Noite de gala

29 setembro, 2014 às 15:59  |  por Gustavo Kipper

Em noite de gala, o UFC retornou com força total, fazendo-nos acreditar que bons ventos virão.

A brasileira Amanda Nunes não suportou a primeira do ranking, a americana Cat Zingano, e foi derrotada. Amanda teve um início surpreendente, derrubando a americana e a castigando no ground and pound, fazendo crer que era possível vencer. Mas, a superioridade técnica da americana apareceu e Cat venceu a brasileira no terceiro round, por interrupção da arbitragem.

Ex-campeão dos pesos-galos, Dominick Cruz não deu a menor chance ao japonês Takeya Mikugaka. Logo no início do combate, Cruz o derrubou e o japonês, ao tentar se levantar, deu brechas para uma sequência de socos que o nocauteou. Com a vitória, Cruz será o próximo desafiante de T.J Dillashaw. Luta muito interessante.

O americano Tim Kennedy e o cubano Yoel Romero protagonizaram a luta da noite. Com reviravoltas e muita malandragem por parte do cubano, a luta ainda promete dar o que falar. Após dominar quase dois rounds inteiros, Romero foi surpreendido com um gancho de Kennedy, que com vários socos quase o nocauteou. Foi salvo pelo gongo. Quando o aviso para a luta soou, o americano não se levantou da cadeira e parecia estar fora de combate. Excesso de vaselina, culpa do próprio cutman do UFC, além do atraso proposital do corner atrasaram o reinício em 28 segundos. Tempo suficiente para Yoel se recuperar e nocautear Kennedy logo no início do terceiro round. Uma revanche seria mais justa, mas Dana White pareceu não estar muito interessado.

Mesmo ainda não sendo o campeão de sua categoria, o falastrão irlandês Conor McGregor parece ser mesmo de verdade. Não só nocauteou o quinto colocado do ranking dos penas, Dustin Poirier, quanto disse que iria fazê-lo no primeiro round. Promoção à parte, Conor novamente foi preciso, soltando golpes fortes e pressionando seu adversário desde o começo. Milhares de compatriotas estavam presentes, mostrando que ele é o novo herói nacional da Irlanda.

Donald Cerrone mostrou por que está na melhor fase da carreira. Embalou mais uma vitória, e dessa vez contra o ex-campeão do Bellator, o perigoso Eddie Alvarez. Mesmo não começando bem, impôs seu ritmo e venceu por decisão unânime dos juízes. Como o campeão dos leves, Anthony Pettis, tem luta marcada, Cerrone deverá fazer mais uma luta até o fim do ano antes de ter o title shot. Sempre lembrando que Nick Diaz e Rafael dos Anjos também vão se enfrentar, deixando a categoria emocionante. Cerrone vs Ben Henderson seria uma ótima escolha.

Após uma sequência incrível de boas lutas, a disputa do cinturão dos moscas não teve como trazer muitas surpresas. Incontestavelmente um dos melhores lutadores peso por peso da atualidade, o incansável Demetrious Johnson já varreu toda a categoria e seu reinado será longo. Dessa vez, a vítima foi Chris Cariaso, que não ofereceu muito perigo e foi finalizado no segundo round. Sua rapidez, força e técnica em todos os campos o tornam um atleta completo. Não vejo ninguém capaz de vencer Johnson nos dias de hoje.

O adeus de uma lenda: Wanderlei Silva

22 setembro, 2014 às 18:51  |  por Gustavo Kipper

A cortina do espetáculo se fecha para Wanderlei Silva. Despede-se da mesma maneira com que entrou: explosivo!

Em vídeo postado no fim de semana, Wanderlei Silva afirmou que a mensagem não era um adeus, mas que estava se retirando do ringue. Em depoimento em preto e branco, bastante emocionado, Wand agradeceu aos fãs pela carreira gloriosa, relembrou momentos marcantes de sua trajetória e atacou o UFC com palavras que soam diretamente uma declaração de guerra. Afirmou que vai denunciar todas as condutas que considera erradas cometidas pela organização. O UFC ainda não se manifestou sobre o assunto.

Chateado, Wand também comentou sua frustração pela maneira com que vinha sendo tratado, principalmente após o cancelamento de sua luta contra Chael Sonnen. Com a frase “jogaram meus fãs contra mim”, Wanderlei Silva mobilizou uma grande legião de seguidores nas redes sociais que demonstraram enorme apoio ao brasileiro, que tem mais de um milhão de fãs no facebook. Até mesmo antigos desafetos, como Rampage Jackson, demonstraram apoio com fotos estampando a hashtag #warwand.

Wanderlei Silva e suas conquistas mudaram o rumo do esporte e o transformaram em sucesso no mundo todo. Um dos líderes de uma safra vitoriosa de lutadores curitibanos, Wand inspirou uma nova geração de atletas, que hoje ocupam seus espaços, em eventos ao redor do mundo. Sua maneira única de lutar, sempre caminhando para frente, mesmo levando golpes duros, fará muita falta. Cada vez mais enxergamos lutadores com medo de ganhar, de serem golpeados. Com Wand era matar ou morrer, e normalmente ele matava.

Wanderlei Silva foi meu primeiro ídolo no MMA. O conheci pessoalmente em 1995, ainda quando não era famoso. Nem tinha estreado ainda no vale-tudo. Vi sua carreira decolar. De um evento no Palácio de Cristal, no Círculo Militar, ao Saitama Arena, no Japão, ao MGM Grand, em Las Vegas. Wanderlei Silva é uma lenda do esporte e merece todo o respeito de quem realmente viu o vale-tudo virar MMA. Como ele mesmo disse: “Agora vem um bando de almofadinhas querer dizer o que a gente é ou não é? Estão muito enganados.”

Com essa postura me lembro das batalhas épicas que o PRIDE apresentou. Lutas muito mais intensas e explosivas que as do MMA moderno, cheio de atletas que só amarram o combate, medrosos. Nas regras mais violentas e flexíveis, Wand era imbatível em seu peso. Chegou a lutar contra pesos-pesados, tamanha era sua força. Será que um dia ainda veremos Wanderlei Silva em ação, no Bellator, por exemplo? Espero que sim.

Vídeo de despedida:

Reveja alguns momentos da carreira do axe murderer Wanderlei Silva:

UFC Japão: Hunt vs Nelson

19 setembro, 2014 às 14:53  |  por Gustavo Kipper

Neste sábado (20) de madrugada, o UFC retorna ao Japão para uma luta entre os barrigudos mais famosos entre os pesos pesados. Mark Hunt, muito conhecido no Japão na época do Pride, enfrenta

Roy Nelson, em cinco rounds, no evento principal. Temia-se que Hunt não atingisse o peso limite para a categoria dos pesados, que é de 120 kg, mas alcançou a marca e o combate está confirmado.

UFC: Hunt x Nelson

20 de setembro de 2014, em Saitama (JAP)

CARD PRINCIPAL

Peso-pesado: Mark Hunt x Roy Nelson

Peso-leve: Myles Jury x Takanori Gomi

Peso-médio: Yoshihiro Akiyama x Amir Sadollah

Peso-galo: Miesha Tate x Rin Nakai

Peso-meio-médio: Kiichi Kunimoto x Richard Walsh

Peso-mosca: Kyoji Horiguchi x Jon Delos Reyes

CARD PRELIMINAR

Peso-galo: Alex Caceres x Masenori Kanehara

Peso-pena: Katsunori Kikuno x Sam Sicilia

Peso-meio-médio: Hyun Gyu Lim x Takenori Sato

Peso-galo: Michinori Tanaka x Kyung Ho Kang

Peso-leve: Kazuki Tokudome x Johnny Case

Peso-pena: Maximo Blanco x Dan Hooker

O UFC Japão começa a partir de 1h20 e terá transmissão pelo Canal Combate.

TUF 20 – A champion will be crowned

15 setembro, 2014 às 16:07  |  por Gustavo Kipper

A 20ª edição do The Ultimate Fighter voltou às telas da TV americana. A edição, realizada apenas com lutadoras, vai coroar a primeira campeã do peso-palha do UFC. É a primeira vez também que uma edição do reallity dá o cinturão para o campeão.

A categoria é recém-criada e o UFC buscou oito atletas do Invita F.C, evento que apenas promove lutas com lutadoras, e é atual casa da brasileira Cris Cyborg. Elas foram escolhidas em um evento em que puderam mostrar um pouco o nível no chão e na trocação. No primeiro episódio, foram definidas as 16 lutadoras que entraram na casa, as equipes e o primeiro confronto que definiu a primeira vaga para as quartas-de-final. Randa Markos #14 derrotou a favorita Tecia Torres #3.

Dessa vez, outra parte importante da regra foi alterada. Como todas as lutadoras são ranqueadas, o formato escolhido foi um mata-mata onde a melhor colocada enfrenta a última, a penúltima a segunda e assim por diante (1a vs 16a, 2a vs 15a,…). A ausência percebida foi da brasileira Claudia Gadelha, que, segundo Dana White, não pode participar por não saber o idioma inglês.

Confira como ficaram as equipes:

Team Pettis

Treinadores: Anthony Pettis (Head Coach), Duke Roufus, Sergio Pettis, Scott Cushmann.

Lutadoras: Karla Esparza, Randa Markos, Joanne Calderwood, Alex Chambers, Jessica Penne, Felice Heggig, Justine Kish, Aisling Daly.

Team Melendez

Treinadores: Gilbert Melendez (Head Coach), Jake Shields, Anucha Chayaisen, Nate Diaz, Josh Berkovic.

Lutadoras: Angela Hill, Tecia Torres, Emily Kagan, Rose Namajunas, Lisa Ellis, Heather Jo Clark, Bec Rawlings, Angela Magana.

Preliminares

#1 Carla Sparza vs #16 Angela Hill

#8 Bec Rawlings vs #9 Justine Kish

#5 Aislyn daily vs #12 Angela Magana

#4 jessica Penne vs #13 Lisa Ellis

#6 Felice Herrig vs #11 Heather Clark

#3 Tecia Torres vs #14 Randa Markos

#7 Rose Namajunas vs #10 Alex Chambers

#2 Joanne Calderwood vs #15 Emily Kagan

A final do programa será dia 12 de Dezembro no hard Rock Hotel & Casino, em Las Vegas.

(thesource.com)

(thesource.com)

Fora da ordem

30 agosto, 2014 às 15:43  |  por Gustavo Kipper

Alguma coisa está fora da ordem. Não é a primeira vez que eu e o mundo reclamamos dos processos de perda de peso, aos quais muitos lutadores são submetidos para preencherem a balança com somente o necessário para que o show continue.

As comissões atléticas, que tanto zelam pelos exames antidopings e pelo cumprimento fiel das regras, não querem saber da integridade física dos lutadores, no que diz respeito aos métodos de perda de peso, dias antes ao evento. Muitos lutadores chegam a perder quase um quinto de seu peso total somente desidratando para poder alcançar o limite de peso da categoria. Assim, o atleta tem somente 24 horas para repor a água, sais minerais e nutrientes. Dessa vez, não deu para Renan Barão. A sonhada revanche para buscar o que deveria ser seu acabou por tempo indeterminado.

Barão passou mal durante o penoso processo e desmaiou. Levado ao hospital, não teve condições e abandonou o combate. O fato ocorrido na véspera do evento foi um duro golpe para o UFC, que recebeu uma enxurrada de críticas. Como saída, entrou o ex-campeão do Bellator, o recém-contratado Joe Soto, que pareceu não acreditar na chance que caiu em seu colo.

A luta de Barão foi a segunda cancelada do evento, enxugando ainda mais um card que já havia sendo contestado. Questionado sobre o ocorrido, Dana White ironizou o método de preparação da Nova União e afirmou que Barão deveria gastar e contratar um nutricionista de verdade. O fato é que mais uma vez temos que olhar nossos lutadores derrotados. Dessa vez, sem nem entrar no octógono. White também sugeriu que Barão e Aldo subam de categoria, pois sempre sofrem muito para alcançar o peso limite.

É por essas situações que fica cada vez mais claro que falta certa dose de profissionalismo e investimentos no MMA. Dedé Pederneiras deve repensar seus métodos de preparação dos atletas, principalmente para o corte de peso. É chegada a hora de as comissões e eventos começarem a garantir a integridade física de seus lutadores para impedir que algo muito mais grave aconteça. Dessa vez foi um desmaio, a próxima pode ser fatal, como já aconteceu. A medida adotada deveria incluir as pesagens no dia das lutas, para evitar que lutadores passem por essas situações.

A desistência de Renan Barão é lamentável e prova que não vamos ficar para trás. Já estamos.

A hora da verdade

28 agosto, 2014 às 16:28  |  por Gustavo Kipper

Às vésperas da revanche entre Renan Barão e T.J Dillashaw, vem à tona, novamente, a discussão sobre a queda de rendimento dos brasileiros nas disputas de cinturão. Alguns treinadores e lutadores foram questionados sobre o tema, e, externaram suas opiniões.

Para Josuel Distak, líder na equipe XGym, o Brasil vive um momento de entressafra. Os atletas do Pride e precursores estão se aposentando e a nova geração ainda não explodiu. Distak acha que os americanos passaram anos formando uma nova geração e acompanharam o tempo da evolução.

Dedé Pederneiras acredita que o problema é mais complexo. O head coach da Nova União afirma que antes tínhamos o jiu-jítsu e os métodos de treino. Hoje, os americanos importam nossos treinadores e têm bagagem muito maior no wrestling e no boxe. A estrutura dos americanos é muito superior, além da suplementação e cultura olímpica de preparar atletas para grandes competições. Dedé ressaltou ainda que, se não investirmos em preparadores físicos e treinadores, ficaremos para trás.

O peso-pesado Rodrigo Minotauro concorda que nos falta estrutura, mas também crê em uma entressafra de gerações e no fator casa. Citou um dado segundo o qual 73% dos combates são vencidos pelos atletas da casa. Isso daria maior vantagem aos americanos, já que são poucos os eventos do UFC no Brasil. De maneira humorada, Minotauro lembrou que praticamente não temos octógonos nas medidas oficiais no Brasil. Brincou também que só na Flórida há mais octógonos do que no Brasil inteiro.

Nosso país ainda lidera as disputas de cinturão contra os americanos. O placar é de 25×23. Se vencer, Barão pode frear esse avanço. Se perder, a diferença cai para apenas uma luta. Renan Barão vem se preparando para o UFC 177, no próximo sábado (30), e busca recuperar o cinturão dos pesos-galos.

Assista ao vídeo Countdown to UFC 177 que mostra a preparação dos atletas para mais uma batalha:

UFC 177
30 de agosto de 2014, em Sacramento (EUA)
CARD PRINCIPAL
Peso-galo: TJ Dillashaw x Renan Barão
Peso-leve: Danny Castillo x Tony Ferguson
Peso-galo: Bethe Correia x Shayna Baszler
Peso-leve: Ramsey Nijem x Carlos Diego Ferreira
Peso-leve: Yancy Medeiros x Damon Jackson

CARD PRELIMINAR
Peso-médio: Lorenz Larkin x Derek Brunson
Peso-mosca: Scott Jorgensen x Henry Cejudo
Peso-pesado: Ruan Potts x Anthony Hamilton
Peso-galo: Anthony Birchak x Joe Soto
Peso-leve: Cain Carrizosa x Chris Wade

 

 

Dedé Pederneiras muda a estratégia da Nova União

26 agosto, 2014 às 14:07  |  por Gustavo Kipper

Em entrevista ao jornalista Ivan Raupp, o líder da equipe Nova União, Dedé Pederneiras, comentou algumas adaptações que possivelmente serão feitas para que seus atletas possam faturar mais e ganhar mais visibilidade. Comentou também a derrota de Renan Barão para T.J Dillashaw e como está a preparação para a revanche.

Sempre muito comedidos e respeitosos, os campeões da Nova União José Aldo, Renan Barão e Dudu Dantas ainda não alcançaram o máximo potencial de faturamento com os eventos. Tecnicamente muito bons, estava faltando um pouco de malícia para vender melhor as lutas e entrar no show. Afinal, a carreira do lutador não é das mais longas e garantir o futuro é mais do que merecido. Quanto mais pay per view, maiores as chances de grandes eventos.

Dedé reconheceu que algumas provocações podem servir de combustível para promover o show, mas descartou começar a usar o trash talking para a promoção. O respeito vai continuar. Em breve fará uma reunião com a equipe para definir a nova estratégia de comportamento fora do octógono. Admitiu pela primeira vez que fica para trás quem não acompanha o novo momento do esporte. Momento em que os negócios podem falar mais alto que a técnica, e citou as disputas de cinturão conquistadas pela boca por Chael Sonnen, o rei da promoção.

A derrota de Renan Barão ainda tem a cicatriz aberta, mas já foi compreendida como uma mistura de sorte e competência por parte do americano, que, como disse Dedé, acertou um “pombo daquele”, que mudou o rumo da luta. Barão realmente lutou no automático. Mas será que foi somente isso? Ou será que a estrutura utilizada pelos rivais permite uma maior evolução e Barão estagnou após dez anos de vitórias?

A Nova União sempre foi referência entre os pesos mais leves. A Alpha Male Team, liderada por Urijah Faber, também possui grandes nomes nessas categorias e a rivalidade ao longo dos anos só aumentou. Após as derrotas de Faber e Chad Mendez, muita coisa foi copiada e aperfeiçoada. Agora, pela primeira vez, eles venceram. Até que ponto a tecnologia, suplementação e estrutura de treinamento podem fazer diferença? A Nova União fica dentro de uma academia, no bairro do Flamengo, e tem muita gente boa treinando lá. Júnior Cigano também faz parte da equipe. Mas sua estrutura pode ser contestada.

Assistindo a alguns treinamentos por vídeo, é fácil perceber que é muito atleta pra pouco espaço. Os lutadores treinam muito próximos uns aos outros, e, muitas vezes, acabam tendo que frear seu ímpeto, pois o espaço acabou. Inclusive tenho dúvidas se existe um octógono com tamanho oficial para as sessões com sparring e defesa de quedas na grade. Fora isso, a famosa banheira de gelo, até pouco tempo atrás, era na laje da academia. Hoje desconheço. Nada contra a humildade e simplicidade, mas enquanto alguns usam criogenia, ainda estamos na era do gelo.

Acredito que um investimento maior na estrutura possa fazer com que os lutadores da Nova União evoluam mais. Ao nível em que chegaram, qualquer detalhe pode fazer a diferença. Não é somente de bons treinadores e suor que se faz um campeão. O espaço e tecnologia devem ser usados, além, é claro, da supervisão constante de médicos e nutricionistas para não prejudicar o lutador. Dedé Pederneiras sabe disso, mas acho que a estrutura deveria crescer. Acho também que deveriam ir treinar de vez em quando em outros países. Trocar experiências. Vários já fizeram isso e colheram frutos.

No próximo sábado, Renan Barão enfrenta TJ Dillashaw na tentativa de recuperar o cinturão dos galos. A luta será na casa do inimigo, em Sacramento, Califórnia.

Leia a entrevista de Ivan Raupp com Dedé Pederneiras:

http://sportv.globo.com/site/combate/noticia/2014/08/dede-se-rende-ao-mma-atual-ou-pensa-no-show-ou-fica-para-tras.html

 

Rafael dos Anjos supera Henderson

24 agosto, 2014 às 23:29  |  por Gustavo Kipper

O UFC Fight Night: Henderson vs Dos Anjos trouxe um resultado expressivo, e até certo ponto imprevisível, com a vitória do brasileiro Rafael dos Anjos sobre o ex-campeão dos pesos leves, o americano Ben Henderson.

Treinado pelo curitibano Rafael Cordeiro (Kings MMA), o brasileiro entrou com tudo e conseguiu a vitória por TKO, ainda no primeiro round. Oriundo da arte suave, Rafael mostrou uma trocação afiadíssima e muita explosão. Depois de uma joelhada voadora, que abalou Henderson, aplicou uma pesada combinação até sua mão esquerda acertar o queixo do ex-campeão, que caiu com as pernas dobradas. O brasileiro aproveitou a vantagem e finalizou a luta com mais alguns golpes.

O árbitro do combate, o veterano Big John McCarthy, entrou no centro de uma polêmica, pois teria terminado a luta cedo demais. Após a decisão de Big John, Henderson se levantou e começou a saltar, mostrando que tinha plenas condições de seguir no combate. Isso gerou descontentamento da plateia, que passou a vaiar a interrupção da luta. Mas a imagem não mente. Quando Big John parou o combate, Henderson tentava segurar suas pernas, mostrando que estava fora de ação. A meu ver, acertou o experiente árbitro.

Com a vitória, Rafael dos Anjos ganha novo fôlego após a derrota para Kabhib Nurmagomedov. Possivelmente esteja a mais uma ou duas lutas do tão sonhado title shot. Já Henderson deve cair no ranking dos leves e ter seu sonho de recuperar o cinturão adiado por tempo indeterminado.

UFC em dose dupla

22 agosto, 2014 às 17:03  |  por Gustavo Kipper

Após um período de marasmo e eventos de baixa qualidade, o UFC traz neste sábado (23) dois eventos com muita ação e cards bem honestos. Um na Ásia e o outro em solo americano.

Em Macau, República da China, Michael Bisping (24-6) e Cung Le (9-2) fazem o evento principal. Conhecido pelas provocações e trash talking, Bisping vem de derrota frustrante para Tim Kennedy, quando dominado pelo wrestling do americano. Já Cung Le, apesar de ter 42 anos, vem de duas vitórias, contra Patrick Coté e Rich Frankling. É a terceira vez que o UFC é realizado na China.

Ambos gostam da trocação. É uma luta boa para os fãs, mas pode ter efeitos muito negativos na carreira de Bisping, caso seja derrotado. Perder para um veterano pode atrasar por tempo indeterminado qualquer chance de disputar o cinturão. Campeão da terceira edição do The Ultimate Fighter, lutando nos meio-pesados, Bisping já tem 35 anos e sua carreira pode iniciar um declínio imediato. Suas lutas serão apenas combates espetáculo, sem almejar o título. Para Cung Le, a derrota não significa nada, já que não tem nada a provar nessas alturas. Uma vitória, quem sabe, mais lutas em contrato.

No co-main event, uma luta muito bem casada na categoria dos meio-médios. Tyron Woodley (13-3) busca redenção após derrota para Rory McDonald. Enfrenta o sul coreano Dong Hyun Kim (19-2-1) que busca a quinta vitória consecutiva. Único brasileiro no card, o meio-médio Alberto Mina enfrenta o japonês Shinsho Anzai.

O UFC Fight Night Macau começa cedo pela manhã: às 07h30min horário de Brasília.

CARD PRINCIPAL

Peso-médio (Até 84,4kg): Michael Bisping (84,4kg) x Cung Le (83,9 kg)

Peso-meio-médio (Até 77,6kg): Tyron Woodley (77,1kg) x Dong Hyun Kim (77,6kg)

Peso-leve (Até 70,8kg): Zhang Li Peng (70,3kg) x Brendan O’Reilly (70,3kg)

Peso-pena (Até 66,3kg): Ning Guangyou (66,3kg) x Yang Jianping (65,8kg)

CARD PRELIMINAR

Peso-meio-médio (Até 77,6kg): Wang Sai (77,1kg) x Danny Mitchell (77,6kg)

Peso-meio-médio (Até 77,6kg): Alberto Mina (77,1kg) x Shinsho Anzai (77,6kg)

Peso-galo (Até 61,7kg): Roland Delorme (61,7kg) x Yuta Sasaki (61,2kg)

Peso-meio-médio (Até 77,6kg): Wang Anying (77,1kg) x Colby Covington (77,6kg)

Peso-galo (Até 61,7kg): Yao Zhikui (61,2kg) x Royston Wee (61,7kg)

Peso-galo (Até 61,7kg): Elizabeth Phillips (61,7kg) x Milana Dudieva (61,2kg)

Press Conference:

 

Simulação no PS4:

 

Em Tulsa, estado de Oklahoma (OK), Ben Henderson (21-3) enfrenta o brasileiro Rafael dos Anjos (21-7).

É uma luta complicada para o ex- campeão dos pesos leves. Mesmo sendo o primeiro do ranking, ocupa uma posição desconfortável na tentativa de recuperar o cinturão. Com a luta entre Pettis e Melendez agendada, além de uma possível superluta contra Aldo, uma vitória não representa muito em seu árduo caminho. Além disso, a luta entre Eddie Alvarez e Donald Cerrone pode trazer o próximo desafiante ao título. Ou até mesmo seu futuro adversário. Para Rafael dos Anjos, atual quinto colocado, ganhar o coloca a duas ou três vitórias do title shot.

Thales Leites (23-4) e Wilson Reis (17-5) são os brasileiros do card. Enfrentam respectivamente o canadense Francis Carmont, nos médios, e o americano Joby Sanchez (6-0), nos moscas.

CARD PRINCIPAL

Peso-leve: Benson Henderson x Rafael dos Anjos

Peso-meio-médio: Jordan Mein x Mike Pyle

Peso-médio: Francis Carmont x Thales Leites

Peso-pena: Max Holloway x Clay Collard

Peso-leve: James Vick x Valmir Lázaro

Peso-leve: Chas Skelly x Tom Niinimaki

CARD PRELIMINAR

Peso-meio-médio: Neil Magny x Alex Garcia

Peso-leve: Beneil Dariush x Tony Martin

Peso-galo: Aaron Phillips x Matt Hobar

Peso-meio-médio: Ben Saunders x Chris Heatherly

Peso-mosca: Wilson Reis x Joby Sanchez

O UFC Fight Night: Henderson vs Dos Anjos começa às 20h30min. O canal Combat transmite os dois eventos ao vivo.

 

Eddie Alvarez fecha com o UFC

20 agosto, 2014 às 14:46  |  por Gustavo Kipper

O campeão dos pesos leves do Bellator, o americano Eddie Alvarez (25-3), é a nova contratação do UFC. Chega para enfrentar o cowboy Donald Cerrone (26-4-1), no co-main event do UFC 178, que traz como luta principal a disputa do cinturão dos moscas, entre o campeão Demetrius Johnson (20-2-1) e Chris Cariaso (17-5-0).

Eddie Alvarez é o nono colocado no ranking dos pesos-leves do Sherdog, e, sem dúvida, um dos mais talentosos da categoria. Suas duas batalhas contra Michael Chandler entraram na lista das melhores lutas da história e o combate contra Donald Cerrone promete um grande espetáculo. O vencedor, com certeza, entra em rota de colisão com o campeão.

Dessa vez, o Bellator não atrapalhou as negociações e liberou Alvarez incondicionalmente para assinar com o maior evento do mundo. Atualmente treinando entre os Blackzilians, na Flórida, Alvarez chega para deixar a disputa nos pesos-leves ainda mais acirrada.

Confira o ranking atual dos leves e alguns vídeos de Eddie Alvarez:

Campeão: Anthony Pettis

1) Benson Henderson

2) Gilbert Melendez

3) Khabib Nurmagumegov

4) Donald Cerrone

5) Rafael dos Anjos

6) Josh Thomsom

7) Bob Green

8) Jim Miller

9) Miles Jury

10) Michael Johson

11) Edson Barboza

12) Rustam Khabilov

13) Jorge Masvidal

14) Ross Pearson

15) Gray Mainard