Quem planta colhe. Coritiba na Segunda Divisão. Acreditem.

4 dezembro, 2017 às 08:49  |  por Capitão Hidalgo

Retorno da cidade Chapecó com o sentimento da uma verdadeira mostra de inoperância de uma diretoria. Sim, começo por ela, afinal, a finalidade dessas pessoas era encontrar um equilíbrio geral envolvendo administração e conceito de futebol. Contudo, tudo que começa mal o final é sempre triste. Recordem, senhores conselheiros do Coxa,  que no último pleito votaram sem a devida consciência das coisas. Tudo partiu da  culpa maior em dar a uma pessoa sem o devido credenciamento o comando de um clube centenário. A idéia maior nessa eleição passada era não premiar a sequência do ex-presidente, Wilson Ribeiro de Andrade, que na verdade não andava bem para colocar novamente seu nome e dar continuidade a erros que agravaram seu próprio conceito. Muito bem, não, muito mal. Vimos, também, uma situação inédita, quando o ex-jogador Alex, aproveitando seu prestigio, até então, em dar guarida a um grupo opositor,  Rogério Bacellar. Deu no que deu.

Uma faixa levado por jogadores na época, diria de forma premeditada, comandado pelo esse jogador que achincalhava o presidente, Wilson Ribeiro, chamando-o de mentiroso, já fazia parte do roteiro para destituir o tal presidente, que sem forças para lutar, perdeu de forma fragorosa a eleição. Nada como o tempo. Passados esses 3 anos, o que se viu? Um clube desgovernado, pois, o atual presidente nunca esteve presente, contando ainda, com mudanças constantes de pessoas que compunham o lado gestor.

Imaginar que o clube teve dirigentes como Barbosa, um funcionário do Cruzeiro no departamento de relações públicas, que veio na condição de diretor esportivo,  Professor Medina; Guerra, seria um investidor; no departamento geral, CEO, um tal Andrade, e para culminar uma contratação ilógica do ex-jogador Juliano Beletti, para funções que até agora ninguém entendeu.

Que parafernália virou o Coritiba. É triste mas é uma realidade. Portanto, em Chapecó, onde estive presente desde sábado, para meu trabalho costumeiro, fui sentir o ambiente de um povo que ainda continua triste pela tragédia com o avião da Lamia, que vitimou 71 pessoas, e muitos deles compunham a delegação do time da Chapecoense. E foi justamente nessa semana, é que aflorou a lembrança desse passamento de 1 ano. Portanto, a partida passou a ser importantíssima para o clube local, tanto por esse motivo, como também, uma inclusão na pré-Libertadores do próximo ano.

Por outro lado, deu tudo certo para o time da Chapecoense, sobretudo, ao encontrar um gol no apagar das luzes virando o placar para 2 x 1 , mandando o Coritiba para a 2ª Divisão e completar seu histórico de sucesso na temporada. Acabo, tristemente,  escrevendo pela minha lembrança um rascunho da real situação, criada por um dos piores conceitos de administração dentro de um  clube. Agora, eleições dia 9 de Dezembro. Quem se anima. Ja vou dizendo que não será fácil dirigir o clube que está muito esfacelado.

Lembre-se que:  O melhor da vida é sua história.

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>