A simpatia do Mazzola ou Altafini.

19 junho, 2012 às 12:20  |  por Capitão Hidalgo

Por onde se anda o assunto é um só, galera, o jogo de amanhã entre o Coritiba e São Paulo. Pudera, esta partida poderá representar a classificação para as finais desta Copa do Brasil. A própria imprensa paulista vem destacando, com dúvidas, a questão da parte coletiva do time sãopaulino para este jogo, devido a boa atuação alviverde no Morumbi na semana passada. Por outro lado, não sei não,  se o técnico Marcelo Oliveira colocará o mesmo time que jogou bem na 1ª partida. Na minha maneira de ver as coisas, começar com o mesmo grupo de jogadoes seria o razoável, pois,  a vitalidade da meia cancha foi um ponto primordial  no equilibrio do time, onde William, Sergio Manoel e Gil não deram nenhuma chance de crescimento ao adversário.

A boa partida que realizou com os reservas na partida contra o Atlético de Goiás, deve ter mexido com a cabeça do treinador, pois ouço falar que Pereira, Theco, Rafinha e Marcel estariam pedindo passagem para o jogo de amanhã. Se Marcelo Oliveira ficar pensando muito, pode acontecer o mesmo com o jogador Marcos Paulo, lembram-se dêle, acredito que sim, pois foi a loucura daquela partida contra o Vasco da Gama. De todos o mais peparado seria o Rafinha no lugar do Roberto. E fim de papo. Para o 2º tempo a história pode ser outra.

De outra maneira pensam os jornalistas da paulicéia, quanto a Palmeiras x Gremio, pois, estão acreditando que o assunto está bem encaminhado para o time do Felipão. Os 2xo lá em Porto Alegre podem dar uma boa margem de segurança ao time da Turiassú na Água Branca, rua famosa onde se localiza o Estádio do Parque Antartica. Um dos pontos marcantes no crescimento palmeirense na parte do ataque tem sido o ponta Mazinho. A rapidez com que se despreende é coisa para ser vista pelo técnico do Gremio, Luxemburgo, diminuindo a estrada se não o rapaz chega lá.

Ontem vi uma entrevista do atacante Mazzola, aliás que baita centroavante, que ajudou a equipe brasileira a ganhar o caneco na Suécia. parfa quem não sabe , Mazzola nasceu em Piracicaba, interior de São Paulo. Bem moço, foi jogar no Palmeiras, virando um sucesso e logo após o Mundial na Suécia foi embora para a Itália, ganhando vários scudettos pelo Milan e históricamente é considerado o 3º maior artilheiro do clube. Ao chegar, foi obrigado a mudar o nome para Altafini, até porque um dos grandes nomes italianos tinha o seu nome e que havia morrido num acidente com o time do Torino. 

Quando cheguei em 1966 na cidade de Piracicaba, contratado pelo XV de Novembro, ouvi muito falar do Mazzola, que só havia jogado no concorrente Clube Piracicabano. Mas só vim conhecê-lo em uma das viagens internacionais, estava comigo o Jota Agostinho, da Seleção Brasileira que realizava alguns amistosos nos países da Escandinavia.  Como contratado pela TV.Monte Carlo, comentou a todos os jogos dando a devida atenção a imprensa braasileira, que sempre soube lhe valorizar.

Seja Feliz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>