Arquivos da categoria: Geral

Santos é outro time enrolado.

28 janeiro, 2015 às 09:49  |  por Capitão Hidalgo

Um time que se perdeu em negociações, Santos F.C, vem passando por sérios problemas, administrativo e financeiro. Se não bastasse, está lutando para se organizar em campo, pois, terá que se utilizar de um time mais jovem. Com essa consequência desastrosa em anos passados, os principais jogadores estão deixando o clube, princpalmente, com problemas em seus recebimentos. Desde a negociação do craque, Neymar, claro que chamou atenção a tudo que se passou nos bastidores, afinal, a briga começou para saber qual dinheiro o clube iria receber, sobretudo, porque chamou atenção a maneira como foi levado a púbico. Críticas ácidas aos dirigentes da época, inclusive, não fêz sobrar nada para o  presidente, Laor, que na verdade fêz desandar a maionese. Lendo o atual noticiário santista, a leva de processos e liminares que o clube vem sofrendo, com certeza o presidente, Modesto Roma, terá muito trabalho.

Impressionante o desmanche acontecido no Coritiba nesses últimos tempos. Com a saída do goleiro, Wanderley, ficou para a história os bons momentos do alviverde nas temporadas 2011 e 2012. Sem a devida sobriedade do ex-Coordenador de Futebol, Felipe Ximenes, que veio facilitar a derrota política, no clube, do ex-presidente, Wilson Ribeiro de Andrade, o panorama alviverde bem realista será complicado. Como os senhores dirigentes que chegaram ao clube irão reagir com a existência literalmente fragilizada? É um ponto de análise para saber a condição coletiva do clube com o elenco reduzido em talentos. 

A própria diretoria do Atlético não esperava que nesse início de temporada, na Europa, viesse a perder os dois primeiros compromissos. Não é nada bom. Fôsse em outras épocas, o empresário da excursão ficaria com barbas de molho, afinal, excursionar com um time de futebol o melhor mesmo  é ganhar. A verdade é que o clube ainda não contratou um nome de manchete. Contando com a volta de alguns garotos que estiveram emprestados por aí, a torcida espera pela iniciativa dos dirigentes.

A medida tomada pelos altos dirigentes da RPC, de Curitiba,  desagradou a muitos com o fechamento do projeto esportivo, que era desenvolvida pela Rádio 98 Fm, e com isso, colcoando alguns bons profissionais na rua. Isso chama-se falta de conceito em programação. Voltará naquilo que não deveria deixar de fazê-lo, ou seja, tocar música o dia todo. Que  beleza. Na verdade desde o nascedouro na formação da equipe sabia-se que não iria muito longe. Ibope é ibope.

Questiona-se, agora, o nome do goleiroVaná, que terá sua grande oportunidade de seguir como titular na meta do alviverde paranaense. A história do Coritiba, no que tange a goleiros, é muito bonita. Muitos deles deixaram marcas relevantes. Se começar a citar nomes, claro, esquecerei alguns, mas,  nas décadas de 50 e 60, falou-se muito do Rey, Erol, Nivaldo  Em outros tempos, Célio, Jairo, Carvalho,Rafael. Muito bem. Falando estritamente dos goleiros que nasceram no clube, Rogério Bahr, Altevir, Gerson Della Stella, um nome inesquecível foi a de Joel Mendes. Por isso, é torcer por essa revelação de nome, Vaná. Isso vai muito do técnico em acreditar. 

 Saúde, Paz e alegria em 2015.

De quem é a responsabilidade da obra?

27 janeiro, 2015 às 09:33  |  por Capitão Hidalgo

A largada do Campeonato Paranaense/2015,   será nesse final de semana e terá o velho companheiro de guerra,  o rádio esportivo que além de informar o momento exato das jogadas e gols, embala e emociona o desportista. Até agora, o torcedor ficou atento as prováveis modificações nos clubes quanto aos jogadores que sairam e entraram. Na verdade muita coisa aconteceu. Portanto, é o início daquilo que veremos quando a bola rolar para as devidas conclusões. De uma coisa é certo, as dificuldades  serão exibidas administrativamente e futebolísticamente pelos clubes. O próprio estadual demonstrará o plano de trabalho, certo ou errado, para as devidas conclusões. Os amistosos aconteceram, e nem todos foram bons, até porque, os resultados foram pífios com as equipes da capital. Louve-se o interior, na vitória do Londrina em cima do Cruzeiro (1×0)  e nesse domingo passado, quando a equipe do Cascavel foi prejudicada pela arbitragem, pois,  ganhava do Gremio por 1xo, e “sua senhoria” deixou passar um impedimento clamoroso a favor dos gremistas. Então, a bola vai rolar. Como será veremos à frente.

O time do Atlético titular  perdeu a primeira partida de sua excursão, 2×0 para o Benfica Luanda, e jogará agora contra o time milionário da China, Guangzhou Evergrande.  Ouvindo o técnico atleticano, Claudinei Oliveira, esse tentou justificar o injustificável, afinal, perdeu e fim de papo. Como o time que jogará o estadual, no caso o grupo de reservas e a base de sub-23, as observações serão outros quinhentos. O que lamento é que as emissoras da capital não mandaram seus profissionais para a cobertura, do Furacão, na Europa. Seria retaliação da imprensa ou falta de competência. Fôsse em outros tempos…..

 Tomou posse no comando do Conselho Deliberativo, do Coritiba, o jovem Pier Paulo Petruziello, outrora um crítico às gestões da agremiação com outros personagens. Agora, do outro lado da mesa, terá que saber verbalizar as questiúnculas dessa nova diretoria . Ser  presidente dessa pasta, é saber conviver com a situação e oposição, caracterizando-se com isso pelo equilibrio nos argumentos. Como o novo regulamento do clube, permiti uma equação dos vencedores (99)  e perdedores (6i ), baseado é claro na disputa eleitoral, nunca é demais salientar que o seu trato legislativo será de um bom intermediário e não de um feroz e ardente oposicionista.

Pipocando, novamente, os valores finais da obra da Arena. Agora, quem está coma bola é o Ministério Público, que vai buscar dentro do que está escrito, no Contrato Tripartite, Clube, Município e Governo, a resolução final dessa polêmica desconstrutiva. Desde o começo ouvi dizer que a responsabilidade seria dividida em tres partes. Porque a grita é só contra o Atletico? Quem é o responsável do problema. Que distrinche o Ministério Público.

Pouco tem se falado na questão arbitragem no futebol paranaense. A não ser o analista dessa área, Valdir de Córdoba Bicudo, não leio e não tenho escutado nenhum tipo de preocupação. Então, esperem para ver as lambanças que virão por ái. Será que estou preconizando erroneamente?

Saúde, Paz e Alegria em 2015.

Centro de Treinamento é para ser usado.

23 janeiro, 2015 às 09:20  |  por Capitão Hidalgo

O Presidente da S. E. Palmeiras, Paulo Nobre, fêz coro com aqueles que entendem que a conta deva ser paga à União. Coerente, acima de tudo, específicando e declinando nomes dos dirigentes palestrinos nas últimas gestões do clube, criticando-os, sobretudo, por largarem sem eira nem beira, uma administração centenária. E assim tem que se feito, afinal, a dívida dos clubes chega a soma estratosférica de 4 bilhões de reais.

A Copinha, torneio que é disputado no Estado de São Paulo, está chegando ao fim, com as definições de Corinthians e Botafogo de Ribeirão Preto. Ninguém esperava pelo time interiorano, mas, como futebol é a tal da caixinha de surprêsa, veio a ganhar, ontem a noite, do Palmeiras( 2×1). Logo em seguida, de forma madura, lá em Limeira, o Timão ganhou do bom time sãopaulino por 3×0. O problema maior é que o processo de avaliação desses garotos é jogado por terra, afinal, times maiores se preocupam com jogadores mais bem preparados. É possível que o time do interior, como o Botafogo, venha ser preenchido no certame paulista, com aproveitamento de vários desses garotos revelados em casa.

A notícia não é nada boa a respeito da não renovação da CAIXA ECONOMICA, principalmente, para a dupla ATLETIBA, sobretudo porque não deixa de ser um valor considerável. Seria, na verdade, uma incoerência do Governo  Federal, que está buscando uma idéia de cobrar as atribuições dos pagamentos devidos a própria esfera governamental, e por outro lado liberar o cofre para os mesmos devedores. Não falo, específicamente daqui , mas, outros clubes deverão  ter as mesmas sanções. Não vai ser fácil, meus compatriotas.

As vezes é de se pensar para que serve um Centro de Treinamentos. O clube de futebol. numa fase difícil de arrumar alguns trocados, afinal, não se fala em outra coisa nesse país do futebol, sai para gastar dinheiro em pré-temporada. Sabe-se lá quanto não custa ter umas 30 pessoas comendo e dorminho em hotel retirado de casa só para fazer alguns treinamentos, quando na verdade, esse assunto poderia ser muito bem feito em casa. Depois, correr o risco de jogar e perder alguns amistosos, sem que haja uma devida explicação, afinal, o torcedor não quer saber se são verdadeiros testes de avaliações. Deveria, sim, treinar por aqui, abrindo os portões à imprensa que saberia dar mais valor ao trabalho específico. Falo diretamente aos homens que estão chegando ao Coritiba.   

O duro mesmo é ficar engolindo baboseiras dos profissionais das Comissões Técnicas. No programa,  de ontem a tarde, Nosso Mundo Esportivo da Rádio Evangelizar Am 1060, ouvi atentamente os tres técnicos aqui da capital. A mesma ladainha de sempre. Engraçado que o atual do Paraná Clube, Luciano Gusso, disse que vai poupar alguns veteranos do seu time nesse início de campeonato. Quer dizer que já está preocupado com os experientes. Se não tem condiçoes porque contratam. Para, né!

Saúde, Paz e Alegria em 2015.

 

A conta tem que ser paga.

21 janeiro, 2015 às 09:08  |  por Capitão Hidalgo

De forma correta a Presidenta da República, Dilma Rousseff, vetou o pedido formulado pelos clubes quanto ao pagamento do débito, a ser dividido em 240 meses junto a União. A bem da verdade o Senado já havia aprovado. Como nao é dado a mim tal conhecimento do que está escrito nesse projeto, aí fica o problema da falta de um argumento mais sedimentado,pois, o que está por trás é muito mais preocupante do que se possa imaginar. A própria Confederação Brasileira de Futebol estuda uma maneira de incriminar os clubes faltosos com suas obrigações. Acho que cada casa um caso. Se os clubes não se ajeitarem em seus pagamentos, isso na verdade vai durar por algum tempo, e se arriscarem aceitar tal comportamento de exigência,  com certeza a quebradeira será geral.

Que é uma coisa necessária, isso não tenho dúvida alguma, sobretudo, está na hora de se cobrar mais dos dirigentes “amalucados” que entram nos clubes e fazem verdadeiras lambanças com os históricos das agremiações. Essa tal da Lei da Responsabilidade Fiscal deve ser , também, dirigida a esses personagens do entra e sai dos clubes. O futebol brasileiro deve ser passado a limpo. Quem tem muito interesse neste mundo esportivo é a televisão, diga de passagem, é a que vem carregando nas costas essa modalidade esportiva. A imagem televisiva tem sido um ponto de apoio aos clubes, ainda mais, para aqueles que sabem trabalhar com o Marketing. 

Venho batendo na tecla de que falta isonomia na distribuição das cotas televisivas. É humanamente impossível brigar contra um munderão de grana para 3 ou 4 clubes e os demais ficam chupando o pirulito. Se pelo menos esses clubes soubessem trabalhar, acontece que a diferença é muito grande. Começaria por aí em ter-se uma idéia mais fortalecida com premiação aos clubes nas posições que venham chegar no Campeonato Brasileiro. Isso em todas as séries. Para exemplificar, no ano passado as duas agremiações mais consideradas, em número de torcedores, Corinthians e Flamengo, ficaram atrás de outros clubes que receberam bem menos.

O calendário do time titular do Atlético, serão 9 jogos na Europa, já está determinado. Enquanto isso, uma equipe da própria base e  recheada de alguns profissionais reservas, vão disputar o certame paranaense.Aliás, no amistoso passado, essse time que vem treinando para o estadual, perdeu para o Joinville (1×0). Por outro lado, o Coritiba, lá na cidade de Atibaia, realizou seu primeiro teste de campo ao enfrentar o Red Bulls, com resultado de derrota por 2 gols a zero.

O alviverde paranaense já dava como favas contadas a contratação do atacante, Wellington Paulista.Parece que azedou essa negociação pelo desenrolar de entendimentos do empersário do jogador com o clube ( Internacional). Com isso a necessidade do Coritiba é urgente em contratar jogador com característica de fazedor de gols . Pelo que soube no amistoso, de ontem, o técnico Marquinhos Santos, teve que colocar um time de volantes.

SAúde, Paz e Alegria em 2015.

A realidade será outra. Esperem.

19 janeiro, 2015 às 08:40  |  por Capitão Hidalgo

Quando a bola começar a rolar as verdades aparecerão, iso será inevitável. O futebol brasileiro passará a conviver com outra realidade. Atento mais aos nossos clubes, principalmente, nada me surpreenderá quanto as dificuldades que estarão se apresentando, ainda mais, num mercado que está se posicionando com outros valores. Será a busca do bom e barato. Um clube que esta fugindo desta retórica, é a S.E.Palmeiras, com contratações de alto custo entrando forte, em 2015, no giro da bola com boas transações e liberações de outras muitas. As outras agremiações, com gestos de humildade, afinal, com dinheiro fora de moda, falam na utilização de jovens valores. Será que ão aguentar os resultados.

Início de ano o que se vê na tela é a Copinha de São Paulo. Outrora, um bom encaminhamento de garotos na idéia de servirem seus clubes, no futuro.  Hoje nota-se a carência de valores, sobretudo, por que os clubes não colocam em campo aqueles que deveriam jogar com o receio do aliciamento de empresários. Por aqui, infelizmente, as 3 equipes da capital sairam rápidinho deste certame que vive de mata-mata. Se olharmos com mais atenção, vendo a situação de necessidade na promoção de jovens talentos, fica claro que o serviço de base dos clubes da cidade deixam a desejar.

O Atlético ainda se aproveitou desse aspecto com as vendas de Douglas Coutinho e Marcelo Cirino, fruto de uma outra geração de garotos. Mesmo que saiba que outros valores poderão ter seus aproveitamentos à frente,  acontece que a solução  está justamente no Campeonato Estadual, que na verdade por alguns anos a diretoria rechaçou como sem necessidade em seu calendário de disputa.

Em compensação, a pré-temporada para a dupla Atletiba está um luxo, afinal, as duas agremiações que contam com seus bons CTs, vão realizar seus treinos fora de casa. Que beleza. O Atlético irá para a Espanha com seus titulares, soma-se a isso os treinamentos e a própria visibilidde do clube na Europa, enquanto o Coritiba, sem caixa de momento, já se encontra em Atibaia. Neste caso ainda valeria a pena permutando esses valores. 

Poucos sabem, mas, o paranaense Levir Culpi, conseguirá a façanha de ter treinado em Belo Horizonte, Cruzeiro e Galo, em algumas oportunidades, realizando como técnico 500 jogos misturados nessas equipes tradicionais do futebol brasileiro. É um feito. Aqui seria muito dificil. Se perguntarem ao Levir, nem ele mesmo sabe, que fascínio é esse do povo mineiro, afinal, ele é respeitado nos dois clubes. Por isso, já está na hora dos homens da CBF entenderem  que esse profissional seria de muita utilidade no futebol brasileiro. Só em ouvi-lo já seria uma vantagem absoluta. Outro profissional daqui com muito valor, também, é o prepardor físico, Carlinhos Neves. é outro vitorioso.

Saúde, Paz e Alegria em 2015.

O caminhão de dispensa.

9 janeiro, 2015 às 11:16  |  por Capitão Hidalgo

Não é de hoje, que as principais mudanças nos métodos dos clubes a serem  aplicados ao longo do ano, tem por costume ser no mês de Janeiro. É onde os dirigentes,aqueles que permanecem ou mesmo os que estarão entrando, fazem análise de qual  maneira será a mais correta de trabalharem na agremiação. Cada um a seu modo. e pelo que é dado a saber, dezenas de clubes brasileiros tiveram  mudanças radicais em seus comandos para essa temporada.  Muito bem. Do lado do jogador de futebol, em sua maioria, a virada do ano é um súplicio. Isso porque nem sempre a  renovação de contrato é amistoso. Existe , também, a do jogador que tem um contrato mais longo e o clube não o quer mais, sumáriamente, é colocado num campo de treinamentos à parte dos efetivos. Não deixa de ser uma situação difícil.

Recordo quando iniciava a carreira de jogador de futebol e as brincadeiras aconteciam por parte dos ‘veteranos”. Na volta das férias sabia-se que a lista de dispensa já estava pronta. Era o tal da “Saída do Caminhão” e que só estava faltando o motorista. Alguns apresentavam o cidadão que iria dirigir o veículo. Brincadeiras à parte, o problema era maior do que se estabelece hoje, afinal, a Lei Pelé, de certa forma facilita a vida dos jogadores.

Há dias atrás escrevi a respeito do mercado futebolístico nacional. Sem que queira ser exigente, ao mesmo tempo sendo, na verdade está mais para jogadores medianos. A busca do bom e barato tomou conta na inciativa dos dirigentes. Como os custos nas contratações passadas foram a extratosfera, a circulação de jogadores sem ainda terem seus nomes constituídos, passou a ser o melhor caminho. O trabalho será árduo para as comissões técnicas à busca do encaixe desses profissionais.

Tenho conhecimento que o Coritiba fêz uma limpa em seu elenco. Foi mexido em todos os setores. A luta maior será o acerto financeiro com os profissionais para o futuro. Bem, pelo menos a partir, de 2015, com a não renovação desse grupo a conta será diminuída. De imediato contratos serão feitos com os pés no chão. O rombo financeiro é muito grande, sobretudo, pela dificuldade de se pagar um déficit de 200 milhões de reais. Também, muitos profissionais da área administrativa foram demitidos. Será uma luta gigantesca para essa nova diretoria em pagar a conta e ter um bom time no campo.

Sem a presença do rádio esportivo nessa época do ano parece que nada tem graça. É o serviço do rádio que proporciona horas e horas de informações. São várias as emissoras, em Curitiba, que tem em suas programações diárias esse produto específico. Como o Campeonato Estadual, terá seu pontapé inical neste final de mês, preparem-se que, também, nessa área de informação, teremos muitas novidades. Aguardem.

Saúde, Paz e Alegria em 2015.  

 

Planejamento sem orçamento? Como fazer.

7 janeiro, 2015 às 09:11  |  por Capitão Hidalgo

O mercado futebolístico brasileiro, sem aquela de arrogância, vai bem devagar. Isso tudo pelos desmandos passados onde os dirigentes soltavam o dinheiro sem perspectivas futuras. Quando a verdade surgiu, a tal da bolha, a retração é geral. Como nenhum clube brasileiro está nadando de braçadas o clima de espectativa positiva vai ser levado ao modo tartaruga. E não adianta chorar. Alias, quem puder mais chora menos. Para o bom entendedor, falando sério,  está aberto o mercado para o jogador “meia boca”. Vendo nos noticiários esportivos os clubes correndo atrás de alguns “bons” jogadores, a mesmice continua. O bom mesmo é valorizar as bases.

Não vamos longe neste panorama ao comentar de momento os casos de Corinthians e Santos, diria para simplificar, expondo duas grandes agremiações. O tão consagrado Timão do Parque São Jorge se obrigou a vender  a maior revelação de 2014, Malcom, garoto que foi lançado pelo ex-técnico, Mano Menezes, para pagar salários atrasad0s. Que belo exemplo de planejamento. O presidente que está chegando no Santos, Roma, já está pedindo água por saber verdadeiramente o buraco nas contas do time peixeiro. Ficou sabendo que os garotos revelados no CT, Geuvânio, Gabigol e Alisson, já estão comprometidos em seus atestados liberatórios, como parte de pagamentos da dívida de mais de 100 milhões de reais.

Enquanto isso, vemos o andar da carruagem por nossas bandas, sendo puxado com o vai da valsa. O único de momento, Atlético Paranaense, está sobrando na tropa por ter iniciado, em 2013, numa tentativa de fugir do problema futebolístico nacional, quando enveredou por um tratamento mais adequado em sua categoria de base. Como deu certo utilizou-se do mesmo processo em 2014, deixando o time principal só treinando para outros eventos. Se existiam dúvidas, a verdade é que deu certo. Agora mesmo, recebo informação que o time principal vai fazer sua pré temporada, na Espanha, incluindo alguns amistosos.  Claro, para não ficar por baixo,  a concorrência estabele nessa desigualdade pormenores sôbre a conta alta do clube para solver  compromissos com a construção do Estádio Arena.

Para os profissionais da bola, falando específicamene de Comissão Técnica, o mar também não está para peixe. Não vou perder tempo em falar das equipes das outras séries do futebol brasileiro, sobretudo, porque não existe planejamento e nem orçamento. O bom mesmo é mostrar a realidade dos tradicionais clubes do nosso país. Falando do  Botafogo do Rio, ao buscar no mercado pessoas que já viveram outros tempos, no intuito do bom e barato, ou seja, utilizar o aspecto da experiência com pouco dinheiro, nos caos de,  René Simões e Antonio Lopes, que tiveram seus dias vitoriosos, agora terão que fazer omeletes sem ovos. Só para o goleiro Jefferson, o clube deve 2 milhões de reais. Quanto ao Vascão, bem esse é outro bom exemplo da mixórdia que virou o time da Colina.

Essa é boa. Lá no Rio fala-se numa  proibição à dirigentes  que vierem a falar mal do campeonato. Quem o fizer pagará 50 mil reais de multa. Que beleza? Fica a duvida como a agremiação poderá pagar essa tal multa. Será que vai para o Refis? Brincadeira tem hora.

Saúde, Paz e Alegria em 2015.

A façanha do Coritiba.

5 janeiro, 2015 às 07:53  |  por Capitão Hidalgo

A derrota do time espanhol, Real Madrid, neste último jogo contra o Valencia (2×1), quebrou  sua sequência de 22 jogos invictos, e com isso deixou a galera, do Coritiba, bem mais tranquila e feliz. A façanha que o alviverde paranaense conseguiu, foi em 2011, com o técnico, Marcelo Oliveira, onde o clube chegou a marca extraordinária de 24 jogos com vitórias. Como o Guiness Book, entrou na parada valorizando esse feito, passou ser o Coxa o time a ser batido nesse recorde. O mais próximo, então, estava sendo o time de Madrid. Como chegou uma notícia enviada, aqui de Curitiba aos espanhóis, dando os parabéns ao time do Valencia, os madrilhenhos retrucaram xingando os torcedores  alviverdes. Agora, meus amigos, não adianta chorar. É esperar por outro clube para chegar a essa marca invejavel.

A 1ª rodada da Copinha de São Paulo, registrando com mais interesse os resultados dos times da Capital, tivemos a vitória do Coritiba x Red Buls ( 2×1), o empate do Atlético em zero contra o são Caetano, e o empate do Parana Clube contra o Mirassol (1×1).  Esse torneio começa com mais de 100 times brasileiros e vai terminar no dia da fundação da cidade de São Paulo (25/1), num processo classificatório onde a luta é bem desigual, sobretudo, pelas longas distancias dos times do norte e nordeste brasileiro.

 Ao ser indicado à pasta de Ministro do Esporte,  George Hilton, foi castigado em críticas pela classe dos atletas, principalmente, os olímpicos. Na verdade sendo um nome desconhecido, a não ser pelos evangélicos da Igreja Universal e os políticos do seu partido, poderia dizer se  continuasse o ex- Jose Aldo Rebello, nesta pasta, tenho certeza que o lado esportivo seria olhado com mais carinho. Em todo caso, por interesse em conhecer o cidadão que está chegando nesta área específica, acompanhei sua palestra ao chegar nesse cargo. Como político e evangélico, bom falante, foi verbalizando o que pensa deste trabalho, incluindo, a próxima Olimpíada/2016, aqui no Brasil.

 Com certeza, a partir de hoje,  o mundo esportivo terá mais informações. Sendo um ano de profundas modificações, no que tange a tão propalada gestão esportiva, veremos como será o pontapé inicial dos dirigentes sem dinheiro e com muitas dívidas. Aquele que souber sair do buraco poderá ter mais condições de produzir melhores resultados em campo. Não será uma tarefa fácil.

Pense nisso. Em 10 anos o futebol paranaense perdeu 11 times, sobretudo, pelas dificuldades financeiras. Portanto, quando ainda as prefeituras do interior poderiam colaborar com atenção ao seus desportistas, tivemos vários estaduais bem disputados. Posso garantir aos amigos, até porque vive essa época como jogador,  onde as equipes interioranas eram mais fortes. Porém, a partir do Lei da Responsabilidade Fiscal, tudo se modificou. Mesmo que a Federação Paranaense de Futebol tentasse buscar outros meios, a própria entidade não facilita o problema por suas amplas dificuldades. Para confirmar, nem mesmo sede tem a nossa entidade esportiva.

Saúde, Paz e Alegria nesse ano de 2015.

Correr para não ficar parado.

2 janeiro, 2015 às 08:53  |  por Capitão Hidalgo

Cada um, a sua maneira, criando objetivos para novo ano que ora se inicia. Na verdade, estamos rompendo o ano de 2015, sem contar com promessas de tranquilidade, sobretudo, depois de ouvir-mos a posse da Presidente da República, Dilma Rousseff. Agora, o significado de recuperação no país, é estabelecer uma austeridade nas questões polêmicas que estamos cansados de saber, ou seja, diminuição do custo da máquina pública, melhorar a investigação no quesito da corrupção, que tomou de assalto nosso Brasil, e de vez por todas fazer crescer o entusiasmo dos empresários, aí sim, para não configurar a incomoda inflação.

Acontece que o povo brasileiro tem muita experiência em dificuldades. Em épocas priscas havemos de lembrar quando convivíamos com aquela correção diária, o tal do over-night, chegando ao absurdo que o dinheiro era desvalorizado ao dia em taxas altíssimas. Na verdade, mesmo que respiremos melhor, o desiqulibrio atestado pelos entendidos da matéria foi fora do normal, principalmente, naquele que vinha sendo estabelecido. A nação está havida para saber desse enfrentamento rígido, do Governo Federal,  pela constante busca da verdade, no tal processo Lavo Jato, onde dezenas de pessoas vinham praticando o dolo nacional.

 A impressão que tenho é que o ano começa com pessimismo a flôr da pele. Escuto e leio, isso em todas as áreas informativas, sôbre as dificuldades que sofreremos neste início de 2015. Será que é para tanto, afinal, o povo brasileiro é guerreiro e cada um por si buscará seu caminho. Recordo naqueles tempos de vacas magras ao entrar numa empresa vi estampado na portaria uma placa com os seguintes dizeres ” É hora de correr. É que tem muita gente parando”. É o tal da concorrência. Isso serve para todas as áreas profissionais.

Na função que tenho de comentar a área esportiva, em especial o futebol, imagine a bolha financeira que se envolveu o futebol brasileiro. Não tem um clube que saia gritando estar flutuando em tranquilidade. Todos no mesmo processo na busca de recuperação administrativa, financeira e técnica. Os dirigentes afundaram seus clubes na ganãncia de ganharem títulos e ao contratarem “falsos craques” sem nenhum estudo de continuidade. Nesse caso esportivo, sim, aí estou com as barbas de molho.

O calendário esportivo do ano está a vista. Vários serão os estaduais pelo país, com interrupções em torneios nacionais, uma Copa América importante para recuperar o prestígio da Seleção Brasileira, e por final as Eliminatórias da Copa do Mundo, na Russia/2018. Não esquecer que os clubes brasileiros devem ao fisco mais de 4 bilhões de reais. Será fácil o ano para as quipes brasileiras ?

Saúde, Paz e Alegria. Que bom que rompemos o ano de 2015.

Que 2015 seja um ano mais generoso.

23 dezembro, 2014 às 09:08  |  por Capitão Hidalgo

Esse mundo que vivo está totalmente distante daquele, ainda como garoto, quando via as coisas com muito mais pureza sem ficar sonhando com coisas muito distantes e estravagantes. Cada ano que passa, está chegando mais um Natal, me dá a certeza que a vida no passado era mais simples e com significado maior no sentimento familiar. A Ceia de Natal, ou mesmo, a virada de Ano, cansei de ver minha família comemorando a data de forma festiva e afetuosa.  Avós, tios e tias, primos e primas, irmãos, com os respectivos pais, sogros e noras. Tudo em harmonia. Não se tinha competitividade, até porque, o próprio dinheiro era curto. Hoje a realidade é muito cansativa. O próprio mundo encurtou. A comunicação instantânea mostra tudo e a todos de maneira abrangente. Reclamo da distancia que tenho com os familiares, claro, fruto do destino de cada um, triste sem  ter condições de reunir pessoas queridas, mas,  entendendo que seja assim a maneira como devemos reagir na melhor aproximação. Casos de usar uma internet, um e-mail, e outros acessórios. A moda é essa. Portanto, só quem viveu outras decadas pode relatar as diferenças.

Dizem que uma das grandes compensações da vida é a amizade. Então sou um cara rico, pois, amigos é que não faltam. No curso da vida sem buscar a nada é que encontramos figuras bacanas. Com o estreitamento no contato pessoal é que aprendemos admirar, sem olhar pelo trato do dinheiro, mas,  por uma palavra amiga no momento certo, afinal, a felicidade pode estar em qualquer canto. Ficar filosofando sem objetivos é se perder numa vala comum. O importante é participar. Uma das coisas boas que surgiu a uns 3 anos atrás foi a criação de uma confraria. Ela chama-se Confraria Amigos da Bola. Tenho certeza que milhares de pessoas já participaram desse evento mensal. Só no último jantar chegamos a 163 amigos para um papo bem amistoso.

Quanto ao assunto futebol, não tenho conhecimento que tivemos anos piores como esse de 2014. A fumaça é grande no que tange aspectos, administrativo e financeiro, no futebol brasileiro. Nunca o país ficou tão relegado a segundo plano com a falta de qualidade profissional. Dirigentes, então, uma grandeza. Os clubes , todos sem excessões, estão vivendo problemas sérios.  Teremos um 2015 onde os ajustes serão a prioridade. Ninguém poderá fugir da verdade que é crucial de administrar um clube profissional no Brasil.

Vai ser um tal de clube jogar com garotos na faixa de 23 anos sobretudo, mesmo que não seja o mais adequado, mas, a necessidade é premente. Não será vergonha o administrador vir a público para pedir paciência, pois, nao há dinheiro para contratações pontuais. Aqui em Curitiba, torço que as coisas andem o mais rápido possível, principalmente, Coritiba e Paraná Clube,  pois, o Atlético que vem com mudanças desde 2013 estará sanido a frente nesse 2015. Não seria favor dizer que o Furacão tem a administração mais enxuta no Brasil.

A todos, onde possa chegar essa matéria, meu desejo que a construçao de vida seja mais generosa nesse 2015. Mais alegria, pureza de alma e confraternização permanente nos 365 dias. Vamos nos divertir mais. Fala aqui um cidadão de 71 anos de idade, sem reclamar de nada, pois, entende que a vida se apresenta a todos de forma diferente. Feliz Natal e Ano Novo.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.