Mistura: Múmia, médico, monstros e Missão Impossível

8 junho, 2017 às 22:49  |  por Lycio Vellozo Ribas

Em determinado momento de A Múmia, os mocinhos saem em disparada dos subterrâneos do Museu Britânico de Londres – onde há todas as relíquias do Egito antigo que os ingleses coletaram – e aparecem no hall do Museu de História Natural – onde há fósseis de dinossauros. Essa é a apenas uma das muitas misturas do filme, que estreia nesta quinta-feira (8/6) em Curitiba. Além dos museus, há perseguição pelas ruas de Londres, zumbis, uma versão moderna de O Médico e o Monstro e muita, muita Missão Impossível. E, claro, a múmia. Aliás, a maior novidade é o fato de a múmia em questão ser uma mulher. No caso, a quase-rainha egípcia Ahmanet (a atriz argelina Sofia Boutella).

Mas ela não é a personagem principal. Num filme que tem Tom Cruise no elenco, o protagonista é sempre Tom Cruise. Nesta vez, ele é Nick Morton, um militar que passa o tempo saqueando tesouros no Iraque. Sua conduta levemente amoral é essencialmente a única coisa que diferencia Morton do Ethan Hunt, de Missão Impossível.

Morton é o responsável por libertar a múmia, não sem antes descobrir, junto com a mocinha Jenny Halsey (Annabella Wallis) que a múmia é amaldiçoada – e que por isso foi sepultada pelos egípcios no Iraque, não no Egito. Os dois, mais o cabo Vail (Jake Johnson), até conseguem sair da tumba e levar o sarcófago, mas acabam perseguidos por uma tempestade de areia, que faz o avião cair em Surrey, na Inglaterra. Ao melhor estilo Missão Impossível, Morton coloca um para-quedas em Jenny e a salva. O mocinho, por sua vez, não morre na queda graças ao poder da múmia.