Arquivo mensais:dezembro 2011

Ninguém merece ser destratado.

21 dezembro, 2011 às 07:35  |  por Capitão Hidalgo

O comportamento da figura humana é muito esquisito e em muitos  momentos gera conflitos, que só lá na frente o cidadão vai saber onde se meteu e a quem prejudicou com sua inabilidade, utilizando-se de uma imposição com excessos por querer tal poder. Como no futebol o assunto é pródigo, pela descompostura de pessoas que atingem a condição de dirigentes, na verdade eles atropelam qualquer que seja a configuração da ética. Sem mais delongas coloco a situação neste retorno a presidencia do clube, Mário Celso Petráglia, que não satisfeito pela falta de um melhor diálogo com a pessoa  que ajudou a colocar na agremiação, Marcos Malucelli, passou a viver dia e noite infernizando o indivíduo até seus extertores. É uma pena, acho até que a vida esportiva da pessoa não merece tanto desrespeito.

Quando o ex-presidente Giovanni Gionédis do Coritiba, deixou o poder entregando o clube na 1ª Divisão, depois de sofrer muito com uma política rasteira dentro da agremiação, teve nos 6 anos de direção maior do clube que se utilizar de uma obstinação de trabalho árduo, pois, muitos gostariam de estar em seu lugar. E olhem bem a soma enorme na prestação de serviços que colocou em prática ao lado de sua  excelente diretoria, pois, é só verificarem ao longo desse tempo as realizações e conquistas. Mas, bastou cair a uma 2ª Divisão para ser sufocado por pessoas inábeis e cega pelo poder. Colocando o clube novamente na 1ª Divisão do Brasil, saindo do ar para cuidar dos seus afazeres, fica a lembrança de nunca ter feito uma oposição ferrenha contra outros que chegaram ao clube. Pensando bem, até que deram-lhe chances para isso, afinal, aqueles que o prejudicaram pegaram o time e devolveram a 2ª Divisão no ano seguinte.

Com isso, devemos admitir que o desespero de voltar ao Furacão deverá dar um trabalho imenso ao Petráglia, afinal, todos esperam dele um retorno rápido. São outros quinhentos, pois, a situação não é tão fácil como pensam. Acho que cada um tem seu tempo de validade e o prejudicado poderá ser ele mesmo, afinal, vivemos outros tempos. Só gostaria de deixar aqui um lembrete para que não esquecerem  do Marcos Malucelli, pois, sua luta foi honesta,  inglória é verdade,  acreditando que faltou-lhe mais obstinação. É mais um que sai do cenário e vai para casa triste. É a dura realidade, afinal, como nunca foi um profissional desta área vai se ocupar novamente da sua especialidade que é a advocacia.

Cada dia que passa vai ficando mais polêmico a questão do mando de jogo do Atlético para ano de 2012. Como todos sabem, mas nunca demasiado em repetir, com a construção do seu estádio para a Copa do Mundo um campo terá que jogar e até agora não há nenhuma manifestação. Por falar em manifestação, o Conselho do Coritiba  prepara sua alta defesa de argumentação para não emprestar o Estádio Couto Pereira para o adversário, tirando das costas do presidente Vilson Ribeiro de Andrade, a responsabilidade de dizer não.  Política acima da média.

Estou curtindo, prazeirosamente, toda manifestação de carinho que venho recebendo por mais essa passagem natalina. Obrigado de coração a todos. Aproveito para dizer, claro sempre com a direção de Deus, que estarei retornado a esta coluna depois de minha viagem nacional e internacional, logo após a virada do ano. Saúde, Paz e Alegria a todos. Bom 2012.

Até lá.

Apoio no Esporte. Agora vai.

20 dezembro, 2011 às 08:11  |  por Capitão Hidalgo

Pode ser um espanto, afinal, falar em esporte amador ou mesmo olímpico em nossa Curitiba ou mesmo no Estado, nunca foi a cultura dos políticos que participaram nesses muitos anos sem deixar nenhum legado. Como sempre fiquei na espreita para que um movimento acontecesse, parece-me que o ano de 2012 está reservado para um verdadeiro “boom” nesta área, tão importante por qualquer ângulo que se coloque, prova evidente é ter um Estado preocupado em dar apoio aos jovens e promissores ganhadores de medalhas seja uma verdadeira proposta significativa de crescimento esportivo. Agora a coisa vai andar.

Finco aos senhores a certeza do que estou falando ou escrevendo, pois, estive há dias atrás conversando com o Diretor de Esportes da Secretaria Municipal do Esporte, Lazer e Juventude, Felipe Daher, passando-me um entusiasmo de quem conhece bem o esporte em geral somado, também, a importância de ter participado como atleta em muito dessas modalidades. É o que estavamos precisando, afinal, uma Olimpíada estará em 2016 no Brasil e por consequência o Estado do Paraná poderá ser um destaque nacional e internacional. Portanto, esta coluna que é na verdade esportiva, estará sempre aberta para informações a respeito. A Cidade de Curitiba dá o larga. Sorte.

Que o time atleticano terá que ter um campo para jogar, não sei se no Couto Pereira, Vila Capanema ou mesmo fora daqui, o custo do aluguel já está inserido no custo do ano. Forçado pelas obras da Arena para o Mundial/2014, ficará a cargo do seu presidente onde colocar um contingente em torno de 20 mil sócios. A FIFA  já informou que não tem nenhuma obrigação a nada, afinal, foi o clube que dispôs a isso.  Imaginem a CBF. Ano difícil para o Furacão. Se não bastassse os custos necessários para a vida clubísica, terá uma obra pela frente e pagar para jogar. Durma-se com um barulho desse.

De repente o futebol  brasileiro foi jogado no fundo do poço pela desastrosa partida do Santos contra o time do Barcelona. Vamos devagar, minha gente, afinal em outros Mundiais de Clubes ganhamos com esse Santos por duas vezes,  Flamengo, Gremio, São Paulo (Bi) e o com Internacional, como também,  vices com o Vasco, Palmeiras e Cruzeiro. Nem por isso acabou nossa tradição. Isso me remete a 1974, quando a Alemanha chegou ao título da Copa do Mundo, o panorama mudou totalmente quando aqui a imprensa bateu forte e com isso o nosso futebol técnico começou a ser praticado mais com força utilizando-se de aparelhagem muscular.

Por muitos anos a briga por espaço no futebol brasileiro foi ficando menor e a conclusão que se chegou é que precisava voltar a ter alegria no jogar. Foi aí que o técnico Telé Santana, com sua filosofia implantar em 1982, a volta da qualidade escalando aquele baita time que encantou a todos na Espanha. O pecado foi não ter ganho o título mas, como time em campo, foi disparado o melhor. Portanto, vamos devagar com o andor que o santo é de barro.

Até a próxima.

 

 

 

Barcelona disparado.

19 dezembro, 2011 às 05:56  |  por Capitão Hidalgo

O torcedor até achou que ficou de bom tamanho o time do Santos só perder de 4×0 para o Barcelona, quando na verdade a diferença de jogar do time catalão foi de um nível extraordinário.  O próprio zagueiro, Edú Dracena, disse que foi bom porque poderia ser até de mais. É minha gente, ninguém estava esperando por essa, mais aconteceu, com instinto de crueldade, inclusive,  vendo o time adversário ficar com a boa mais de 70% do jogo. Foi uma lavada inesquecível, afinal, chegar a uma final e perder da forma como perdeu, é só ficar imaginando o que foi a época do Pelé e Cia. que ganhou este Mundial de Clubes por duas vezes seguidas. A história vai continuar registrando.

Agora, os comentaristas de plantão, vão dizer que o técnico Muricy errou no esquema tático, que deveria fazer isso ou aquilo. Parem por favor. Não fiquem sonhando, pois, essa tal equipe do Barcelona como está ganha de todo mundo. Esqueçam e partam para uma outra, por que não, pois, até o técnico Muricy disse que quer voltar ao Japão no próximo ano. Agora, que muita coisa deve mudar no futebol brasileiro, isso com certeza é inquistionável, afinal, como estaremos realizando o Mundial/2014,  o próximo vexame estará por acontecer.

Qual é na verdade o esquema de jogo do Barça, se não vimos um jogador com característica de centro avante ? Nunca vi um time se postar com 3 jogadores atrás e 7 rodando sem posicionamento fixo. Disse, inclusive, Muricy  que se um técnico fizer isso no Brasil será preso. É uma constatação. Recordo a Laranja Mecanica em 1974,  o famoso Carrosel Holandes do técnico Rinus Mitchel, que encantou o mundo com Cruyft, Neeskens e outros, abafando o adversário não lhe dando nenhum espaço. Não foi campeão nas Copas de 74 e 78 , mas foi o pais que melhor se apresentou mostrando uma nova maneira de jogar. 

O Santos perdeu mas,  é um time vice campeão do Mundo. Sabe o que é isso? O Palmeiras, o Vasco e o Cruzeiro, também,estiveram nesta mesma esteira e pouco foi comentado na época. É a vida que segue nos ensinando. Agora, para chegar novamente a este patamar, nem o Cruzeiro, Palmeiras e Vasco, tiveram na sequência oportunidade para tanto.

Comentando o futebol brasileiro,  o mercado de contratações está muito aquecido, pois, as equipes em sua maioria estão correndo atrás de melhorarem seus elencos para a temporada de 2012.        

Até a próxima.

 

O nome é Petraglia.

16 dezembro, 2011 às 11:08  |  por Capitão Hidalgo

Mesmo que valessem todos os esforços dos conselheiros, Enio Fornea e Diego Brás, notava-se ao redor do Estádio da Arena, que a vitória seria eminente do Petráglia, mesmo que alguns integrantes da imprensa se colocassem contrários por picuínhas e que nada iria alterar o panorama. Na verdade, seria muito improvável que um barco à deriva não tivesse por parte dos sócios uma idéia de não querer contar com dúvidas para os próximos anos. Falem o que quiserem, mas quando se tem em uma eleição alguém vitorioso, no caso do Mário Celso, o histórico passa a ser favorável. Com a queda geral da agremiação, o sócio torcedor foi mais para o gramado, em que pese a soma de valores para a construção da Arena visando a Copa do Mundo/2014. Minha gente, queira ou não, o estrago da queda proporcionou a volta do Petráglia ao clube.

Na coluna passada, mostrei aos senhores que por mais que se tenha bons argumentos um candidato, exemplos nos casos do Lins de Souza em 1978  e Marcos Hauer 1984, conselheiros de muitos anos no Coritiba e de famílias tradicionais de nossa cidade, prevaleceu o Presidente Evangelino Costa Neves, por que na verdade  nessa hora valem as conquistas. Imagine tivesse nesse momento algum maluco de querer disputar a presidência no Coritiba, depois da grande campanha do ano capitaneada pelo vice- Vilson Ribeiro de Andrade, se algúem ganharia. Portanto, não esqueçam para os próximos anos, pois,  o que prevalece mesmo são os resultados no campo.

Está chegando a hora do jogo tão esperado, que estará valendo o título Mundial de Clubes, do Barcelona e Santos em Yokohama/Japão. Domingo às 8.30 da manhã o futebol brasileiro terá mais uma oportunidade de mostrar sua verdadeira vocação que é jogar futebol. Como muita coisa será comentada pós jogo, tenho certeza que o técnico Muricy, que malandramente joga o favoritismo ao adversário, sabe que sua carga de trabalho será maior com todos os cuidados com sua retaguarda defensiva. Minha aposta é que vigiará mais o meia Iniesta, o carimbador das jogadas do Barça.

De forma impulsiva o dirigente corinthiano, Andrés Sanches, continua soltando todo tipo de farpas contra os repórteres. Como não é a primeir vez que falo deste rapaz, é só procurar matérias quando da minha volta da Copa do Mundo na África, quando ouvi dele impróperios contra determinados elementos da comunicação esportiva. A vaidade do cara é muito grande. Portanto, se preparem que muita m…. ele fará na direção da CBF. Podem ter a certeza que voltarei a esse assunto futuramente.

Num bonito jantar oferecido pelo Grupo Massa, seu comandante maior, Carlos Roberto Massa- Ratinho, disse a todos os seus funcionários presentes, que de forma desonesta estavam criando factóides de que estaria negociando seu canal de televisão. O que eu ouvi dele é que no viés deste conversa, seria o grupo dele a comprar outros canais de televisão, um deles é de Ponta Grossa,  como aumentar a capacidade de rede de emissoras de rádio em todo o território Paranaense.Para quem não sabe, a televisão que mais chega em todos os municípios do nosso Estado é da Rede Massa. Aplausos e Fim de papo.

O mercado esportivo está em polvorosa, pois, muitas contratações já aconteceram mostrando que muitos clubes já andam se planejando com  muita antecedência. Isso é muito bom, afinal, foi o tempo de ficar esperando chupando pirulito.

Até a próxima.

 

 

 

 

Santos x Barcelona é a pedida certa.

15 dezembro, 2011 às 18:24  |  por Capitão Hidalgo

Eleições como essa no Atlético Paranaense, de um lado Diogo Fadel e de outro Petráglia, onde os argumentos passaram da própria neutralidade, me faz lembrar quando em 1978, o conselheiro coxa -branca , José Luis Lins de Souza, disputou um concorrido pleito no Coritiba, enfrentando aquele  que viria a se tornar o maior conquistador de títulos do clube, Evangelino Costa Neves. Mesmo que tivesse ao seu lado, grandes companheiros em sua chapa, Lins de Souza, perdeu por pouco, considerando que o “chinês”, vinha de 10 titulos conquistados. Já em outra etapa da vida alviverde, quem tentou em 1984 foi outro conselheiro, Marcos Hauer, essa sim uma eleição muito concorrida, afinal, naquele momento o clube não vinha bem e a proposta de renovação estava no ar. Mas, mesmo assim, o mito Evangelino ganhou mais essa. É dificil ganhar de quem ganhou muito coisa no clube. Portanto……

Conto isso, até porque o dia de hoje no Furacão, a briga será intensa em que pese o Ibope deste pleito dar uma vantagem excepcional ao opositor, Mário Celso Petráglia, pela diferença nos comportamentos das figuras centrais de uma época a esta parte. Havia no ar muito mais sentimentalismo e satisfação de chegar ao poder no clube, isto porque, dentro da sociedade curitibano o valor seria muito mais pela satisfação a uma proposta social. Vamos dizer, que fosse a vaidade do cargo, nada mais do que isso. Então, vendo de frente uma verdadeira campanha como fosse dar ao ganhador uma Prefeitura, a verdade que esta eleição do Altético extrapolou tanto que o interese é tão grande que  deixa a todos com a pulga atrás da orelha. O que teria de bom esse cargo?

Mesmo mostrando alguma fragilidade defensiva, o Santos ganhou do time da casa, Kashiwa Reysol do técnico Nelsinho, por 3 gols a um, muito mais por ter em seu elenco excelente jogadores onde as condutas individuais pesaram muito na balança. É só verem os gols do Neymar, Borges e Danilo, todos com o carimbo da individualidade. Deixou, também, alguns reclamos da imprensa quanto a disposição da retaguarda , principalmente, com o Durval pela esquerda. Parece que  a mudança nesse setor acontecerá para outra partida.  

 Foi a mesma coisa de tirar o pirulito da boca de criança. Com muita facilidade, o time do Barcelona ganhou por 4×0, numa especie de treinamento de luxo fente ao time do Al Sadd do Catar, onde seus jogadores sairam satisfeitos por terem jogado uma semifinal e aparecido para o mundo esportivo. Com a capacidade de retenção de bola, sempre acima de 70% ao longo da partida, o time do Barça agora enfrentará o que penso ser um jogo bem mais difícil que será contra o Santos no próximo domingo pela manhã.

O que todos imaginavam acontecer, aconteceu, sem nenhuma zebra no pedaço, tanto pela lado santista como dos catalões. Quanto a distribuição de tarefa em que o técnico Muricydeterminará aos seus jogadores, deu-me a impressão, acompanhando os dois jogos, que o Iniesta seja o grande carimbador da intermediária. Pelos seus pés as coisas andam como muita tranquilidade. Ao invés de se preocuparem só com o atacante Messi, entendo que dar espaço ao meia do Barça, sim, as coisas se complicarão.

Até a próxima.

Estive lá com o Flamengo.

13 dezembro, 2011 às 09:32  |  por Capitão Hidalgo

Lá se vão 30 anos deste grande título do time do Flamengo em cima do Liverpool. Na época o Mengão , seria hoje o tão badalado time do Barcelona, pois, jogava por música. Este time que foi “construído” pelo maior técnico teórico que o Brasil já teve, Cláudio Coutinho, que infelizmente veio a falecer meses antes, ganhou com apenas 45 minutos de um futebol praticado no coletivo e técnico, que surpreendeu a todos. Depois do fabuloso time do Santos, com Pelé e Cia., em ganhar o bi-mundial em 62 e 63, veio então o time da Gávea ganhar mais este título sempre muito valorizado. Mas para chegar ao Estádio Nacional de Tóquio, o Flamengo precisou passar por muitas barreiras, como aquele jogo no Chile contra o Cobreloa, pela Libertadores de América, que virou uma guerra esportiva.

Se me permitirem, digo que este jogo me remete a uma façanha que o rádio esportivo parananense participou, quando ao lado do saudoso locutor, Lombardi Júnior, nos mandamos para esta cobertura. Na época uma verdadeira loucura, afinal, sair para uma aventura dessa onde nunca em tempo algum, um profissional de comunicação esportiva do Estado tinha viajado para um trabalho radiofônico nesse distante país. Foi pela Rádio Clube, a famosa Bedois, que tristemente conseguiram destruí-la por falta de capacidade de gerenciamento, que saímos de Curitiba via Buenos Aires, passando por Lima, México e Los Angeles, sem antes passarmos por um problema de névoa tendo a aeronave que descer em Las Vegas, onde ficamos retidos por horas. Depois deste entrave, bastante nervosos, afinal, estava começando achatar o tempo par esta cobertura. Lembro-me bem quando perguntei a aeromoça da Japan Airlines quanto tempo duraria estre trecho, aí quase caí da cadeira, pois, teríamos mais 12 horas para chegar em Narita. Pensando que ao chegar estava resolvido, ledo engano, pois, o Aeroporto de Narita estava, como está,  a quase 100 quilometros da capital japonesa Tóquio.

Só para somar as horas, recordo-me que saímos de Curitiba na tarde da 2ª feira desta semana do jogo, e com a soma do fuso horário de mais 12 horas, chegavamos na quinta feira bem a tardinha. O jogo foi no domingo às 12 horas no Estádio Nacional. Da chegada até o dia do jogo, o sono foi terrível para se ajustar. Como a emissora tinha um programa, A Turma do Bate Papo, e como não tive condições físicas de participar, quem tomou meu lugar foi o famoso jornalista e radialista,  João Saldanha, com seu amplo conhecimento, antecipando coisas a respeito da partida. Que eu me lembre nesta cobertura estavam, Jorge Cury, Saldanha, Cleber Leite, Doalcey de Camargo, Galvão Bueno, Enio Rodrigues, Flavio Adauto e Ronaldo Castro.  Quem esteve lá pode falar, não é verdade, ainda mais voltando como campeões do mundo na latinha.

Continua tomando dimensões nefastas esta eleição do Atlético Paranaense. Agora, aparecendo dôssies que incriminam o candidato na oposição, Mário Celso Petráglia, que teria levado algumas vantagens com o empresário, Juan Figger, em algumas negociações de jogadores com a utilização do Clube Renterias de propriedade do uruguaio. Na verdade até esta próxima 5ª feira, muitos lances ainda estarão por acontecer, pois, a briga é, desculpe, de cachorro grande. Só posso dizer que essa alternativa não é a melhor para acender a cadeira de presidente de um clube. Quanto a nós da imprensa, cabe reportarmos o assunto, mesmo que alguns se mostrem,  indiretamente, com simpatia para este ou aquele candidato. 

Enquanto isso, a atual diretoria do Paraná Clube luta como pode para tentar uma solução em antecipar o Campeonato da 2ª divisão do Paranaense, que a princípio está marcado para meados do mês de maio próximo, quando terá que jogar simultaneamente a Série B do Brasileirão. Dos 10 clubes, a informação é que 6 desses já aderiram, ficando então para a Federação Paranaense homologar, pois, não existe nada no regulamento que diz que este assunto seja definido por unânimidade. Portando, a maioria vence.

Até a próxima.

Quem vai ganhar?

12 dezembro, 2011 às 09:29  |  por Capitão Hidalgo

Lendo o Estadão de São Paulo, jornal de grande tiragem na capital paulista, está escrito no caderno de esportes uma notícia que pega todos de surpresa, pois foi ventilado o nome do atacante Rafinha do Coritiba, que estaria indo para o Galo Mineiro. Pelo que até onde sei é que  o passe do rapaz é do Alviverde, mesmo que não queira tirar o crédito desta notícia, afinal, o Estadão não é de jogar notícia fora. Na verdade nesta parte do ano, as notícias vão saindo por falta de assuntos, e sabemos, também, que onde tem fumaça há fogo. Quero acreditar que a diretoria do Coritiba não está nem aí por esse falatório.

O maior e mais rico empresário do Brasil, Eika Batista, poderá colaborar com o piloto Rubinho Barrichello, para que este não saia do automobilismo. Uma campanha do programa, Pânico na TV, saiu com essa de apoiar o brasileiro e já teve o sim do empresário como um dos participantes neste apoio. Como está difícil encontrar um jovem , nesta modalidade de automobilismo, pode ate acontecer como prova de sentimento patriótico.

A semana já começa pegando fogo na rivalidade que virou as chapas que estarão concorrendo a presidência do Atlético. A conversa deles é de espantar. Por isso é que a galera fica na contramão, até porque mesmo sabendo que a equipe foi parar na 2ª Divisão, o interesse é tão grande que chama atenção de todos. Onde é que está essa vantagem, minha gente. Quem vai ganhar?

Saiu uma lista dos 20 melhores jogadores da temporada e a insignificância como tratam o futebol paranense é de espantar. Claro, que tivesse o Coritiba ganho seu espaço a disputar uma Libertadores de América, dois nomes seriam citados, são os casos do Emerson e do Rafinha. Mas como perderam o jogo final, este chamamento ficará para depois. Como clube, entendo que o Coritiba ganhou muito espaço na mídia. Pena que os jogadores e a Comissão Técnica jogaram  fora esta grande oportunidade.

A grade desta semana está muito reforçada com os vários compromissos que terei nesses encontros sociais esportivos. São os famosos jantares de confraternizações. Gosto muito e entendo como maravilhoso, pois, esta época é onde as pessoas se desarmam com sentimento brotando dos seus corações. Presença confirmada na Confraria do Mesa Real, com a equipe de esportes da Rádio Mix e também com todo grupo da Rede Massa de TV. Vem mais pela frente. Legal.

Até a próxima.

Theco vai continuar.

9 dezembro, 2011 às 09:44  |  por Capitão Hidalgo

Muita gente esteve, ontem, acompanhando na quadra de esportes do Paraná Clube ( na Kennedy), o jogo considerado das estrêlas por uma finalidade de apoio solidário assistencial. Com bom ambiente esportivo, lá estavam jogadores que passaram pelo clube, principalmente nesta área de futebol de salão. Encontrei o Tcheco, Rodrigo Batata, Pimpão, Paulo Rink  e o Ricardinho, que hoje joga no Bahia, participando como garotos correndo atrás da bola pequena. Ao final do espetáculo, muita gente na quadra fotografando os seus ídolos,  não faltando os autográfos e abraços de confraternizações. Como esteve lotado o ginásio posso acreditar que a arrecadação de alimentos deva ter sido muito bacana.

Papo pontual não faltou, claro, aproveitei esta oportunidade, escalado que fui, para uma entrevista com o jogador Theco para o Programa Show de Bola da Rede Massa. Primeiro, dizendo da boa conversa com o Luis Carlos Casagrande (Casinha), há muitos anos na agremiação na parte social e que agora vai exercer um trabalho geral no clube, na condição de vice-presidente da pasta vencedora na última eleição. Em seguida com a simpatia do Rodrigo Batatinha, depois com Paulo Rink que anda aborrecido com o que viu no Atlético nesta temporada e Ricardinho, sempre um bom papo, ídolo da galera paranista. Encontrei-me também com o político do Estado, Luciano Pizzato, hoje investido na condição de Presidente da Compagás, que vem com uma grande idéia de apoio aos necessitados para o esporte olímpico.

Por último, a boa conversa com o jogador Theco, aliás, é bom que se diga que começou a jogar salão no Paraná Clube. Muito bem. De pronto a pergunta “ E aí, Theco, para ou continua”. Fazendo suas considerações a respeito, fui perguntando também sôbre esse Mundial de Clubes, onde participou em 2005 pelo futebol árabe, claro, fui desviando um pouco da resposta final, com os contos das equipes que jogou por muito tempo, no caso do Grêmio de Porto Alegre. Então, sentindo que poderia acontecer uma resposta afirmativa, joguei no ar que Theco continuaria jogando futebol, depois de pesar os prós e contras. Veio a risadinha de aprovação. Portanto, acho que a isca deu certo.

Como cheguei por volta das 17 horas na Kennedy, pude constatar o volume de sócios que o Paraná Clube conserva nessa sua base administrativa. Muita gente mesmo se utilizando da parte social, em suas  muitas áreas de lazer e que alí por muitos anos anos o time do Água Verde mandava seus jogos, com a lembrança do lendário desportista , Presidente Orestes Thá.

Não poderia neste fecho, também, deixar de agradecer o carinho proporcionado por muitas pessoas quanto a minha pessoa. De verdade, foram horas batendo grandes papos com bons desportistas, que nos acompanham nesses alguns anos na área esportiva. Valeu gente.

Até a próxima.

A onda Neymar.

8 dezembro, 2011 às 09:57  |  por Capitão Hidalgo

Como deve ser, também estou atento quanto ao destino que será dado aos times que estarão  disputando a próxima 2ª Divisão do Futebol Paranaense. Isso tudo tem haver com a presença do Paraná Clube, pois, tendo um calendário maior que as equipes desta Série, a situação terá que andar de forma correta pelos dirigentes da Federação Paranaense, utilizando-se de forma ordeira  e séria, deixando para os interessados que resolvam esta parada. Como todos sabem, o Tricolor da Vila terá no mês de maio próximo,  presença garantida na 2ª Divisão do Brasileiro e ao mesmo tempo o ínicio da Segundona do Paraná. Acho relevante a inicativa dos dirigentes paranistas em argumentar sôbre o prejuízo que terão , afinal, com algumas iniciativas publicitárias facilitando a vida dos clubes e a inclusão de um canal de televisão, sim, o encaminhamento será bem melhor.

Os desentendimentos dos postulantes ao cargo maior do Atlético Paranaense, em relação a esta próxima eleição, salta aos olhos o porquê de tanta ansiedade à subirem em um trono que julgamos ser, de uma luta intensa de trabalho de recuperação nos anos seguintes. O que tem por trás de tudo isso para se contestarem? O torcedor mais distante a esta situação interna não tem o conhecimento do que seja uma conquista de poder de um clube de futebol. Se fosse de todo ruím, não estariam na praça se degladiando, não é isso.  É para se pensar tal interesse.

A onda Neymar não tomou conta só no Brasil. O garoto está em todas. Depois do Rei Pelé, jamais se viu uma idolatria por um jogador de futebol tão grande,  e olha,  que já tivemos outros excelentes garotos. Mas, com ele tem sido diferente, pois, a soma de crédito conquistado é enorme, claro, a começar pelo seu futebol individualizado, sobretudo desconcertante que pratica. Outro detalhe que pode ser considerado de muita positividade, foi sua demonstração de carinho ao permanecer no Brasil. Podem achar que está ganhando tão ou mais se estivesse fora, coisa que não é real, contudo a nação esportiva brasileira viu neste seu gesto muito nacionalismo. Podem crer.

Logo mais, o mundo estará ligado neste Mundial de Clubes que estará sendo jogado em Tóquio. Por falar nisso, gostei de saber do retorno deste Torneio em terras japoneses, pois, nada tinha a ver com o mundo árabe. Desde aqueles fabulosos títulos conquistados por clubes brasileiros, Flamengo, Gremio, São Paulo e Internacional, ficou marcado pela exuberância na organização e no próprio crescimentos dos times do outro lado do mundo.

Portanto, com a presença do Kashiwa Reysol, treinado pelo brasileiro Nelsinho Batista, fica a nossa torcida neste jogo inaugural contra o Auckland City da Nova Zelãndia. Depois, os mexicanos do Monterrey e aí o Santos F.C. Do outro lado, o Barcelona, no aguardo do classificado até as semifinais para depois, quem sabe a final tão esperada contra o time peixeiro. Por falar nisso, a delegação santista já está em Nagoya/Japão, tentando se recuperar do fuso horário e definir metas dos treinos.

Até a próxima.

Balanço negativo.

7 dezembro, 2011 às 09:45  |  por Capitão Hidalgo

Final de temporada chegando, nos proporciona fazer uma reflexão do acontecido ao longo deste ano, detalhando esportivamente, o que sobrou de uma temporada que chegou em alguns momenos dar alguns lampêjos. Claro, torna-se necessário, então, uma explicação contábel dos fatos resultando num balanco da realidade dos fatos. Confesso, sim,  que esperava mais das equipes da capital , com o Coritiba voltando a 1ª Divisão, tendo o Atlético estabelecido uma continuidade dentro da melhor linha de disputa dentro do futebol brasileiro e uma perspectiva de retorno do Paraná Clube. Nada disso aconteceu.

Algum tempo a essa parte, comentei que falta ao dirigente do futebol paranaense mais aptidão para o cargo, pois, continua seguindo uma mesma esteira sem própósitos, com pensamentos muito mais localizados sem que tente melhorar o significado de foratlecimento clubístico fora do Estado.  Com isso, meus amigos, a distancia que  pensava, pudesse acontecer, pouca coisa ficou de crédito. Buscar objetivos na vida isso é uma constante na figura humana, e que tal poderia servir de exemplo na visibilidade esportiva, seria um bom tratado com os interessados.  

Nesse momento, os clubes vem convivendo em sua parte interna na briga pelo poder. Ainda que Coritiba e Paraná Clube tenham suas situações resolvidas, faltando ao Atlético a definição,  a verdade não é isso que se propôe à aqueles que devam continuar ou mesmos os que entarem . Buscar soluções, pois, esse ano ano foi de amargar quando vimos um Paraná Clube quase chegando a uma 3ª Divisao do Brasileirão,  Atlético caindo para a 2ª Divisão do Brasil e o Coritiba desperdiçando em duas oportunidades chegar a um tormeio Internacional . Dentro dessa premissa , o que  dizer do Tricolor da Vila, que passa a brigar pelo calendário da 2ª Divisão do Paranaense.

Individualizando os clubes, a direção do Coritiba  entende que cresceu muito nesta temporada após o desastre de 2009, recuperando-se com seu  retorno em 2010 e  a conclusão dos bons resultados em 2011, mas que na verdade a torcida pleiteava, sim  a Libertadores de América. Agora é esperar por algumas  mudanças no elelnco e que a Comissão Técnica promova novamente valores para a temporada de 2012. Quanto ao Atlético, não se pode deixar de comentar seus problemas advindos de brigas políticas internas com a presunção de  mando isolado do atual mandatário, como também, a resposanbilidade do clube quanto ao desfecho das obras da Arena para a Copa do Mundo, sem antes deixar de contar, qual estádio o time vai jogar.   Que responsa, hein, minha gente.

Muitos jogadores dos atuais elencos da capital já foram desligados. Alguns, em sua maioria entregues aos empresários, outros sendo devolvidos aos seus clubes de origens, e assim caminha a humanidade. O experiente jogador Paulo Baier do Atlético disse da sua intenção em continuar no clube. No Coritiba, o atacante  Bill, que teve lá seus bons  momentos como goleador do time, se perdeu nos úlitmos meses por problemas disciplinares e seu futebol  foi por água abaixo. Está sendo   devolvido ao Cortinthians. Já se sabia de antemão, pois, o atacante Marcel está no clube   há  90 dias com seu atestado liberatório resolvido.

Até a próxima.