negativa da Dívida, como se prejudicará em cair para uma outra divisão.

Outra coisa que fiquei sabendo é que a TIMEMANIA paga 400 mil reais do 1º ao 20º clube que tiver maior pontuação no bilhete assinalado com o time do coração. Do 21º ao 40º cai para 160 mil. Soube, também, que há dirigentes de clubes que compram a Timemania para aumentar suas apostas, principalmente, no nordeste brasileiro. É só verificarem. O torcedores do Coritiba que apostavam nesse volante de loteria estava a bem pouco em 20º lugar. Agora, caiu e teve sua verba diminuída. Quanto ao Paraná Clube, êste está na 57º lugar, rcebendo a importância de 20 mil reais. Portanto, vale a pena investir dois reais no cartão e assinalar seu time de coração.

Demorou e aconteceu. Alguns  integrantes da Império, torcida alviverde paranaense, de forma amistosa foi ao CT , em Quatro Barras, de propriedade do Coritiba, pedindo explicações ao presidente, Bacellar, o motivo de tantas derrotas. Como na semana passada dois profissionais já haviam sido demitidos, o técnico Gilson Kleina e o diretor de futebol, Valdir Barbosa, quiseram, também, ouvir os principais e experientes jogadores da equipe, Kleber, Ceará e Wilson. Se sairam satisfeitos ou não saberemos na frente com o jogo contra o Sport.

Como já havia me expressado sôbre a omissão do presidente do Coritiba e uma torcida anestesiada com maus resultados, de certa forma entendo que tenha sido uma boa essa conversa, mas, para que futuramente venha dar certo a equipe terá que vencer mais jogos. Contratações estão chegando, como a do Edinho (Grêmio), Emerson (Galo) e Colin-Kazin, do Fenerbaçe, como também, algumas dispensas deverão acontecer, principalmente, dos paraguaios que até agora não jogaram nada.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.

Vem aí o “glorioso” time do Haiti.

8 junho, 2016 às 08:39  |  por Capitão Hidalgo

O advogado que já mostrou largos conhecimentos jurídicos esportivos, Dr. Domingos Moro, tirou de letra aquela bronca generalizada onde o técnico atleticano, Paulo Autuori, bateu de frente com o trio de arbitragem no jogo entre os Atléticos, Paranaense e Mineiro. Outro que foi absolvido foi o goleiro, Weverton, que abriu o bico contra o árbitro que havia-lhe dito que o Furacão havia sido prejudicado na partida anterior contra o Palmeiras. A lambança foi grande da arbitragem, mas, o argumento apresentado pelo advogado paranaense foi ganhadora. Portanto, os dois profissionais, Autuori e Weverton, poderão estar no gramado no jogo contra o Tricolor do Morumbi, em São Paulo.

A notícia pode ser considerada como boa no troca-troca envolvendo os jogadores, Negueba (Coritiba) e Edinho (Grêmio). Algum tempo o técnico gremista, Roger Machado, vinha pedindo a sua diretoria para trazer o carioca, Negueba, que após conhecimento do interesse do time do sul, caiu de forma radical o seu futebol. Quanto ao Edinho, experiente jogador de meia cancha, mais marcador e entregador de bola, vem para compor o meio campo alviverde que só queria jogar e não marcar. Os dois gols que a defesa tomou do Corinthians foi amostra que ninguém marcava na entrada de área.

A experiência mostra que a cada 4 jogos, ou seja, 12 pontos disputados, a equipe que conseguir somar 7 pontos, é o caminho para chegar a outra divisão. Falo a rota que o Paraná Clube terá que se esmerar. Portanto, os primeiros 4 jogos o clube conseguiu os 7 pontos. Até aí tudo bem.  Após. o Tricolor da Vila já esteve em campo por tres oportunidades somando tres empates. Como jogará no nordeste o proximo jogo, será contra o Náutico, para conseguir chegar na boa média terá que ganhar. É uma questão de matemática.

Sem que haja por parte do torcedor brasileiro uma manifestação de apoio a essa Copa América Centenária dos Estados Unidos, a Seleção da CBF, que não é a do povo com certeza, jogará a noite contra o “glorioso” time do Haiti, na cidade de Orlando, na Florída americana. Com isso o técnico da canarinho, Dunga, na avaliação geral será colocado no patíbulo se não ganhar essa partida, sobretudo, porque continua trabalhando no fio da navalha.

Foi emocionante vermos um dos grandes jogadores do futebol paranaense, Adolfo Krieger, Afinho, que jogou pelo Ferroviário e Atlético, nos idos de 40 e 50, goleador por excelência, hoje aposentado Desembargar da Jústica do Paraná, receber uma justa homenagem da Confraria Amigos da Bola. Com seus quase 90 anos pediu a palavra para agradecer essa manifestação dos vários desportistas que estavam presentes no Restaurante Cascatinha, em Santa Felicidade. Também foram homenageados o Luis Carlos(Lua) e seu filho, Tato, dois excelentes jogadores na historia do futebol brasileiro.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.

A Seleção que está distante do povo.

6 junho, 2016 às 09:17  |  por Capitão Hidalgo

Fase é fase. Difícil acreditar é que o time do Coritiba, mesmo que saibamos estar mal de elenco, estava ganhando o jogo contra o Corinthians ( 1×0) gol de Negueba, no Itaquerão, e deixar o adversário no finalzinho da partida fazer 2 gols. O segundo gol é impossível aceitar, afinal com uma zaga que contava no momento com  Lucas Claro, Rafael Marques e Juninho, perder a bola no alto e tomar o gol, é inaceitável. Pelo menos o time deu ar da graça com o interino, Pachequinho, que mudou a estratégia do time em campo. Vamos aguardar por outro jogo, será contra o irregular time do Sport, para tranquilizar a galera.

 No sábado, o simpático time pernambucano, Santa Cruz, que é dirigido pelo ex-técnico atleticano, Milton Mendes, veio com um esquema tática mais defensivo. Estava dando certo, claro, até o momento que tomou o gol do meio campista, Deivid, já no 2º tempo, e mesmo que o Furacão jogasse no campo adversário, e de forma permanente, a galera atleticana estava impaciente chegando a apupar. Sabemos que até a paciência tem seu limite, mas, convenhamos, também atrapalha quando o torcedor não entende nada de futebol.

Que força popular têm esse Flamengo, meus amigos, pois, por anda joga o estádio está sempre lotado. Ontem, em Brasilia, jogando contra o Palmeiras, levou um púlbico de mais de 50 mil espectadores. Pena que seu ambiente interno é sempre tumultuado. Trouxe para suas fileiras um administrador, presidente Bandeira de Melo, para ajustar as contas, no que etá fazendo e bem, só que no campo nem sempre as coisas dão certo. A única coisa errada, ontem, no Estádio Mané Garrincha, foi a luta corporal dos bandos de loucos do mengão e mancha verde. Quanto ao jogo, o técnico paranaense Cuca, levou a melhor com as substituições. Final 2×1 para o Palestra.

E a Seleção Brasileira de Futebol, que conta com péssimos dirigentes que comandam a CBF, está cada vez mais distante do povo. Agora, na Copa América dos Estados Unidos, em sua primeira partida empatou com o glorioso time do Equador. Quarta feira, em Orlando, contra o “fabuloso” time do Haiti, e se não ganhar, o técnico Dunga que já está prestigiado pode ganhar o bilhete azul.

Terei o maior prazer de receber logo mais à noite, na consagrada Confraria Amigos da Bola, o desembargador Adolfo Krieger, para os desportistas, Afinho, um dos grandes goleadores da história do futebol paranaense. Parabenizo os companheiros e dirigentes da confraria pela lembrança desse ilustre personagem da nossa capital. Também, estarão recebendo placas de merecimento, Luis Carlos, ex-jogador de futebol do Ferroviário, Metropol e Internacional dos pampas, onde foi capitão por algum tempo na década de 196o e, por coincidência, outro homenageado será Tato, ponta esquerda do Fluminense e Seleção Brasileira, filho dêle, Lua, apelido do Luis Carlos Prestes. Então, pai e filho serão homenageados. Esse é um fato a ser considerado, sobretudo, pai e filho por terem jogado um excelente futebol.  De lembrança e como exemplo, Domingos da Guia e Ademir da Guia. O jantar será no Restaurante Cascatinha, em Santa Felicidade, a partir das 19.30 horas.    

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.

 

A derrocada alviverde.

2 junho, 2016 às 06:21  |  por Capitão Hidalgo

Dias atrás escrevi que o Coritiba F.C vinha lutando para descobrir sua identidade, situação essa que já deixou no passado com aquelas grandes conquistas que coroaram sua história. Hoje, vivendo problemas drámaticos com erros constantes em suas várias composições diretivas, vê o tempo passar sem conquistar coisas alguma e com acúmulos financeiros que beira uma dívida enorme de reais. Coisa inconcebível para pensar, mas, a realidade é essa nua e crua. E como sair disso? Diria impagável nos tempos de hoje. Portanto, o que houve, ontem a noite, em Vila Capanema, é a soma de mais um péssimo resultado no cangote (4×2), e que demonstra a derrocada de mais uma diretoria ineficiente que passa pelo clube. Um dia saí o diretor de futebol e no outro o técnico é demitido, mas, o presidente continua dando ordens à ninguém, pois, a cada derrota a insatisfação revigora.

Não consigo entender para que serve o Conselho Deliberativo do Coritiba, sobretudo, vendo se arrastar o clube sem tomar medidas drásticas e deixando ao largo às consequências futuras. Contudo, se não tomarem atitudes necessárias, sem uma iniciativa de gestão esportiva, e continuarmos ouvindo logo após uma derrota, que a atual diretoria só paga contas, é querer jogar a culpa no mundo. Agora, fica a questão se essa atual diretoria já não sabia do rombo que teria que resolver. Confesso achar que o atual presidente entrou numa conversa fiada ao resolver aceitar êsse cargo e agora não sabe como sair.

Tomar 4 gols do time da Chapecoense é duro de aceitar. Não quero tirar o mérito do excelente trabalho que é feito nessa agremiação. Pelo que é dado a nós, é que existe um apelo muito grande na cidade catarinense, Chapecó, onde existem empresas como grandes colaboradoras. Outro ponto relevante é que êsse clube não têm muita conta para saldar.

Jogava bem o time atleticano, ontem lá em Porto Alegre, pois, sempre esteve mais próximo ao gol do adversário, Internacional,  com dois lances, um o atavante Walter que chutou uma bola na trave e outra com o garoto Giovanni, quando driblou o ala gaúcho e quase marcou. Tudo isso no 1º tempo, com a coerência do técnico, Paulo Autuori, ao colocar o cabeça de área, Deivid, no meio da zaga. Jogando melhor que o time gaúcho, aí veio mais uma vez um erro de arbitragem, quando o zagueiro Cleberson foi atropelado em sua área de defesa, ficando à nocaute, e o árbitro confirmando o gol, mesmo que na sequência uma bola tenha tocado na mão do atacante, Andrigo, do time dos pampas. O Internacional mesmo ganhando o jogo (1×0) não nos deixou uma boa impressão.

Com a demissão do técnico, Gilson Kleina, ao natural deverá estar no comando alviverde nos próximos jogos o ex-jogador, Pachequinho, que andou salvando a pátria na temporada passada. Acredito que o Pachequinho deve estar sabendo o “pepino” que vai pegar. De cara contra o Corinthians em São Paulo.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.

Qual é a identidade do Coritiba?

30 maio, 2016 às 09:27  |  por Capitão Hidalgo

Mais um jogo desperdiçado pelo Coritiba, quando ontem, em Porto Alegre, perdeu e de forma lamentável, da equipe do Gremio Portoalegrense. Fôsse o Gremio, um time que exercesse sua melhor qualidade ao longo do jogo, até poderia aceitar, mas, mesmo que o clube gaúcho ostente a primeira colocação, não jogou uma boa partida. Ganhou, sim, mas de uma equipe que ainda não têm nenhuma identidade com a própria história do clube. Não têm sido pela falta de aviso ao dirigente maior , Bacellar, que é necessário exercer sua condição de autoridade na agremiação, afinal, por aceitar erros e mais erros, principalmente, nas contratações, seria bom verificar com seus homens de confiança se não existe um método melhor  de administrar o clube.

A notícia soa como uma provocação ao diretor de esportes do Coritiba, Valdir BArbosa, pois, conseguiu arrumar um time para o lateral esquerdo, Emerson, que estava no elenco do Galo Mineiro. A diretoria atual do Cruzeiro e do Galo Mineiro cairam na gargalhada. Aqui o motivo é de chorar. Essa figura também trouxe 3 paraguaios e um venezuelano. Não jogam rigorosamente nada. Infeliz do torcedor  alviverde que está anestesiado com tantos problemas. Quando o técnico Gilson Kleina, precisou mudar o time com as contusões do Ceará e Alan Santos, o descontrole foi geral. Ao toma tomar o 1º gol do time gaúcho, aí despencou.

Fazia tempo que não via um goleiro operar tantas defesas como  Gattito Rodrigues, do Figueirense, sobretudo defesas cara a cara. Era na verdade para o time catarinenese tomar uma sonora goleada, mas, o Atlético ficou mesmo nos 2×1. Notei mais uma vez que o esquema do técnico, Paulo Auturi, jogando na Baixada é produtivo. agora, nesta quarta feira, lá nos Pampas, jogará contra o invicto Internacional, osso duro de roer. Para isso terá que ter um jogador de contenção, no caso Deivid, para não sobrecarregar os zagueiros.

Outro bonito lance, não é de praxe vermos jogadas como a do atacante Ewandro, do Atlético Furacão, que driblou 3 zagueiros do time catarinense em um metro quadrado dentro da pequena área.  Ao levantar a cabeça deu de bandeja para o defensor, Tiago Heleno, que estava de passagem na área adversária. Vale a pena ver de novo.

As duas equipes do fuebol paranaense que estão disputando a Série B, do Brasileirão/2016, Paraná Clube e Londrina, jogarão amanhã, no Estádio do Café, uma partida muito interessante. O Tricolor da Vila que vem bem na competição, ainda no sábado ganhou do Oeste/Audax,  por 2×1, já soma 7 pontos, enquanto o time do Norte vindo de um bom empate, em Joinville/Man chester Catarinense.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua históra.   

 

Arbitragem danosa.

23 maio, 2016 às 10:54  |  por Capitão Hidalgo

O jogo entre o Furacão e o Galo Mineiro foi excelente. Dois times que entraram em campo com boas perspectivas de vitória, só que empanados por uma arbitragem, simplesmente, grotesca e estapafúrdia. No final do jogo deu dó de ver o palhaço do árbitro, que é considerado um aspirante à Fifa, brigar com a própria regra do jogo. Para quem não vê ou não sabe, diria ser mais para quem esteve em campo como jogador, que existe a morte lenta na arbitragem. É verdade. O “cara” vai dando um falta aqui, acolá ou um escanteio mal resolvido, até chegar a uma penalidade máxima. Foi o que aconteceu, ontem, na Arena, quando o time do Atlético Paranaense foi prejudicado insistentemente a ponto do tranquilo técnico, Paulo Autuori, quase chegar às vias de fato. No final do jogo, o técnico, em entrevistas às emissoras de rádio, disse que as pessoas deveriam agir com a verdade. Para dar o penalti que originou o gol de empate do galo Mineiro, deveria ter apitado outro á favor do Furacão, quando a bola, também, bateu no braço do jogador adversário na área e uma outra falta no atacante Walter. Dessa vez o ex-presidente Petraglia está com a razão com essas falsas arbitragens.

Após o jogo, ouvindo a entrevista que o goleiro do Furacão, Weverton, dava ao repórter Henrique Giglio, da Rádio Globo de Curitiba, disse que o árbitro, esse tal de Flávio que apitou o jogo, criticava seu “companheiro” de apito, outra coisa feia que apitou o jogo entre Palmeiras x Furacão, ao dizer que o trio de arbitragem naquêle jogo errou de forma demasiada. Vamos lá só para refrescar a memória. Seria no caso a não expulsão do atacante palmeirense, Barrios, com o 2º cartão amarelo?  Quer dizer criticou tanto para fazer a lambança que fêz no gramado. Imagine o caráter desse “cara”. Um infeliz.

Enquanto o presidente do Coritiba, Bacellar, não entender que está indo de mal a pior, não esperem os torcedores alviverdes que a situação será confortável nesse Campeonato Brasileiro. Registro mais uma vez a demonstração de inércia desse dirigente que fica entregue à pessoas que não têm nenhum senso da cidade. Já disse inúmeras vezes que é só querer e terá pessoas de melhores condições dentro do próprio histórico clubístico. Se quiser eu elenco vários que poderiam exercer com tranquilidade a questão do futebol no clube. Chega desses caras que chegam por aqui e se mandam não deixando nenhuma saudade. Bacellar, você sabe que o ambiente ao seu redor é o pior que possa parecer. O pior cego é aquele que não quer ver.

 Por mais que a TV Globo se esforce com chamadas a respeito da presença do selecionado brasileiro em campos nos Estados Unidos, é a Copa América no mês de Junho/2016, o desportista brasileiro não está dando a  mínima. Com jogos escalados para bem tarde da noite, sem um devido valor expressivo, o técnico Dunga sabe que se não der certo vai ser mandado embora. Se passa por esse teste, terá pela frente os jogos valendo Futebol Olimpíco e Eliminatórias da Copa. Aí é que mora o perigo.

Começa capengando o Paraná Clube nessa Série B/2016, afinal, , já perde em Pelotas e empatou no sábado, em casa, contra o time do Bahia. Amanhã, lá em São Luis/ Maranhão, terá pela frente o simpático time do Sampaio Correia, vindo de duas derrotas, uma contra o Vasco da Gama em casa e outra contra o Avaí.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.