Arquivo da tag: UFC 145

Como foi o UFC 145: Jones vs Evans

22 abril, 2012 às 20:13  |  por Gustavo Kipper

Atlanta, estado da Geórgia, Estados Unidos. Foi no Phillips Arena que aconteceu uma das lutas mais aguardadas para o ano de 2012. Em jogo o título da categoria mais disputada do UFC, uma batalha de cinco rounds entre os meio pesados Jon Jones e Rashad Evans. Mesmo com toda a falação e troca de farpas, o combate foi o mais respeitoso possível, como se um resquício de amizade ainda existisse, de ambas as partes. Porém, Jones, aproveitando sua envergadura e sua técnica apurada, usou de forma inteligente seu arsenal, não sendo colocado sob pressão em nenhum momento. Controlou a luta com facilidade, deixando Rashad sem muitas opções. Jones ainda desferiu poderosas cotoveladas em pé, castigando o rosto do desafiante e garantindo mais uma defesa de cinturão. Agora Jon “Bones” Jones deverá enfrentar o imortal Dan Henderson, que vem de uma vitória contestada, porém histórica, sobre Maurício Shogun. É cosiderada uma das grandes lutas do UFC.

Nas lutas do card principal, alguns momentos muito interessantes, como o nocaute rápido e avassalador de Ben Rothwell sobre Brandon Schaub nos pesados, que sofreu seu segundo revés consecutivo e ficou em situação delicada. Outro que acumulou derrotas foi Mark Hominick, que foi derrotado pelo excelente jogo de Eddie Yagin. Quem promete sacudir os pesos meio médios é o canadense, companheiro de George St Pierre, Rory MacDonald, que pode ser em breve o desafiante da categoria. Mas quem espera ver a luta entre os amigos canadenses pode esquecer. St Pierre afirmou esta semana que pretende migrar para os pesos médios, deixando o caminho livre para seu pupilo. Mas antes, deverá botar em jogo seu cinturão contra Carlos Condit, ainda este ano. Isso que dizer que ainda veremos Anderson Silva vs Georges St Pierre. Já Pensou?

Confira os resultados do UFC 145: Jones vs Evans

Card principal:

- Jon Jones derrotou Rashad Evans por decisão unânime dos árbitros ;
- Rory MacDonald derrotou Che Mills por nocaute técnico no 2R;
- Ben Rothwell derrotou Brendan Schaub por nocaute técnico no 1R;
- Michael McDonald nocauteou Miguel Angel Torres no 1R;
- Eddie Yagin derrotou Mark Hominick por decisão unânime dos árbitros;
- Mark Bocek derrotou John Alessio por decisão unânime dos árbitros;

Card preliminar:

- Travis Browne finalizou Chad Griggs com um katagatame no 1R;
- Matt Brown derrotou Stephen Thompson por decisão unânime dos árbitros;
- Anthony Njokuani derrotou John Makdessi por decisão unânime dos árbitros;
- Mac Danzig derrotou Efrain Escudero por decisão unânime dos árbitros;
- Chris Clements derrotou Keith Wisniewski por decisão dividida dos árbitros;
- Marcus Brimage derrotou Maximo Blanco por decisão dividida dos árbitros;
Continuar lendo

José Aldo cogitado para lutar no UFC 147

22 abril, 2012 às 11:31  |  por Gustavo Kipper

Uma mudança de luta. Outra disputa de cinturão. É dessa forma que o UFC pretende substituir Anderson Silva. Outra polêmica tomou conta, nesse sábado, das redes sociais. Dana White teria dito que pretende colocar o brasileiro José Aldo para por em jogo seu cinturão. Os mais otimistas acreditam que pode ser Frank Edgar. Como possivelmente a luta entre Anderson e Chael Sonnen seja transferida para Las Vegas, em junho, essa seria a solução encontrada para conseguir encher a casa. Fãs de MMA já opinam fervorosamente nos fóruns de discussão e a opinião é quase sempre a mesma – melhor fazer no HSBC arena ou no Mineirinho. De qualquer forma, alguns lutadores disseram não se importar com a mudança. O Curitibano Wanderlei Silva, que enfrenta Vítor Belfort, disse que vai ganhar de qualquer forma.

Terça-feira, dia 24, haverá uma coletiva de imprensa, no Rio de janeiro, reunindo White, Anderson e Sonnen, que promete encerrar todas as confusões das últimas semanas.

UFC 145 – Jones vs Evans

19 abril, 2012 às 23:00  |  por Gustavo Kipper

Sem brasileiros no card do evento, o UFC 145 chega nesse sábado a Atlanta, na Geórgia (EUA), para 12 combates e uma disputa de cinturão. Alguns lutadores, como Mark Hominick e Brendan Schaub, vêm de derrota e precisam vencer suas lutas para não acabarem no Strikeforce. Duas lutas poderão ser assistidas pelo Facebook, na página do evento. A expectativa é que seja superior em técnica à edição passada, realizada na Suécia, considerada por mim, e por muitos, uma edição fraca, apesar do card principal ter sido promissor. As lutas que envolvem disputa de títulos são disputadas em 5 rounds de 5 minutos, o que torna o confronto uma batalha quando colidem lutadores desse calibre.

Apesar do favoritismo de Jones nas bolsas de apostas, muito ex-campeões acreditam que se Rashad conseguir encurtar a distância e dominar as quedas, pode vencer o combate. Minha opinião: não passa do quarto round e, como Rampage, Jackson, será castigado com cotoveladas giratórias, high kicks e um ground and pound cruel.

Já estão disponíveis a edição do “Primetime” com os lutadores e o “Countdown”, documentários criados pela organização para promover as lutas e mostrar como foram a preparação e a superação dos atletas.

Tire sua própria conclusão.

UFC Primetime parte 1:

http://youtu.be/g6TfLpcOHEY

UFC Primetime parte 2:

http://youtu.be/3NR80bOxtVU

Countdown UFC 145:

http://youtu.be/KuecV6xsLEo

CARD PRINCIPAL
Categoria meio-pesado: Jon Jones (93kg) x Rashad Evans (92,5kg)
Categoria meio-médio: Rory MacDonald (76,9kg) x Che Mills (77,1kg)
Categoria pesado: Brendan Schaub (107,5kg) x Ben Rothwell (119,2kg)
Categoria galo: Miguel Angel Torres (61,4kg) x Michael McDonald (61,2kg)
Categoria pena: Mark Hominick (65,5kg) x Eddie Yagin (65,5kg)
Categoria leve: Mark Bocek (70,3kg) x John Alessio (70,5kg)

CARD PRELIMINAR
Categoria pesado: Travis Browne (114kg) x Chad Griggs (112,5kg)
Categoria meio-médio: Matt Brown (77,6kg) x Stephen Thompson (77,6kg)
Categoria leve: John Makdessi (71,7kg) x Anthony Njokuani (70,8kg)
Categoria leve: Mac Danzig (70,8kg) x Efrain Escudero (70,8kg)
Categoria meio-médio: Chris Clements (76,6kg) x Keith Wisniewski (77,3kg)
Categoria pena: Marcus Brimage (65,8kg) x Maximo Blanco (66,2kg

Quando um não quer…dois não lutam

19 abril, 2012 às 11:47  |  por Gustavo Kipper

Mais uma edição do UFC acontece em território americano, neste sábado. Nele estará em jogo o cinturão da categoria mais disputada do evento. Já foram donos desse cinturão nomes como Chuck Liddel, Randy Couture, Lyoto Machida, Maurício Shogun e Rashad Evans. O último dessa lista é também um dos lutadores mais menosprezados do MMA, segundo Dana White, e terá mais uma chance de ser campeão. Do outro lado, a maior revelação do esporte nos últimos anos – Jon “Bones” Jones. O combate entre os dois lutadores traz novamente uma discussão que gera muita polêmica, principalmente entre os coaches de equipes consagradas como a Jackson´s MMA. Companheiros de treino devem se enfrentar?

Foi nesse grupo que os dois foram formados e dividiram muitos momentos de treinos e descontração. Eram amigos, mas quando nenhum dos dois pensa em abrir mão de ser campeão, a luta está marcada. Rashad Evans abandonou a equipe e hoje treina na “Blackzilians”, sob o comando do mestre Zé Mario Sperry. O que gerou tamanha decepção está no fato de ter ouvido garantias do seu ex- treinador, o consagrado Greg Jackon, responsável por formar vários campeões e que sábado estará no córner de Jones. Ele teria dito a Rashad para não se preocupar, que o time era muito unido e que nunca iriam se enfrentar. Jon inclusive teria dito o mesmo semana antes de marcar a luta, mas quando Jones foi escalado para substituir Evans contra Maurício Shogun, os dois foram colocados em rota de colisão.

Muitos brasileiros já afirmaram que nunca enfrentariam companheiros de equipe. Wanderlei Silva disse que nunca enfrentaria Shogun, Rodrigo Minotauro disse que nunca lutaria com Júnior dos Santos, abrindo mão do título da categoria, e assim temos vários exemplos. Mas às vezes as coisas não funcionam com tanta tranquilidade. Vítor Belfort desafiou seu ex-companheiro de treino, o campeão Anderson Silva, e deixou o “Spider” furioso, gerando muita discussão e ânimos acirrados até o abraço ao final do combate. Aí todo mundo fica humilde. Cena parecida pode figurar no final da decisão. Os dois já trocaram farpas sérias em um programa na TV americana, mas ambos já afirmaram que a espera pela luta já acalmou os ânimos. A verdade é que quando há dois atletas de ponta no mesmo peso, é um desperdício um dos dois abdicar de chegar ao topo da carreira, preservando a amizade. Amizade é mais que isso. Segundo o ex-campeão, o americano Chuck Liddel, isso não existe e dois amigos podem se enfrentar e sair depois para tomar umas juntos numa boa. De qualquer forma, só um sairá campeão e talvez Rashad seja o único que pode parar Jon Jones. Caso fracasse, Jon Jones vai varrer a categoria dos meio pesados. Ele mesmo já cogita desafios contra pesos pesados, ideia descartada momentaneamente pelo UFC.