Sobre a Operação Carne Fraca

17 março, 2017 às 16:22  |  por Adriane Werner
Meme da Internet

Meme da Internet

O Brasil todo ficou chocado nesta sexta-feira com os resultados da Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, que levou pra cadeia os principais produtores de carne bovina, suína e de frango do país. As denúncias são de venda de carne podre, adulteração de carne com ácidos para disfarçar cheiro e gosto de estragado e de mistura de papelão nas carnes de frango. Isso tudo vindo de marcas conhecidíssimas, que vão para nossas mesas todos os dias – e inclusive para merenda escolar.
É caso mesmo de deixar o cidadão indignado!

Compartilho aqui a reflexão feita pelo amigo advogado Gustavo Tavares Piovesan, que – não amenizando os absurdos desses que devem apodrecer na cadeia por brincarem com nossas vidas em troca de dinheiro, propina e corrupção – mostra que a corrupção e as maquiagens estão presentes em muitas outras ações do nosso dia-a-dia. Acompanhe:

Carnes maquiadas volume I
Esses dias conheci uma pessoa que tinha vergonha de perambular no shopping com uma sacola de loja de departamento popular. Então ela trazia de casa uma sacola de loja de grife para colocar a outra sacola dentro.
Conheço outra pessoa que comprou carro importado e pagou em prestações a perder de vista para poder ostentar para seus clientes e invejar seus colegas, que certamente concluirão que a carreira dele está ‘bombando’.
Também há pessoas que tem iPhone, mesmo não conseguindo pagar um curso profissionalizante. Cada um faz o que quer com o dinheiro, né?
O vendedor de carros usados dá um ‘banho de loja’ no carro, passa até produtos nocivos à pintura, apenas para dar brilho ofuscante e temporário ao automóvel que, logo, logo sairá do seu pátio. O carro já abraçou vários postes, mas ele diz que ‘nunca bateu’.
A foto do instagram da ‘webcelebridade’ parece espontânea, mas é resultado de dezenas e até centenas de tentativas de fotos em ângulos, luzes, matizes, cores, zooms e filtros diferentes. Todo mundo tem sempre um lado mais bonito.
Em vendas, pequeno vira compacto. Vendedor vira consultor. Empregado vira associado. Custo vira investimento.
Mossunguê é Ecoville, Capão Raso é Novo Mundo, Bigorrilho é Champagnat e Batel é Soho Batel!?
Lavar calçada e pintar muro é mais visível e barato do que fazer saneamento básico.
A questão não é só da Friboi (cujos boatos, maquiados, diziam ser propriedade do filho do Lula), que inclusive contratou um autoproclamado vegetariano, o cantor Roberto Carlos, para endossar a marca.
Nós somos carnes maquiadas ambulantes. E não digo só de quem vai na Sephora ou MAC.
Aí você diz: mas uma coisa não tem nada a ver com a outra. Talvez você esteja certo e eu estou maquiando isso também pra te trazer até aqui.

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>