Reconstrução e nada mais.

27 dezembro, 2017 às 10:18  |  por Capitão Hidalgo

Passeando pelas ruas da nossa querida cidade, Curitiba, me deparo constantemente com perguntas dos amigos querendo saber qual meu sentimento à respeito do futebol paranaense para 2018. Tenho respondido ” pouco otimismo” , me baseando, sim,  no noticiário  nacional dando conta das transações volumosas (financeiras). A diferença é enorme se olharmos , também, o lado significativo, envolvendo os clubes brasileiros na demonstração mais eficazes no que tange investimentos. O futebol brasileiro na verdade está dividido entre aqueles que tem a condição financeira em  plano orçamentário e outros na base de se virarem nos trinta, ou seja, vivendo de criatividade. Portanto, a conclusão que chego é que as equipes da nossa capital terão um ano muito complicado.

Com isso é fácil decifrar essa pergunta, pois, é só saberem que as intenções dos dirigentes das nossas equipes é começarem com suas bases, pelo menos é o que se fala, do Atlético sem novidade, pois já algum tempo se utiliza dessa premissa. O Coritiba, então, numa outra ponta do iceberg, trará muitas dúvidas quanto a qualidade de conhecimento que será colocado em jogo para os seus sócios ou simpatizantes, afinal, com uma conta que não fecha alguns anos, também, vem coma promessa de iniciar a temporada com um time criado na Coordenação de Base. Quanto ao Paraná Clube, ainda tendo que restaurar suas condições financeiras, mesmo que subindo à 1ª Divisão, já está  com um time misturado , sobretudo, por muitos jogadores que saíram e outros que chegaram. O nome que se dá a isso é reconstrução.

No meio de toda essa controvérsia, também, podemos dizer que clubes tradicionais vivem problemas, também, de modificações e amplas em seus planejamentos. O entra e sai de técnicos, jogadores, e comissões técnicas,  para quem não sabe, há em  clubes brasileiros que contém  50 ou até 60 funcionários com um valor dispendioso.

Torço para que um dirigente consiga colocar na cabeça, de seus simpatizantes, que ele está entrando no clube para administrar, e para isso terá que ser verdadeiro. Sabem porque? A consequência das dívidas criadas por péssimos administradores dos clubes brasileiros, e que entraram num giro sem precedentes, virou uma bola de neve. Ou acerta as contas ou contrata aumentando mais as despesas. Seria bom dizer que nem sempre uma contratação traz custo benefício. Pergunta que não quer se calar : o porque de tantos erros, exemplo o Coritiba, com péssimas contratações que o levaram a 2ª Divisão.

Fechando a exposição das razões estabelecidas, nesta coluna, a conclusão que chego é que o momento não é propício para exigências como as coisas estão no futebol paranaense. Aquele que pode ser considerado como o melhor estruturado, Atlético Paranaense, não tem por parte de seus dirigentes nenhum entusiasmo para crescer, diria no campo, onde poderia ter muito mais iniciativa. Quanto ao Paraná Clube e Coritiba, confesso não esperar muito dessas equipes ao longo do ano, pois, terão muitas contas à pagar sem nenhuma condição de investimentos. Portanto, é só criatividade. Mas, porém contudo,…………

Lembre-se que:  O melhor da vida é sua história

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>