Futebol paulista não tem sido exemplo.

30 setembro, 2014 às 14:17  |  por Capitão Hidalgo

O tão decantado futebol paulista também está uma gracinha. O PALMEIRAS, vivendo uma  draga danada,  vai lutar até os extertores do Brasileirão/2014, para não cair. É mole? O CORINTHIANS, que aqui esteve nesse final de semana, provocou a todos uma dúvida se o elenco é irregular ou o técnico está perdido. Bom, vamos falar do SANTOS. Dias atrás soube que o clube não  pagou os salários dos seus profissionais. É natural.?  Não, afinal seus dirigentes erram nos valores, imaginem tendo problemas de caixa e trazer o jogador Robinho que veio ganhando um monte. É de se perguntar se havia tanta  necessidade de entrar em conflito financeiro. Quanto a Portuguesa, bem, acho que não tem uma solução de momento. Na verdade é uma pena, sobretudo, porque esse clube já teve um número explêndido de sócios e agora amarga uma situação constrangedora. Esse então é o histórico do atual momento que vive o futebol paulista.

As críticas continuam quanto a gestão do Presidente Petráglia, no Furacão, pela falta de pagamentos a muitos credores. Pelo que foi dito a obra da Arena passou em mais de 40 milhões de reais, claro, acima do combinado em orçamento. Com isso o fluxo de caixa está baixo. Com certeza o Petráglia saberá se desvencilhar do passivo. O que mais preocupa no momento é a irregularidade do time em campo. Como domingo teremos o clássico, ATLETIBA, a galera rubro negra estará mais atenta ao resultado. O jogo é imprevisivel, pois, o Coritiba está na lanterna e precisará dessa vitória.

Fui a uma solenidade política, ontem, é muitos torcedores do Coritiba perguntando quem poderá vir e se tornar  o presidente do clube, numa prova evidente, que não querem mais o atual dirigente, Vilson Ribeiro. Disse não saber dizer, pois, todos os dias nomes são lançados para o pleito de dezembro. É aguardar para ver. Que o clube precisa de um choque de gestão, não tenho a menor dúvida.

Um dia foi o São Paulo, no outro o Corinthians, agora já se diz que poderá ser o Internacional o concorrente direto do Cruzeiro. Par tanto terá que ganhar esse jogo no próximo domingo em Belo Horizonte. Parada indigesta para os colorados. Claro, que  levar a frente um campeonato sem poder errar, na verdde cansa todo um elenco, A preocupação do técnico Marcelo Oliveira, aliás,  vem sabendo fazer a coisa, é a utilização do excelente elenco  que tem em mãos. A  meu ver ninguém vai tirar o título nacional da Raposa.

Corneta, falo do instrumento, fazendo barulho sôbre a iniciativa da FIFA, tirando poderes dos empresários do futebol. Se no princípio gera dúvidas onde os clubes perderão um pouco da fatia (rateio) dos jogadores, tudo poderá ser um início para arrumação na casa das agremiações. O futebol brasileiro precisa urgentemente de atitudes. Essa poderá ser a primeira para sacudir com emendas a Lei Pelé.

Lembre-se:  Que o melhor da vida é sua história.

O desgaste emocional é grande.

28 setembro, 2014 às 08:55  |  por Capitão Hidalgo

O desgaste emocional que os técnicos passam à beira do gramado é alarmante. Nessa semana foi  o caso do técnico, Muricy Ramalho, que teve um ataque de arritimia e foi parar no hospital. Alías, ainda continua por lá. Ontem, também, o experiente e simpático, Joel Santana, com problemas estomacais baixou enfermaria.  A verdade e não parece, é desumano o que esses profissionais passam e vivem na busca dos resultados satisfatórios. Algum tempo, vimos outro personagem, e de forma gravíssima, que desmaiou no banco de reservas, Ricardo Gomes, quando dirigia o Vasco da Gama,  onde veio a sofrer um AVC que praticamente o alijou desse seu trabalho.

Um técnico que terminou muito mal sua carreira, Telé Santana, que teimosamente não quis sair de cena, também, sofreu muitos problemas de saúde. Por ter ouvido do próprio técnico, Muricy, alguns comentários a respeito, acho que sua família vai brecar a sequência no futebol. Não é de hoje que Ramalho vem tendo problemas de saúde, sobretudo, pela grau da falta de paciência com as coisas do futebol. Trabalhei com vários técnicos de futebol, isso nas décadas de 60 e 70, e o processo era o mesmo. Recordo nesse instante do saudoso técnico, Armando Renganeski, com quem trabalhei por alguns anos. Por mais que aparentasse ser um cidadão tranquilo seu sofrimento era por dentro com os constantes problemas estomacais e de coração. O grande mestre “Tim”, trocava seu norvosismo fumando de forma adoídada. 

Que o momento do futebol é ruím, técnicamente dizendo, também não podemos deixar de mesurar as condições que o atual estágio desse esporte que nasceu grande em nosso país, com os erros em abundância em todas as partes que respiram essa modalidade. A questão da arbitragem chega ao ponto, imaginem os senhores, de que os próprios árbitros querem fazer greve pela falta de uma melhor estrutura e entendimento da CBF e da CONAF. Quem também anda trocando alhos por bugalhos é o STJD. A situação está muito complicada. Imaginem os clubes sem dinheiro para pagar suas contas.

Não tem dado para fugir dos reveses que o futebol da capital vem sofrendo nessa temporada. Definitivamente, com mais essa derrota o Paraná Clube, que jogou na última 6ª feira em Recife e perdeu para o Náutico (3×1), agora é  ir somando alguns pontos, principalmente, jogando em casa e permanecer na Série B . Está bom demais não perder esse espaço.

Hoje vai ser aquele aguenta coração. Atlético x Corinthians, na Arena da Baixada e Internacional x Coritiba. na Arena Beira Rio. Aparentemente, pelo estágio de irregularidade que vive o Timão, pode até acontecer um bom resultado do Furacão. Enquanto isso, lá nos pampas, não tenho a mesma sensação com o alviverde, até porque, o Colorado do Abel braga está numa situção bem superior. Vamos esperar pela prática, pois, na teoria a situação é de derrotas

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.    

O drama é contínuo. Só derrotas.

25 setembro, 2014 às 10:22  |  por Capitão Hidalgo

Tem sido constantes as derrotas dos times da capital neste Brasileirão/2014. A cada rodada fica  mais  acentuada a dificuldade que os clubes tem de somar pontos para fugir da degola. Na 3ª feira foi o Paraná, aliás, do Tricolor o bom mesmo é concentrar a idéia de que é ficar na Série B e ponto final. Já com a dupla ATLETIBA, bem, aí mora o perigo. É surpreendente a queda de rendimento do Furacão neste returno. Claro, de verdade, tudo que foi feito de bom na temporada passada foi  jogado no lixo neste ano. Sim, a proposta da inversão de valores na tentativa de mudar o paranoram administrativo no Brasil, vinha muito bem em termos de gestão esportiva.  Mas, minha gente, a partir do início deste ano, vieram mudanças constantes na Coordenação de Futebol, com contratações de péssimos profissionais e a coisa desandou. Ainda, do Atlético, ontem em Chapecó, tomou uma lavada de 3×0.

E outro, o que falar. Outro é o Coritiba, que se arrasta a cada rodada, vindo a perder novamente, em casa, e desta vez foi para o Cruzeiro das Alterosas. Com 23 pontos na tabela, correndo o risco de ficar novamente na rabeira pelos resultados nos jogos, nesta 5ª feira, não vejo solução. Mesmo que o técnico, Marquinhos Santos, venha mudando as coisas, a terminar com jogando com mais atacantes, na noite de ontem, foi insuficiente ao menos empatar.

Agora, a maior aflição está no comando do clube. As notícias não são nada satisfatórias, podendo inclusive o atual presidente, não ter opositores, e terá que continuar para resgatar o barco que está afundado em problemas administrativos. Que não venha falar o presidente do clube, Vilson Ribeiro, que ninguém o apoia. Seus sucessivos erros, sabe como é minha gente, a pessoa fica munida no poder e passa a não querer ouvir nada. Entendo que a a soberda que atrapalhou. Mais uma vez, faço críticas aos conselheiros na urgência tentaram salvar a equipe da debacle..  Nenhum clube brasileiro aguenta cair 3 vezes.

A ciranda dos resultados vão cada vez mais fortalecendo o time do técnico, Marcelo Oliveira, sobretudo, com as constantes oscilações das equipes atrás na sua perseguição. Um momento foi o SãoPaulo, agora não mais, depois o Cortinthians, aliás uma tragédia ontem em Florianópolis, ao perder (1×0) para o Figueirens. Quem deu uma subida foi o Internacional . Até quando não saberia dizer. O Fluminense está parado.assim como o Gremio do Felipão, na toada de empates. Enfim, o Cruzeiro será campeão novamente do Brasil. Quem duvida? 

O Paraná Clube começa a trabalhar visando 2015. É o único clube da capital que pode exercer  um  planejamento. Longe de cair, como subir, andou contratando como Coordendor de Futebol, Marcos Vinícius, ex-jogador que andou pelo Atlético e Ponte Preta, já definindo a saída de 10 jogadores do atual elenco. Boa medida. Agora, é ganhar alguns pontinhos e ficar para a próxima. 

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.

Oscilação perigosa.

22 setembro, 2014 às 10:28  |  por Capitão Hidalgo

Falando estritamente a verdade é entender que o futebol da capital está de mal a pior. Os times, Coritiba, Atlético e Paraná Clube, oscilam de forma dramática nesse momento de total definição. As mudanças nas rotas dos clubes, sei lá se tinham algum objetivo de suas presença neste Brasileirão, nos mostram de forma perigosa uma contastação do ganhar e e perder, e não sair do lugar. Ganha uma perda a seguinte. Faltando 15 rodadas, o  Trio de Ferro terá que ganhar no mínimo 50% dos pontos que serão disputados. Se até agora não conseguiram, vamos pensar qual a maneira. Pobre momento do futebol “profissional” da capital.

O melhor palavreado tem sido do técnico flamenguista,  Luxemburgo, ao dizer que o melhor mesmo é sair da encrenca. A verdade é que somente ele vem conseguiu ganhar pontos constantes, sobretudo, pela carga negativa deixada pelo ex-técnico, Ney Franco. Todas as equipes que estão na parte baixa da tabela já andaram mudando o perfil do trabalho técnico, porém, sem resultados. Vejam o caso da pénúria que vive a S.E.Palmeiras. Saiu o argentino, Gareca, porque jogava ofensivo de mais e abria sua zaga.Os entendidos achavam que estava ali o único erro. Muito bem. Aí veio outro técnico, Dorival Júnior, que sem emprego, depois dos seus péssimos serviços no Fluminense e Flamengo, aceitar o desafio. Pois bem. Se a coisa já não andava bem, ontem, acabou de entornar o caldo. O Palmeiras foi fragorosamente goleado pelo time do Goiás ( 6×0). E agora, bem, virá a diretoria e mudará com certeza todo departamento de futebol, achando que com uma varinha mágica tudo será resolvido. E as contratações? E o desperdício do dinheiro. 

O panorama é geral. Poucas equipes estão respirando uma situação mais ou menos agradável em suas situações financeiras.É terminar o certame e a roupa será lavada em casa.  A limpa será o primeiro caminho dos clubes. Clubes como o Coritiba, que terá uma eleição no final do ano, então nem se fala, porque é constrangedor o panorama alviverde nesse momento. Ví muitos desses que estão no clube, dirigentes e conselheiros, criticarem o ex-presidente Giovanni Gionédis. Se os senhores fizerem um retrospecto, deixou o clube na 1ª divisão e uma conta mais tranquilo para ser paga. Quando foi necessário negociou alguns dos seus jogadores, sim os da base, coisa que nesse momento  no Coritiba seria achar uma agulha no palheiro.

 Por falar no Coritiba, o assunto é predominante nas rodinhas quanto a mudança de comando no clube. Desgastado, o atual presidente Vilson Ribeiro, vem tentando encontrar um substituto com um dos seus pares de diretoria. Parece que ninguém aceitou, e com isso, entregará o cargo a novos sonhadores. Um nome que ouvi dizer é de um integrante da família do ex-senador, Alceni Guerra, que vem alinhavando sua campanha tendo a frente o ex-diretor de futebol, Ernesto Pedroso..   

No clássico de ontem, nas Minas Gerais, deu  o Galo Mineiro, mostrando que esse tipo de jogo nem sempre ganha o melhor classificado. Para alguns foi um resultado não muito esperado. Estádio repleto, dois excelentes técnicos, jogo correspondido por muita técnica e raça, esse foi o panorama da partida no Mineirão. Respeito o técnco, Marcelo Oliveira, que há dois anos vem mostrando sua qualidade,  não vou nem entrar  no mérito de ter o melhor elenco, mas, a performance do paranaense, Levir Culpi, é de chamar atenção. Voltou do Japão, aceitou o desafio de treinar um time de cobras manjadas, restruturou o elenco, vindo a liberar o principal problema disciplinar, Ronaldo Gaúcho, e colocar no devido lugar o Jô e o Tardelli. Deve chegar a próximo Libertadores de América. 

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.

Frase do atacante “Sheik”: CBF você é uma vergonha.

18 setembro, 2014 às 09:51  |  por Capitão Hidalgo

O Campeonato Brasileiro de Futebol está tão irregular, que não dá para prever, principalmente, o que vai acontecer na próxima rodada. Com isso, quem está embaixo da tabela consegue respirar com alguns resultados e outros que participam sem nenhum objetivo, aqueles do meio da tabela, quando acordarem poderão estar se afundando na Zona do Rebaixamento. Aquela onda de quem está fora não entra e quem está dentro não sai, está caindo  por terra, quando resultados inesperados acontecem. Nos jogos, de ontem, depois de 18 rodadas na areia movidiça , o Coritiba deu ar da graça em cima logo do São Paulo, considerado um time a busca do título da temporada. O Bahia ganha de virada em cima do Botafogo em pleno Maraca, , e o que dizer do Vitória que reagiu no 2ª tempo e mandou ver em cima do Fluminense(3×2). O próprio Palmeiras correndo atrás das somas dos pontos, foi outro que perdendo foi buscar empate contra  Flamengo. 

Se o Coritiba vier a emplacar mais tres jogos como jogou ontem, poderá deixar sua torcida mais aliviada. Agora, quem pode sustentar que o jogo dcontra o São Paulo seja o início da reaçaõ alviverde. Outro que anda mal das pernas é o Atlético Paranaense. Se descuidar um puco mais vai ser chamado para o baile. Portanto, se ajeitem nas poltronas, que o filme de terror está apenas começando. Se olharmos por números que estão faltando, tomando por exemplo o Coritiba, imaginem, jogando por 22 vezes ganhou somente 23 pontos, agora faltando 16 partidas, terá que ganhar o mesmo número para fugir do rebaixamento. No conta gota, terá que vencer por 7 a 8 vezes. Dá par acreditar.

Confesso que nunca tinha ouvido falar que um jogador colocasse a público sua insatisfação a dirigentes da CBF. Foi o que aconteceu na partida de ontem, no Maracanã, quando o Emerson “Sheik” expulso procurou uma camera de Tv, para jogar sua ira contra os atuais dirigents ao dizer ” CFB você é uma vergoinha”, pronunciando essa frase por 4 vezes. É a CBF comprometida, um STJD, que exerce uma conduta de uma forma, mudando depois para outra e erros em profusão na arbitragem. Cadê o futebol brasileiro, minha gente.

Em época de campanha, cada um vai  vai buscando o que entende ser seu melhor candidato. Até 5 de outubro, são inúmeros candidatos a serem votados. o que pensando bem, não é uma tarefa tão fácil. Acho que o brasileiro não vota em partido e sim no candicato. Até anos atrás votos de legenda era mesmo com o PT. Hoje, nao há mais esse diferencial. Agora a luta é desigual para quem está fora tentando entrar. Com a nova lei da divulgação do candidato , fica pouco o espaço para jovens gritarem por seus nomes. Quem é conhecido leva vantagem considerda.Não estou nem falando de projeto, engraçado, projeto que nada significa.

Imagino como deva estar o Reino Unido com a idéia de independência da Escócia. É hoje o Dia D. Discussões, inclusive, em família. A porcentagem da votação etá favorável a continuidade em 52% a 48%. Lembro-me bem de uma entrevista do ator escocês, Sean Conery, que anos atrás falava dessa necessidade do seu país sair  do jugo inglês. Como estamos por fora de qualquer tentativa de entender a situação, fica pelo menosa  mim,  pensando cá com os meus botões, se o sul do nosso país buscasse sua independência do poder federal. Quebraria a nação.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.

Rodada sem o devido prognóstico.

13 setembro, 2014 às 16:06  |  por Capitão Hidalgo

Dentro de instantes estaremos acompanhando os vários jogos estabelecidos nesta rodada, tanto nas Série a como na  B. Interessado no Paraná Clube, volto minhas atenções, entendendo que seja esta partida, contra o time do Santa Cruz, a ampla chance e necessidade de somar 3 pontos, claro, contando com a presença do Ricardinho na direção técnica do clube. Veremos se a simples presença do ex-jogador e idolo da agremiação, possa dar uma sacudida no vestiário. Os atletas do Tricoor da Vila bem que estão demonstrando fidelidade ao clube ao entenderem as dificuldades financeiras da agremiação Agora,  é pensar em ganhar. Pode ser que vindo esta vitória a sequencia venha dar um rumo melhor aostricolores.

Fato estranho aconteceu na semana quando o atacante, Giancarlo, que já havia posado com a camisa do Coritiba, de repente vê as coisas se complicarem. Seu procurador, o emprésário Amaral, disse que foi desrespeitado pelo dessconhecido gerente do Alviverde, cidadão, Anderson Borges, seria esse seu nome, que colocou dúvida no procedimento da vinda do seu jogador ao clube, dando a entender que o rapaz pudesse ter uma problema físico. Uma aberração. Não duvido de mais nada , afinal, o Coritiba só se extreplou com esses pseudos profissionais de araque.

Quanto ao Coritiba, missão duríssima hoje lá na Vila Belmiro, a mais famosa do mundo, ao enfrentar um Santos que no momento tem tido seus problemas. Enfim, como ninguém está jogando muita coisa, tirando o Cruzeiro e o São Paulo, tudo pode acontecer. O técnico Marquinhos, que vem conseguindo dar um melhor equilibrio na equipe, não poderá contar o lateral Norberto. Quem vem bem é o meio campo, Helber, ao lado do Robinho. Zé Love, que enfrentará o time do Peixe, aliás onde teve uma boa passgem, terá o ao seu lado, Elber e Martinuccio, ambos velozes.

Quanto ao Atlético, com queda na produção individual e coletiva, terá amanhã a grande oportunidade de ganhar do Vitoória da Bahia,  que está na zona da degola. Na ultima partida o Furacão teve contra sí o gol do Barcos em cima da hora. Tenho certeza que a galera vai a Arena empurrar o time para a soma dos 3 potnos. Alias, está na hora de ganhar,  pois, as equipes que estão embaixo na tabela estão crescendo.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história. 

 

Crise até no São Paulo.

10 setembro, 2014 às 12:19  |  por Capitão Hidalgo

Se o todo poderoso clube paulista, São Paulo Futebol Clube, está com sérios problemas para acertar seu caixa, imagino como devam estar outras agemiações brasileiras. Isso foi dito pelo próprio presidente, Aidar, que não sabia que o “rombo” sãopaulino estivesse tão escancarado. O público ficou sabendo através das notícias que chegaram, claro que a mídia esportiva se encarregou de botar mais lenha na fogueira, e passasse o dirigente a monitorar os problemas financeiros iniciando com demissões de profissionais nos setores, administrativo e funcional do clube. Pagando juros mensais na ordem de mais de 2 milhões de reais, quem diria que um dia viessemos saber dessas coisas nesse clube, que na verdade sempre se fechou aos desportistas.  Sabe o atual mandatário, sobre o decantado Estádio do Morumbi, este construído nas decada de 50 e 60, está deteriorado pelo próprio tempo.

Sabedor o dirigente desta agremiação sãopaulina, sempre uma grande referência a todos, estando momentaneamente abaixo dos investimentos do Palmeiras e Corinthians, no que tange, principalmente,  as construções modernas das Arenas Corinthians e Palmeiras, alardeia que fará todo tipo de investimento para modernizar o famoso Morumbi. Com isso passou a cortar custos em todas as suas áreas administrativas. Mesmo assim, sabe que o futebol no campo é sempre necessário ter investimentos. Será que o tempo passou para o Tricolor do Morumbi?.

Pelo menos nos dois amistosos, Colombia e Equador, o selecionado brasileiro não tomou nenhum gol, e com isso saiu-se vitorioso dessa jornada internacional. O técnico Dunga, que recebeu o “mico” da desordem técnica e tática do último mundial, vai tentando colocar a casa em ordem, dando mostras de se utilizar de outros jogadores e tratar de fazer mudanças necessárias de comportamento tático em campo. O próximo compromisso será em Pequim contra a Argentina. Quem está brilhando é o paranaense Miranda.

Nada que esteja ruím para não piorar. A saída do técnico, Claudinei Oliveira, para o “inimigo” Furacão, começa a fazer estrago com a indicação do zagueiro, Gustavo, um dos bons elementos do Paraná Clube. A verdade é que a diretoria do Tricolor da Vila nao esperava por isso. Outro que está saindo é o atacante Giancarlo, este indo para o Coritiba. É sempre aquele problema do dinheiro. Por outro lado está retornando ao clube, o ex-jogador e consagrado Ricardinho, o sempre ídolo paranista, como técnico para colocar as coisas em seus devidos lugares.

Façam suas apostas: o Atlético contra o Gremio, lá e o Coritiba enfrentando a Chapecoense, aqui. Os dois times paranaenses com necessidades de vitórias. Dá para acreditar? Vamos aguardar esses jogos de logo mais à noite.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.

 

 

A disciplina do técnico Dunga.

9 setembro, 2014 às 09:41  |  por Capitão Hidalgo

A primeira bronca já aconteceu nesta pequena excursão da Seleção Brasileira de Futebol. Como o técnico Dunga é avesso a indisciplina, o relato que vem da cidade de Miami, local do amistoso vencido contra a equipe da Colombia, é que o lateral, Maicon, se excedeu em muitas horas do combinado a retornar ao hotel da delegação. Fato que não foi deixado para trás, e sumáriamente, o rapaz foi desligado desse novo time que está sendo formado à busca de recuperação. Com isso, fica a provação que a ordem é disciplinar, pois, quem quer jogar na canarinha é saber dar a  importância em seriedade e profissionalismo. Portanto, a escolha para substituir o Maicon caiu ao jogador, Danilo, hoje jogando no time do Porto, para esse amistoso de logo mais na cidade, de New Jersey, frente ao time do Equador.

Não foi nada agradável a presença do Paraná Clube, que jogou ontem em Joinville, contra o time que leva o nome da cidade. Sabia-se, de antemão, que a saída do técnico, Claudinei Oliveira, seria um prejuízo enorme. Agora, também, não dava para esperar a equipe ser goleada por 3×0.  Hoje especulá-se que Ricardinho, o mesmo que atuou no clube por várias anos, e que já esteve treinando, em 2012,  venha a ser contratado. Acho que não será muito fácil  demover o Ricardi nho, pois, quando esteve técnico saiu um pouco desgastado. A vida do Tricolor da Vila é sempre mais complicada.

Parece que a moçada da imprensa ainda não notou que o futebol de Santa Catarina poderá ter 5 equipes na Série A, no próximo Campeonato Brasileiro. É mole? Hoje já conta com tres, Figueirense, Chapecoense e Cricíuma. Agora, não esquecer de dar uma olhada na classificação na Série B, com o Joinville e o Avaí entre as melhores quatro equipes. Por outro lado, fazendo um comparativo honesto, temos um Paraná Clube distante de subir nessa temporada, e o que dizer do Coritiba que lutará até os extertores para não cair. É bom comentar, também, que o Furacão terá que somar pontos urgentemente. Quanta diferença.

Portanto, amanhã mais uma rodada, será a 1ª do returno, neste Brasileirão. Na partida do Alto da Glória, o Coritiba terá a Chapecoense como adversário. Taí um jogo que não pode, o Coxa,  deixar de ganhar. Serão 3 pontos preciosos. Já o Atlético pegará o time do Felipão, o Gremio, lá em Porto Alegre, que vem em ascendência, após, a boa vitória contra o Flamengo, no Maracanã. Parada indigesta com toda certeza.

Com tanta incerteza no panorama futebolístico, o fato desagradável, é que a cada rodada caiu um técnico. Se  não me engano, chegou-se a mais de 15 técnicos  que rodaram na Série A, o que não muda o panorama na Série B. Quando é que teremos um planejamento mais ajustado para se resolver contratos e distratos, que aumentam considerávelmente o déficit nos caixas dos clubes, é que são outros quinhentos.

Lembre-se:  Que o melhor da vida é sua historia

 

 

 

 

Máquina de calcular. Alerta geral.

8 setembro, 2014 às 11:25  |  por Capitão Hidalgo

O balanço contábil dos clubes da capital, no mínimo em vermelho, está demonstrado nos números com as péssimas campanhas do Coritiba, Atlético e Paraná Clube. Com o término do 1º turno desse Brasileirão/2014, fica o registro da ineficiencia coletiva das agremiações, dando a nos entender, que para sair dessa areia movidiça muita coisa será preciso. Partindo do pressuposto nos excessos de modificações nos comandos técnicos, com a eterna mudança de técnicos, fica escancarado o problema crucial de recuperação. Colocando um olhar mais enérgico no atual problema de recuperação de pontos, agora, somente 19 jogos intercalados em jogos fora e dentro, fica a ampla expectativa de pelo menos ganharem em casa. Lembro sempre, que para fugir dessa atual situação, cada clube terá que ultrapassar a barreira dos 46 pontos. Façam os seus cálculos e chegarão a triste realidade da obrigação de ganhar muito jogos para permanecerem em suas cadeiras.

O papo moderno que se ouve, onde os clubes precisam ter uma gestão esportiva mais enxuta, nesse atual momento é uma heresia. Estando todos com seus caixas abaixo da própria realidade, nisso incluo todos no futebol brasileiro, vai demorar para que haja um acerto de mentalidade. O duro é ver dirigentes querendo se sobressair sem a devida verba, pois, a diferença que envolve o reparte do dinheiro da televisão, é a triste realidade da falta de isonomia.

Enquanto isso, lá vai o Cruzeiro das Alterosas, chegando ao término do turno com 7 pontos a frente do 2º colocado (São Paulo), e outros mais contra o Corinthians, Internacional, Galo, Gremio, etc. Como previsão, o time da ”Raposa” poderá chegar ao título com muita antecedência. Afinal, seus concorrentes estão muito irregulares. Com isso fica aberto a proposição da Tv.Globo que é retornar ao mata-mata no próximo ano, sobretudo porque proporcionará uma maior emoção ao campeonato. Sem divisão equitativa da “grana” os times da faixa de baixo pelo menos por esforço poderão auferir um melhor rendimento.

Falando nas probalidades de rebaixamento, noto que o Flamengo está saindo um pouco da encrenca, deixando para trás, um leque de equipes que a cada partida assombra seus torcedores. Estão nessa faixa, Coritiba, Vitória, Bahia, Cricíuma, Chapecoense, Palmeiras e Figueirense. Claro, que a vitória do Figueirense, ontem, lá na Arena Beira Rio, que de virada chegou a fazer 3×2 no time do Abel Braga, foi a meu ver a zebra da rodada.  

Quero pedir desculpas a galera que vem acompanhando essa coluna por alguns anos, que fiquei sem a “chuteira” para escrever. É verdade, pois,  a “chuteira” do jornalista é seu computador. Como meu computador, parece que é a lenha em comparação  ao modernismo das atuais máquinas,  estava como um time sem engrenagem. Aí, minha gente, fica muito difícil. Vou tentar me redimir, tá certo, querido amigo Marchetti, que de São Paulo reclamou pela falta dos comentários diários.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.    

Os frutos estão aparecendo.

12 agosto, 2014 às 10:51  |  por Capitão Hidalgo

Não é por acaso que jogadores do Atlético, falo dos jovens criados na base, estão sendo variávelmente convocados para o selecionado brasileiro, uns como Nathan e Mosquito na sub-18 e Douglas Coutinho, participando naquela que vai se preprar para a próxima Olimpíada/2016. É o trabalho que vai aparecendo com a paciência necessária de poucos dirigentes brasileiros, que no meu entendimento, tem medo de se aventurar. Mas, é bom que se avivem, pois, mudanças estarão acontecendo no cenário futebolísico e o clube que quiser brincar de dinheiro, que se prepare, porque vai sofrer chumbo grosso.

A Rede Globo, vendo o deslize técnico em que vive a bola no país, vai procurar mexer em algumas coisas, e é possível que futuramente teremos o mata-mata. Fui sempre contrário, afinal, quem é mehor no certame e que consegue uma melhor estabilidade no gramado é merecedor ao título. Acontece, meus amigos, que a emoção está longe de acontecer. Acompanhei por alguns anos esse tipo de competição, que nem sempre vem premiar a melhor campanha. Mas, como a TV é que põe o “tutu”, os clubes vão ter que aceitar e fim de papo. A distancia de romperam com a televisão é muita, afinal, todos devem um bocado aos empresários desse setor.

Algumas agremiações estão se apegando a Copa do Brasil, que no entendimento de muitos, é o menor caminho à uma Libertadores de América. É o caso do Coritiba, sobretudo, porque está muito mal na tábua de classificação do Brasileirão, tendo um jogo pela frente lá em Marabá contra o time do PaisandPará, lembrando que no 1º jogo o coxa ganhou por 2 gols a zero. Paraa recuperar na tabela do brasileirão, terá agora 2 jogos em casa. Contudo, se jogar como o fêz no Rio contra o Fluminense, em especial no 2º tempo, pode deslanchar e sair dessa zona de desconforto.

Um time que mostra estar totalmente debilitado é o Fogão dos cariocas. O que tentou jogar aqui na Arena, no domingo último, abandonando todo setor defensivo, foi presa fácil no contragolpe. Engraçado que o técnico Mancini, que só não ganhou a Copa do Brasil ainda como técnico atleticano, por ter jogado no Maracanã com medo. Agora, no desespero, manda o time botafoguenses jogar para frente. Deu no que deu.

Alguém deve ter dito  ao pé do ouvido para  o técnico, Doriva, hoje no Furacão, que estava bastante equivocado quanto ao esquema tático dos últimos jogos. Bastou concentrar mais força de marcação no meio campo, jogando com dois atacantes, ganhou o jogo. Posso cosiderar que naõ foi por coincidência a vitória. Tudo é uma questão de ordem. A entrado do Cléo, esse bom atacante que jogou um período de sua carreira, simplesmente, no Estrela Vermela e Partizan, onde foi sempre considerado nos dois clubes , na Romênia. 

Lembre-se : Que o melhor da vida é sua história.