Leitura do jogo

26 junho, 2017 às 08:30  |  por Capitão Hidalgo

Se precisava entender o porque parte da imprensa fazia críticas ao comportamento da equipe, principalmente, pela teimosia do técnico atleticano, Eduardo Batista, ontem na Arena, a providência “divina” mostrou o verdadeiro encaminhamento para resultados futuros. O time rubro negro que vinha se debatendo nas últimas semanas precisava de uma atenção maior da comissão técnica. Era visível a queda de produção do zagueiro, Paulo André, uma meia cancha num descompasso de dar dó pelas fracas partidas do meia, Lucho Gonzales, e o que dizer do Grafite mais à frente. Dar a César o que é de César. Falando um  português bem claro, perguntaria aos distintos leitores se as entradas do defensor,m Wanderson; a definição do excelente jogador, Nikão, e Rosseto, garoto da base, se não melhoraram a equipe no seu todo chegando a golear o time baiano do Vitória( 4×1). Então, se precisava de uma “mãozinha” do além o técnico atleticano viu cair do céu a melhor equipe em campo, e não aquela que iniciou a partida.

Depois de um bom início nesse brasileirão/2018, o Coritiba acabou mostrando nos últimos jogos que seu elenco perigosamente passou a mostrar outra faceta, ou seja, uma dificuldade enorme de fazer gols. Empatando em casa contra o Bahia (0×0 ); outro empate em casa contra o Corinthians (0×0) , e quando precisou jogar fora, simplesmente, perdeu as duas, Grêmio e Cruzeiro, com o mesmo placar de dois gols a zero. Justificar que o atacante, Kleber, anda fazendo uma falta danada, diria ser relativa, até porque, esse jogador não vinha atuando bem. Bastou o técnico, Mano Menezes, encaixar o Robinho do meio mais a frente para desmanchar o sistema defensivo do alviverde paranaense. Isso chama-se leitura do jogo.

Gostaria, então, de destacar que a a partir do momento que o técnico, Pachequinho, colocou em campo o atacante, Alecsandro, a equipe ficou inoperante. Mostrando a realidade dos fatos nos comentários que faço pela,  CBN AM-670, pelos jogos que acompanhei acima, ficou evidenciado a fragilidade ofensiva na falta de uma melhor movimentação desse jogador. A continuar assim, já estão dizendo que o Alecsandro está para o Coritiba como o Grafite ao Atlético. Ou seja, nulos.

Comentários como esse é para dar o tom de um melhor caminho. Se querem ou não, gostem ou não, então, que os técnicos caprichem nos seu métodos porque a bola pune. Porque tirar o ala, Dodó? Ontem, Léo, que foi contratado recentemente, foi uma avenida aberta aos atacantes cruzeirenses. Como jogar em velocidade com Alecsandro, jogador parado no meio do caminho? Porquê, Pachequinho, teima na demora de fazer as trocas de jogadores. De duas uma: ou tem medo de mexer ou não tem gabarito para fazer a leitura do jogo. O que vinha acontecendo no Atlético era a mesma coisa.  Sim. O porquê não mexer nos dois veteranos da sua equipe, Lucho e Grafite?  Bastou trocar, e por necessidade e não pela leitura,  a coisa andou.

Já que estou na linha dos técnicos, outro resumo a fazer é quanto ao profissional da equipe paranista, Cristiam de Souza. Mesmo que a diretoria paranista entenda que ainda seja cedo para trocar o comando, a bem da verdade, a forma de atuar da equipe caiu bastante depois da saída do ex-técnico, Vagner Lopes. Questão de providência natural quando a situação não anda a contento.

Lembre-se:  Que o melhor da vida é sua história.

Fio de bigode.

24 junho, 2017 às 10:32  |  por Capitão Hidalgo

Bastou a expulsão do lateral direito paranista, Cristovam, numa lambança federal do árbitro, Wanderson Oliveira, para que o Tricolor da Vila viesse a perder mais um jogo. Claro, depois desse tumulto, e ainda mais jogando com um a menos, ficou mais naquela de segurar o jogo para tentar uma sorte à frente. Contudo, isso não aconteceu, pois, foi bem abaixo do que poderia se esperar com o 2º gol, aliás, muito bonito do atacante Lucão, do Criciúma. Como esse certame é desapropriado para uma análise futura, já disse da fragilidade técnica dos atuais times que completam a Série B, mesmo assim seria bom a diretoria do clube começar a olhar com outros olhos uma mudança em seu comando. Preconizando, diria com sinceridade, não me passa boa impressão o técnico, Cristiam de Souza. Pode ser esse técnico uma solução paliativa de momento, afinal, como o ano sempre se mostrou  promissor, porque não melhorar essa situação.

Sabia de antemão que a polêmica iria ser instalada quanto à liberação do Estádio Couto Pereira, em questão ao pedido feito pelo Atlético Paranaense, quanto seu jogo contra o Santos, valendo Libertadores de América. Relatando os fatos, é que o Furacão já havia cedido, com antecedência, a Arena  para o dia 2 de Julho (leia-se Voleibol). A princípio estava tudo bem, mas, como todos sabem que em nossa cidade as coisas mudam do dia para a noite, veio o não por parte da diretoria do Coritiba.

Alegando que o Conselho do Coritiba não apoiava tal situação, o presidente do clube, Rogério Bacellar, não querendo se atritar, lavou as mãos. Pois bem. Contudo, sem que os torcedores soubesse dessa realidade,  havia um acordo firmado, vamos cravar, em assinaturas, entre os presidentes, Bacellar e Petráglia, desde 2015, e que envolvia a cessão dos estádios, tanto a Arena como o Couto Pereira. Sim. Dentro das necessidades. Para não deixar batido,no final da tarde, ontem, o Atlético através dessa documento explicitava valores da cessão e multa. Outra alegação do Coritiba é que nessa época do ano há uma exigência de um novo plantio no gramado do seu estádio.

Dizem que a multa passa de 1 milhão de reais. Valeria a pena brigar ?  Outra coisa é que o empréstimo geraria um crédito ao Coxa, de 300 mil reais. Convenhamos que está mais do que claro que deva prevalecer o bom senso. Diria mais, está assinado, mas,  mesmo que fosse apalavrado, com o regime presidencialista que envolve os dois clubes, acho que o “Fio de Bigode” como dizem os mais antigos, é a certeza do caráter que dava imperar.

Novamente, jogando na Baixada, Atlético x Vitória. Lá, em Belo Horizonte, o Cruzeiro na vida do time alviverde paranaense. Jogos marcados para esse domingo, com os problemas já dimensionado pela Equipe de Esportes da CBN AM 670, pois, os atacantes  Grafite (Atlético) como Alecsandro( Coritiba) não andam jogando nada. Ainda sou do tempo em que o camisa 9 fazia a diferença. Por agora, destacaria, Jô, Paulo Guerrero,  Luca (Ponte Preta) e Roger (Ponte Preta).

Lembre-se que: O melhor da vida é sua história.

 

A realidade do time gremista.

23 junho, 2017 às 09:13  |  por Capitão Hidalgo

Não é a toa que o time gremista anda jogando e ganhando dos seus adversários. Com boa estrutura tática em campo, contando com jogadores que atuam em velocidade, que é na verdade a própria forma de atuar do time sulino, venceu,ontem, na Arena Olímpico, o time do Coritiba por dois gols a zero. Mesmo que em alguns momentos tenha o o time coxa tentado jogar com seu critério estabelecido, ou seja,  3 jogadores à frente, deu para notar que ainda falta uma sintonia meio campo e ataque, ainda mais com a escalação do atacante, Alecsandro, sem condição física e técnica de mostrar seu futebol. Ao tomar um gol logo de início, a situação passou a ser outra em pensar como reverter o quadro.

Jogando em casa, alias não perde já algum tempo, o Corinthians goleou o time do Bahia por três gols a zero. Quando aqui esteve o time baiano cheguei a conclusão que o técnico, Jorginho, sabendo das condições individuais do seu elenco, tentou abafar o Coritiba, defensivamente, e jogar no contra golpe. Se fugiu dessa situação para encarar o Timão, os números mostram, então, a ordenação diferente do técnico, Jorginho. Portanto, nesse atual estágio do campeonato, duas equipes já estão bem à frente na tábua de classificação, Corinthians e Grêmio. Nessa rodada o Coritiba desceu para a quarta posição.

Mesmo atrapalhado, o futebol tem tem dessas coisas, pois, o Atlético ganhou seus últimos jogos, Galo Mineiro, Atlético Goianiense e São Paulo,  e com isso subiu na classificação do brasileirão.  Quanto ao técnico, Eduardo Batista, diria que continua insistindo em Lucho Gonzales e Grafite. Em todo caso já conduziu a equipe com algumas mudanças individuais, casos de Wanderson e Deivid . Ainda que tenha vontade de colocar , Carlos Alberto, deve ter visto que não há a mínima condição desse rapaz jogar, permanentemente. Porque não ficar com o Rosseto na meia cancha ?

Será que o Tricolor da Vila conseguirá uma vitória, hoje à noite em Criciúma? Seria de bom tamanho, afinal, mais 3 pontos o conduzirá de forma balanceada na classificação da Série B. Já demonstrei uma posição real sobre os times dessa série brasileira. O ganha e perde, mostra sim, as consequências das irregularidades tanto na individualidade e técnico dos jogadores.

Ontem, vimos que o atacante Kleber, não jogando, o time alviverde fica acéfalo. O problema é que não se sabe qual a pena que o atacante alviverde paranaense, pois, está incluso em artigos com penas fortes.

Lembre-se que: O melhor da vida é sua história.

Série B está muito fraca.

21 junho, 2017 às 08:58  |  por Capitão Hidalgo

Conseguindo um empate (0×0), foi lá em Porto Alegre contra o Internacional, o Paraná Clube as poucos vai se recuperando na tabela da Série B/2017. Após 9 rodadas, claro,  poderia estar melhor não tivesse perdido no mínimo 4 pontos, nos gols que andou tomando nos minutos finais contra o Londrina e Juventude. Somados até agora 13 pontos, ostentando a 8ª colocação, jogará a próxima em Criciúma, time catarinense que anda tropeçando nesse início de competição.

O técnico Pachequinho, que esperava pelo retorno do atacante, Kleber Gladiador, nessa partida contra o Grêmio, nos Pampas, terá que esperar pela definição do Tribunal de Justiça Desportiva. O assunto ainda não entrou em pauta e consequentemente, o jogador coxa ficará de fora, também, no domingo, contra o Cruzeiro em Belo Horizonte. Há de se lembrar que a pena não será branda, afinal, cuspir na cara de um adversário, foi no jogo contra o Bahia,  de forma nojenta e desonesta, Kleber deve esperar pelo pior. Enquanto isso, o técnico Pacheco poderá colocar um outro centroavante, nesses jogos,  que não seja o Alecssandro que entrou muito mal contra o Corinthians.

A pedida da noite será na Arena, sim, o Atlético vindo de duas vitórias jogando fora dos seus domínios (Galo Mineiro e Goianiense), jogará contra o Tricolor do Morumbi, também, cheio de problemas. A verdade é que o elenco são- paulino não se ajeitou no comando do técnico, Rogério Ceni, que vive muitas controvérsias no posicionamento de sua equipe em campo, como também, incomodado com as críticas da imprensa paulistana. Por outro lado, o Eduardo Baptista, técnico atleticano, ainda com a cabeça no atacante, Grafite, aliás, esse não vem jogando bola já algum tempo, poderá não contar com outra presença, meia Lucho Gonzalez. Parece que o gringo sentiu que não dá mais para enganar.   Pelo menos o técnico atleticano deverá começar a partida com Deivid, na marcação da meia cancha, e Wanderson, na zaga em  lugar de Paulo André.

Fazendo uma análise da Série B/2017, vejo que as equipes que compõem esse calendário, estão bem abaixo da crítica. Portanto, aguardo melhoras no time paranista, afinal, se não for esse ano, sei lá o que poderá acontecer na frente. Com essa fragilidade mostrada, inclusive, pelo Internacional, não está difícil subir. Os resultados dessa última rodada mostraram uma sequência de resultados inesperados pela falta de uma melhor qualidade dos elencos e uma elaboração tática dos treinadores. Outro exemplo citado por mim , dias atrás, foi o time do Juventude de Caxias, que por ser fraco não poderia estar ostentando uma invencibilidade.

Vendo as imagens que chegam nessa cobertura  da Copa das Confederações, sediados na Rússia, noto a grandiosidade desse país com seus locais maravilhosos, diria verdadeiros cartões postais.  Cidades como Moscou; Kazam;  São Pettersburg e Sochi, sedes que patrocinam esse evento, nos antecipam o que será a organização desse próximo Mundial de Futebol/2018.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.

A sofrência do Timão.

19 junho, 2017 às 09:58  |  por Capitão Hidalgo

Exigir mais do Atlético nesse momento acho que é querer demais, afinal, a entrega do comando do futebol e que foi uma estratégica do ex-técnico, Paulo Autuori, na verdade um presente de grego para o atual, Eduardo Baptista. Mas, por incrível que possa parecer, foram nesses dois últimos jogos fora, Galo Mineiro e Atlético Goianiense, que o Furacão conquistou seis pontos importantes. Pode ser bizarro, contudo, mesmo que jogando mal, foi assim que venceu. Espero que as coisas melhorem para o técnico atual, principalmente, entender que o seu camisa nove, Grafite, não tem mais condições de jogar no atual futebol brasileiro, afinal, é praticado com muita força e velocidade. Bastou colocar o jogador, Sidcley, na real posição e o garoto fez os dois gols nas vitórias, coincidentemente ou não.

O Tricolor da Vila, que ganhou mais uma e foi contra o Figueirense, pegará amanhã, lá no Sul,  a Prima-Dona da Série B, o Internacional de Porto Alegre. Tá certo que o time gaúcho anda mal das pernas, diria que ainda não engrenou, e que com certeza por sua melhor estrutura deverá subir à Série A, ano que vem. Com toda sinceridade vendo até agora a Série B, até esse momento, custa-me acreditar que o Paraná Clube não vá subir.

Com bom público, ontem pela manhã, no Couto Pereira, vi novamente o Coritiba jogar um bom futebol. Mesmo que o adversário tenha sido o Corinthians, melhor classificado no certame e com 22 partidas invictas nessa temporada, o time COXA foi sempre melhor que seu adversário.Não tivesse, o Timão, uma zaga excelente com Pablo e Balbuena, e o técnico , Pachequinho, ter desperdiçado um tempão com o atacante, Alecsandro, ainda fora de forma, o resultado seria com certeza de vitória. Contudo, é bom salientar que a estrutura tática da equipe está bem elaborada, contando com as boas participações dos zagueiros Marcio e Werley, meia cancha com Alan SAntos, Jonas e Galdezani, e na frente disposições do Rildo e Henrique Almeida. Ao final do jogo ouvindo o técnico corintiano, Fábio Carille, disse que o empate passou a ser um grande resultado, pois, a sofrência foi grande.

Por tudo isso, a galera alviverde tem ido ao estádio apoiando sua equipe. Ontem, em torno de 28 mil torcedores foram empurrar a equipe. Somando em 8 jogos 15 pontos,  média de 62º , dá bem a medida do bom aproveitamento nos resultados disputados. Agora, duas saídas e jogos carne de pescoço, Grêmio e Cruzeiro.

Ao chegar ao Estádio Couto Pereira para comentar o jogo pela Rádio CBN AM-670, encontrei-me, casualmente, com o presidente do Coritiba, Rogério Bacellar, oportunidade de saber de suas pretensões a seguir no cargo máximo do clube. Peremptoriamente, disse que vai deixar para outro interessado. Claro, que aproveitei, também, para saber da real situação financeira e administrativa da agremiação. Criticou o passado do clube com as dívidas contraídas.

Lembre-se que:  O melhor da vida é sua história.

O time baiano e sua catimba.

16 junho, 2017 às 12:21  |  por Capitão Hidalgo

Quando a torcida do Coritiba se anima, não há jeito, pois, mesmo num jogo comum contra o time dos baianos (Bahia), conseguiu levar 20 mil pessoas ao estádio, vamos dizer que uma é coisa boa. Mesmo empatando, consideraria que o verdão teve amplas possibilidades de ganhar o jogo tivesse o atacante, Henrique Almeida, aproveitado as chances que lhe apareceram, em especial, no primeiro tempo, o resultado do jogo seria diferente. Na segunda etapa, o jogo foi na verdade arrastado, até porque o adversário não quis jogar entendendo que o 0×0 passava a ser um excelente resultado, acabou fazendo muitas faltas e com isso se aproveitando, na medida do possível, entrar em catimba. O empate que os baianos conseguiram podem ter certeza levaram para, a Boa Terra, de forma significativa, pois, acima de tudo valorizaram o time coxa, que agora, vai para cima do Corinthians no próximo domingo, voltando a jogar em casa.

Quando se fazia críticas aos desempenhos do meia, Lucho Gonzales e do atacante Grafite, muitos torcedores enxergavam que fosse uma campanha contra a agremiação atleticana. Ledo engano. Acho que o técnico, Eduardo Baptista, que teimosamente , vinha esquecendo de escalar o meio campo, Deivid, acredito que agora deva ter sentido seu erro na avaliação desse jogador. Bastou o Lucho ser expulso para colocar o jogador citado acima para  segurar o rojão lá atrás. Finalizando , o time cresceu com 10 jogadores. Agora falta sacar o Grafite.

Quanto ao Tricolor da Vila, esse terá mais uma vez  jogando no Estádio de Vila Capanema com uma gigantesca oportunidade ganhar do fraco catarinenese, Figueirense, para  melhorar sua de classificação. Esse pé o tipo de jogo que não pode dar chabú. Que o técnico, Cristian de Souza, saiba colocar seu time em campo.

O Gremio continua voando no Brasileirão. Ontem a vítima foi o Fluminense que tomou mais dois gols, mostrando nessa altura do campeonato muita fragilidade. O técnico, Renato Portaluppi,  continua fazendo um bom papel no time gremista. Enquanto isso o técnico, Abel Braga,  muito contrariado com a diretoria pela tentativa de venda do atacante, Richarlison.  Começa a ver uma situação que vai chocar , no meu entendimento, com a própri diretoria.

A expulsão  ado atacante coritibano,  Kleber, muito nervoso em campo e sabendo que sua produção não anda nada legal, poderá dar um reflexo positivo ao técnico, Pachequinho, pois, fará com que promova o Henrique Almeida na sua real posição. Fixo mais a frente.

lembre-se que: O melhor da vida é sua história.

O radar do técnico brasileiro.

13 junho, 2017 às 11:23  |  por Capitão Hidalgo

Nos próximos dias a oportunidade de acompanhar jogos do torneio, Copa das Confederações, aquele em que a equipe brasileira andou ganhando nos últimos tempos. Desta feita, o futebol brasileiro estará fora devido por não ter ganho o último título mundial, leia-se o campeão foi a Alemanha, e da América do Sul, sendo  o representante  a Seleção do Chile,  que ganhou a Copa América. Com o título ganho na Copa dos Estados Unidos/1994, lembro-me bem que os organizadores do mundial que iria acontecer em 1998, na França, realizaram com antecedência , Junho/1997), um quadrangular denominado, Torneio de France, com jogos em Lyon e Paris. e anos depois, a conclusão da importância no calendário para uma devida aproximação do mundo esportivo com a tal da Copa das Confederações, para anteceder ano seguinte a cobertura do Mundial de Futebol.

Como a Seleção Brasileira de Futebol já está garantida à Russia/2018, qualquer que seja a movimentação dos pupilos do técnico, Tite, o objetivo passa pelos espaços dados para uma complementação com jogos amistosos. Foi o que se viu nesse giro da equipe brasileira, na Austrália.  Na partida inicial contra a Argentina, mesmo perdendo o jogo por 1×0, entendido e considerado normal, afinal, o time escalado foi a campo com jogadores que poderão servir a equipe, futuramente. Foi o caso do jogo desta manhã, horário aqui no Brasil, vendo o time brasileiro ganhar da Austrália por 4×0. Portanto, o técnico, Tite, vai lançando em seu radar nomes para uma anormalidade futura, afinal, sabemos que seu grupo praticamente está definido.

O adversário do Coritiba, 5ª feira no Couto Pereira, o Bahia, deixou escapar um bom resultado, em Porto Alegre. Pegando o Grêmio, que anda muito bem, tomou um gol no final do jogo. O que deve ser ressaltado é que o time baiano, agora com a presença do técnico, Jorginho, mostrou um bom entendimento. Que se cuide o Coxa, penso que a parada não será fácil. Vai, claro,também, depender da maneira como os baianos vão encarar taticamente o jogo.

A motivação é imensa dos integrantes da Equipe de Esportes da Rádio CBN AM 670. Em pouco tempo, na verdade havia uma preocupação com algumas mexidas na programação diária da emissora, mas, a alegria é ver estampado os números dos aplicativos subindo a tal ponto de estarmos chegando na briga pelo 1º lugar, incluídos na estatística, emissoras em AM e FM.

As transmissões são constantes, imaginem hoje com o Paraná Clube, amanhã com o Atlético, e na 5º feira o Coritiba. Como a bola não pára os números subirão ainda mais.Vale a pena conferir, pois, emoção no futebol é com a CBN AM 670.

Lembre-se que: O que vale na vida é sua história.

Aherança deixada para o Eduardo.

12 junho, 2017 às 11:58  |  por Capitão Hidalgo

Mesmo que não tenha jogado uma partida considerada excelente, ontem, lá no Estadio Engenhão, onde enfrentou a boa equipe do Botafogo, o empate (2×2)   pode ser considerado bom,  afinal, ver o Coritiba nesse atual momento na vice-liderança da competição, com 4 vitórias, uma derrota e um empate, e tendo o próximo compromisso em casa., e será contra o Bahia, dá margem para acreditar na soma de mais pontos. A volta do meia, Galdezani, que fez muita falta, será bem recebida.

Nada que esteja ruim para não ficar pior. Passou a ser preocupante a situação atleticana nesse início de brasileirão/2017, sobretudo por ter jogado 6 partidas (18 pontos) e ter ganho somente 2 pontos, marcando uma decepcionante posição na classificação. A torcida atleticana, com toda certeza, deve estar angustiada com essa última colocação. Comentário já tinha feito, e de forma antecipada,  o porque da negligência de toda cúpula diretiva da agremiação, pois, foram no conto do vigário e se encantaram que o melhor caminho teria que ser dado a distinta disputa  da Libertadores. Ainda que respirando essa possibilidade, de estar presente em novas etapas desse torneio, sobretudo,  por ter deixado outras participações que se perderem ao largo, acredito que pares do conselho atleticano devam estar arrepiados com a inoperância que tomou conta do grupo de jogadores e comissão técnica.

Quanto ao técnico, Eduardo Baptista, que foi contratado depois de sua frustrada passagem pela S.E.Palmeiras, parece que ainda não conseguiu ver quando será o início dos bons resultados. A real situação mostra estar perdido em suas convicções, aquela mesma que levou o ex-técnico, Paulo Autuori, acreditar que o seu objetivo estava acima do bem e do mal. Ledo engano. Como largou o abacaxi, agora, está na espreita só torcendo para que as coisas se encaixem ao natural. Nessa altura do campeonato o tempo já foi perdido e a única coisa a resolver e que saibam tirar o clube desse enrosco.

Quem anda caindo pelas tabelas, também, é o Paraná Clube. A saída do ex-técnico, Vagner Lopes; a contusão séria do goleiro Léo; a não recuperação do futebol do Renatinho e as contusões do meia, Biteco, atrapalharam, signifícamente o clube. Quanto ao técnico que chegou, Cristian Souza, pode ter sido um erro a precipitação em contratá-lo, pois, parece que ainda não se afinou com o elenco.

Me perguntaram a respeito das contratações que fez o Atlético nessa temporada. Querem saber, então, ainda não vi uma que desse certo. O único que poderia estar colaborando com a equipe seria o Carlos Alberto, mas, suas eternas contusões não lhe estão permitindo.  Quanto aos outros, bem, é só elencar e verão os parcos recursos técnicos dos contratados.

Lembre-se que:  O melhor da vida é sua história.

 

Derrota brasileira.

9 junho, 2017 às 12:11  |  por Capitão Hidalgo

Como o time brasileiro não está correndo mais atrás da classificação, afinal, definido antes do término dos jogos dessas Eliminatórias à Copa do Mundo, a intenção da Comissão Técnica é sair por aí jogando, ganhando o dinheiro necessário e oferecendo oportunidades a jogadores que vivem seus bons momentos. Portanto, a partida amistosa realizada na cidade de Melbourne/Austrália, com a vitória dos argentinos (1×0) faz parte do roteiro estabelecido. Vimos Weverton, na meta, uma defesa com reservas imediatos, Fagner, Gil, Tiago Silva e Filipe Luis, meio campo, com a presença do Fernandinho, e ao longo do jogo, Giuliano, Rafinha, Douglas Costa e Taison. Como é certa que a avaliação rigorosa será feita pelo técnico, Tite, e acredito com excesso de rigor, o outro extremo virá com os comentários da mídia esportiva, onde tudo será encaixado. Portanto, na próxima terça feira, lá mesmo em Melbourne, veremos novamente os jogadores buscando seus espaços contra o selecionado local.

Após esse giro internacional, a equipe brasileira voltará atuar pelas Eliminatórias, será no mês de Julho, em Porto Alegre e depois em Barranquila/Colombia. Claro, que a mídia brasileira colocará muitos dúvidas quanto ao resultado contra a Argentina, agora treinado pelo carrasco técnico platino, Sampaoli, que ganhou a Copa América em cima dos brasileiros. Na verdade os argentinos ficaram satisfeitos com essa vitória, ainda mais por lutarem à uma vaga na Rússia/2018.

Os resultados do Brasileirão/2017, na noite passada,  o que mais chamou atenção foi o Grêmio que marcou seis gols contra a Chapecoense.  Placar em Chapecó, 6 x 3. O Tricolor do Morumbi voltou a ganhar (2×0), contra o Vitória e o Atlético Goianiense que sapecou 3 x 0 na Ponte Preta. Outro que venceu foi o Bahia ao ganhar do Cruzeiro ( 1 x 0 ).

A surpresa enorme foi com a TV Globo, parceira da CBF , que depois de muitos anos ficou de fora nessas transmissões da seleção brasileira de futebol. Dizem que o real motivo teria sido o financeiro. Tenho lá minhas duvidas. Em todo caso ficarei na espreita das críticas dos integrantes dessa emissora. A princípio a CBF colocou as coisas nos trilhos oferecendo aos canais televisivos, Tv.Brasil e Cultura, sem se preocupar muito com audiência, afinal, o produto SELEÇÃO é da CBF, e com isso pode fazer o que achar melhor.

Sentindo o bom momento da equipe alviverde paranaense, a diretoria Coxa bem que deveria colocar um plano para os sócios. Sendo um ano promissor esse apoio será importante para os altos custos administrativos. Ouvindo uma entrevista à respeito, Ernesto Pedroso, admite que o clube poderá ter 25 mil sócios pagantes em pouco tempo.

Lembre-se que: O melhor da vida é sua história.

Coritiba embalado.

8 junho, 2017 às 12:13  |  por Capitão Hidalgo

Na briga dos alviverdes quem levou a melhor foi a dos paranaenses, na expressiva vitória ( 1×0 ), no gol do jogador de meio campo, Galdezani, cuja construção da jogada foi espetacular com uma bola vinda lá de trás no lançamento primoroso do zagueiro, Marcio, que mais uma vez esbanjou qualidade. Claro, que o momento do Coxa é para ser valorizado. Depois de alguns desacertos no início dessa temporada, inclusive, deixando uma Copa do Brasil pela metade, com mudanças comportamentais tanto da comissão técnica, como também, na troca de alguns jogadores, o momento é simplesmente maravilhoso. Olhando para anos passados, o início dessa temporada no brasileirão é animador e  entender que seja esse um ano promissor. Destaques da partida foram Márcio, Wesley, Galdezani e Tiago Real.

Resumindo, não tiro uma vírgula que a conquista do título regional deu na verdade um solavanco contagiando a todos envolvidos nessa histórico clubístico. Com 5 partidas realizadas, vamos lá, Atlético Goianiense (4×1); derrota em Santos ( 1×0); vencendo lá em Salvador (Vitória) por 1×0; o clássico Atletiba (1×0) e finalmente, ontem contra o Palmeiras (1×0), dando a soma exata de 4 vitórias, fazendo 7 gols e sofrendo apenas 2, ostentando a vice-liderança desse certame nacional.

Confesso não ter visto tranquilidade no time palmeirense, sobretudo, por ter uma equipe milionária de bons jogadores. Vou mais adiante. O próprio técnico, Cuca, ainda não conseguiu dar um padrão ao seu time, afinal são 4 jogos onde o time não fez gol, e ainda ter que responder algumas perguntas em saia justa. Conclusão? Não deveria ter colocado em campo, Felipe Melo, pois, teria que ter mais um atacante, no caso Roger Guedes, que só entrou na etapa complementar, e quase no final do jogo, mostrando uma defesa fraca, afinal, não teve, Mina, que tem sido um sustentáculo defensivo, e sem o devido complemento na meia cancha com as fracas atuações do Michel Bastos e Tche-Tche. No ataque só dois jogadores, William Bigode e Keno. Trabalhar com um Butantã de cobras não é fácil.

A ida do técnico paranaense, Levir Culpi, ao Santos, mostra bem que as cifras milionárias destinados aos técnicos brasileiros começam a minguar. A mamata está acabando. Com as oportunidades dadas a jovens e promissores profissionais da área, Fábio Carille (Corinthians) ; Ventura (filho do Jairzinho) no Botafogo, Rogério Ceni (São Paulo); Zé Ricardo (Flamengo); Pachequinho (Coritiba);Eduardo Baptista (Atlético Paranaense);Guto Ferreira (Internacional) são os exemplos para um baixo custo orçamentário. A jogada, agora, e a inclusão de prêmios por etapas vencidas. Atitude correta.

Nessa rodada chamou atenção a goleada imposta do Corinthians ao Vasco da Gama ( 5×2), em pleno Estádio de São Januário. A mídia carioca vai para cima do atual presidente, Eurico Miranda. Outra coisa a ser dita, o futebol brasileiro precisa , também, de jovens e bons dirigentes. Sobressaindo na safra apontaria, Paulo Nobre (Palmeiras), Bandeira (Flamengo), e o presidente do Bahia, Marcelo Santana.

Lembe-se que: O melhor da vida é sua história.