Fundação Carlos Chagas abre inscrições para prêmio

8 maio, 2012 às 13:01  |  por Heidi Motomura

Incentivo a quem ensina a ensinar. Esta é a missão do Prêmio Professor Rubens Murillo Marques, promovido pela Fundação Carlos Chagas, que está com as inscrições abertas. Pelo segundo ano consecutivo, o concurso busca revelar os melhores trabalhos realizados por docentes de Licenciatura na formação de professores para o ensino básico.

“A Fundação Carlos Chagas criou o Prêmio pensando na qualidade da educação básica no Brasil, por meio da valorização e incentivo das experiências educativas inovadoras dos formadores de professores”, afirma Bernardete Gatti, pesquisadora da Fundação Carlos Chagas.

Podem ser inscritas as experiências concluídas do ano passado até junho deste ano e comprovadas por documentos – relatórios de obtenção de créditos na disciplina em questão, avaliações e provas aplicadas durante a execução do projeto, depoimentos em vídeo dos participantes ou trabalhos e atividades realizadas pelos alunos do ensino básico.

O julgamento será feito por uma Comissão de Especialistas, constituída pela FCC, que vai avaliar os trabalhos conforme a adequação entre os objetivos e as ações desenvolvidas visando à aprendizagem. Serão contemplados até três indicados e cada um receberá um prêmio de R$ 30 mil, diploma, troféu e publicação do projeto premiado na coleção Textos FCC e no site da Fundação.

As inscrições poderão ser feitas até o dia 15 de agosto pelo site www.fcc.org.br/premioprofessorrubnesmurillomarques, que disponibiliza também o regulamento.

Vencedores de 2011

Em 2011 foram premiados o professor Bruno Monteiro, da Universidade Federal de Lavras, e a professora Marli Batista Ávila, da Universidade Anhembi Morumbi, de São Paulo.

“A inserção do tema da educação em ciências, em espaços não formais, na formação de professores de ciências e química” foi o tema abordado pelo professor Bruno Monteiro, que se destacou pela iniciativa de levar a educação em ciências para espaços culturais e informais como Museus de História Natural, Centros de Ciências, Centros Tecnológicos, entre outros.

Já a professora Marli Batista Ávila apresentou o desafio de ensinar música – prática, aliás, que passa a ser obrigatória no Ensino Básico a partir de 2012 – como componente indispensável na formação do ser humano, tanto na ação prática como na fundamentação teórica e contextualizada no tempo e espaço. Esta é a proposta de seu projeto intitulado “Uma opção metodológica para o ensino da música na escola brasileira”.

Sobre a Fundação Carlos Chagas

Fundada em 1964, é uma instituição privada sem fins lucrativos, dedicada à avaliação de competências cognitivas e profissionais e à pesquisa na área de educação. Com atuação em todo o território nacional, a Fundação Carlos Chagas já avaliou mais de 74 milhões de candidatos em processos seletivos de mais de 500 instituições privadas e públicas. Também atua em pesquisas e projetos na área educacional, feitos por equipes multidisciplinares, com o objetivo de investigar a relação da educação com os problemas e perspectivas sociais do País. (Fonte: Assessoria de Imprensa do Prêmio)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>