Lado B.

4 fevereiro, 2013 às 09:38  |  por Willian Mac-Cormick Maron

Um consultor me disse certa vez: “Seja você mesmo 100% onde quer que esteja!”

Bem, não preciso dizer que tal frase ficou martelando minha cabeça, principalmente por acha-la inconcebível. Nunca somos, uniformemente, nós mesmos em todos os lugares e em variados grupos. As relações seriam impraticáveis se tal afirmativa fosse válida. As pessoas se comportam (são) de formas diferentes de acordo com as demandas do outro, do grupo e suas próprias.  Somos nós mesmo sim, mas em estados, formas e mostrando características diferentes. É o que chamamos facetas do ego, o que não deve ser confundido de forma alguma com algum tipo de falsidade ou um fingimento desnecessário e exagerado. Eu me comporto (ou melho, me porto) de formas diferentes quando estou com colegas de trabalho, amigos de longa data, familiares, pacientes, etc. O que não quer dizer que não seja eu, mas sim facetas necessárias que me adequam ao ambiente, situação e pessoas.

Todo mundo tem um lado B (as vezes um lado C, D, E, etc…), ou pelo menos deveriam ter. Torna nossa vida um pouco mais interessante e divertida, o que, por si só, já faz valer a pena. Não falo de algo necessariamente macabro, assustador ou horrível aos outros olhos, mas algo de nossas vidas que não queremos que ninguém mas saiba.

A lua só desperta interesse pois sabemos que há nela um lado escuro, que de forma alguma macula sua beleza, mas que é inacessível aos olhos terrenos, o que a torna única, inconfundível, interessante.

Twitter: @wmaccormick

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>