Arquivos da categoria: Geral

O triste técnico Muricy.

26 março, 2015 às 10:20  |  por Capitão Hidalgo

Maravilhoso foi o gol que o ex-jogador do Coritiba,  Robinho, fêz na noite de ontem, no clássico contra o São Paulo. Vestindo, agora, a camisa do Palmeiras, a indagação é porque esse rapaz não tenha sido tão brilhante, aqui. em Curitiba.  Acredito que deva ter sido por nunca ter jogado num time de bons jogadores, afinal, no Coritiba, os últimos tempos a equipe sempre ficou à beira do descenso. Claro, que tendo ao lado melhores jogadores nesse elenco alviverde paulista, seu futebol cresceu e passa  ser um titular com a exigência da própria torcida palmeirense que irá defendê-lo. Se voltar ao elenco do clube, Valdívia, vai para o banco de reservas.

Dizia, aos senhores, que a vida de dirigente de futebol, em nosso país, não tem sido fácil. A notícia da saída do presidente do Paraná Clube, Rubens Bohler, ficou configurada no seu pedido de demissão. Na verdade, existindo conversas paralelas onde parte do Conselho  já o estava fritando, e não vendo um melhor caminho para equilibrar sua gestão, não teve outra saída. Contudo, o fato que mais o aborreceu, foi a ameaça sofrida por um dos integrantes da oposição. Quanto a isso não dá para se aceitar, afinal, a educação e desportividade não pode sair de uma sacola de um ignorante.

Voltando ao clássico paulista, com a vitória insofismável do time palmeirense (3×0), deu para notar na fisionomia do técnico sãopaulino, Muricy Ramalho, que as coisas não andam às mil maravilhas. Com olhar triste e preocupado, Muricy, dá mostras que o ciclo no clube do seu coração deva estar chegando ao fim. Não esconder, também, que paralelamente vem presenciando discórdias na agremiação que lhe tem afetado, sobremaneira, sua condição física.

Ao largo, e sem muita pompa, a data comemorativa de 91º anos de existência, do Atlético, neste dia 26 de Março, provoca dúvidas quanto ao momento futebolístico que vive o clube, sobretudo, distante de uma acerto em sua filosofia espórtiva. A verdade é que no futebol, assim como na vida, nada é definitivo, seria mais prudente a diretoria agilizar contratações para concorrer e almejar melhores resultados.  Com a chegada do técnico, Enderson Moreira, tendo como obrigação ganhar domingo, em Londrina, e ao mesmo tempo esperar por outros resultados, é certo que esse clube que construiu um estádio maravilhoso poderá estar jogando o rebolo do estadual. Isso é péssimo para sua torcida.

Já lí, em tempos idos, que ao momento de uma crise é procurar uma melhor maneira para buscar objetivos. Seria obstinação, ou acreditar no seu trabalho, enfim, o importante é saber conduzir seus negócios onde o mercado corresponda. Gostei de ler um aviso na entrada de uma empresa com os seguintes dizeres: “Vamos correr, pois, tem muita gente parando” Esta é a fórmula do brasileiro que está acostumado com os erros dos políticos.

Lembre-se : Que o melhor da vida é sua história.

O mar não está para peixe.

24 março, 2015 às 10:20  |  por Capitão Hidalgo

Verdadeira ziquizira está acontecendo no lado dos dirigentes do futebol brasileiro. Uma  notícia desde a cidade de Salvador/Bahia, dá conta de que o presidente, Carlos Falcão, da agremiação baiana, Vitória, pediu sua saída do clube, e um dos principais motivos acabou sendo pelo péssimo futebol do time apresentado em campo. Com a queda à 2ª Divisão do Brasileiro, como também,  perder no Estádio Barradão a sequência no campeonato estadual no jogo contra a equipe do Colo Colo(2×0), a pressão dos torcedores foi grande. Quem chegou por lá na semana passada foi o ex-técnico do Furacão, Claudinei Oliveira. Por aqui, a polêmica é contra o ex-presidente do Atlético, Marcos Malucelli, onde o Conselho Delibertativo do clube quer sua expulsão do quadro de Conselheiro. O motivo é quando da contratação do jogador uruguaio, Morro Garcia, onde estão entendendo que a contratação tenha sido fraudulenta. Aguardem que mais um dirigente do futebol paranaense vai pedir o boné. O mar não está para peixe.

Empresas de comunicação, principalmente as televisivas,  estão demitindo vários profissionais. Os dirigentes estão alegando a baixa de audiência no que têm prejudicado o lado comercial. A verdade é que o país ainda está dormindo esperando por melhoras. Como o sistema de manutenção das programações dependem da confiabilidade e segurança de números da audiência, virou uma briga de foice. Quem tiver um bom caixa, claro, continuará com seus projetos. É o caso da Tv Record, que lançou ontem, a novela Os dez Mandamentos. Quem vem caindo na audiência é o Jornal da Globo, afinal, andou perdendo 10 pontos. É só pesquisar. Os principais canais abertos de televisão, que contam com os evangélicos em suas muitas programações religiosas, recebem as melhores cotas mensais até para fugirem do mercado publicitário que anda em baixa.

O ex-atleta olímpico, Marcos Vinícius, que faz parte da Comissão Técnica do COB, em uma entrevista mostrou-se confiante quanto ao tamanho de medalhas que o esporte brasileiro poderá conseguir, em 2016. Disse que o maior objetivo é o desenvolvimento dos atletas brasileiros em suas várias modalidades. Disse mais: “No ranking do COI, a medalha de ouro é o que determina o posicionamento no contexto geral, mas, traz como exemplo, a Jamaica, com seus astros no atletismo. Ganham só nesse modalidade. Diferentemente, em nosso caso, que temos boas chances em outras modalidades.”  

Desculpe a minha intromissão, mas,  é de pensar tivesse o esporte olímpico brasileiro a necessidade de contar com a estrutura esportiva do Estado do Paraná, que tragédia seria, infelizmente. Para começar e terminar é só questionar, porque um estado como o nosso não têm, em sua capital, um Ginásio Esportivo para atender os reclamos dos desportistas.

Lembre-se : Que o melhor da vida é sua história.   

 

 

 

A pobreza de espírito do futebol paranaense.

23 março, 2015 às 09:52  |  por Capitão Hidalgo

Com certeza ainda teremos alguns desdobramentos quanto a definição do próximo presidente da Federação Paranaense de Futebol. Pelo visto, no último sábado, foram muitas as contrariedades com necessárias utilizações de liminares. Infelizmente, foi uma vergonha. Já se ssbia que as coisas não andariam bem por supostas irregulares. O resultado ( 33 a 25 ) deu ao atual mandatário, Hélio Cury, uma vantagem inicial. Agora, para efeito definitivo, sem empurrar com a barriga, poderemos ter mais confusões. Soube , inclusive, que uma profissional da imprensa teria sido agredida. A margem de dúvidas é grande, mas, o momento é bem contraditório. Se vai mudar ou não, esse atual comando, é mais fácil dizer que o cenário é muito ruím. O próprio presidente sabe que terá dificuldade de viabilizar sua administração, pois, estar contrário a CBF e com as principais equipes do futebol paranaense, entrará em crise agravada institucional na falta de receptividade no cenário nacional.

Vitória convincente foi a do Paraná Clube, que jogou ontem em Ponta Grossa, contra a boa equipe do Operário, por 3 gols a um. Faltando uma rodada, mesmo que as duas equipes já estivessem classificadas para a sequência desse certame, proporcionaram um bom jogo. Outro resultado muito valorizado foi a vitória do J.Malucelli  x Londrina (1×0), seguindo o Jota na 2ª colocação. E o Atlético deu ar da graça ao golear o fraquíssimo time do Nacional de Rolândia (7×0). Mesmo com esse resultado, o Furacão terá que ganhar na última rodada do LOndrina para poder chegar ao mata-mata. Outro agravante é que o time do Cascavel, mesmo que tenha perdido para o Coritiba (3×1), em ganhando o seu próximo compromisso, contra o Foz, vai deixar o Atlético no rebolo do campeonato.

Murmúrios de algumas pessoas dizendo que a presença do presidente do Atlético, Petráglia, tenha prejudicado o candidato a oposição, Ricardo Gomyde. Na verdade a situação colocou em sua campanha que o polêmico dirigente iria terminar com a suburbana. Por falar no futebol amador, esse continua mandando nas eleições à presidência. Para quem não sabe, o número dos componentes que definem uma eleição nessa entidade é que são em maioria. Como entender que uma Liga de Campo Mourão tenha o mesmo valor das equipes profissionais  é que são elas. 

A declaração do presidente da CBF, Marin, contra a Comissão Técnica do Brasil, críticas diretas ao Felipão e Parreira,  nesse último Mundial, mostra como existe mau caratismo no futebol. Péssima influência, sem uma consciência mais justa, afinal, se fosse esse o problema porque não fizera uma mudança antecipada, dá a devida mostra dessas pessoas sem condições de comando. Marin tratou a dupla Parreira/Felipão como se estivesse num partido político. 

Com a permanência do mesmo comando na entidade esportiva do futebol paranaense não consigo ver à frente nenhma tentativa de diálogo com as equipes da capital. O distanciamento será enorme. A federação, então, ficará com campo facilitado para conversar com as pessoas dos times da suburbana. Que beleza!  Com essa pobreza de espírito quem vai crescendo é o futebol dos catarinenses.

Lembre: Que o melhor da vida é sua história.

Concorrência nos canais fechados.

20 março, 2015 às 11:10  |  por Capitão Hidalgo

Para quem está na comunicação algum tempo, me coloco nessa parte, tenho notado grandes mudanças nas grades esportivas dos canais fechados. As emissoras em questão, Sportv e Espn,  estão agora tendo um grande adversário.Tratá-se da Fox, que em pouco tempo, contratou bons profissionais, e de forma  inteligente, valorizou seus produtos em espaços não conflitantes. Comprando alguns direitos televisivos, começando com a cobertura exclusiva das últimas Libertadores de América,  a ideia na frente seria chegar ao topo com a Copa do Mundo/2014. Foi o que aconteceu. Aliás, o debate esportivo diário e que teve o comando do ex-jogador,  Paulo Roberto Falcão, foi um sucesso. Daí, abrindo às portas em São Paulo, fincou mais uma atração com o programa , Fox Rádio. Bastou para infernizar as grades esportivas do Sportv e Espn. Para aumentar mais essa curiosidade, o programa diário e tradicional Arena, que esteve sempre em alta, sobretudo, por ser um programa diário com ínicio às 14 horas, chegou ao fim. Portanto, as direções de outros canais sentindo o crescimento, da Fox, com seus debates expressivos,  começaram a planejar modificações. Com isso, a programação da tarde do Sportv, Arena, foi tirado do ar, antecipando para às 13 horas e se estendendo até as 15,30 hrs, com um novo formato. É o Seleção Sportv. Acabou  a moleza.

Ninguém da empresa que idealiza os uniformes, do Coritiba, poderia imaginar uma polêmica quanto ao lançamento da camisa do ano (nº 3)  O próprio marketing do clube, para motivar mais o assunto, anda querendo processar quem adiantou a informação. A dúvida é quanto a côr, se Verde ou Azul. Na verdade, dependendo da claridade e do distanciamento, me pareceu, uma diferença de côr. Como sou daltônico, e estou fora de qualquer dúvida. fico com a maioria,  a côr  é Verde.

Como está chegando o dia da eleição, na Federação de Futebol do Paraná, será neste sábado no Hotel Pestana, em Curitiba, a partir das 9, 30 horas. Como as notícias são contraditórias, e de ambas as chapas, não sei não, se essa questão não vá terminar no Tribunal. Engraçado é que comandar essa Federação, dizem, seja administrar um mico. Para quem? Afinal ninguém quer largar o osso.

A semana foi boa para as equipes brasileiras que estão disputando essa Libertadores. Ontem, foi o Cruzeiro que ganhou em Guaiaquil. Anteriormente, São Paulo, Corinthians, Internacional e o galo Mineiro que desencantou. Mesmo assim continuo com minhas dúvidas na parte final desse certame. Por ora, o mais garantido é o Timão.

Enquanto o novo técnico atleticano, Enderson Moreira, treina o time para enfrentar o fraquíssimo Nacional, o Paraná Clube com seu problema diretivo na saída do atual presidente, o Coritiba está alardeando um novo contratado. Será um camisa 10 e que pode estar vindo da Argentina.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.

 

2o anos para pagar a conta.

18 março, 2015 às 10:56  |  por Capitão Hidalgo

Enquanto aguardo as decisões políticas em nosso país, inclusive, para que o povo fuja da descrença nas representações dos vários partidos, que no meu ponto de vista, embora muitos envolvidos entraram na história pela porta dos fundos com atitudes desonestas, o Brasil precisa continuar à busca do seu objetivo ou destino.

No lado esportivo, uma parada nesta meio de semana nos certames estaduais, para que as equipes venham  jogar seus compromissos na Copa do Brasil e Libertadores de América. Ontem, um dos representantes do nosso futebol, Londrina, jogando em casa perdeu para o SAntos (1×0), tendo a chance de buscar recuperação na partida de volta, em Vila Belmiro. Pela Libertadores, mesmo com dificuldades naturais dessa competição, o Timão ganhou do Danúbio (Uruguai) por 2×1, definindo de vez por todas seu passaporte  para outra etapa, mesmo que tenha mais 3 jogos de pela frente. NO memso grupo, o São Paulo terá um osso duro de roer, pois, vai enfrentar, no Morumbi, o atual cmapeão das Americas, o San Lorenzo de Almagro.

A dança dos técnicos, aliás, isso provoca uma constante discussão em saber a respeito do verdadeiro culpado nos maus resultados.  Enquanto tivermos dirigentes mudando o planejamento e sempre jogar a culpa nesses profissionais, o torcedor fica sem entender tal questão. Erram aqueles que planejam e distorcem o sentido de uma boa administração. Para contratar, deveriam olhar o clube por sua necessidade, também, financeira, afinal, reside aí o grande problema. A cada derrota muda o comando. E quem contrata? Esses dirigentes sabem dimensionar tal necessidade. Então, o técnico Claudinei Oliveira, dispensado pelo Atlético,  já está em Salvador/Bahia,  para treinar o Vitória. Ele que ficou quase 30 dias, na Europa, trabalhando e aceitando as regras da diretoria para jogar alguns amistosos com  esse elenco. De prêmio, como álibi, foi mandado embora.

Hoje a noite, num Salão de Eventos, a diretoria do Coritiba lançará mais um modelo de camisa, e para isso está convidando seus sócios e torcedores, para participarem dessa solenidade. Agradeço convite.

Foi definido pelo Governo Federal, no tema da Lei de Responsabilidade Fiscal, que o clube que não pagou  imposto devido, terá a oportunidade de fazê-lo em 240 meses (20 anos). Depois disso, o acordo sério para o ajuste de contas, sem o calote.

Lembre-se : Que o melhor da vida é sua história.

Panelaço.

16 março, 2015 às 10:58  |  por Capitão Hidalgo

O povo foi as ruas e avenidas deste nosso imenso país. Foi emocionante. Cada personagem à sua maneira foi cumprir, e de maneira ordeira,  a verdadeira demonstração de insatisfação aos desmandos reinantes na política do Brasil. Tivemos , sim, em 1984, as Diretas Já, um movimento de forma definitiva, ou seja, a exigência do voto democrático. Isso veio acontecer em 1988, mas,  erros foram acontecendo, até pela falta de cultura política do povo, afinal, desde a Revolução de 1964, nossa história foi vivendo um aprendizado. Contudo, essa onda brasileira vem mostrar um povo ávido as medidas severas contra essa desordem de corruptos, corruptores, como também, mudar com reformas o rumo político e a tributação. Panelaço, faixas,rostos pintados e a cantoria do Hino Nacional. Que beleza. O recado pode ser a motivação, do Governo Federal, não esconder as falcatruas perversas dos verdadeiros ladrões.

Não deu outra. Assim como a música “A praça Carlos Gomes é do povo e o ceú é do avião”, estava escrito que o técnico atleticano, Claudinei Oliveira, iria dançar um tango de Gardel. Fica a pergunta: Só êle é o culpado? A vida de um profissional da bola funciona dessa maneira. Não ganhou é mandado embora. Um verdadeiro álibi dos diretores. Jogado às feras, sem precisar de muitas explicações, comungou da filosofia do clube e rodou. A partir do momento que o sub-23 prestou um deserviço ao mostrar falta de qualidade, a necessidade de colocar o time principal foi a exigência. Só que nao esprava a fragilidade do time titular. O mais incrível é ver o Atlético disputar o rebolo. Aí é demais. 

Vendo a partida, Malucelli x Coritiba (0×2),  fico com a impressão que o título desse estadual está aberto. Quando não há nenhum assombro técnico,  entrar num mata-mata a coisa entra no imprevísvel. Antes desse jogo, a dúvida estava na performance do J.Malucelli, sobretudo, jogando em casa e segurando a invencibilidade. Notei que a responsabilidade do time, do Joel Malucelli, subiu a cabeça dos seus jogadores. O próprio técnico, Ary Marques, que vem fazendo um excelente trabalho, errou nas substituições. Pelo lado do Coritiba, notei também que ficou muito exposto no 2º tempo, fechando toda sua defesa passando a jogar na etapa complementar em contra ataques. Vindo a campo com resultado parcial favorável (1×0), a situação só clareou no fim do jogo no erro coletivo do adversário, e que foi bem aproveitado pelo atacante alviverde, Wellington Silva.

Será pacífica a eleição na Federação Paranaense de Futebol? Não sei não. As dúvidas são enormes e esse pleito poderá terminar no Tribunal de Justiça Desportiva. Há tanta coisa irregular que é difícil precisar quem vai levar, situação ou oposição. Será neste sábado, 21 de Março, na sede da entidade, que hoje fica na Av. República Argentina, no bairro do Portão.

A pressão contra o atual presidente do Paraná Clube, Rubens Bohler, continua com fervura borbulhante. Estão, os conselheiros opositores, dando até uma data para sua demissão. Quem está por fora é fácil explicar. Há um grupo de pessoas com condições de colocar dinheiro no clube, com a única exigência, a saída do mandatário. É de se perguntar : Porque dessa insistência de permanência, quando se sabe no clube que ninguém vê mostras de melhorias.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ordens sérias a serem aplaudidas.

13 março, 2015 às 11:10  |  por Capitão Hidalgo

Torná-se necessário, para que se tenha uma mudança de comportamento no futebol brasileiro, de um gerenciamento solidário, humilde e de mais sentimentos, afinal, vivemos num mundo mais moderno que atinge a todas as área. Os exemplos de outros tempos já estão distantes de uma realidade. Foram bons, entendo que sim, contudo, outras munições de conhecimentos gerais fazem levar ao mundo atual, novas intensões e objetivos. Viva as redes sociais. Contudo, torço que pessoas de bom caráter entrem nessa modalidade esportiva, afinal, esse esporte já nasceu grande em nosso país.As boas iniciativas devem ser desenvolvidas com a idéia precípua de modificar atitudes que vinham atrapalhando, muito mais em  decorrência do desrespeito aos desportistas brasileiros. Devem ser aplaudidas. Venho notando, sim, aliás, passou a ser obrigatório essa mentalidade. Falando, específicamente, dos clubes, ordens sérias estão sendo colocadas para o melhor desenvolvimento de honestidade aos que chegarem nas agremiações.. Vai custar caro à aqueles que ousarem fugir dessa responsabilidade.  Está chegando  a Lei da Responsbilidade Fiscal. Calote nunca mais.

Agiu corretamente o presidente do Santos, Modesto Roma Jr, em continuar com o profissional da casa, Marcelo Fernandes, que vinha atendendo como interino no clube. Solução caseira, inclusive, aprovada pelo Rei Pelé. Com êle ficará o ex-jogador, Serginho Chulapa. Outros funcionários de carreira do clube, também, permanecerão na agremiação. Isso comprova o que dias atrás comentei sôbre a necessidade de se conhecer a história do Peixe, afinal, alí se respira os pratas da casa. É difícil trabalhar no clube,sobretudo, para aqueles que chegam e que devem ter todo tipo de cuidado. Com isso, Modesto Roma, consegue diminuir custo no departamento de futebol, exaurido pelo alto custo de técnicos que por lá passaram. Só para entenderem, a dívida nessa área é de 4 milhões, qu ainda devam ser pagos ao  Muricy, Oswaldo Oliveira e Anderson, nas suas rescisões.

Se o técnico do Atlético, Claudinei Oliveira, não se despertar, vai sambar. Já há rumores nas dependências do clube, que se as coisas não melhorarem, claro, vai sobrar para o famoso álibi, ou seja, o técnico. Se me perguntarem de quem é a culpa, classifico dos diretores, aifnal, falaram que fariam algumas contratações, e se elas vieram,  foram pífias. Por enquanto o time está fora das equipes que permanecerão para outra etapa classficatória.

Eleições na Federação Paranaense de Futebol esta virando uma piada de mau gosto. A chapa da situação diz estar com 42 assinaturas, enquanto da oposição, 37 são as assinaturas. Como pode? Pelo que é dado a saber, 62 são os votos com direito ao voto. Alguma coisa está errada, afinal, pela matemática, tem uns 15 votos a mais. Com toda certeza a coisa não terá um bom final. Quem irá resolver a questão?  O Tribunal de Justiça Esportiva.

A lembrança do nome do ex-campeão do mundo, Jairzinho Furacão, para acompanhar a delegação da Seleção Brasileira de Futebol nos próximos jogos amistosos, França e Chile, caiu no agrado da imprensa nacional. Com passagens brilhantes, em especial, Botafogo e Cruzeiro, além da suas performances como jogador do Escrete Campeão do Mundo, no México/70, Jairzinho está sendo respeitado. Boa a tirada do Coordenador da Seleção, Gilmar Rinaldi. É aquilo que escrevi acima, esse é um tempo de olhar para as coisas com mais sentimentos.

Lembre-se :  Que o melhor da vida é sua história.

Foz, o time justiceiro do interior.

12 março, 2015 às 10:39  |  por Capitão Hidalgo

Quem diria, minha gente, o time do Foz de Iguaçu passou a ser o justiceiro do interior, em ter vencido o Coritiba, Atlético e o Paraná Clube. Esses resultados, como diria o locutor, Fiori Gigliotti, ficará para todo o sempre na lembrança gostosa dos seus torcedores. É difícil de acreditar, mas, está acontecendo um abuso de ineficiência técnica das equipes da capital. Indo de mal a pior, resta saber qual será o enfrentamento das diretorias com seus torcedores no quesito de resultados. Nenhum questionamento, afinal, a verdade está colocada em campo. Como será a Copa do Brasil e o futuro Campeonato Brasileiro? De pessimismo.

Ontem, em Vila Capanema, o Tricolor perdeu mais uma. Mesmo que jogando em casa foi presa fácil. Nas arquibancadas a sonora vaia contra o atual presidente, Rubens Bohler, que reluta em não deixar o comando do clube. Não sei onde está sua cabeça por não entender que a fragilidade de sua administração colocará por terra o clube qualquer venha a ser a sua intensão futura. Não admitir a hípótese das dificuldades que já são prementes é se colocar contra um batalhão de insatisfeitos.

A derrota do time atleticano, ontem em Ponta Grossa, contra o time do Operário, também, traz a devida preocupação, afinal, jogando com sua equipe titular ainda não conseguiu uma vitória sequer, sobretudo, pelo fator da reciprocidade técnica dos jogadores em campo. Trazer profisionais nas áreas que circundam o futebol, agora mesmo trouxe para diretor de futebol, o baiano Paulo Carneiro, polêmico por suas atitudes, nada irá refrescar se outros jogadores não vierem reforçar o elenco. Meses atrás, um grupo de estudiosos da Alemanha, vieram para gerir o condicionamento físico. Que balela. A paciência da galera está esgotando.  

Se derem uma passadinha de olhos, em outros campeonatos, os amigos poderão ver resultados considerados zebras. Nada disso, sobretudo, porque reside nos estaduais a verdadeira característica de ”briga” doméstica. Sem fazer o devido alarde com o futebol paulista, afinal, é o único pela diferença de poderio financeiro de suas equipes tradicionais, os demais estados se mostram frágeis.

A briga pelo poder na Federação Paranaense de Futebol contínua feia. As equipes derrotadas jogam a culpa na arbitragem o que é um palavreado absurdo que  beira ao ridículo. Enquanto isso, vai voando na classificação o time do JOTINHA, de passagem explicar que é o único invicto no certame com 6 vitórias e dois empates.

Lembre-se:  Que o melhor da vida é sua história.

Técnicamente uma rodada fraca.

9 março, 2015 às 12:35  |  por Capitão Hidalgo

A diretoria do Atlético continua brigando com sua filosofia ao  entender que desprestigiando o campeonato estadual pudesse ser a melhor solução. Nesse momento, em que  ainda não teve recurso técnico para pelo menos estar classificado a outro etapa classificatória, sente a fúria da torcida em não contentá-la com seus projetos desviados do futebol. Tá certo que até a temporada passada, onde havia um objetivo na construção do Estádio Arena, o próprio torcedor entendia como sendo um crescimento patrimonial e até bem vindo, deveria ter a devida paciência para situações melhoras para 2015.  Ledo engano. Começa o ano e o time considerado titular saiu para fazer amistosos na Europa, e  ficando por aqui, uma equipe mesclada de reservas e garotos da base.  Poderia ser uma boa idéia, mas, como as coisas não sairam a contento  a situação ficou preocupante. Com péssimo rendimento do sub-23, pela falta de capacidade dos profissionais que estão lotados nesse departamento, pensando em não mais perder tempo,colocou-se em campo os titulares. E nem assim melhorou. Portanto, chega-se a conclusão que a continuidade dessa filosofia vai deixar o clube em maus lençois.

Boas as vitórias do Cascavel, Operário, Paraná Clube, como também, o empate do J.Malucelli(0×0), muito mais por ter jogado melhor que o Furacão, permanecendo firme na liderança desta fase embrionária do certame. Os piores times: Prudentópolis e Nacional de Rolandia. No meio da tabela: Foz do Iguaçu, Maringá, Londrina e o Tricolor da Vila. Quanto ao Furacão, o que se espera é buscar os próximos pontos.

Técnicamente, não foi um bom jogo entre o Coritiba e o Londrina. Claro, o valor a ser considerado está na vitória alviverde (1×0), através, de uma penalidade maxima reclamada pelos jogadores londrinenses. Quanto a distribuição do Tubarão, em campo, procurou seu técnico fechar as comportas defensivas e tentar surpreender o adversário no contra golpe. Foi difícil para  o Coritiba jogar  na parte ofensiva  pelos poucos espaços deixados aos seus jogadores. Poderia ter dado certo ao time do norte, entretanto, ficou sem uma frente combativa. Deu para notar que jogando no Estádio do Café será um bom adversário. Quanto ao Coritiba, bem, ficou claro que o meio campo está todo embaralhado.

Qem vem mostrando um bom trabalho é o técnico, Ary Marques, que armou seu time (Jotinha) muito bem, inclusive, onde chegou a ter algumas chances de sair do jogo com mais uma vitória. Alguns entendidos achando que esse time dos Malucelli seja um cavalo paraguaio. Nenhuma certeza para isso, afinal, o time vem jogando bem.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história. 

 

 

Largar o osso é a questão.

6 março, 2015 às 11:51  |  por Capitão Hidalgo

Quem teve oportunidade de viver e conhecer a época de ouro do Santos F.C, sabe muito bem, como difícil é trabalhar por lá. Históricamente, é o clube brasileiro mais consagrado por seus vários títulos conquistados, nacional e internacional. Estar em dificuldades financeiras isso vem de longa data. Quando aquêle fabuloso elenco saia para jogar pelo mundo parava o país. Hoje, pela facilidade instantânea de imagem, ficou fácil aos desportistas saberem tudo sôbre as equipes tradicionais, Benfica, Milan,Real Madrid, que participavam ao lado do Santos, a primazia de reverenciar o melhor quadro de jogadores do mundo. Quantos não foram os torneios que o time peixeiro ganhou. A cada participação elevava o prestígio do futebol brasileiro. Então, quando faltava dinheiro no caixa, era fácil, saia à  busca do numerário. Sim, facilitado pela presença do Rei do Fuebol, Pelé. Mas, outros componentes faziam o time ganhar por suas capacidades. Era escalar : Gilmar, Carlos Alberto, Mauro, Calvet e Dalmo, Zito e Mengálvio, Dorval, Coutinho, Pelé e Pepe.

Um tempo que não volta mais. Isso é uma verdade. Para os dias atuais, é até complicado ao profissional que venha trabalhar no peixe, quando vê estampado logo na entrada das dependências, de Vila Belmiro,  uma foto desse esquadrão. Arrepia. Maravilhosos jogadores. Depois, claro, muitos outros foram aparecendo e tentando escrever a mesma história. De tudo isso ficou o conteúdo no aproveitamento dos jovens. A escola santista sempre conduziu com exigência o saber jogar futebol. Soube revelar grandes nomes desde a década de 1960. Pelé, sempre foi o exemplo maior. Depois, Coutinho, Osni, Hermes, Clodoaldo, Edú, Orlando Lelé, Douglas, Negreiros, Juary, Léo, Robinho e o garoto Neymar. Claro, devo ter esquecido muitos outros. Vale a pena ver a sala de troféus. 

A notícia da saída do jovem técnico, Enderson Moreira, colocou à tona uma necessidade do profissional saber como respira a diretoria, imprensa local e torcedores. Jogadores da base tem sido a importância maior do clube. É a história que conta. A queda, então, desse técnico, foi a maneira que vinha conduzindo a equipe com a contrariedade e arroubos de impertinência contra os mesmos. Foi assim com Dorival Júnior, lembram do caso Neymar, o próprio Muricy que não aceitava trabalhar com os garotos da base. Enfim, no Santos quem manda é a Coordenação de base. Não é o empresário. Como estopim vale registrar  jogo passado contra o Linense. O jogo estava fácil (3×0), fêz uma mudança errada ao tirar o Valencia para colocar o Elano, o time adversário chegou a marcar dois gols, e deixar no banco o garoto da galera, Gabibol, que ao entrar arrebentou. Fácil a conclusão dessa demissão.

Falar em conclusão, foi deixado para hoje, a decisão do presidente paranista, Rubens Bohler, quanto a sua demissão. Por não estar convicto nessa renúncia, seu campo ficou totalmente minado, até porque, ainda não encontrou pessoas no momento para ajudá-lo. A Comissão Executiva, tendo um plano afirmando trazer de imediato e que dará tranquilidade aos sócios e torcedores. Como saiu a público, cada um pensa o que seja melhor, alguns criticam a maneira da retirada do atual mandatário. Isso já aconteceu com Hussain Zraik e o Evangelino Costa Neves. Se for para o bem na nação, então, eu saio. Terá essa humildade o Bohler?

Pelo andar da carruagem já se sabe que a questão da eleição da Federação Paranaense de Futebol, vai parar no Tribunal e depois, no STJD. Como a confusão está estabelecida,  e tendo o papo furado sôbre a maneira democrática, nota-se que ninguém gosta de largar o osso.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.