Arquivos da categoria: Geral

A Receita Federal não dá trégua.

29 julho, 2015 às 11:18  |  por Capitão Hidalgo

Tem dirigente no futebol brasileiro fugindo da Receita Federal como o diabo da cruz. O cêrco é grande e aquêles que amealharam suas fortunas à base de propinas e outras cosita mas, que se expliquem. O ex-presidente da CBF, Ricardo Teixiera, está muito enrolado, pois, onde os fiscais mexem a verdade aparece. A começar pela FIFA. Que vergonha. Vergonha maior é o atual presidente da CBF, Marco Polo, que não viaja no medo de ser preso. É uma coisa absurda. O medo de aparecer em reuniões, aliás é seu dever,  achando que vai preso, mostra a falta de dignidade da pessoa. Enquanto a mídia esportiva brasileira anda preocupada com os efeitos da derrota nesta última Copa América, no Chile,  afinal, foi um desastre, o significado maior fica por conta das futuras convocações. Imaginando que grande parte dos jogadores que se fêz presente na última convocação, devam estar fora das próximas relações, o que se sabe é que pouca coisa desse efeito moral deva mudar nas hostes da entidade maior do nosso futebol. Onde estariam esses jogadores?

Brilhante resultado colheu o Paraná Clube, ontem, em Viila Capanema, ao ganhar do bom time do Náutico, pela contagem de 2×0. As coisas no campo parecem que estão sendo encaixadas, principalmente,  após a contratação do técnico, Fernando Diniz. Aos poucos a equipe paranista vai se recuperando do mal início desta temporada. O próximo compromisso, também em casa contra o CRB, dá uma boa perspectiva de público. Vai que a fé de empurra tricolor.

Foi quente a reunião acontecida, nesta 3ª feira no Couto Pereira, com a presença de todo o Conselho Deliberativo do Coritiba, na busca, verdadeiramente, de saber sôbre uma retirada de 200 mil reais no caixa do clube, que designado no apoio ao candidato a Federação Paranaense de Futebol,  Ricardo Gomyde. Sabendo da precariedade que vive o clube em suas finanças, o Desembargador Hipólito Xavier, também Conselheiro, exigiu a documentação e argumentação necessária ao fato. Claro, que atrás dos panos, nota-se que a oposição do clube está à busca de mudança no atual quadro diretivo.

Foi compensador o jantar que participei, ontem no Restaurante Marumby, com a presença do bom amigo, Tião Abatiá, êle que foi um atacante de sucesso do Coritiba, na década de 70.  A prosa foi grande, evidentemente, pelas lembranças dos seus gols e feitos memoráveis e que ao lado do outro craque, Zé Roberto, dividia as atenções da torcida alviverde. Presente neste papo outros amigos e ex- jogadores que fizeram parte desta fase excepcional da agremiação, Cláudio Marques, Reinaldinho, Sidney Bottini, Luis Claudio eo radialista,  Zé Domingos.

A conversa sôbre a Copa Sul Minas, incrementada por times cariocas, vai se desenhando com bons argumentos. Na verdade, tivemos no início dos anos 2000, uma grande motivação que o público abraçou. Em uma desses edições, o Gremio Portoalegrense foi o campeão, quando ganhou do Paraná Clube(1×0), no Estádio Pinheirão, com 40 mil pessoas presentes. Portanto é um bom exemplo e que poderá acontecer no linear do próximo ano de 2016.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história. 

       

A festa dos 30 anos da conquista nacional.

27 julho, 2015 às 10:20  |  por Capitão Hidalgo

Chegou a ser emocionante a parte final do jogo entre o Atlético x Avái, sábado em Florianópolis, isto porque, tudo corria para que terminasse a partida em 1×1. Aí, numa boa jogada de ataque atleticano,  num bom aproveitamento do atacante, Marcos Guilherme, o resultado estava consagrado como mais uma boa vitoria na casa do adversário. Mas, um penalti registrado pelo árbitro vinha dar, novamente, a oportunidade da partida terminar empatada. Como futebol têm seu capricho, o goleiro do Furacão, Weverton, espetacularmente, como num pulo de gato, foi lá e defendeu. Portanto, é de considerar um excelente resultado atleticano, e que consequentemente da ao técnico, Milton Mendes, uma maior tranquilidade com  seus 25 pontos ganhos e ostenta um 6º lugar na tabela classificatória.

Um bom público esteve, ontem, presente ao Couto Pereira, para o jogo entre o Coritiba x Corinthians. A partida teve bons e maus momentos como espetáculo, e que deixou a nítida impressão sôbre a quipe corintiana que via, antecipadamente, como um jogo fácil de ganhar. Na verdade não foi bem assim. Com as modificações, o técnico alviverde, Ney Franco, arrumou a equipe no 2º tempo, e conseguiu no apagar das luzes um empate justo pela produção das equipes em gramado. Quem está virando um talismã, no Coxa, é o garoto, Evandro, que na 4ª feira passada ao entrar em campo fêz o gol contra a Ponte Preta e que traduziu na classificação de sequência da Copa do Brasil. Ontem, chamado no desespero do jogo, entrou e marcou o gol de empate. Que coisa.

Vai se desenhando a parte baixa da tabela de classificação, da Série A, onde a cada rodade as equipes do Joinville, Coritiba, Vasco da Gama, e agora o Goiás, estão lutando para sair da Zona do Rebaixamento. O que se vê a cada rodada é o desespero que vai chegando. Por isso, ontem mesmo, o JOinville demitiu o técnico, Adilson Batista.

É impressionate o carinho da galera do Coritiba com os jogadores de outras décadas. Ontem, estive na ala da Pró-Tork com outros ex-profissionais do clube, e notei a presença de muita gente fazendo questão de tirar fotos com seus ídolos. FAço esse registro, até porque não tenho conhecimento que um clube no Brasil  tenha liberado camarotes para seus ex-astros. E não só issso, afinal o atendimento é 5 estrêlas, não faltando  refrigerantes, salgadinhos e bolos. Vai de vento em pôpa a Confraria dos ex-Profissionais do Coritiba.

Está marcado para a próxima 6ª feira, 31 de Julho, uma grande solenidade que será realizado, no Restaurante Madalosso, onde o Coritiba F.C, estará brindando os grandes campeões brasileiros de 1985. Maiores detalhes com o marketing do clube. Também acontecerá, em 23 de Agosto, aí sim, uma homenagem da diretoria da Confraria dos Ex-Jogadores do Clube, por essa passagem do grande títullo conquistado lá no Maracanã.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.   

 

 

 

O cuidado com o WhatsApp.

23 julho, 2015 às 10:49  |  por Capitão Hidalgo

Uma confissão gratuíta, que vazou por um WhatsApp, mexeu com a mídia esportiva curitibana, afinal, as palavras de desencanto sôbre o atual momento do Coritiba, foi dado pelo vice do clube, André Macias. Falou abertamente a respeito da difícil convivência com o ex-vice do futebol, Ernesto Pedroso, alegando que o futebol do clube vinha andando mal por ter sido êle, terceirizado, pelo antigo dirigente. A verdade é que o grupo que entrou no buraco deixado pelo ex-presidente, Vilson Ribeiro de Andrade, em momento algum resolveu os problemas, sobretudo, ainda complicando o ambiente ao aumentar a discórdia dentro da agremiação. O despreparo dos atuais dirigentes que andavam pelos corredores do clube, anteriormente, a criticar todas as outras gestões, pagam o alto preço no despreparo e a vergonha de colocar o clube que caminha celeremente à uma 2ª Divisão.

Tudo que o técnico Aguirre, do Internacional dos Pampas, queria era não perder para o Tigres, pois, todo planejamento desses 40 dias  foi montado com a perspectiva de chegar ao título de mais uma Libertadores de América. Foi lamentável a presença da equipe colorada, que ontem, na cidade de Monterrey, foi presa fácil para os mexicanos (3×1). O problema passa ser maior, afinal, a concentração de esforços para a disputa desse evento internacional, prejudicou totalmente o clube para a recuperação dentro do Brasileirão/2015,  por estar a 12 pontos dos primeiros colocados. Já se diz que os dirigentes do clube farão uma limpeza no elenco.  Esse é o planejamento do futebol brasileiro.

 Não havia no país  torneios, que ora são disputados, nos exemplos da Copa do Brasil e Sulamericana, ficavam os clubes com o estadual e o brasileirão. Com isso aumentou o calendário dos times com mais visibilidade no mercado, e a acomodação dos espaços, ficando o objetivo dentro dos próprios clubes. Ontem, ouvi em Campinas, por conta do jogo entre a Ponte Preta x Coritiba, que para a “macaca campineira”, seria mais interessante estar na Sulamericana, pois, a Copa do Brasil complica,  concomitantemente, o Brasileirão. Vá entender. Quanto ao resultado, o Coritiba mesmo perdendo(2×1), foi as penalidades máximas e passou à frente.

O dinheirama na bola é uma coisa fantástica. Tudo é uma questão de momento. Nenhum jogador brasileiro campeão do mundo, e olha que foram ganhos 5 Copas do Mundo, poderia pensar um dia comprar um avião particular pelo valor de 35 milhões de reais. Nem o próprio Pelé, considerado o maior de todos teve essa condição. Quem comprou esse avião? Foi o Neymar, cansado de pagar aluguel pelos jatos particulares, tratou de comprar um para voar pelo mundo, principal mente, a passeio.

Variávelmente me perguntam o que se ganhava jogando futebol, brinco com os amigos dizendo ter pena de mim, sobretudo, o dinheiro que era pouco e quando recebia. Nem os campeões mundiais ganhavam bem. O futebol era tratado com sentimentalismo. Hoje, bem hoje é bem diferente, é capaz de dizerem que todos foram uns babacas. Ficou o histórico de quem ganhou títulos.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.

Mudança no calendário esportivo.

22 julho, 2015 às 07:03  |  por Capitão Hidalgo

Tivemos, em tempos passados, uma mudança dentro do calendário brasileiro, que foi a boa iniciativa da Copa Sul Minas, sendo um sucesso. Está existindo, novamente, a mesma motivação por parte de alguns dirigentes, principalmente, dos clubes da região sul com a idéia de se ter nos inícios das temporadas o retorno desse torneio. Um dos grandes argumentos expostos, em reunião, e que foi realizada aqui em Curitiba, é o processo de combater prejuízos financeiros com os campeonatos estaduais. Como a CBF anda vulnerável para rechaçar qualquer motivação colocado em pauta, existe quase a certeza que venhamos a ter esse torneio, de certa forma mais estendida, com times cariocas. Outras reuniões ainda estarão acontecendo. Aplausos a boa iniciativa.

A galera do futebol brasileiro que vem sacudindo os estádios com excelentes públicos,  dá a devida mostra que o próprio torcedor está muito mais preocupado com seu time em campo. Os números não mentem jamais. A verdade é que o nosso selecionado não anda bem, aliás, muitas dúvidas nessa participação das Eliminatórias ao Mundial, na Rússia/2018, como ao mesmo tempo, em não contar com jogadores convocados que jogam por aqui.

Pelo andar da carruagem as coisas não serão modificadas e o técnico, Dunga, continuará no comando. Ainda que parte da imprensa venha colocando na mídia, os técnicos Levir Culpi, Marcelo Oliveira e Tite. O problema maior é que pouca coisa será mudada no elenco que será convocado para as Eliminatórias, até porque, não foi feito nenhum trabalho para se pensar em outros jogadores.  

O futebol brasileiro será representado, hoje em Monterrey/México, pelo Internacional dos Pampas, nesse jogo que poderá levar o time gaúcho com um simples empate, na final dessa Libertadores de América. Enquanto isso, o time mexicano, Tigres, bom time por sinal, precisará ganhar o jogo.

O Coritiba, que jogou fora todo seu planejamento, contrata mais um jogador “veterano”, Juan, que já foi jogador do técnico, Ney Franco, no São Paulo e Vitória. Com isso, além de aumentar a folha é significativo a média de idade do atual elenco. Quando o clube entra no mercado de compra e venda, deixando de lado os garotos da base, quem perde é a própria agremiação.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.  

 

Quem faz gol, leva. Óbvio.

20 julho, 2015 às 09:53  |  por Capitão Hidalgo

Ao terminar o jogo em Florianóplois entre o Figueira e Coxa, com empate em 0×0, o técnico alviverde, Ney Franco, respondendo as várias perguntas formuladas, uma muito importante quando chegou a conclusão que um time que não chuta não faz gol. Vamos dizer que esta é uma conclusão extraordinária. Com isso a labuta do técnico, mesmo que em seu conceito tenha um time “meia boca”, está com êle toda a responsabilidade de enxergar qual sistema adotar para ganhar os pontos necessários, ainda, nesta 1ª fase do brasileirão. Como essa conversa eu já havia presenciado quando no início de minha carreira futebolística, jogando pelo juvenil de Juventus da Moóca, o técnico Oswaldinho, que tinha sido um atacante vigoroso do Palmeiras e do próprio Juventus, apregoava quando um dos seus atacantes fazia firula na frente do gol, e não chutava, dizia que seria melhor o “cara” catar papel na rua. Com pavio curtíssimo, pegava o garoto, e repetia a cena várias vezes, até que viesse a constatação ao rapaz,  mesmo  que chutando de bico, o gol valeria da mesma forma.

Dentro dessas lembranças vividas, outras estaria escrevendo, resta ao técnico Ney Franco, trabalho, trabalho e trabalho. Como técnica nem todos têm, o melhor mesmo é tentar mostrar a realidade aos seus “craques”, com treinos específicos de chutes ao gol. Sim, de forma incessante. Mas, o agravante de tudo, e que nos chama muita atenção, é que o time aprendeu a perder, e com isso não há sentido de recuperação no cenário nacional. Infelizmente , para a galera, o time está concentrado na Zona de Rebaixamento há muitas rodadas.

Na verdade que tem um jogador como o atacante, Guerrero, hoje vestindo a camiseta do Mengão, vê a diferença de um goleador. Claro, que para isso, precisa o clube investir em bons atacantes, coisa nobre no futebol brasileiro. Como está difícil o Coritiba encontrar um atacante como em seus áureos tempos, Neno, Duílio, Zé Roberto, Abatiá, Índio, Chicão, só de lembrança, e sem ter na base jogadores para sustentarem a conta que já é devida, tirar coelho da cartola não está fácil.

Com bom público, entorno de 18 mil torcedores, vai o Atlético prevalecendo de sua Arena com seus aficcionados empurrando a equipe, e mesmo que jogando mais ou menos, chegou a vitória. Ontem, em cima da Chapecoense, no apagar das luzes fêz o gol que lhe deu mais tres pontos. Dá para notar duas acertivas do Presidente Petráglia, ou seja, criar um reduto forte em sua casa e no entendimento futebolístico premiar sua luta pela Coordenação de Base. O gol quem fêz foi o Hernanes, que ao lado do Otávio, jogaram a sub-23 do paranaense de 2013. Hoje titularissímos. Sem surpresa para mim, afinal, o técnico Arthur Bernardes, que fêz um grande trabalho com esses garotos , já classificava a boa base do clube para o futuro.

Os nomes dos técnicos, Levir Culpi e Marcelo Oliveira, estão em alta nessa fase do campeonato brasileiro. Colocaria, também, o Tite, que mesmo sem contar com os principais jogadores, que deixaram o Corinthians por outras propostas, vem crescendo na disputa. Com isso a badalação de sempre ao em torno dos técnicos, Muricy, Mano Menezes, do Felipão e Abel , que se mandaram para outros países, não vem tendo o eco necessário.  Em crecimento os técnicos, Guto Ferreira, Argel Fucks e Eduardo Batista.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.  

 

O grito dos clubes.

16 julho, 2015 às 11:02  |  por Capitão Hidalgo

Bastou os reclamos dos dirigentes dos clubes brasileiros, claro,  contando com apoio da mídia esportiva, é de se pensar que tenha sido uma boa missão, pois, os mandatários da CBF ao saberem de tal pretensão na possibilidade de uma pressão preemente desses clubes com a intenção  fortalecida na criação de uma LIGA, que busca um maior poder de isonomia. Portanto, vendo a coisa crescer em entusiasmo, pensou bem, então, a CBF, e ordenou uma comisssão de presidentes clubísticos, Atlético Paranaense, Flamengo, São Paulo, Galo Mineiro, Corinthians, só de lembrança, para ordenarem um esboço da tal pretensão. Na verdade quem vem costurando com argumentos importantes é o Presidente do Furacão, Mário Celso Petráglia. É aguardar as boas notícias e aproveitar o bom momento, sobretudo, pela  instabilidade institucional que vive a entidade maior do futebol brasileiro.

Quanto se tem excelentes jogadores no elenco, e com condições de atuarem, a diferença é comprovada. Ontem, em Recife, o Mengão que pode contar com os atacantes, Guerrero e o Sheik, ganhou do Náutico(2×0), dando ao time da Gávea a continuidade nesta Copa do Brasil. Os times do Vasco da Gama e Palmeiras, também, ganharam seus jogos e continuam no certame. Que saiu-se mal foi o Botafogo, pois, o Figueirense além de ganhar o jogo com gol de “chaleira” do Marcão, fêz outro estrago, sobretudo, com o despreparo do diretor de futebol do Fogão,  que foi às vias de fato contra o técnico adversário, Argel Fucks, e se já não bastasse, mandou embora o seu técnico, René Simões.

 Por falar em, René Simões, ninguém entende porque foi mandado embora, do Botafogo, deixando-o em 1º lugar na tabela da Série B. Alegações aparecem para diminuir o efeito dessa tomada de medida. Tá certo que nas últimas partidas o time vinha mostrando uma queda de produção, mas só que esqueceram a maneira como o profissional pegou o clube. No mínimo desavenças com o Gerente, Antonio Lopes, o levaram a demissão. Na verdade, quem conhece o “delegado” sabe muito bem das suas atitudes. 

Aguardem, pois, os bastidores do Coritiba anda muito agitado. Não se surprendam os sócios e torcedores, se outras cabeças não vão rolar. O panorama é de total descrédito dos atuais dirigentes. É impressionante a preocupação do aficcionado alviverde. É só andar pelas ruas da cidade para notar o pessimismo da galera. Para resolver tal situação na tabela é necessário ganhar 14 pontos em 6 jogos, isso só para equilibrar o 1º turno. Fica  a pergunta que não quer calar:  Como ganhar ?

Na partida jogada em Natal, contra o ABC, o Paraná Clube fêz suas melhor apresentação ao golear o time do nordeste por 4×1. Na saída do 1º tempo, o veterano Edno, meia do time local, deu uma entrevista aos repórteres da casa, zoando o técnico, Fernando Diniz, do Tricolor da Vila, que conhecia aquela mania do time dele jogar com a tentativa de ter a posse de bola, mas, que não estava surtindo efeito, afinal, o ABC ganhava o jogo. Que infelicidade,  Edno. Vá procurar sua turma.    

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.

As boas confrarias.

14 julho, 2015 às 11:01  |  por Capitão Hidalgo

Algum tempo entrei numa roda viva de bons papos com pessoas, onde na verdade não tinha a devida oportunidade de convivência. De uns tempos a essa parte, inventei um jeito com a criação de Confraria Amigos da Bola, já aproximadamente 4 anos, e com isso estreitar à algumas figuras de nossa comunidade. Tem sido maravilhoso o contato com dezenas de pessoas a cada mês. Bem antes, numa “sociedade” mais fechada, participo do Mesa Real, outra confraria com pessoas influentes de nossa sociedade. Agora convivo com o início da Confraria dos Ex-Jogadores Profissionais do Coritiba, uma classe que teve participação na história do clube, tendo uma diretoria bem formada e com muitos objetivos, sem que haja alguma conotação política no clube. Não parando por aí, em algumas vezes também vou à Sociedade Morgenau e a Internacional Água Verde. O papo e a comilança tem sido uma grandeza.

Em um desses o encontros uma conversa agradável com um grande parceiro, Edson Mauad, desportista, ex-dirigente do Jockey Club e do Coritiba, não faltando as lembranças de tempos idos, quando êle diretor do Coxa e eu como jogador de futebol. Momentos maravilhosos passamos, como na música do Roberto Carlos, com os vários títulos conquistados, enfim, boas lembranças. No meio disso tudo, perguntei-lhe sôbre o convite que fêz a atual diretoria do Verdão ao ex-jogador, Alex, do Coritiba, para ser um diretor de futebol. Curto e grosso responde-me: ” Nenhuma possibilidade”.

Continua o debate a respeito da presença do selecionado brasileiro para essa próxima Eliminatórias da Copa do Mundo/2018. A CBF, que tem dado demonstração de interesse em promover algumas ações, vem tentado se articular contando com presenças de vários seguimentos no convívio do futebol brasileiro. Uma coisa é certa, o técnico Dunga, em respeito a essa “cordialidade” de alguns ex-técnicos do selecionado, como também de ex-campeões do mundo, deve  mudar radicalmente a convocação para os primeiros jogos eliminatórios.

O esporte olimpico em nosso país, no que concerne apoio das autoridades específicas, não dão o devido valor. Acompanhando esse Pan, jogos no Canadá, vejo a luta dos atletas brasileiros em todas as suas modalidades, contra países como Estados Unidos, o próprio Canadá e o México. Os nossos pupilos são carregados de emoções, até  porque sabem que não podem falhar, afinal tem à frente uma Olimpíada que será realizada no Rio de Janeiro. Podem ter certeza absoluta, meus amigos, quando se consegue uma medalha é pela dedicação do atleta e “pai-trocínio” sem enxergar um futuro promissor de apoio necessário. É só conhecerem a história do vencedor, Cielo, o que precisou fazer para aparacer no cenário.

Ouvi uma conversa de articulação política entre alguns dirirgentes de clubes brasileiros sôbre a criação de uma Liga. Adivinhem quem está por trás disso, se não o Mário Celso Petráglia. O homem não para.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.

Realidade a cada rodada.

13 julho, 2015 às 06:25  |  por Capitão Hidalgo

A cultura do futebol brasileiro tenta firmar, nesse momento, que  deve-se  dar um tempo em procurar melhoras na própria administração esportiva nacional. A velocidade com que os jogos vão acontecedendo, os problemas vão se avolumando pela natural ineficácia dos dirigentes que hoje habitam  em nosso futebol. Estou na verdade comentando o futebol brasileiro em amplitude, sobretudo por incluir de norte a sul os clubes, que se mostram permanentemente débeis. Um exemplo, ontem, o time do Flamengo que após jogar uma boa partida em Porto Alegre, se afundou em pleno Maracanã, onde foi goleado( 3xo) por um Corinthians que vem tentando jogar o que já atuou no início do ano.

Quem disse que não há ética entre os clubes? Pois bem. Os dirigentes do Mengão admitiram aceitar o pedido do Timão, afinal, quando das negociações com os jogadores, Sheik e Guerrero, o pedido para não atuarem foi a voz forte dessas negociações, sobretudo, por  ainda receberem salários  no clube. Quem afirmou foi o Presidente do Corinthians. Claro, que a falta dos jogadores foi imensa ao Mengão e o time da Gávea foi presa fácil aos comandados do técnico, Tite.

Sucesso tem sido a escalação de um jogo a cada rodada no horário das 11 horas, e a evidência está nos números de torcedores nas partidas escaladas, como foi o caso de ontem, na Paulicéia, quando o time sãopaulino levou ao Morumbi mais de 50 mil torcedores. Até os jogadores aceleraram o jogo em contrapartida ao imenso apoio que foi registrado em aplausos. Aproveitando o péssimo momento do Coritiba, aliás ninguém sabe onde isso vai parar, o Tricolor teve no jogador, Pato, sua grande estrela do jogo, que fêz dois dos tres gols que o time marcou em cima dos coxas.

Mais uma rodada e os paranaenses vão mostrando muitos erros e a demonstração tem sido as derrotas constantes. Na 6ª feira, no Durival Brito e Silva, mesmo que trocando de técnico, agora é o Fernando Diniz, o Paraná Clube perdeu para o Vitória(1×0). Quanto ao verdão paranaense, perdendo como sempre,  agora foi para o Tricolor do Morumbi. Esperava-se, também, um pouco mais do Atlético Paranaense, mas, mesmo jogando em casa tropeçou frente ao Fluzão. Quem deve estar sorrindo é o ex-técnico, Enderson Moreira, que foi mandado embora em pouco mais de uma mês no clube e apareceu no comando do time carioca para vencer (2×1).

Com isso, na verdade não tenho necessidade de preconizar o que vai acontecer à frente com os clubes da nossa capital, mas porque não avisar os perigos pela falta dos pontos que serão disputados. Sim, no caso do Cortiba, com 9 pontos terá por necessidade ganhar 14 pontos para virar o turno no equilíbrio classificatórios. Aí é que mora o perigo.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.     

 

 

Guerrero mostrou força física, técnica e personalidade.

9 julho, 2015 às 11:58  |  por Capitão Hidalgo

O caminho do técnico paranista, Nedo Xavier, estava mais ou menos delineado se não obtivesse um bom resultado contra o time do Oeste, equipe essa que vem mandando seus jogos no Municipio de Osasco/São Paulo. Demitido, embora tivesse defesa para ser feita, erro mesmo foi dele em aceitar dirigir um clube que não tinha na semana do início da Série B, práticamente, um elenco para jogar. Tudo foi no afogadilho. Que sirva de lição, pois, acho que não vale a pena colocar o nome numa situação contrária. Como tem sido a cultura dos técnicos, sobretudo porque o que aparece eles pegam, o preço na verdade fica caro. Com isso mais um está chegando e a aposta é no ex-jogador, Fernando Diniz, que vinha atuando como técnico no interior da Paulicéia. Se conseguir tirar o time da zona do rebaixamento já será uma vitória.

O reflexo da incompetência dos dirigentes do Coritiba se vê a cada partida, pois, mesmo jogando em casa não consegue nem fazer um gol, afinal, já são quase 300 minutos e a galera na espera do grito.  Os rumores quanto a saída do vice de futebol, Pedroso, ainda rondando o Alto da Glória, onde cada integrante do estafe alviverde se manisfesta, mas, no entanto a verdade é bem outra. A falta de conhecimento no futebol do atual presidente do clube, salta os olhos dos mais céticos. Ontem, uma notícia que estaria pensando na contratação do ex-jogador, Alex, para dirigir o departamento esportivo. Não penso em outra coisa senão ele dizer ao jogador que por ter fomentado sua presença em campanha por que não ajuda-lo Acho que o Alex está vendo o mico que pegou por indicar pessoas não gabaritadas.

Quem viu o último jogo do Flamengo quando perdeu, em pleno Maracanã, para o time do Figueirense, e acompanhou a partida de ontem em Porto Alegre, viu a grande diferença de postura ao ganhar do Internacional(2×1). Na minha visão foi ter o atacante peruano, Paolo Guerrero, para que as coisas se transformassem. Me perdoe outros profissionais do Mengão, mas, um “cara” que chegou um dia antes, assinou contrato, sem antes atender a imprensa, treinou a tarde, e se colocou a disposição do técnico, Cristovão Borges. Viajou para o sul, entrou em campo e mostrou toda sua qualidade ao fazer um gol e dando outro de bandeja ao Everton para o 2º gol. Esbanjando força física e técnica, Guerrero vai fazer um bem danado para o Mengão.  

Indo ao encontro das notícias pontuais, como estava sendo esperado o Santos contratou um técnico que retorna à Vila Belmiro, Dorival Júnior, que andava na geladeira, pudera, andou colocando alguns times na 2ª Divisão. Ontem, que coisa feia o peixe, ao perder  de goleada para o time do Goiás (4×1).  O São Paulo que goleou o Vasco da Gama( 4×0) jogando em Brasilia e o Galo Mineiro vencendo o único invicto da competição, o Sport, (2×1, enquanto o Palmeiras vai voando ( já está entre os quatro melhores), com o técnico, Marcelo Oliveira, no excelente resultado em cima do Avaí (3×0). 

Perguntar não ofende:  O Coritiba vai ganhar 5 jogos ainda nessa 1ª fase ? Olha que estão faltando sómente 7 jogos para virar o turno, sendo que a necessidade para se equilibrar na tábua classificatória,  é de 23 pontos. Hoje soma 9 pontos. É muito pouco.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.

 

Mais um pediu o boné.

7 julho, 2015 às 11:24  |  por Capitão Hidalgo

Uma causa leva a outra e as consequências ficam para lá de insustentáveis. O momento que vive o Coritiba F.C,  vem sendo por demais crítico e, agora, soma-se o pedido de demissão do Vice-Presidente de Futebol,  Ernesto Pedroso, que veio a público, ontem, dando suas razões a essa tomada de medida. A verdade é que sem contar com líderes no clube, a situação está virando a casa da Maria Joana, e o desastre futuro é premente pela falta de garantia de conhecimento no futebol e no comando da instituição. Como a saúde financeira do clube está debilitada, e que não dando sossego aos integrantes da área administrativa, se já não bastasse isso no dia a dia, a performance desse elenco fraco é gritante neste campeonato brasileiro. O que se pode esperar, afinal, em 6 meses dessa nova diretoria com a formação do seu G5 , que fica  restrita  ao Presidente, Rogério Bacellar, que não poderia imaginar a diferença de ser tão grande em comandar um cartório de um clube de futebol. Diria no mínimo que para aceitar deva ter sido pego num momento de euforia.

Com as saídas do Guerra e Ernesto Pedroso, do G5, acho que o próximo será o Gilberto Griebilier, afora parte do departamento de futebol que tinha o Professor Medina, resta saber quem vai aceitar o desafio de tantas provocações negativas do atual momento. O ex-vice, Pedroso, alega que foi traído, e sabia do conteúdo de uma lista pedindo sua cabeça. Com isso, percebendo a discórdia entre os confusos e vaidosos do conselho, saiu antes do tempo pedido. Nâo sei onde isso poderá parar, sobretudo. o prejuízo nesse momento de identidade institucional.

Alegações dos críticos ao vice, Pedroso,  foram as contratações que não surtiram o efeito necessário. Sempre bem disposto, Pedroso sempre foi aquele de atender bem a imprensa, no que acredito deva ter sido o estopim de vaidades daqueles que não entendem nada nesta área futebolística. Não esquecer que amanhã o time enfrentará uma das boas equipes do brasileirão, a Ponte Preta, mesmo que jogando no Couto Pereira, o alviverde paranaense vai ter que jogar o que ainda nao jogou . Tendo somente 8 pontos ganhos, e tendo que fazer mais 15 pontos para virar o turno, pensem na dificuldade desse elenco fragilizado técnicamente.

Noticiário geral dando conta sôbre a chegada do ex-jogador e técnico de futebol, Zico, à India. Outra, é uma bomba, se diz que o astro Messi, está pedindo um descanso no selecionado argentino. Vamos a outra. Os presidentes do Flamengo e do Atlético Paranaense estiveram em Brasilia para discutir os débitos dos clubes brasileiros. Mais uma. A investigação americana está batendo às portas da CBF, em especial, cobrar do seu presidente, Marco Polo, explicações sôbre negociatas, como também, em poucas horas espera-se que o Santos venha ter um novo treinador.

Foi excelente a solenidade da Confraria Amigos da Bola, ontem, realizado no Restaurante La Ventura, com a presença entorno de 100 pessoas. Cada vez mais notamos o carinho dos confrades que passam horas agradáveis contando cada um suas histórias. Como pesquisa, venho notando, que a cada reunião  novos integrantes estão chegando a essa confraternização. Isso é muito bom. O proximo será no dia 3 de Agosto de 2015.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.