É só escalar o certo, Soares.

23 outubro, 2017 às 10:24  |  por Capitão Hidalgo

Vivendo o cabo da boa esperança, ou os estertores do campeonato, ainda bem que nesta rodada passada as equipes da capital andaram ganhando pontos significativos. A começar pelo sábado, onde esteve o Coritiba jogando contra o Vasco da Gama, em pleno Maracanã. Dentro das circunstâncias até que o empate (1×1) pode ser considerado um bom resultado, sobretudo, pela ampla necessidade do Coxa ganhar pontos nas próximas partidas. Mais à noite, em Belo Horizonte, o Paraná Clube , também, a meu ver ganhou um ponto importantíssimo, afinal, jogou contra uma equipe que tem ampla possibilidade de surgir à Primeira Divisão. Ontem, na Arena, o Atlético ganhou do Sport Recife, mesmo que a escalação inicial tenha atrapalhado, mas,  o bom mesmo é que a equipe em campo conseguiu a vitória (2×1) , com as necessárias modificações.

Falar em contrariedade, não dá para acreditar que, após, um jogo difícil venha, após a partida, o bam-bam-bam da Coordenação de Futebol, o “ilustríssimo”, Paulo Autuori para  condenar a torcida por ter apupado o jogador, José Ivaldo, caracterizado como um lateral, sem ter o melhor posicionamento, afinal, é um jogador de área. Falando mais ainda, ser impossível trabalhar no futebol dessa maneira, onde o público que não conhece nadinha de bola, faça coro de discórdia na geral e arquibancada. Foi mais além, condenou , inclusive , a imprensa pelos comentários.

Quem esteve no jogo, ou mesmo ouviu a transmissão dos companheiros da CBN AM-670, deve ter entendido nosso pronunciamento, e de forma antecipada, que o lado direito de marcação do time atleticano estava uma avenida. Se já não bastasse, por não ter um jogador de ofício nessa posição, ficou o técnico o tempo todo levando a torcida a sofrência.. Pela experiencia do técnico, Luxemburgo, claro, vendo que ali estava a mina, colocou um ponta rápido, Rogério, que atropelou o garoto a ponto de cometer uma penalidade máxima.

Seria de devolver ao, Autuori,  porque não cobrar do técnico, Fabiano Soares, a demora para mudanças da equipe em campo. Parece que o rapaz não faz a devida leitura, precisando que a galera escale os jogadores necessários, ao longo da partida, para mudar a fisionomia do jogo. Foi o que aconteceu. Além desse problema na lateral direita, foi público e notório que o baixo rendimento da meia cancha do time, Lucho e , principalmente, do Guilherme, estava prejudicando a equipe sem forças para chegar ao ataque. As entradas de Gedoz e Rosseto, demoradas e trocadas graças as vaias da galera que aconteceram, surtiu o o efeito necessário para a vitória chegar. Fica no ar, então, a dúvida que impera no clube, pois, a defesa intransigente do coordenador ao técnico dá a todos a pensar na influência externa nas escalações.

Agora são seis pontos que separam o Corinthians aos times do Santos e Palmeiras. Outrora, com uma margem estupenda em torno de 12 pontos, hoje baseado nessa queda de rendimento de turno, a pressão com certeza vai aumentar para o time do técnico, Carille, que colocará em campo, contra o Botafogo, o que precisa ter de melhor.

Lembre-se que : O melhor da vida é sua história.

 

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>