Eleição COM Lula é GOLPE!

5 fevereiro, 2018 às 12:30  |  por José Pedriali
Junho de 2010. O presidente Lula sanciona – integralmente – a Ficha Limpa, lei de iniciativa popular que impede que condenados por corrupção e lavagem de dinheiro em segunda instância concorram a cargo eletivo.
A lei foi apresentada ao Congresso com a assinatura de 1,6 milhão de pessoas.
“A aprovação do (projeto da Lei da) Ficha Limpa na Câmara foi uma grande vitória da população brasileira e da ética”, comemorou deputado federal petista José Eduardo Cardozo, que viria a ser ministro de Justiça de Dilma Rousseff.
Janeiro de 2018. Condenado – por unanimidade – em segunda instância a 12 anos e um mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, o ex-presidente Lula afirma que “não vejo razão nenhuma para acatar a condenação”. E o PT reforça seu empenho em tê-lo candidato à presidência da República e brada: “Eleição sem Lula é golpe!”
O PT se rebela, assim, contra o Estado de Direito ao insistir numa candidatura ilegal. Lula foi condenado em segunda instância: ponto final, game over! Não importa se é o mais cotado no momento para vencer a eleição: está impedido por lei, e fim de papo!
Para os petistas, no entanto, o jogo não acabou: sem o chefão na disputa, lá se vai a esperança da retomada do poder, do usufruto das benesses e, acima de tudo, dos milhões amealhados criminosamente no mais voraz saque aos cofres públicos da história, capitaneado por Lula e o PT. Portanto, perdido por um, perdido por dois: se não têm a menor chance de ganhar, vão tumultuar o máximo o processo eleiltoral.
“Lula vai ser candidato mesmo preso”, afirmou o senador Lindbergh Farias. Que ótimo: pela primeira vez na história teremos um presidiário, com a sentença reafirmada em segunda instância, tentando reaver o cargo que utilizou criminosamente para encher as burras do partido e seus cúmplices e as suas. Tal insensatez merece, se consumada, destaque no Guiness da Desonra.
O PT pratica um autêntico golpe contra a democracia, pois o regime, ao mesmo tempo em que prevê a livre participação dos cidadãos nas disputas eleitorais, exige que o concorrente seja probo..

 

Antes festejada pelo PT, a Lei da Ficha Limpa passou a ser amaldiçoada por seus quadros. Que, assim, amaldiçoam a opinião pública, responsável por sua edição.
A insurgência de hoje à lei antes comemorada é fiel ao percurso melancólico trilhado pelo partido, que chegou ao poder prometendo uma cruzada ética e se revelou uma ‘sofisticada organização criminosa”, na definição do ministro do STF Celso de Mello no mensalão. E o que ele e o Brasil viram naquele julgamento era apenas a ponta do iceberg…

 

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>