Viver é esse equilibrar de pratos e de prantos….

10 outubro, 2017 às 15:19  |  por Willian Mac-Cormick Maron

Um cemitério também está cheio de homeostase.

O que se chama comumente e até mercadologicamente por uma busca desenfreada pelo equilíbrio é uma tendência à volta ao inorgânico. Tal tendência foi pontuada por Freud, em sua metapsicologia, como pulsão de morte. A pulsão de morte nem sempre desemboca na própria morte, mas cria com ela vínculos assindéticos.
O equilíbrio pode ser assintótico ao inorgânico.

O “ponto de equilíbrio” não é um lugar para encontrar e sim uma posição para (se) inventar. O equilíbrio para o humano, como ser social, cultural e um sujeito do inconsciente é uma fantasia (claro, por vezes necessária), mas que pode anestesiar os picos e as quedas da vida. Equilibrado mesmo é poder bancar os ganhos e as perdas da vida.

Gente equilibrada demais é de “morrer”.

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>