Arquivos da categoria: Geral

Oscilação perigosa.

22 setembro, 2014 às 10:28  |  por Capitão Hidalgo

Falando estritamente a verdade é entender que o futebol da capital está de mal a pior. Os times, Coritiba, Atlético e Paraná Clube, oscilam de forma dramática nesse momento de total definição. As mudanças nas rotas dos clubes, sei lá se tinham algum objetivo de suas presença neste Brasileirão, nos mostram de forma perigosa uma contastação do ganhar e e perder, e não sair do lugar. Ganha uma perda a seguinte. Faltando 15 rodadas, o  Trio de Ferro terá que ganhar no mínimo 50% dos pontos que serão disputados. Se até agora não conseguiram, vamos pensar qual a maneira. Pobre momento do futebol “profissional” da capital.

O melhor palavreado tem sido do técnico flamenguista,  Luxemburgo, ao dizer que o melhor mesmo é sair da encrenca. A verdade é que somente ele vem conseguiu ganhar pontos constantes, sobretudo, pela carga negativa deixada pelo ex-técnico, Ney Franco. Todas as equipes que estão na parte baixa da tabela já andaram mudando o perfil do trabalho técnico, porém, sem resultados. Vejam o caso da pénúria que vive a S.E.Palmeiras. Saiu o argentino, Gareca, porque jogava ofensivo de mais e abria sua zaga.Os entendidos achavam que estava ali o único erro. Muito bem. Aí veio outro técnico, Dorival Júnior, que sem emprego, depois dos seus péssimos serviços no Fluminense e Flamengo, aceitar o desafio. Pois bem. Se a coisa já não andava bem, ontem, acabou de entornar o caldo. O Palmeiras foi fragorosamente goleado pelo time do Goiás ( 6×0). E agora, bem, virá a diretoria e mudará com certeza todo departamento de futebol, achando que com uma varinha mágica tudo será resolvido. E as contratações? E o desperdício do dinheiro. 

O panorama é geral. Poucas equipes estão respirando uma situação mais ou menos agradável em suas situações financeiras.É terminar o certame e a roupa será lavada em casa.  A limpa será o primeiro caminho dos clubes. Clubes como o Coritiba, que terá uma eleição no final do ano, então nem se fala, porque é constrangedor o panorama alviverde nesse momento. Ví muitos desses que estão no clube, dirigentes e conselheiros, criticarem o ex-presidente Giovanni Gionédis. Se os senhores fizerem um retrospecto, deixou o clube na 1ª divisão e uma conta mais tranquilo para ser paga. Quando foi necessário negociou alguns dos seus jogadores, sim os da base, coisa que nesse momento  no Coritiba seria achar uma agulha no palheiro.

 Por falar no Coritiba, o assunto é predominante nas rodinhas quanto a mudança de comando no clube. Desgastado, o atual presidente Vilson Ribeiro, vem tentando encontrar um substituto com um dos seus pares de diretoria. Parece que ninguém aceitou, e com isso, entregará o cargo a novos sonhadores. Um nome que ouvi dizer é de um integrante da família do ex-senador, Alceni Guerra, que vem alinhavando sua campanha tendo a frente o ex-diretor de futebol, Ernesto Pedroso..   

No clássico de ontem, nas Minas Gerais, deu  o Galo Mineiro, mostrando que esse tipo de jogo nem sempre ganha o melhor classificado. Para alguns foi um resultado não muito esperado. Estádio repleto, dois excelentes técnicos, jogo correspondido por muita técnica e raça, esse foi o panorama da partida no Mineirão. Respeito o técnco, Marcelo Oliveira, que há dois anos vem mostrando sua qualidade,  não vou nem entrar  no mérito de ter o melhor elenco, mas, a performance do paranaense, Levir Culpi, é de chamar atenção. Voltou do Japão, aceitou o desafio de treinar um time de cobras manjadas, restruturou o elenco, vindo a liberar o principal problema disciplinar, Ronaldo Gaúcho, e colocar no devido lugar o Jô e o Tardelli. Deve chegar a próximo Libertadores de América. 

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.

Frase do atacante “Sheik”: CBF você é uma vergonha.

18 setembro, 2014 às 09:51  |  por Capitão Hidalgo

O Campeonato Brasileiro de Futebol está tão irregular, que não dá para prever, principalmente, o que vai acontecer na próxima rodada. Com isso, quem está embaixo da tabela consegue respirar com alguns resultados e outros que participam sem nenhum objetivo, aqueles do meio da tabela, quando acordarem poderão estar se afundando na Zona do Rebaixamento. Aquela onda de quem está fora não entra e quem está dentro não sai, está caindo  por terra, quando resultados inesperados acontecem. Nos jogos, de ontem, depois de 18 rodadas na areia movidiça , o Coritiba deu ar da graça em cima logo do São Paulo, considerado um time a busca do título da temporada. O Bahia ganha de virada em cima do Botafogo em pleno Maraca, , e o que dizer do Vitória que reagiu no 2ª tempo e mandou ver em cima do Fluminense(3×2). O próprio Palmeiras correndo atrás das somas dos pontos, foi outro que perdendo foi buscar empate contra  Flamengo. 

Se o Coritiba vier a emplacar mais tres jogos como jogou ontem, poderá deixar sua torcida mais aliviada. Agora, quem pode sustentar que o jogo dcontra o São Paulo seja o início da reaçaõ alviverde. Outro que anda mal das pernas é o Atlético Paranaense. Se descuidar um puco mais vai ser chamado para o baile. Portanto, se ajeitem nas poltronas, que o filme de terror está apenas começando. Se olharmos por números que estão faltando, tomando por exemplo o Coritiba, imaginem, jogando por 22 vezes ganhou somente 23 pontos, agora faltando 16 partidas, terá que ganhar o mesmo número para fugir do rebaixamento. No conta gota, terá que vencer por 7 a 8 vezes. Dá par acreditar.

Confesso que nunca tinha ouvido falar que um jogador colocasse a público sua insatisfação a dirigentes da CBF. Foi o que aconteceu na partida de ontem, no Maracanã, quando o Emerson “Sheik” expulso procurou uma camera de Tv, para jogar sua ira contra os atuais dirigents ao dizer ” CFB você é uma vergoinha”, pronunciando essa frase por 4 vezes. É a CBF comprometida, um STJD, que exerce uma conduta de uma forma, mudando depois para outra e erros em profusão na arbitragem. Cadê o futebol brasileiro, minha gente.

Em época de campanha, cada um vai  vai buscando o que entende ser seu melhor candidato. Até 5 de outubro, são inúmeros candidatos a serem votados. o que pensando bem, não é uma tarefa tão fácil. Acho que o brasileiro não vota em partido e sim no candicato. Até anos atrás votos de legenda era mesmo com o PT. Hoje, nao há mais esse diferencial. Agora a luta é desigual para quem está fora tentando entrar. Com a nova lei da divulgação do candidato , fica pouco o espaço para jovens gritarem por seus nomes. Quem é conhecido leva vantagem considerda.Não estou nem falando de projeto, engraçado, projeto que nada significa.

Imagino como deva estar o Reino Unido com a idéia de independência da Escócia. É hoje o Dia D. Discussões, inclusive, em família. A porcentagem da votação etá favorável a continuidade em 52% a 48%. Lembro-me bem de uma entrevista do ator escocês, Sean Conery, que anos atrás falava dessa necessidade do seu país sair  do jugo inglês. Como estamos por fora de qualquer tentativa de entender a situação, fica pelo menosa  mim,  pensando cá com os meus botões, se o sul do nosso país buscasse sua independência do poder federal. Quebraria a nação.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.

Rodada sem o devido prognóstico.

13 setembro, 2014 às 16:06  |  por Capitão Hidalgo

Dentro de instantes estaremos acompanhando os vários jogos estabelecidos nesta rodada, tanto nas Série a como na  B. Interessado no Paraná Clube, volto minhas atenções, entendendo que seja esta partida, contra o time do Santa Cruz, a ampla chance e necessidade de somar 3 pontos, claro, contando com a presença do Ricardinho na direção técnica do clube. Veremos se a simples presença do ex-jogador e idolo da agremiação, possa dar uma sacudida no vestiário. Os atletas do Tricoor da Vila bem que estão demonstrando fidelidade ao clube ao entenderem as dificuldades financeiras da agremiação Agora,  é pensar em ganhar. Pode ser que vindo esta vitória a sequencia venha dar um rumo melhor aostricolores.

Fato estranho aconteceu na semana quando o atacante, Giancarlo, que já havia posado com a camisa do Coritiba, de repente vê as coisas se complicarem. Seu procurador, o emprésário Amaral, disse que foi desrespeitado pelo dessconhecido gerente do Alviverde, cidadão, Anderson Borges, seria esse seu nome, que colocou dúvida no procedimento da vinda do seu jogador ao clube, dando a entender que o rapaz pudesse ter uma problema físico. Uma aberração. Não duvido de mais nada , afinal, o Coritiba só se extreplou com esses pseudos profissionais de araque.

Quanto ao Coritiba, missão duríssima hoje lá na Vila Belmiro, a mais famosa do mundo, ao enfrentar um Santos que no momento tem tido seus problemas. Enfim, como ninguém está jogando muita coisa, tirando o Cruzeiro e o São Paulo, tudo pode acontecer. O técnico Marquinhos, que vem conseguindo dar um melhor equilibrio na equipe, não poderá contar o lateral Norberto. Quem vem bem é o meio campo, Helber, ao lado do Robinho. Zé Love, que enfrentará o time do Peixe, aliás onde teve uma boa passgem, terá o ao seu lado, Elber e Martinuccio, ambos velozes.

Quanto ao Atlético, com queda na produção individual e coletiva, terá amanhã a grande oportunidade de ganhar do Vitoória da Bahia,  que está na zona da degola. Na ultima partida o Furacão teve contra sí o gol do Barcos em cima da hora. Tenho certeza que a galera vai a Arena empurrar o time para a soma dos 3 potnos. Alias, está na hora de ganhar,  pois, as equipes que estão embaixo na tabela estão crescendo.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história. 

 

Crise até no São Paulo.

10 setembro, 2014 às 12:19  |  por Capitão Hidalgo

Se o todo poderoso clube paulista, São Paulo Futebol Clube, está com sérios problemas para acertar seu caixa, imagino como devam estar outras agemiações brasileiras. Isso foi dito pelo próprio presidente, Aidar, que não sabia que o “rombo” sãopaulino estivesse tão escancarado. O público ficou sabendo através das notícias que chegaram, claro que a mídia esportiva se encarregou de botar mais lenha na fogueira, e passasse o dirigente a monitorar os problemas financeiros iniciando com demissões de profissionais nos setores, administrativo e funcional do clube. Pagando juros mensais na ordem de mais de 2 milhões de reais, quem diria que um dia viessemos saber dessas coisas nesse clube, que na verdade sempre se fechou aos desportistas.  Sabe o atual mandatário, sobre o decantado Estádio do Morumbi, este construído nas decada de 50 e 60, está deteriorado pelo próprio tempo.

Sabedor o dirigente desta agremiação sãopaulina, sempre uma grande referência a todos, estando momentaneamente abaixo dos investimentos do Palmeiras e Corinthians, no que tange, principalmente,  as construções modernas das Arenas Corinthians e Palmeiras, alardeia que fará todo tipo de investimento para modernizar o famoso Morumbi. Com isso passou a cortar custos em todas as suas áreas administrativas. Mesmo assim, sabe que o futebol no campo é sempre necessário ter investimentos. Será que o tempo passou para o Tricolor do Morumbi?.

Pelo menos nos dois amistosos, Colombia e Equador, o selecionado brasileiro não tomou nenhum gol, e com isso saiu-se vitorioso dessa jornada internacional. O técnico Dunga, que recebeu o “mico” da desordem técnica e tática do último mundial, vai tentando colocar a casa em ordem, dando mostras de se utilizar de outros jogadores e tratar de fazer mudanças necessárias de comportamento tático em campo. O próximo compromisso será em Pequim contra a Argentina. Quem está brilhando é o paranaense Miranda.

Nada que esteja ruím para não piorar. A saída do técnico, Claudinei Oliveira, para o “inimigo” Furacão, começa a fazer estrago com a indicação do zagueiro, Gustavo, um dos bons elementos do Paraná Clube. A verdade é que a diretoria do Tricolor da Vila nao esperava por isso. Outro que está saindo é o atacante Giancarlo, este indo para o Coritiba. É sempre aquele problema do dinheiro. Por outro lado está retornando ao clube, o ex-jogador e consagrado Ricardinho, o sempre ídolo paranista, como técnico para colocar as coisas em seus devidos lugares.

Façam suas apostas: o Atlético contra o Gremio, lá e o Coritiba enfrentando a Chapecoense, aqui. Os dois times paranaenses com necessidades de vitórias. Dá para acreditar? Vamos aguardar esses jogos de logo mais à noite.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.

 

 

A disciplina do técnico Dunga.

9 setembro, 2014 às 09:41  |  por Capitão Hidalgo

A primeira bronca já aconteceu nesta pequena excursão da Seleção Brasileira de Futebol. Como o técnico Dunga é avesso a indisciplina, o relato que vem da cidade de Miami, local do amistoso vencido contra a equipe da Colombia, é que o lateral, Maicon, se excedeu em muitas horas do combinado a retornar ao hotel da delegação. Fato que não foi deixado para trás, e sumáriamente, o rapaz foi desligado desse novo time que está sendo formado à busca de recuperação. Com isso, fica a provação que a ordem é disciplinar, pois, quem quer jogar na canarinha é saber dar a  importância em seriedade e profissionalismo. Portanto, a escolha para substituir o Maicon caiu ao jogador, Danilo, hoje jogando no time do Porto, para esse amistoso de logo mais na cidade, de New Jersey, frente ao time do Equador.

Não foi nada agradável a presença do Paraná Clube, que jogou ontem em Joinville, contra o time que leva o nome da cidade. Sabia-se, de antemão, que a saída do técnico, Claudinei Oliveira, seria um prejuízo enorme. Agora, também, não dava para esperar a equipe ser goleada por 3×0.  Hoje especulá-se que Ricardinho, o mesmo que atuou no clube por várias anos, e que já esteve treinando, em 2012,  venha a ser contratado. Acho que não será muito fácil  demover o Ricardi nho, pois, quando esteve técnico saiu um pouco desgastado. A vida do Tricolor da Vila é sempre mais complicada.

Parece que a moçada da imprensa ainda não notou que o futebol de Santa Catarina poderá ter 5 equipes na Série A, no próximo Campeonato Brasileiro. É mole? Hoje já conta com tres, Figueirense, Chapecoense e Cricíuma. Agora, não esquecer de dar uma olhada na classificação na Série B, com o Joinville e o Avaí entre as melhores quatro equipes. Por outro lado, fazendo um comparativo honesto, temos um Paraná Clube distante de subir nessa temporada, e o que dizer do Coritiba que lutará até os extertores para não cair. É bom comentar, também, que o Furacão terá que somar pontos urgentemente. Quanta diferença.

Portanto, amanhã mais uma rodada, será a 1ª do returno, neste Brasileirão. Na partida do Alto da Glória, o Coritiba terá a Chapecoense como adversário. Taí um jogo que não pode, o Coxa,  deixar de ganhar. Serão 3 pontos preciosos. Já o Atlético pegará o time do Felipão, o Gremio, lá em Porto Alegre, que vem em ascendência, após, a boa vitória contra o Flamengo, no Maracanã. Parada indigesta com toda certeza.

Com tanta incerteza no panorama futebolístico, o fato desagradável, é que a cada rodada caiu um técnico. Se  não me engano, chegou-se a mais de 15 técnicos  que rodaram na Série A, o que não muda o panorama na Série B. Quando é que teremos um planejamento mais ajustado para se resolver contratos e distratos, que aumentam considerávelmente o déficit nos caixas dos clubes, é que são outros quinhentos.

Lembre-se:  Que o melhor da vida é sua historia

 

 

 

 

Máquina de calcular. Alerta geral.

8 setembro, 2014 às 11:25  |  por Capitão Hidalgo

O balanço contábil dos clubes da capital, no mínimo em vermelho, está demonstrado nos números com as péssimas campanhas do Coritiba, Atlético e Paraná Clube. Com o término do 1º turno desse Brasileirão/2014, fica o registro da ineficiencia coletiva das agremiações, dando a nos entender, que para sair dessa areia movidiça muita coisa será preciso. Partindo do pressuposto nos excessos de modificações nos comandos técnicos, com a eterna mudança de técnicos, fica escancarado o problema crucial de recuperação. Colocando um olhar mais enérgico no atual problema de recuperação de pontos, agora, somente 19 jogos intercalados em jogos fora e dentro, fica a ampla expectativa de pelo menos ganharem em casa. Lembro sempre, que para fugir dessa atual situação, cada clube terá que ultrapassar a barreira dos 46 pontos. Façam os seus cálculos e chegarão a triste realidade da obrigação de ganhar muito jogos para permanecerem em suas cadeiras.

O papo moderno que se ouve, onde os clubes precisam ter uma gestão esportiva mais enxuta, nesse atual momento é uma heresia. Estando todos com seus caixas abaixo da própria realidade, nisso incluo todos no futebol brasileiro, vai demorar para que haja um acerto de mentalidade. O duro é ver dirigentes querendo se sobressair sem a devida verba, pois, a diferença que envolve o reparte do dinheiro da televisão, é a triste realidade da falta de isonomia.

Enquanto isso, lá vai o Cruzeiro das Alterosas, chegando ao término do turno com 7 pontos a frente do 2º colocado (São Paulo), e outros mais contra o Corinthians, Internacional, Galo, Gremio, etc. Como previsão, o time da ”Raposa” poderá chegar ao título com muita antecedência. Afinal, seus concorrentes estão muito irregulares. Com isso fica aberto a proposição da Tv.Globo que é retornar ao mata-mata no próximo ano, sobretudo porque proporcionará uma maior emoção ao campeonato. Sem divisão equitativa da “grana” os times da faixa de baixo pelo menos por esforço poderão auferir um melhor rendimento.

Falando nas probalidades de rebaixamento, noto que o Flamengo está saindo um pouco da encrenca, deixando para trás, um leque de equipes que a cada partida assombra seus torcedores. Estão nessa faixa, Coritiba, Vitória, Bahia, Cricíuma, Chapecoense, Palmeiras e Figueirense. Claro, que a vitória do Figueirense, ontem, lá na Arena Beira Rio, que de virada chegou a fazer 3×2 no time do Abel Braga, foi a meu ver a zebra da rodada.  

Quero pedir desculpas a galera que vem acompanhando essa coluna por alguns anos, que fiquei sem a “chuteira” para escrever. É verdade, pois,  a “chuteira” do jornalista é seu computador. Como meu computador, parece que é a lenha em comparação  ao modernismo das atuais máquinas,  estava como um time sem engrenagem. Aí, minha gente, fica muito difícil. Vou tentar me redimir, tá certo, querido amigo Marchetti, que de São Paulo reclamou pela falta dos comentários diários.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.    

Os frutos estão aparecendo.

12 agosto, 2014 às 10:51  |  por Capitão Hidalgo

Não é por acaso que jogadores do Atlético, falo dos jovens criados na base, estão sendo variávelmente convocados para o selecionado brasileiro, uns como Nathan e Mosquito na sub-18 e Douglas Coutinho, participando naquela que vai se preprar para a próxima Olimpíada/2016. É o trabalho que vai aparecendo com a paciência necessária de poucos dirigentes brasileiros, que no meu entendimento, tem medo de se aventurar. Mas, é bom que se avivem, pois, mudanças estarão acontecendo no cenário futebolísico e o clube que quiser brincar de dinheiro, que se prepare, porque vai sofrer chumbo grosso.

A Rede Globo, vendo o deslize técnico em que vive a bola no país, vai procurar mexer em algumas coisas, e é possível que futuramente teremos o mata-mata. Fui sempre contrário, afinal, quem é mehor no certame e que consegue uma melhor estabilidade no gramado é merecedor ao título. Acontece, meus amigos, que a emoção está longe de acontecer. Acompanhei por alguns anos esse tipo de competição, que nem sempre vem premiar a melhor campanha. Mas, como a TV é que põe o “tutu”, os clubes vão ter que aceitar e fim de papo. A distancia de romperam com a televisão é muita, afinal, todos devem um bocado aos empresários desse setor.

Algumas agremiações estão se apegando a Copa do Brasil, que no entendimento de muitos, é o menor caminho à uma Libertadores de América. É o caso do Coritiba, sobretudo, porque está muito mal na tábua de classificação do Brasileirão, tendo um jogo pela frente lá em Marabá contra o time do PaisandPará, lembrando que no 1º jogo o coxa ganhou por 2 gols a zero. Paraa recuperar na tabela do brasileirão, terá agora 2 jogos em casa. Contudo, se jogar como o fêz no Rio contra o Fluminense, em especial no 2º tempo, pode deslanchar e sair dessa zona de desconforto.

Um time que mostra estar totalmente debilitado é o Fogão dos cariocas. O que tentou jogar aqui na Arena, no domingo último, abandonando todo setor defensivo, foi presa fácil no contragolpe. Engraçado que o técnico Mancini, que só não ganhou a Copa do Brasil ainda como técnico atleticano, por ter jogado no Maracanã com medo. Agora, no desespero, manda o time botafoguenses jogar para frente. Deu no que deu.

Alguém deve ter dito  ao pé do ouvido para  o técnico, Doriva, hoje no Furacão, que estava bastante equivocado quanto ao esquema tático dos últimos jogos. Bastou concentrar mais força de marcação no meio campo, jogando com dois atacantes, ganhou o jogo. Posso cosiderar que naõ foi por coincidência a vitória. Tudo é uma questão de ordem. A entrado do Cléo, esse bom atacante que jogou um período de sua carreira, simplesmente, no Estrela Vermela e Partizan, onde foi sempre considerado nos dois clubes , na Romênia. 

Lembre-se : Que o melhor da vida é sua história.

 

 

Mudanças necessárias.

7 agosto, 2014 às 09:29  |  por Capitão Hidalgo

Depois da derrocada brasileira na Copa do Mundo, em que os próprios políticos passaram a ver a situação do atual estágio do futebol brasileiro em baixa, virou uma febre a todos analisarem pela necessidade a médio e longo prazo de uma mudança radical na chamada gestão esportiva. Para quem pensa no futuro, a quebra de sigilos nos comandos administrativos da CBF e de suas Federações, pode ser a puxada de freio na ganância que é colocado nos investimentos que nem sempre é voltado para as agremiações. Portanto, passou a ser muito importante a presença de jogadores nos corredores em Brasilia, aportados por alguns políticos em suas idéias de abrir boas perspectivas  ao retorno de credibilidade do futebol brasileiro. 

O assunto sôbre a soberania financeira da CBF, pois, arrecada demais sem colaborar com o futebol, afinal, a célula-mater do futebol são os próprios clubes, pode estar chegando ao seu fim. Enquanto as agremiações vivem com o pires na mão, os homens que dominam o esporte da paixão do torcedor, nem esportista foram, sobretudo, porque chegam nos cargos por indicações. O mesmo acontecerá no Esporte Olímpico, nos tantos anos do sr. Nusmann, com tantos ex-atletas campeões em suas modalidades e não tem chances  às Federações.

A estratégia na resolução dos argumentos colocados em projetos que serão transformados em processos a serem defendidos por políticos,  ficou para depois das eleições. O Ministério do Esporte e Cultura, ciente da necessidade de modificações, também, se colocou a disposição em várias reuniões acontecidas,  que é chegado o ponto de modificar o que está errado.

Os clubes terão que pagar os seus atuais débitos? Claro, a conclusão de momento é dividir essa montanha de débitos sem discursos e teorias e muito menos o pressuposto, pois, a conta tem que ser paga e a mudança tem que ser radical. Com isso, o dirigente terá que arcar com seus bens quanto pensar em gastar mais do que receber. O departamento mais procurado no futuro será o Contábil, com toda certeza.

Outra coisa será a forma democrática de se eleger nomes aos cargos de comando. Há uma posição firmada quanto ao clamor das próximas  eleições a contar com votos de atletas e jogadores, e nao mais dos clubes. Poderia se instalar um dispositivo nesse embate de opiniões.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua história.

Futebol paranaense está destoando.

4 agosto, 2014 às 06:52  |  por Capitão Hidalgo
A cada rodada e tendo maus resultados vemos ‘afundar”, na tabela de classificação, às equipes da  capital nesse Campeonato Brasileiro. Na verdade está virando uma tormenta a cada jogo que envolvem o Paraná Clube, Coritiba e Atlético Paranaense. Como não poderia ser diferente, as derrotas aconteceram com o Tricolor (para o VAscão por 1×0), o Furacão (Galo Mineiro 3×1) e um empate insosso do Verdão (1×0), que mesmo em casa não conseguiu vencer ao atrapalhado time do Corinthians. Esse bloqueio na falta de bons resultados, claro, decorrência de atitudes dos clubes em seus gerenciamentos esportivos, deve ser uma constante até o final da temporada.
 
A única equipe que vinha mais ou menos, Atlético, também achou de se confundir a ponto de fazer dois gols contra. Querer dizer que é um time que contém muitos jovens, poderia ser um desvio de obrigatoriedade do clube, mas, não dá para esperar muito, afinal, os compromissos vão chegando. Para amenizar, diríamos que voltando a Arena o time voltará a ter um apoio a mais. Pelo menos é o que o jovem técnico, Doriva, vem apregoando com a falta da torcida nos jogos do clube. A dúvida é quanto as mudanças havidas no time, de uns tempos a essa parte, afinal, o interino, Leandro Ávila, vinha muito bem. Se o ano passado foi um sucesso os resultados conquistados com uma boa Comissão Técnica, entendeu a diretoria atleticana que deveria mudar o comando.
 
Dá para perceber que o time do Coritiba sofrerá muito com a falta de qualidade. Dúvidas não tenho, afinal, em termos númericos jogar 13 jogos e somar sòmente 11 pontos, convenhamos com uma média de 28% de rendimento, o encaminhamento é para um desastre. O técnico já não sabe mais com quem contar no time. Já mudou bastante e até agora não conseguiu resolver alguma coisa. Continuo afirmando que ele é o menos culpado, sobretudo, porque  Celso Roth é um profissional experiente. Para culpar mais ainda essa média até agora, como pode um time não conseguir uma vitória jogando em casa.
 
Críticas pontuais são necessárias, agora, tenho visto outros jogos e o caso é de comentar, técnicamente, o péssimo momento do futebol brasileiro. Então,  imaginar o futuro das equipe da cidade, de Curitiba, será um teste de análise positiva da possibilidade de melhorias nos seus rendimentos coletivos. Problemas de dinheiro, sim, é uma constante dentro do mundo esportivo, mas onde buscar jogadores para o devido encaixe coletico nas agremiações. É um caso a ser pensado.
  
O caso do Flamengo serve de um bom exemplo para comparativos. Um clube que tem débitos constantes há muitos anos, mesmo que seja o que mais arrecada, não se encontra em sua administração e no campo de jogo. Mesmo com bom conceito do técnico Vanderley Luxemburgo, sem time não há cristão que aguente. Ontem, em Chapecó, foi um arremedo de time em campo, não conseguindo jogar bem o tempo todo e com isso perdendo mais uma. Dá paraa conceber um Mengão na última posição nesse Brasileirão? Tem coisa errada ou não?
Lembre-se: Que o melhor da vida é sua historia.
 
 

O nervosismo do Vilson.

31 julho, 2014 às 07:40  |  por Capitão Hidalgo

Conheci o atual Presidente do Coritiba, Vilson Ribeiro, nos tempos do mais festejado dirigente do futebol paranaense, Evangelino Costa Neves.   Vindo do interior, a cidade de Peabirú, por aqui se estabeleceu onde chegou a ter um cargo de excelência no Banco Bamerindus, claro, por sua qualidade, somado a sua postura e educação. Na negociação do Bamerindus com o HSBC, foi um dos poucos a ficar na nova gestão bancária, atribuído ao seu conhecimento na Pasta de Seguros. Torcedor do Coxa, lembro-me bem que estava sempre no vestiário do então, Estádio Belfort Duarte, principalmente, na década de 70, ao lado do “Chinês”. Acredito que vendo aquela fase gloriosa do clube deva ter-lhe dado uma idéia futura de participar mais ativamene na agremiação. 

Para  encurtar o assunto, e com tempo disponível, após o desastre na queda alviverde a 2ª divisão, em 2009,  juntou-se a um grupo de conselheiros, e  a partir de 2010 , chegou a condição de vice-presidente do clube Aos poucos  passou a ser a principal figura na administração do Jair Cirino. Mas, após o tempo de serviço do Cirino, que foi sendo desbancado naturalmente, após mais uma derrocada do clube, Vilson pegou no bréu e passou a colocar seus conhecimentos administrativos, contando também, com a simpatia da imprensa.

Fazendo esse histórico, a bem da verdade, o atual presidente criou um descontentamento geral nas hostes alviverdes. Praticamente ficou sozinho por sua austeridade na forma de agir. Mudando o curso da sua personalidade, infelizmente, com problemas e mais problemas no curso de sua gestão, vem mudando o foco constantemente, sem usar de muito diálogo. Os erros foram sendo acumulados, penso eu, com o natural desgaste dos anos na cadeira principal da agremiação. Passou, Vilson, a não ter mais paciência nas coisas. Uma pena. Depois de criticar seu grupo de jogadores, aliás recebeu uma carta de contrariedade dos próprios, agora, briga com a imprensa que sempre o elogiou. Perdendo o controle na pergunta de um repórter, sôbre o processo que vem conduzindo do débito dos clubes brasileiros, perdeu as estribeiras dizendo que a imprensa é uma piada e autofágica. É um fim melancólico de gestão.

O bom mesmo é que este clube tem histórias maravilhosas. A data de hoje faz lembrar o grande título conquistado, em pleno Maracanã, o de Campeão Brasileiro de 1985, contra o time do Bangú. O técnico na oportunidade foi Ennio Andrade e o diretor de futebol, Estevam Damiani.  Alguns dos jogadores  campeões: Rafael, André, Gomes, Eraldo, Dida, Almir, Toby, Marco Aurélio, Lela, Edson, Índio, Vavá, Caxias, Marildo, Vicente. E o presidente, o melhor da história, Evangelino Costa Neves. 

Ontem, comentei o absurdo que seria a diretoria do Paraná Clube vender o patrimônio da Kennedy, no intuito de  pagar suas contas. Muito bem. A reunião do Conselho, com a presença do presidente, Rubens Bohler, ficou decidido que não mais está em pauta esse assunto. Melhor assim.

Lembre-se: Que o melhor da vida é sua historia.