Arquivo mensais:abril 2012

Cubano assina com o UFC e promete sacudir os pesos médios

25 abril, 2012 às 19:54  |  por Gustavo Kipper

Anderson Silva está invicto no UFC desde 2006. Em 10 disputas de cinturão, venceu todos os seus oponentes, tornando-se talvez a maior celebridade do MMA de todos os tempos.  O segredo de seu sucesso, além de suas habilidades como lutador, é o tempo de invencibilidade, que na verdade é o que faz o mito. Foi assim com Fedor Emelianenko e Wanderlei Silva – ambos passaram anos sem conhecer o gosto amargo da derrota.

A supremacia do UFC nos torneios de MMA ao redor do mundo cria a falsa sensação que toda a elite do esporte pertence à organização, ainda mais depois da aquisição do Strikeforce, e a aquisição e extinção do WEC. Porém, quem acompanha outros eventos, como o Bellator, sabe que existem lutadores que podem bater de frente com alguns dos principais campeões – como o próprio Anderson. A supremacia do UFC também passa por tentar contratar os melhores lutadores, independentemente de qual evento ele pertença. Foi com essa política que foram obrigados a assinar com o campeão dos pesos médios do Bellator, o ex-judoca olímpico Hector Lombard, cubano naturalizado australiano, que assim como Spider não perde há mais de seis anos, está invicto em 25 lutas, e seus adversários costumam não passar do primeiro round.

Embora existam bons nomes com chance de desafiar Anderson, como Belfort, Michael Bisping e Rich Franklin, que desceu de categoria, Hector não será apenas mais um, e na minha sincera opinião, somente ele e Belfort têm chances. Torçamos para que Anderson não se aposente antes de enfrentar Hector, na luta que seria uma verdadeira guerra.

Conheça mais Hector Lombard

Alistair Overeer suspenso por nove meses

25 abril, 2012 às 19:48  |  por Gustavo Kipper

Foi com uma defesa atrapalhada que os advogados do holandês tentaram impedir a pena de nove meses imposta pela Comissão Atlética de Nevada. Com a alegação de que o striker teria usado uma pomada anti-inflamatória, que continha testosterona, a defesa ruiu rapidamente, sendo impossível explicar um nível hormonal quase 15 vezes maior de que o de um atleta normal. A velha desculpa do médico incompetente e do atleta desavisado não cola mais, faz tempo. Alistair perdeu a grande oportunidade de sua vida, e agora terá um longo caminho de volta ao topo do ranking dos pesados. Assistirá pela televisão ao maior evento de pesos pesados que o UFC já organizou. Que sirva de lição a quem tenta trapacear.

UFC 148 e a entrevista coletiva no Rio

24 abril, 2012 às 16:31  |  por Gustavo Kipper

Com a placa em sua frente anunciando o evento UFC 148, Dana White, o homem da linha de frente da organização, encarou talvez uma das coletivas mais ímpares da história. Afinal, muita coisa tinha que ser explicada. Dana começou se desculpando pelo atraso, cerca de uma hora, mas logo colocou o fone da tradução e pediu que fosse alvejado. No começo, disse que tinha uma boa e outra má notícia. A boa era que a luta do ano seria em Las Vegas, a má era que Anderson não lutaria em casa. Ao seu lado direito, o campeão, a lenda Anderson Silva. Do esquerdo, o maior falastrão da história recente do MMA, o lutador que foi finalizado com o mesmo golpe, um triângulo, por Paulão Filho, Demiam Maia e o próprio Anderson, na primeira disputa. Chael Sonnen realmente é um personagem. Mas não merece mais linhas, pelo menos neste parágrafo.

A justificativa, além é claro da incompetência de parlamentares brasileiros, e de nossa falta de estrutura, era óbvia. Las Vegas é a capital mundial das lutas, dos shows, da jogatina e dos cassinos. Realmente fica difícil competir, e acho que acertaram, pois as coisas ficaram difíceis por aqui. A intransigência e a desorganização, a mesma da Copa do Mundo, espantou o UFC. Quando perguntado, Anderson Silva não escondeu sua frustração por não lutar no Brasil, mas afirmou que como um profissional e campeão, vai lutar onde for preciso, deixando claro que não haverá mais contestações. Dana, sempre com um sorriso meio apreensivo, disse que foi difícil convencer Anderson, mas que tinha achado uma maneira. Imagino que nosso campeão deva embolsar muito mais dinheiro do que o previsto. Com a frase “Quando Manny Pacquiao luta, ele não luta nas Filipinas, ele luta em Las Vegas”, White decretava que esse problema estava resolvido.

A passividade da maioria dos jornalistas permitiu que as coisas esfriassem, e só vieram à tona perguntas sobre a falação do oponente, deixando vários questionamentos. A coletiva foi curta e todos pareciam não ter questões a serem respondidas. Como eu queria estar lá! Dana mencionou que está trabalhando em colocar José Aldo no UFC 147, mas ninguém teve a competência de perguntar se seria Frank Edgar ou quem seria, nos deixando no escuro. Outra questão resolvida foi a confirmação de que as finais do TUF Brasil serão mesmo dia 23 de junho. Mas o local também não foi definido e ninguém sequer se deu ao trabalho de perguntar qual o estado com mais chances de abrigar o evento. Ficamos no escuro de novo.

Grande parte da entrevista foi recheada com o besteirol de Chael e da defesa do legado de Silva, que ironicamente foi invadido por roncos sarcásticos vindos de Sonnen, arrancando risadas de alguns e visivelmente o ódio de outros – e falo da imprensa mesmo. O cara sabe realmente como irritar as pessoas. Dana inclusive deixou bem claro, até envergonhado, que seu compatriota fala besteiras em demasiado, porém, defende dizendo que é o único em condições de pelo menos tentar tirar a invencibilidade do “Spider”. Discordo, acho que o cubano, campeão do Bellator, Hector Lombard, é o homem com a maior chance. Acredito que logo fará parte do elenco de lutadores do UFC e aí veremos. Outro que creio ter potencial é o próprio Vítor Belfort, além de Dan Henderson. Ambos, em uma revanche com Anderson, podem surpreender.

vídeo completo

 

Bellator 66: Maiquel Falcão na final do GP dos médios

23 abril, 2012 às 10:31  |  por Gustavo Kipper

Foi nessa nesta sexta-feira, dia 20, que dois brasileiros entraram no ringue do Bellator, em Cleveland, estado de Ohio. Ambos com o mesmo objetivo: chegar à final do GP em seus respectivos pesos. Mas o striker Thiago Michel, no peso pena, não lutou bem e foi derrotado pelo americano Brent Weedman. Quem salvou a noite para os brasileiros foi o peso médio Maiquel Falcão, que derrotou o russo Vyacheslav Vasilievsky. Agora, Maiquel enfrenta na final Andreas Spang, que nocauteou Brian Rogers na mesma noite.

Veja a vitória de Maiquel Falcão no Bellator:

http://youtu.be/oJOOa7nJxFY

Card principal:

- Eddie Alvarez derrotou Shinya Aoki por nocaute técnico no 1R;
- Brent Weedman derrotou Thiago Michel na decisão dividida dos juízes;
- Rick Hawn nocauteou Lloyd Woodard no 2R;
- Andreas Spang nocauteou Brian Rogers no 2R;
- Maiquel Falcão derrotou Vyacheslav Vyacheslav na decisão unânime dos juízes;

Card preliminar:

- Julian Lane finalizou Joe Heiland no 1R;
- Frank Caraballo nocauteou Donny Walker no 4R;
- John Hawk derrotou Marcus Vanttinen na decisão unânime dos juízes;
- Attila Vegh derrotou Dan Spohn na decisão dividida dos juízes;

Como foi o UFC 145: Jones vs Evans

22 abril, 2012 às 20:13  |  por Gustavo Kipper

Atlanta, estado da Geórgia, Estados Unidos. Foi no Phillips Arena que aconteceu uma das lutas mais aguardadas para o ano de 2012. Em jogo o título da categoria mais disputada do UFC, uma batalha de cinco rounds entre os meio pesados Jon Jones e Rashad Evans. Mesmo com toda a falação e troca de farpas, o combate foi o mais respeitoso possível, como se um resquício de amizade ainda existisse, de ambas as partes. Porém, Jones, aproveitando sua envergadura e sua técnica apurada, usou de forma inteligente seu arsenal, não sendo colocado sob pressão em nenhum momento. Controlou a luta com facilidade, deixando Rashad sem muitas opções. Jones ainda desferiu poderosas cotoveladas em pé, castigando o rosto do desafiante e garantindo mais uma defesa de cinturão. Agora Jon “Bones” Jones deverá enfrentar o imortal Dan Henderson, que vem de uma vitória contestada, porém histórica, sobre Maurício Shogun. É cosiderada uma das grandes lutas do UFC.

Nas lutas do card principal, alguns momentos muito interessantes, como o nocaute rápido e avassalador de Ben Rothwell sobre Brandon Schaub nos pesados, que sofreu seu segundo revés consecutivo e ficou em situação delicada. Outro que acumulou derrotas foi Mark Hominick, que foi derrotado pelo excelente jogo de Eddie Yagin. Quem promete sacudir os pesos meio médios é o canadense, companheiro de George St Pierre, Rory MacDonald, que pode ser em breve o desafiante da categoria. Mas quem espera ver a luta entre os amigos canadenses pode esquecer. St Pierre afirmou esta semana que pretende migrar para os pesos médios, deixando o caminho livre para seu pupilo. Mas antes, deverá botar em jogo seu cinturão contra Carlos Condit, ainda este ano. Isso que dizer que ainda veremos Anderson Silva vs Georges St Pierre. Já Pensou?

Confira os resultados do UFC 145: Jones vs Evans

Card principal:

- Jon Jones derrotou Rashad Evans por decisão unânime dos árbitros ;
- Rory MacDonald derrotou Che Mills por nocaute técnico no 2R;
- Ben Rothwell derrotou Brendan Schaub por nocaute técnico no 1R;
- Michael McDonald nocauteou Miguel Angel Torres no 1R;
- Eddie Yagin derrotou Mark Hominick por decisão unânime dos árbitros;
- Mark Bocek derrotou John Alessio por decisão unânime dos árbitros;

Card preliminar:

- Travis Browne finalizou Chad Griggs com um katagatame no 1R;
- Matt Brown derrotou Stephen Thompson por decisão unânime dos árbitros;
- Anthony Njokuani derrotou John Makdessi por decisão unânime dos árbitros;
- Mac Danzig derrotou Efrain Escudero por decisão unânime dos árbitros;
- Chris Clements derrotou Keith Wisniewski por decisão dividida dos árbitros;
- Marcus Brimage derrotou Maximo Blanco por decisão dividida dos árbitros;
Continuar lendo

José Aldo cogitado para lutar no UFC 147

22 abril, 2012 às 11:31  |  por Gustavo Kipper

Uma mudança de luta. Outra disputa de cinturão. É dessa forma que o UFC pretende substituir Anderson Silva. Outra polêmica tomou conta, nesse sábado, das redes sociais. Dana White teria dito que pretende colocar o brasileiro José Aldo para por em jogo seu cinturão. Os mais otimistas acreditam que pode ser Frank Edgar. Como possivelmente a luta entre Anderson e Chael Sonnen seja transferida para Las Vegas, em junho, essa seria a solução encontrada para conseguir encher a casa. Fãs de MMA já opinam fervorosamente nos fóruns de discussão e a opinião é quase sempre a mesma – melhor fazer no HSBC arena ou no Mineirinho. De qualquer forma, alguns lutadores disseram não se importar com a mudança. O Curitibano Wanderlei Silva, que enfrenta Vítor Belfort, disse que vai ganhar de qualquer forma.

Terça-feira, dia 24, haverá uma coletiva de imprensa, no Rio de janeiro, reunindo White, Anderson e Sonnen, que promete encerrar todas as confusões das últimas semanas.

Anderson vs Sonnen: a novela continua…

21 abril, 2012 às 21:37  |  por Gustavo Kipper

Segundo um dos principais portais de MMA do país, Anderson Silva estaria furioso com a mudança do local de sua luta contra o maior falastrão da atualidade, o americano Chael Sonnen. Se antes defender seu título no Brasil era uma motivação, a suposta mudança para Las Vegas tornou-se uma decepção. Boatos contam que Anderson até teria recusado a luta em território americano, tendo sua demissão sido colocada em pauta. Mas, assim como eu, muitos acreditam que, mesmo em Vegas, Anderson Silva vai com tudo, na luta de sua vida.

Chael Sonnen ganhou muito espaço na mídia com seu estilo provocador, falastrão, que inclusive passa por falar mal do Brasil e de sua gente – nós. Quem olha todo esse show pode acabar se irritando com o suposto desrespeito a seus adversários e ao Brasil, mas para um bom entendedor ele apenas copia o estilo dos lutadores americanos de telecatch, que utilizam desses artifícios para promover suas lutas. Sonnen, inclusive, já recebeu ameaças de morte, mas que, segundo consta, não são o principal motivo da mudança de local.

Como já havia comentado, o evento sobre sustentabilidade das Nações Unidas, o RIO + 20, ocupou grande parte dos hotéis da cidade, e, de outro lado, a pressão dos cassinos de Vegas, que oferecem grande quantias de verdinhas, foram suficientes para a organização do UFC mudar o local das lutas. O problema agora é a venda antecipada de ingressos para as finais do T.U.F Brasil. Se antes a ideia era um Engenhão lotado, com as revanches de Anderson Silva e dos treinadores Wanderlei Silva e Vítor Belfort, agora o evento fragmentado pode atrapalhar e muito a venda de ingressos. Agora uma luta em Minas e a outra em Nevada (EUA). O público que aguardava um show no Rio de Janeiro pode desistir facilmente de tentar comprar ingressos e assistir ao vivo, optando pela segurança e conforto do Pay Per View. Nesse contexto, apenas Minas Gerais pode comemorar.

 

 

UFC confirma: Júnior Cigano enfrentará Frank Mir

21 abril, 2012 às 21:16  |  por Gustavo Kipper

Após toda a polêmica envolvendo o teste antidoping do holandês Alistair Overeem, o UFC voltou atrás e confirmou nesta madrugada o seu substituto pela disputa do cinturão dos pesos pesados, dia 26 de maio, em Las Vegas.
O americano Frank Mir foi anunciado, acalmando parte dos fãs e dando direção aos treinamentos do campeão, o brasileiro Júnior Cigano, que até então treinava para lutar contra o striker holandês. O jogo de Mir é muito diferente e com certeza deve afetar a estratégia de Cigano.

Considerado um dos melhores boxers do MMA, Cigano agora se depara com um lutador muito mais completo no jogo de wrestling e jiu-jitsu, justamente os pontos fracos de Overeem. Se antes o plano B era a finalização, creio que agora o plano A, mais do que nunca, é o nocaute. Não sei se existe um plano B. Uma luta de solo com o americano seria perigosa. Basta lembrarmos como Rodrigo Minotauro foi finalizado, mostrando que Mir não pode ser subestimado em nenhuma área. Mir também já havia nocauteado Minotauro no primeiro confronto, além de também vencer outros strikers famosos, como Mirko Cro Cop, por nocaute. Sua indicação faz justiça, pelo menos entre os pesos pesados e fãs do esporte. Para muitos brasileiros, inclusive para Cigano, Frank Mir é o nome mais coerente, devido à sequência de vitórias dentro do octógono. É a chance de Cigano vingar Minotauro, seu amigo e parceiro de treinos.

Ainda sobram indefinições que prometem ser esclarecidas na coletiva de imprensa marcada para o dia 24 de abril, no Rio. No evento, espera-se que Dana White anuncie o local das finais do Ultimate Fighter Brasil, originalmente marcado para o Engenhão, e, possivelmente, transferido para o Mineirinho, em Belo Horizonte. Mais o local da revanche entre Anderson Silva e Chael Sonnen, possivelmente em Las Vegas, e o novo adversário de Cain Velasquez. Dúvidas que vêm manchando a credibilidade da organização, pelo menos entre os brasileiros, os mais prejudicados com as indefinições.

UFC 145 – Jones vs Evans

19 abril, 2012 às 23:00  |  por Gustavo Kipper

Sem brasileiros no card do evento, o UFC 145 chega nesse sábado a Atlanta, na Geórgia (EUA), para 12 combates e uma disputa de cinturão. Alguns lutadores, como Mark Hominick e Brendan Schaub, vêm de derrota e precisam vencer suas lutas para não acabarem no Strikeforce. Duas lutas poderão ser assistidas pelo Facebook, na página do evento. A expectativa é que seja superior em técnica à edição passada, realizada na Suécia, considerada por mim, e por muitos, uma edição fraca, apesar do card principal ter sido promissor. As lutas que envolvem disputa de títulos são disputadas em 5 rounds de 5 minutos, o que torna o confronto uma batalha quando colidem lutadores desse calibre.

Apesar do favoritismo de Jones nas bolsas de apostas, muito ex-campeões acreditam que se Rashad conseguir encurtar a distância e dominar as quedas, pode vencer o combate. Minha opinião: não passa do quarto round e, como Rampage, Jackson, será castigado com cotoveladas giratórias, high kicks e um ground and pound cruel.

Já estão disponíveis a edição do “Primetime” com os lutadores e o “Countdown”, documentários criados pela organização para promover as lutas e mostrar como foram a preparação e a superação dos atletas.

Tire sua própria conclusão.

UFC Primetime parte 1:

http://youtu.be/g6TfLpcOHEY

UFC Primetime parte 2:

http://youtu.be/3NR80bOxtVU

Countdown UFC 145:

http://youtu.be/KuecV6xsLEo

CARD PRINCIPAL
Categoria meio-pesado: Jon Jones (93kg) x Rashad Evans (92,5kg)
Categoria meio-médio: Rory MacDonald (76,9kg) x Che Mills (77,1kg)
Categoria pesado: Brendan Schaub (107,5kg) x Ben Rothwell (119,2kg)
Categoria galo: Miguel Angel Torres (61,4kg) x Michael McDonald (61,2kg)
Categoria pena: Mark Hominick (65,5kg) x Eddie Yagin (65,5kg)
Categoria leve: Mark Bocek (70,3kg) x John Alessio (70,5kg)

CARD PRELIMINAR
Categoria pesado: Travis Browne (114kg) x Chad Griggs (112,5kg)
Categoria meio-médio: Matt Brown (77,6kg) x Stephen Thompson (77,6kg)
Categoria leve: John Makdessi (71,7kg) x Anthony Njokuani (70,8kg)
Categoria leve: Mac Danzig (70,8kg) x Efrain Escudero (70,8kg)
Categoria meio-médio: Chris Clements (76,6kg) x Keith Wisniewski (77,3kg)
Categoria pena: Marcus Brimage (65,8kg) x Maximo Blanco (66,2kg

Quando um não quer…dois não lutam

19 abril, 2012 às 11:47  |  por Gustavo Kipper

Mais uma edição do UFC acontece em território americano, neste sábado. Nele estará em jogo o cinturão da categoria mais disputada do evento. Já foram donos desse cinturão nomes como Chuck Liddel, Randy Couture, Lyoto Machida, Maurício Shogun e Rashad Evans. O último dessa lista é também um dos lutadores mais menosprezados do MMA, segundo Dana White, e terá mais uma chance de ser campeão. Do outro lado, a maior revelação do esporte nos últimos anos – Jon “Bones” Jones. O combate entre os dois lutadores traz novamente uma discussão que gera muita polêmica, principalmente entre os coaches de equipes consagradas como a Jackson´s MMA. Companheiros de treino devem se enfrentar?

Foi nesse grupo que os dois foram formados e dividiram muitos momentos de treinos e descontração. Eram amigos, mas quando nenhum dos dois pensa em abrir mão de ser campeão, a luta está marcada. Rashad Evans abandonou a equipe e hoje treina na “Blackzilians”, sob o comando do mestre Zé Mario Sperry. O que gerou tamanha decepção está no fato de ter ouvido garantias do seu ex- treinador, o consagrado Greg Jackon, responsável por formar vários campeões e que sábado estará no córner de Jones. Ele teria dito a Rashad para não se preocupar, que o time era muito unido e que nunca iriam se enfrentar. Jon inclusive teria dito o mesmo semana antes de marcar a luta, mas quando Jones foi escalado para substituir Evans contra Maurício Shogun, os dois foram colocados em rota de colisão.

Muitos brasileiros já afirmaram que nunca enfrentariam companheiros de equipe. Wanderlei Silva disse que nunca enfrentaria Shogun, Rodrigo Minotauro disse que nunca lutaria com Júnior dos Santos, abrindo mão do título da categoria, e assim temos vários exemplos. Mas às vezes as coisas não funcionam com tanta tranquilidade. Vítor Belfort desafiou seu ex-companheiro de treino, o campeão Anderson Silva, e deixou o “Spider” furioso, gerando muita discussão e ânimos acirrados até o abraço ao final do combate. Aí todo mundo fica humilde. Cena parecida pode figurar no final da decisão. Os dois já trocaram farpas sérias em um programa na TV americana, mas ambos já afirmaram que a espera pela luta já acalmou os ânimos. A verdade é que quando há dois atletas de ponta no mesmo peso, é um desperdício um dos dois abdicar de chegar ao topo da carreira, preservando a amizade. Amizade é mais que isso. Segundo o ex-campeão, o americano Chuck Liddel, isso não existe e dois amigos podem se enfrentar e sair depois para tomar umas juntos numa boa. De qualquer forma, só um sairá campeão e talvez Rashad seja o único que pode parar Jon Jones. Caso fracasse, Jon Jones vai varrer a categoria dos meio pesados. Ele mesmo já cogita desafios contra pesos pesados, ideia descartada momentaneamente pelo UFC.