Arquivos da categoria: Geral

O título é do Operário. Nada a contestar.

4 maio, 2015 às 06:34  |  por Capitão Hidalgo

Absoluta e de forma irretorquivel a conquista da equipe do Operário, de Ponta Grossa, nesta temporada de 2015,  no futebol paranaense. Considerado uma agremiação centenária, com seus 103 anos de fundação, bem que tentou por outras 14 vezes chegar a um título dentro do estado. Sua vez chegou, e com  méritos, pois, foi ao longo desse certame um adversário a altura das principais equipes da nossa capital. Portanto, registra-se o fato de chegar a esse topo memorável apoiado por uma forte região, a  dos  Campos Gerais, onde se inclue um excelente parque industrial  com mais de hum milhão de habitantes. Como disse, nada a contestar esse conquista dos princesinos, afinal, jogou dois jogos somando no agregado, 5 gols, contra nenhum do adversário. O bonito dentro da desportividade é que a própria torcida do Coritiba, reconhecendo esse feito, soube valorizar em aplausos no Estádio Couto Pereira, ao entender a superioridade da equipe interiorana.

Sôbre o jogo, muito a  se dizer, mas não aceitar como uma derrota pedagógica aos coxas,  sobretudo, pela falta incompreensível de um elenco mais fortalecido com a necessidade de uma qualidade individual mais apurada. Essa não foi a primeira vez que o Coritiba perdeu em seus domínios, pois, aconteceu em 1977, contra o Gremio de Maringa, uma chance desperdiçada através de uma penalidade máxima em que o excelente atacante, Aladim, deixou de marcar. Ao perder esse jogo lá no norte, e precisando reverter a situação, o Coritiba acabou perdendo aquele leque de títulos, com um empate em casa ( 1×1)  que lhe tirou a comemoração do Hepta Campeonato. Outros tempos e suas histórias.

Quem está feliz é o Presidente da Federação Paranaense, Hélio Cury, pois, é público e notório que a vitória do time do Operário lhe fêz bem, afinal, as equipes da capital foram contrárias a sua reeleição. Por coincidência ou não, ano passado foi o Londrina e agora quem levou foi o time da cidade de Ponta Grossa. Sei que vai alardear que com ele no poder o interior respira.

Agora, para nós da capital os olhares serão para a Copa do Brasil e o Campeonato Brasileiro. Pelo interior, teremos o Londrina na Série C, independentemente, do título de campeão do interior nessa temporada. Também, farão parte, do calendário nacional, o Operário que entrará no lugar do Londrina, o mesmo com o Foz do Iguaçu. Aviso aos navegantes que será necessário alguns investimentos nas equipes, pois, jogar torneios nacionais são outros quinhentos.

De registro os títulos do GAlo Mineiro, VAsco da Gama, Fortaleza, SAnta Cruz, Santos, Internacional, claro, foram bastante festejados. No Caso do Santos, com uma dívida astronômica, levantou o caneco nesse início de gestão do Modesto Roma. Outro grande vitorioso foi o Eurico Miranda. Retornou ao comando vascaíno e já levou o título de campeão carioca. A lamentar o desfecho em Santa Catarina em que a definição do título irá para o Tribunal. Dsputam JOinville e Figueirense. Dois técnicos paranaenses ganharam suas faixas, o Levir Culpi, pelo Galo Mineiro e o Ricardinho no Santa Cruz.

Lembre-se : Que o melhor da vida é sua história.

Derrota e mais derrota.

29 abril, 2015 às 11:43  |  por Capitão Hidalgo

Mais uma derrota do Atlético Paranaense (1×0) nesta temporada. Ontem, em Juiz de Fora, perdeu para a equipe do Tupi, cujo jogo valia pela Copa do Brasil. Como é de praxe, agora terá que reverter o quadro, na próxima semana, onde terá a necessidade de ganhar por 2 gols de diferença. Como diz a frase: ” O Atlético jogou como nunca e perdeu como sempre”, demonstra o inferno astral que vive a agremiação nesses 4 meses do ano. O que mais impressiona é a passividade desse elenco, afinal, vem acumulando maus resultados sem dar o ar da graça. O pior é que já estão criticando o atacante, Walter (gorducho), como fôsse êle sozinho responder os problemas da equipe na parte coletiva. O duro mesmo é essa troca de treinadores. Com isso a torcida fica esperançosa por alguma coisa melhor, mesmo que o técnico, Milton Mendes, que chegou por esses dias andou dizendo que o clube não precisa de mais contratações.

O elenco do Coritiba anda rezando e acreditando na fé pela conquista do título paranaense. Falando um português claro, na minha maneira de ver, pelo péssimo futebol apresentado, em Ponta Grossa, a equipe deverá jogar com muita tensão para reverter o quadro  no prejuízo da má partida que fêz ao perder por dois gols a zero. Fazer o goleiro Vaná jogar melhor, pedir para o quarto zagueiro, Leandro Almeida, não ser lerdo demais na cobertura do Carlinhos, ter um meio campo mais rápido para poder tumultuar a zaga adversária e atuar com bolas compridas aos atacantes, é a prioridade maior que terá o técnico, Marquinhos Santos, pois, fazer 3 gols nesse jogo de domingo será um parto na montanha.

Estou sendo convocado, no que agradeço de forma antecipada, aos profssionais da área esportiva da Gazeta do Povo, a estar presente no Prêmio dos Melhores do Paranaense/2015. Será nete próximo dia 4 de maio, no Shed Bar, a partir das 19h30  Acho muito importante registrar os melhores da temporada nesse estadual. Na minha época de jogador ficava torcendo para ganhar um trófeu. É a realização de um trabalho bem feito. Um dos goleiros, Londrina ou Operário, o lateral Baia, também do Operário, meio campo Lucas e Ruy, podem estar, também, nessa lista, os atacantes do Coritiba, Raphael Lucas e Negueba e Dirceu, zagueiro do Londrina, são minhas apostas nesta seleção do ano.

A diretoria do Tricolor da Vila vivendo esse momento só de especulações.  Não havendo esta definição de quem entra e quem sai, a torcida aguardo com muita espectativa que bons jogadores cheguem à Vila Capanema. Outra dúvida é quem será o técnico contratado. Falavá-se ,ontem, em Geninho, que não aceitou a proposta. Agora,os  olhos estão voltados para o Nedo Xavier e Ary Marques. A verdade é que o Paraná Clube precisará fazer um choque de gestão. e se demorar mais um pouco, o prejuízo inicial será grande.  Não esquecer que dia 8 de maio, comecará a Série B, contra o preparado Ceará.

Os convites chegam a todos os  momentos. Semana passada, a confraternização com a posse dos Ex-Jogadores do Coritiba. Para que o atento amigo, Marquetti, de Osasco, que acompanha nossa conversa diária, fique sabendo, hoje na Sociedade Morgenau, o papo será valorizado com o prato escolhido a dedo, Marreco. Como sempre vou fazer um sacrifício.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.  

 

Final indefinida.

27 abril, 2015 às 06:58  |  por Capitão Hidalgo

O time do Coritiba terá que remar novamente para poder chegar ao título desta temporada, não só pelo futebol apresentado, ontem, em Ponta Grossa, mas, por ter sido amplamente engolido pelo time adversário, Operário, que mostrou ter muita eficiência na marcação ao diminuir espaços e ao contar com as falhas defensivas, que são costumeiras, do verdão paranaense. Portanto, os torcedores do Coxa terão que ir ao jogo, no próximo domingo, com as barbas de molho. O que preocupa ainda mais no coxa é que dá mostras de ter um elenco fragilizado para um campeonato difícil como o próximo  Brasileirão. As mudanças feitas pelo técnico, Marquinhos SAntos, por mais que tenha tentado, a verdade é que os jogadores mostraram indeficiência.

Ao longo dessa estadual as equipes do Londrina e Jota Malucelli foram as mais decantadas, afinal, vinham jogando bem dentro dos seus limites e lutavam por uma aprovação geral. Engraçado que poucos comentavam a respeito do time da cidade de Ponta Grossa. Lembro-me bem quem chamou minha atenção a respeito num encontro casual, foi o ex-jogador, Pachequinho, que exerce a função de olheiro no Coritiba, afirmando que todos deveriam olhar com mais atenção para o time do Operário, sobretudo, pela qualidade de alguns dos seus jogadores, e ao mesmo tempo, com um técnico com características do sul. Estava certo o Pachequinho.

Como pudemos constatar, a fragilidade técnica das equipes nesse estadual foi gritante, imaginem ainda mais sem poder contar com o Atlético e Paraná Clube, desclassificados antes do tempo, ficando a capital com o único representante, Coritiba, mesmo sem oferecer uma espectativa favorável, afinal, perder por 2×0, em Ponta Grossa, só aumenta a necessidade de jogar mais do que possa para reverter o resultado.

A nova diretoria do Paraná Clube, informou nesse final de semana, a demissão de todos os profissionais que faziam parte da comissão técnica,  depois do fracasso no resultado contra o time do Jacupiense, tendo a dura missão de em poucos dias preparar outros personagens para a disputa do 2ª Série B/2015, e tendo pela frente o atual bom time do Ceará. Enquanto isso, o Atlético ao vencer o fraco time do Prudentópolis(4×1), fugiu do Torneio da Morte. O lado temerário para o bom desenvolvimento nesse certame nacional, é que o time não é bom e o técnico que chegou dias atrás, Milton Mendes, disse não precisar de outras contratações. Com isso a tendência atleticana é iniciar o brasileirão fragilizado de bons jogadores.

Nas disputas estaduais estão aparecendo equipes que ningúm poderia imaginar. Que tal o time da Caldense que foi jogar contra o Galo Mineiro, no Mineirão, e arrancou um bom empate(0×0). Lá no nordeste quem está firme é o time do Salgueiro. Aqui no sul é o Operário de Ponta Grossa. Nos clássicos, sairam na frente o Vasco da Gama, Palmeiras, enquanto os indecisos, Grenal e Joinville x Figueirense. E no futebol baiano, não é que o time do Bahia andou perdendo por 3×0 ?

Lembre-se : Que o melhor da vida é sua história.

É agora, José !

23 abril, 2015 às 10:51  |  por Capitão Hidalgo

Numa roda de desportistas neste último feriado, e muitos deles atleticanos, a conversa girou toda em relação a esse momento frágil que vive o Furacão Atléticano. Ouvindo a todos com seus argumentos bancados nos maus resultados em campo, claro, fica fácil uma análise que pode ser considerada momentânea. Para mexer mais com os exaltados, fui aos poucos mexendo no doce, apresentando fatos que deveriam ser lembrados. Vamos lá.

Alguém poderia discordar que o poder dado ao ex-presidente, Marcos Malucelli, não teria sido facilitado pelo Petráglia? De fato nada a contestar. Pois bem. No acordo firmado às vésperas dessa eleição, claro, havia um oposição com o comando do conselheiro, Nelson Fanaya, não seria dado ao Petráglia a condução da construção da Arena, visando o Mundial/2014? Perfeito, até aí tudo bem. Só que após 30 dias da posse do Malucelli, a nova diretoria rejeitou a presença do ex-mandatário a essa missão, sabe-se lá por que cargas dágua. Diria, uma verdadeira traição, afinal, sendo conduzido a presidência, Marcos Malucelli, mudou a conversa ouvindo seus pares de diretoria. Foi correto?

Na verdade nada deu certo nesta gestão. Passado o tempo determinado pelo Estatuto do Clube, complicado por ver um time caindo a 2ª Divisão Brasileira, somando os muitos erros com indicações de diretores na área do futebol, principalmente, a inexplicável transação do jogador uruguaio, Morro GArcia,  e temerário na construção daquele que virou uma maravilhoso patrimônio depois de sua gestão, a verdade é que Marcos Malucelli pagou um alto preço por sua ineficiência.

Vamos, agora, dedicar históricamente a chegada dos petralhistas, claro, que contou com apoio das centenas de conselheiros que queriam sua volta ao comando, principalmente, para arrumar a casa. O arrumar a casa seria a volta a 1ª Divisão. Isso aconteceu. Com  moral foi buscar parceiros para a construção do estádio. Hoje está a mostra como um cartão postal para todo mundo reverenciar, onde até um teto retrátil foi colocado. Com sua experiência, criou em 2013, uma filosofia de gestão esportiva. Recordem a impressionante campanha no ano de 2013, tanto do sub -23 no estadual,  onde revelou muitos jogadores como no time principal por ter chegado ao 3º lugar no brasileirão e por um pouco ao título nacional da Copa do Brasil. Momento maravilhoso.

E agora, José! Na verdade o futebol vive de vitórias. A situação de momento é delicada, pois, ontem mesmo na reunião do Conselho Deliberativo, as rusgas começaram aparecer num festival de impropérios. Por informação mais de mil sócios deixaram de pagar seus compromissos. Como disse na matéria passada, o clube vai depender do imprevisível Petráglia para costurar essas retaliações. Como ninguém pode esconder seus erros, vejam a seleção de técnicos, que contratados e demitidos nesse curto período dá mostras de estar perdido em suas convicções. Já se sabe que um mutirão de conselheiros, aqueles mesmos que devolveram a cadeira da presidncia ao Petráglia, estão em campanha aberta a encontrar um novo mandatário. Imaginem, a eleição será em dezembro, e até lá muita água vai correr embaixo da ponte.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.

O imprevisível Petráglia.

22 abril, 2015 às 10:16  |  por Capitão Hidalgo

A impressão que passa o time sãopaulino é que ainda continua sem a devida tranquilidade. Imaginem. Falava-se que seria necessária a saída do técnico, Muricy Ramalho, pelos duros problemas no acerto coletivo e sua condição física. A diretoria, então, recorreu ao eterno auxiliar, Milton Cruz, ganhando as 3 primeiras partidas.  Como perdeu na última partida contra o time do Santos, em Vila Belmiro, acabou a equipe do Morumbi ficando fora da decisão do paulistão. Hoje, contra o Timão do Parque São Jorge, mais uma parada indigesta, afinal, vai pegar, simplesmente, a melhor equipe do país. Como o jogo estará valendo pela classificação a outra etapa da Libertadores de América, terá o time tricolor que lutar para não somar mais uma derrota, e com a consequência do resultado não ter que contratar um novo técnico. É fundamental dizer que o ambiente político no clube vem atrapalhando os própostios da agremiação. Quem estará de olho nesse jogo é o próprio torcedor argentino do São Lorenzo de Almagro, também, com a necessidade de ganhar do Danúbio.

Com a vitória  do Cruzeiro das Alterosas(2×0) em cima do time boliviano, Universidade Sucre, o futebol brasileiro tem mais um classificado. Espera-se na rodade de hoje, venhamos a ter o Internacional e o Galo Mineiro, ambos jogando em casa como favoritos, esperando pela equipe sãopaulina.

O time perde e a galera se volta contra o presidente, tem sido o caso do atleticano, Petráglia, que vem notando a debacle técnica da sua equipe em campo,  tendo a necessidade urgente de mudar sua filosofia. Tem gente no clube que pede sua saída, mas, isso é absolutamente impossível de acontecer . Fico na dúvida, sendo seu último ano no comando do clube, se ainda não passou em sua cabeça um desmanche proposital a dificultar seus opositores. Ninguém pode negar essa sua capacidade de provocação. Para refrescar a memória dos esquecidos, ele pegou o clube na 2ª Divisão, sem a construção da Arena e um elenco fraco.

Acontecerá, amanhã, a posse da 1ª diretoria da Confraria dos Ex-Jogadores do Coritba. A solenidade será realizada no restaurante ao lado do Estádio Couto Pereira, de propriedade do Camilo, a partir das 19 horas. A pedido estou informando que será cobrado pelo convite o valor de R$ 45,00, na entrada do próprio local. O convite é geral. Já passam de 2oo pessoas. Legal.

Já são conhecidoas as seleções que estarão jogando, de forma amistosa, antes do embarque da equipe brasileira ao Chile, para a disputa da Copa América/2015. Dia 7 de junho, na Arena do Palmeiras, contra o México e 10 de Junho, em Porto Alegre frente ao time de Honduras.  A 1ª partida da Copa será contra o selecionado do Perú, dia 14 de junho, em Temuco (600 kms de Santiago do Chile).

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história. 

 

 

 

Em festa a cidade de Ponta Grossa.

20 abril, 2015 às 10:08  |  por Capitão Hidalgo

A dificuldade que a equipe do Coritiba poderia ter, e o próprio torcedor sabia de cor e salteado que o time londrinense jogaria na retranca, foi só no 1º tempo. A equipe do norte fêz de tudo para enervar os jogadores do coxa, por contar em alguns momentos com a inércia do árbitro que vinha permitindo as jogadas desleais. Com um gol no início do 2º tempo, já com atacante Keirrisson no gramado fazendo uma bonita jogada individual, na qual serviu ao operoso atacante Negueba, viu-se desmoronar o trabalho do time londrinense que veio a capital a busca de uma bola só, ou seja, um contra ataque. Logo em seguida veio o 2º gol e assim as forças do Londrina foram se esvaindo a ponto de se tornar um time moroso, sem pernas para aguentar a parada festiva no Estádio Couto Pereira, que ontem, contou mais uma vez com a massa torcedora alviverde. O 3º gol foi uma consequência. Agora é aguardar pelo Operário de Ponta Grossa, que ontem a tarde venceu em casa o time do Foz doIguaçu (2×0).

Enquanto isso o Atlético vem pagando um preço altíssimo por seus erros de estratégia. Perder, bem isso faz parte do jogo, mas a maneira que vem praticando seu futebol individual e coletivo, é uma tragédia. Já não se pode condenar os técnicos que andaram por aqui, afinal, o ex-Claudinei Oliveira vinha trabalhando dentro do estabelecido, como o outro técnico, Doriva, que mandado embora em apenas 8 jogos conseguiu a façanha de levar o Vasco da Gama à uma final no Rio de Janeiro. Agora, com Enderson Moreira, o que falar se o time não reage.

A parcela maior dessa culpa está sendo dada ao presidente Petráglia, afinal ele é o mandatário tido como um dirigente que não gosta de ouvir ninguém. Vejo que as circunstâncias que movem a tristeza do torcedor rubro negro é que não está sentindo coisa alguma de progresso nesse elenco. A cada partida as dúvidas vão se avolumando a ponto de perder fragorosamente (3×1) para o tímido time do Rio Branco de Paranaguá. Situação crítica, afinal, está disputando um torneio que é considerado da morte, pois, se não ganhar o próximo jogo poderá cair a 2ª Divisão do Paraná, no que seria um fim de linha melancólico.

Depois de uma observação quanto a posição do jogador Negueba, que vinha correndo o tempo todo em outras partidas sem uma função tática específica, na partida de ontem, aí sim, foi totalmente diferente ao se aproveitar de uma faixa do campo caindo para o meio, inclusive, fazendo um gol importante na partida. Quem esteve bem, também, foi Keirrisson, sem aquela mobilidade, mas com boa técnica, colaborou com a equipe com sua entrada em campo. Quanto a arbitragem, é fácil dizer, afinal, um senhor do apito que aplica um monte de cartões é o sinal que andou muito mal.

Imagino a satisfação do povo princesino nessa campanha da equipe do Operário, que finalmente está chegando a uma final de competição. Uma cidade que está há 120 quilometros da nossa Curitiba, que conta com um parque industrial de exemplo e situada na região dos Campos Gerais, tem hoje uma população no entorno de mais de 1 milhão de habitantes. Parabéns aos desportistas dessa região progressiva.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.

O futebol paranaense precisa reciclar.

17 abril, 2015 às 11:47  |  por Capitão Hidalgo

Fugindo da regra tradicional de buscar na vaia a demonstração de tristeza por um mau resultado, a torcida do time chileno da Unversidade do Chile, mesmo vendo seu time sendo goleado em pleno Estádio Nacional de Santiago, fêz uma festa do começo ao fim emocionando a todos que estavam presentes e mesmo aqueles, como eu, vendo pela televisão a grande vitória do Internacional dos Pampas (4×0). A impressão que me passou a galera chilena é que essa consequência será bem positiva, afinal, o país vai sediar, em Junho próximo, a Copa América.

 O encontro entre o Timão e São Lorenzo de Almagro, esse o grande campeão argentino da última temporada da Libertadores, estava sendo muito esperado. O empate de ontem (0×0) determinou, e de forma antecipada, a presença dos corinthianos à próxima fase desse certame. Quanto ao time argentino, esse terá que ganhar o próximo jogo e esperar pela derrota do SãoPaulo, justamente contra um Corinthians classificado. Após o jogo, o técnico do San Lorenzo, colocou de forma a polemizar que viu o Timão não atacando no 2º tempo, e com isso, colocando dúvida na vontade de prejudicar o time do Morumbi. Com isso, o técnico Tite, inconformado não aceitou fazendo críticas no julgamento de valor do profissional argentino. Portanto, essa atitude do técnico adversário foi bem premeditado.

Fiquei sabendo que uma ação de marketing do Coritiba, no intuito de buscar o retorno e de novos sócios, que alguns jogadores por via telefônica,  se apresentaram aos seus torcedores pedindo a devida colaboração ao clube. Diria, simpática essa medida, sobretudo por ser um ponto alvo em que o próprio torcedor sente-se prestigiado. Me lembrei, ainda quando jogador, que fazia muito esse serviço, afinal, o que vale é o lado sentimental. Agora, essa idéia se fortalece com vitórias, é o que deve prometer o atleta.  

A passagem do jogador, Marcelinho Paraíba, pelo Coritiba, não foi das melhores. A verdade é que por onde andou, depois da sua volta da Europa, não se fixou em lugar algum. Agora vem a notícia que o time catarinense, Joinville, está contratando esse rapaz que se tornou dos maiores nômades da bola no Brasil. Temo pelo sorte dessa agremiação, afinal, por tem sua vaga garantida à 1ª Divisão Brasileira, poderia muito bem busca outro profissional sem vícios.

Sendo um leitor assíduo da coluna do brilhante radialista, jornalista e historiador, Carneiro Neto, no dia de hoje está comentando uma passagem que viveu quando da época em que os profissionais da imprensa tinham livre acesso aos treinos nas dependências dos clubes para saberem das notícias .  De fato foi um tempo que guardo como boas recordações. Havia uma idéia de mostrar ao futebol brasileiro a força dos paranaenses em jogos nacionais. Viajavam lado a lado, locutores, comentaristas, repórteres dos jornais e emissoras de rádio, com dirigentes e comissões técnicas. Quantas não foram as fotos que a Tribuna do Esporte, Gazeta do Povo, Estado do Paraná, Diário Popular, estampavam em suas principais páginas valorizando às presenças das equipes da capital.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua hsitória.

A trancos e barrancos. Esse é o Atlético.

16 abril, 2015 às 15:01  |  por Capitão Hidalgo

Terminou para o time do Londrina a Copa do Brasil. Depois de ter perdido uma boa oportunidade de ganhar do Santos, em casa, foi ontem, à São José dos Campos,  jogando suas esperanças derradeiras nesse certame, onde voltou a perder (1×0). Agora lhe resta a sequência do Campeonato Estadual, com o jogo de volta, que será neste domingo contra o Coritiba. Na verdade será outra tarefa difícil, sobretudo , pelo aumento da dificuldade, pois a meu ver, teve uma grande chance no jogo de ida Resta saber como jogará esse time do técnico,Tencatti, sem poder contar com seus melhores atacantes. 

A “nova” diretoria, do Paraná Clube, vem trabalhando bastante para encontrar um melhor caminho nessa empreitada para subir a 1ª Divisão. Muitas reuniões de serviços em seus vários departamentos à buscar um melhor entendimento entre as partes. Acho que vem por aí  algumas reformulações necessárias.

Para alguns torcedores, o Furacão da Baixada,  mesmo que tenha passado de fase ao vencer por penalidades máximas, o Remo de Belém do Pará, entenderam que a equipe jogou muito mal frente a um time  semi-amador. De fato ficou a desejar jogando um péssimo futebol. Quem apareceu pelas bandas foi o novo contratado, o meia Valter, simplesmente, o gorducho bom de bola. Outros deverão vir para melhorar o astral do técnico, Enderson Moreira.

Troca no poder da CBF, nesta tarde, saindo José Maria Marin entrando Marco Polo Del Nero. Muitos dirigentes de clubes presentes, e um fato chamou atenção, pois, o mandatário do Flamengo comentou a respeito de uma formação de uma Liga para fugir dos impecilhos criados pelos dirigenes das federações. Outro que falou grosso foi o presidente do Cruzeiro.

Na Libertadores de América,  Cruzeiro e Galo Mineiro andaram perdendo seus compromissos. Quem venceu foi o São Paulo, em MOntividéo. Hoje, entrará em campo, o Timão x São Lorenzo, enquanto o Internacional pegará um osso duro de roer, o Universidade do Chile, em Santiago.  Pela Copa do Brasil, passando a outra fase, o Gremio, VAsco da Gama e o Botafogo do rio.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.

Qual a funcão tática do Negueba?

13 abril, 2015 às 12:16  |  por Capitão Hidalgo

Alguém pode me dizer qual é a verdadeira função, do Negueba, jogador do Coritiba? Cabe essa pergunta, pois, já o vi jogar em vários setores do gramado. Dono de um bom espírito competitivo, afinal, onde está a bola está ele brigando pela mesma, mas, sem nenhuma consequência positiva. Dá pena de vê-lo correr. Começa por aí minha indagação quanto a postura coletiva do time alviverde. Em alguns momentos do jogo parece que a equipe fica, simplesmente, jogando por jogar. Ainda bem, para os torcedores coxas, que os londrinenses abdicaram, e de forma geral,  a não ser em dois bons momentos, no 2º tempo, de ir totalmente para cima do verdão paranaense. Em todo caso, fica uma certeza que o time do técnico, Marquinhos SAntos, no próximo jogo deva jogar mais, e por cima, contando com sua prestigiosa torcida.

Do jogo de, ontem, onde veio a perder do Tubarão (1×0), ficou escancarado que o time do norte paranaense jogará fechado, mas, com aproveitamento do seu lado direito de ataque, no caso Paulinho, que arrebentou com o ala Carlinos, exposto numa verdadeira avenida, sem que tivesse uma cobertura adequada do zagueiro Wellington. E o meio campo. Que coisa. De uma lentidão de dar dó, sobretudo, porque os dois atacantes, Raphael e o Paulista, que não recebiam bolas necessárias,  ainda tinham que vir buscar o jogo. Será que o Marqinhos SAntos saberia explicar esta “evolução tática” de que tanto apregoa.

Pelo menos uma vantagem vai se abrir, afinal, o Londrina terá que jogar neste meio de semana em, São José dos Campos, contra o SAntos, valendo Copa do Brasil. O técnico do Tubarão, Tencatti, vai usar sua estratégia em campo, onde entendo que por ter perdido o 1º jogo em casa, vai se utilizar dos seus principais jogadores. Já, no domingo, aqui no Couto Pereira, não poderá contar com seus dois atacantes, um por contusão, Neilson e outro, ARthur, com cartao amarelo.

Enquanto isso o Atlé vai pagando seus pecados no Torneio da Morte. Ontem, foi à Paranaguá e não conseguiu ganhar do estropiado time do Rio Branco. Ficou no empate de 1×1. O assunto atleticano extrapola qualquer tentativa de entusiasmo com esses resultados, ainda mais, ouvindo do atual técnico que aguarda, ansiosamente, por melhores jogadores. Quer dirzer, quem está no elenco virou um nitrato de extrato de pó.

Com a decepção de estar fora dessa fase final do estadual, a nova diretoria do Paraná Clube, já pediu aos integrantes da Comissão Técnica, um relatório minucioso das condições do atual elenco que logo estará jogando a Série B do Brasileirão. Como para o bom entendedor basta, penso que a vassourada acontecerá. A primeira providência é saber se o atual técnico, Luciano Gusso, ficará no comando.

Lembre-se : Que o melhor da vida é sua história.  

É fácil criar uma Liga paralela?

9 abril, 2015 às 12:21  |  por Capitão Hidalgo

Falando um português claro: É fácil criar uma liga dentro do futebol ? Lembro-me bem quanto a polêmica sôbre o Clube dos Treze, que nasceu com uma participação forte dos principais clubes brasileiros, e que tinha o intuito de resolver, junto ao Canal de Televisão (Rede Globo), esse o patrocinador oficial das imagens nos jogos das Edições nos Campeonatos Brasileiros, para a devida cotização aos clubes com suas participações. Passado alguns anos,  deu no que deu, afinal, não houve uma reciclagem e a briga surgiu dentro dos seus próprios redutos. Confesso não ter certeza onde encontrar o direito nesta participação dos clubes, ainda mais, sabendo que o comando de todas as leis futebolísticas é de domínio da Confederação Brasileira de Futebol. Com certeza criaria-se uma ingerência ao comando maior da bola, pois, essa novidade de interesse dos clubes poderá fugir das prerrogativas das Federações Estaduais.

Aqui, em nosso estado, entendo que seria excelente qualquer tentativa de mudança. A bem pouco, vimos como uma pessoa consegue se sustentar no comando do futebol. O futebol paranaense, por incrível que possa parecer, defini-se pela força de um candidato  exclusivamente, dos times e ligas que participam da suburbana. Ganha aquele que tiver um maior número de filiados. Claro, como toda atenção está voltada para esse grupo de desportistas, até porque o valor de cada voto é igualitário, os clubes profissionais da capital estão jogados às feras. O imbróglio é tão grande, e que permite ao mandatário dessa entidade brigar com a CBF, abrindo aos clubes da capital a iniciação de uma conversa a respeito da Criação de uma Liga.

Na rodada de volta, o resultado tão esperado foi o do Coritiba, que voltou a vercer o Cascavel (2×0), mas, foi o time do Operário, de Ponta Grossa, que ao empregar um jogo de velocidade ganhou do Paraná Clube (3×0). Outro partida, lá em Maringá, mais uma vez o time do Londrina nãoconseguiu derrubar seu maior rival. Hoje, saberemos sôbre o Jota Malucelli, que enfrentará o Foz do Iguaçu. 

Após a saída do técnico, Muricy, quem ficou no comando contra o time da Portuguesa, foi o auxiliar mór, Milton Cruz, profissional que está há muitos anos no clube. A direção do time sãopaulino, falo do seu presidente, vem mostrando ser calmo quanto a indicação de um novo técnico, em que pese a mídia esportiva estar instigando um novo nome. O mais cotado é o Luxemburgo.

Saindo da competição, resta saber, agora, de que forma a nova diretoria do Tricolor da Vila, estará se arrumando para a Série B, que terá seu início em Maio/2015. A um a notícia que poderá haver uma reunião de consenso junto ao time do Jota Malucelli, vamos dizer, formar uma seleção dos dois elencos. Vamos aguardar, pois, seria de bom alvítre.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.