Arquivo mensais:janeiro 2011

O megalômano e o analista

31 janeiro, 2011 às 03:06  |  por Ayrton Baptista Jr.

Novo líder do Campeonato Paranaense (12 pontos em 5 rodadas), o Cianorte tem como técnico o gaúcho Ronaldo Rangel, o Bagé. O único temor da torcida é que o time se comporte como o megalômano de Carazinho, aquele que um dia se consultou com um famoso conterrâneo do treinador: o Analista de Bagé. Eis o diálogo, segundo Luís Fernando Veríssimo:

— Diz qual é teu problema!
— Não digo pra qualquer um!
— Diz senão te arranco esses bigodes dois a dois.
— Todos dizem que eu tenho mania de ser melhor do que os outros, mas eu não acredito neles.
— E por que não?
— Porque é tudo gente inferior.

*****

“Tática? Se o time vai mal encho de tapa o bagual!”

A evolução da espécie vascaína

31 janeiro, 2011 às 01:32  |  por Ayrton Baptista Jr.

Flamengo 2 x 1 Vasco (ontem, no Engenhão)

O primeiro clássico do ex-paranista Thiago Neves pelo Fla. O primeiro golaço!

[youtube]2NG6IgT8AXw[/youtube]

Restou ao ex-coxa-branca Fernando Prass, goleiro vascaíno, pregar a evolução do lanterna do Campeonato Carioca: “Jogamos até melhor que as outras partidas. Evoluímos, mas isso não interessa”.

Uma dupla em pânico

31 janeiro, 2011 às 00:40  |  por Ayrton Baptista Jr.

Jogos do Arapongas Esporte Clube contra a dupla Atletiba na história do Campeonato Paranaense:

1990

derrotas para Atlético (1 x 0) e Coritiba (2 x 0)

1991

derrotas para Atlético (2 x 1 e 4 x 0) e Coritiba (3 x 0)

empate com o Coritiba (0 x 0)

2011, 1º turno

vitória sobre o Atlético (2 x 1)

empate com o Coritiba (1 x 1)

A dupla não bate o Arapongas há 20 anos.

Foto: divulgação.

Rivalidade sem fronteira

30 janeiro, 2011 às 22:53  |  por Ayrton Baptista Jr.

“Fora do Brasil, quem manda é o Grêmio”.

Torcedor no UOL ESporte, após o primeiro Gre-Nal disputado fora do Brasil: Grêmio 2 x 1 Internacional, em Rivera, cidade uruguaia que faz fronteira com a gaúcha Santana do Livramento.

Gaúchos, o futebol paranaense também será, com perdão do trocadilho, internacional. Só nos falta um Atletiba em Ciudad del Este.

Foto: divulgação.

Um Corinthians feliz

30 janeiro, 2011 às 22:28  |  por Ayrton Baptista Jr.

Campeonato Paranaense, 1º turno, 5ª rodada:

Paranavaí 1 x 2 Corinthians Paranaense

(hoje, 17h, Waldemiro Wagner, em Paranavaí)

Gols: Alisson (Pvaí; cabeça) 3min, Thiago Henrique 44min do 1º tempo e Leandro (cabeça) 23min do 2º tempo.

Pelo relato de Evelin Gasparin, do Redação em Campo, apareceu bem o ala-direita Thiago Araújo (ex-Paraná), com duas assistências, a do gol de Leandro e de um chute de Safira, acertou a trave

Dos quatro jogos iniciados às 17h, este foi o único com gols no primeiro tempo. Houve lances de emoção do início, com o gol de Alisson, até o final: aos 35 do 2º, o ótimo goleiro Walter (ex-Iraty) defendeu um pênalti cobrado por Edenílson, o artilheiro da casa (3 gols).

*****

São Bernardo 2 x 2 Corinthians Paulista

Corinthians Alagoano 2 x 2 Santa Rita

Corinthians de Caicó-RN 1 x 1 Santa Cruz

Lula, que mora em São Bernardo do Campo, viu o jogo do Corinthians original. Neste fim de semana, companheiro, Corinthians feliz só em Paranavaí.

“Ronaldo, bom mesmo é o Thiago Henrique”.

Baier, sem dúvida

30 janeiro, 2011 às 21:37  |  por Ayrton Baptista Jr.

Campeonato Paranaense, 1º turno, 5ª rodada:

Atlético 4 x 2 Roma Apucarana

(hoje, 19h30, Arena da Baixada)

Gols: Paulo Baier (pênalti) 16min do 1º tempo, Robenval (Roma; cabeça) 1min, Madson 3min, Lucas 14min, Paulo Baier (pênalti) 24min e Lira (Roma; pênalti) 43min do 2º tempo.

*****

O primeiro pênalti é daqueles que agradam as mesas redondas: a bola tocou no braço do zagueiro Robenval quando este caía no gramado. Pênalti discutível. O bandeirinha Ivan Carlos Bohn avisou do toque e o juiz Anderson Carlos Gonçalves decretou: pênalti!

Paulo Baier fez 1 a 0 e, para impedir que a segunda-feira falasse “pênalti roubado”, serviu Lucas para o 3 a 1 e assinou o quarto, após outro pênalti (este sem dúvida) sofrido por Wescley (que fora acionado por… Baier).

O maestro e o Atlético não deixaram dúvidas.

*****

O último gol premiou Lira (ex-Coritiba), meia que apareceu bem também em duas cobranças de faltas: João Carlos defendeu a primeira; Robenval fez o gol, na segunda.

*****

A diferença para o Coritiba era de 4 pontos. Caiu para 2. Agora ponteado pelo Cianorte, o turno segue aberto.

*****

Atlético: João Carlos; Marcos Pimentel, Gabriel, Rafael Santos e Paulinho; Alê (Vitor, 15 do 2º), Fransérgio, Paulo Baier e Branquinho (Branquinho, 27 do 2º); Guerrón (Wescley, 21 do 2º) e Lucas; técnico: Sérgio Soares.

Roma: Spada; Cassiano (Daniel Marques, 18 do 2º), Juninho, Robenval e Rogerinho; Eurico, Doriva, Alex (Fernandinho, 27 do 2º) e Lira; Paulo Sérgio (Fábio, 17 do 2º) e Warley; técnico: Richard Malka.

Árbitro: Anderson Carlos Gonçalves.

Fotos: Franklin de Freitas.

Kim quer juiz?

30 janeiro, 2011 às 20:36  |  por Ayrton Baptista Jr.

Campeonato Paranaense, 1º turno, 5ª rodada:

Cascavel 0 x 3 Iraty

(hoje, 17h, Olímpico Regional, em Cascavel)

Gols no 2º tempo: Bruno (falta) 6min, Gizo 29min e Bruno 34min.

Pratas-da-casa iratienses selaram o resultado, que colocou o Azulão em terceiro lugar: o volante Bruno e o atacante Gizo, acionado no segundo tempo.

O Cascavel estreou o volante Carlos Lima (ex-Paranavaí), que foi expulso, como o também volante Kim. Sem volante qualquer um perde a direção. Sem dois volantes, então…

Kim levou o vermelho e, parece, quis levar o árbitro Robson Tolosco Coutinho junto, pois o puxou pelo braço após a expulsão. E o Cascavel segue de braços dados com a zona da fossa, em penúltimo, acima apenas do Paraná devido ao saldo de gols (-6 a -8; ambos têm 1 ponto).

Ô, Kim! Espera a Ana Paula Oliveira! 

Foto: J.R.Duran/Playboy.

Ri o Rilber-II

30 janeiro, 2011 às 19:54  |  por Ayrton Baptista Jr.

Campeonato Paranaense, 1º turno, 5ª rodada:

Rio Branco 1 x 2 Operário Ferroviário

(hoje, 17h, Caranguejão, em Paranaguá)

Gols no 2º tempo: Mateus 50s, Negreiros (RB) 45min e Rilber 47min.

Quarta-feira, Rilber não fez gol, mas passeou contra o Atlético (1 a 0, gol de Hevandro). Hoje, o 10 dos operários foi decisivo, quando o empate parecia definitivo.

Até agora, o Rio Branco só roubou ponto dos últimos colocados: Cascavel (2 x 2) e Rio Branco (2 x 0). Coerentemente, é o antepenúltimo.

Bill do meio do mato e a máxima de Matheus

30 janeiro, 2011 às 19:07  |  por Ayrton Baptista Jr.

Campeonato Paranaense, 1º turno, 5ª rodada:

Arapongas 1 x 1 Coritiba

(hoje, 17h, estádio dos Pássaros, em Arapongas)

Gols: Bill (Cori) 23min e Luciano (Ara) 48min do 2º tempo.

*****

O responsável pelo gramado não acreditou que Arapongas veria jogo de futebol algum dia. Ele tinha razão em parte. No primeiro tempo, além do deficiente gramado, a única notícia foi a saída de Leonardo, aos 44min. Após choque com o zagueiro Gustavo, houve suspeita de fratura (felizmente, não confirmada) na coluna do atacante.

Arapongas só viu futebol no segundo tempo. E começou vendo o jogo do Arapongas, que encurralou o time da capital com três boas pontadas em 10min. Na melhor, o chute cruzado de Ermílio voou pertinho, pertinho da trave direita de Edson Bastos.

Defensivamente, o Coxa fornecia um boqueirão para a faixa direita do ataque local. Ofensivamente, só Marcos Aurélio estava com o fôlego em dia.

O jogo era para o Arapongas, mas Bill não sabia disso e, aos 23min, achou um clarão no meio do mato, digo do campo, e atirou: golaço! Aos 24min, Bill correu pra cabine de tevê para ver a repetição. Afinal, nem ele acredita que fez este gol. E aos 25min, um cabeceio de Bill passou tiquinho assim ó do gol.

Bill à parte, o Arapongas retomou o controle no final. De falta, Wellington acertou a trave, aos 46. Depois de um escanteio, Luciano, aos 48. O verde da casa foi fiel à máxima do filósofo Vicente Matheus (1908-1997):

“O jogo só acaba quando termina”.

*****

Arapongas: Danilo; Maicon, Douglas, Gustavo e George (Rafael Torres, 30 do 2º); Fabinho, Alexandre (Luciano, 27 do 2º), Wellington e Jocivalter; Val Ceará e Ermílio (Lila, 20 do 2º); técnico: Lio Evaristo.

Coritiba: Édson Bastos; Cleiton, Pereira e Emerson; Jonas, Willian, Léo Gago, Rafinha e Eltinho (Marcos Paulo, 19 do 2º); Marcos Aurélio (Davi, 28 do 2º) e Leonardo (Bill, 44 do 1º); técnico: Marcelo Oliveira.

Árbitro: Evandro Rogério Roman.

Ilustração: GG Kit, Casa da Borracha.

Água pra Cavalo

29 janeiro, 2011 às 22:56  |  por Ayrton Baptista Jr.

Sem crer no que vê,

Roberto Cavalo perde cabelo,

e bebe água

esperando o tempo passar.

O técnico do Paraná fala que “não joga a toalha”.

É porque o clube ’tá sem grana pra comprar outra.

O Cianorte americano

29 janeiro, 2011 às 22:15  |  por Ayrton Baptista Jr.

“Quando eu cantar pra turba de Araçatuba, verei você
Já em Barretos eu só via os operários do ABC
Quando chegar em Americana, não sei o que vai ser”

(Nu com a Minha Música, Caetano Veloso)

Periga ser, Caetano, outra goleada do Americana (ex-Guaratinguetá), que hoje aplicou 5 a 1 no Noroeste, em pleeena Bauru. Exatamente como o Cianorte (no Campeonato Paranaense), a equipe do técnico Edinho Nazareth e do veterano atacante Fumagalli dorme neste sábado em 1º lugar (no Paulista), com 12 pontos em 5 rodadas.

Perdidos e impressionados

29 janeiro, 2011 às 21:59  |  por Ayrton Baptista Jr.

Roma tenta encerrar um tabu amanhã, na Arena da Baixada: o time de Apucarana nunca roubou ponto do Atlético no Campeonato Paranaense. O Furacão ganhou os quatro jogos da série, iniciada em 2003.

Em 2005, temendo que os romanos tremessem durante o jogo, embasbacados pela modernidade do estádio atleticano, o técnico Itamar Belasalmas propôs: “Pra não se impressionarem durante o jogo, olhem bem o estádio antes. Depois, se preocupem só em jogar bola”.

Jogando bola, os impressionados deixaram um má impressão: 4 a 0 para o Atlético…

No satisfaction

29 janeiro, 2011 às 20:56  |  por Ayrton Baptista Jr.

“Sai pra lá Mick Jagger”.

Cartaz de torcedor do Paraná, hoje na Vila Capanema, durante a derrota para o Cianorte (0 a 2). Cá entre nós… do jeito que joga este time não precisa de pé-frio.

Fotos: Franklin de Freitas.

Quarto rugido, quarta ruína

29 janeiro, 2011 às 20:04  |  por Ayrton Baptista Jr.

Campeonato Paranaense, 1º turno, 5ª rodada:

Paraná 0 x 2 Cianorte

(hoje, 17h, Vila Capanema)

Gols: Thiago Santos 23min do 1º tempo e Giancarlo (pênalti) 28min do 2º tempo.

*****

Três zagueiros, três volantes. Nenhuma organização e criação no 1º tempo paranista. Aos 30min, Cavalo trocou o zagueiro Onildo, que evitou um gol quase em cima da risca, pelo atacante Chimba. Sopro de esperança, entretanto, só depois do intervalo, quando o veloz meia Renato (23 anos, ex-Mixto de Cuiabá) substituiu o volante Alan, e com dois avanços à área, aos 7min e aos 14min, forçou o goleiro Marcelo a trabalhar.

Apresentado anteontem na Vila Capanema, Renato ameaçou comandar uma reação, mas logo, dinamizado pelo meia-atacante Thiago Santos (26 anos, ex-Paphos, da Grécia, e Guarani de Juazeiro-CE), o Leão do Vale mostrou vontade de rugir mais. 

Além do gol, Thiago Santos caprichou em outros dois disparos, defendidos pelo goleiro Luís Carlos. Além do gol, Giancarlo acertou a trave, também carimbada por Geandro.

*****

Aos 20min do 2º tempo, o zagueiro Alexandre, do Cianorte, já tinha cartão amarelo e mereceu outro ao cometer nova falta, novamente sobre Tito. O árbitro Edivaldo Elias da Silva deveria expulsá-lo.

*****

5 jogos, 4 vitórias seguidas. Quem para o Cianorte?

5 jogos, 4 derrotas. O Paraná para quem?

*****

Paraná: Luis Carlos; Wellington, Rafael Vaz e Onildo (Chimba, 30 do 1º); Paulo Henrique, Javier Mendez, Borges, Alan (Renato, intervalo) e Henrique; Taianan (Zé Paulo, 23 do 2º) e Tito; técnico: Roberto Cavalo.

Cianorte: Marcelo; Alexandre, Brinner e Amaral, Elvis (Rodrigo, 43 do 2º), Macula, Geandro, Thiago Santos e Ligger; Deives (Almir, 20 do 2º) e Giancarlo (Elton, 37 do 2º); técnico: Ronaldo Bagé.

Árbitro: Edivaldo Elias da Silva.

O réu e o rádio

28 janeiro, 2011 às 15:16  |  por Ayrton Baptista Jr.

No Campeonato Paranaense de 1961, Coritiba e Operário Ferroviário protagonizaram o “Caso Agapito”. Explico: o time de Ponta Grossa acusou o da capital de escalar irregularmente o atacante paraguaio Agapito e ganhou no tapetão o título da Zona Sul*.

Cinuenta anos depois, outro choque entre alvinegros e alviverdes rendeu tribunal. Desta vez, por causa de um rádio que apareceu no gramado do Germano Kruger (dia 16, na 1ª rodada). Como não se sabe qual torcida atirou o OVI (Objeto Voador Identificado), o anfitrião Operário escapou de perder mando de campo.

Sem pai nem mãe, o tal rádio não é o do forró do Genival Lacerda?

“Fiz economia, deixei de fumar
Comprei um rádio de pilha e mandei pro meu bem
Fiquei muito revoltado quando regressei
Pois o rádio que eu dei pra ela, ela doou pra alguém

Ela deu o rádio e nem me disse nada ela deu o rádio
Ela deu sim, foi pra fazer pirraça
Mas ela deu de graça o rádio que eu comprei e lhe presenteei”

[youtube]KZA4EvSRP78[/youtube]

* O Comercial de Cornélio Procópio, vencedor da Zona Norte, foi o campeão paranaense de 1961.