Criticado, Marcelo Oliveira é o melhor técnico do Brasil

05, março 2012 por Napoleão de Almeida

TAGS

Criticado aqui, reconhecido na Holanda

Marcelo Oliveira vive um dos momentos mais difíceis desde que chegou ao Coritiba, comparado mesmo somente à sua chegada, no início de 2011, para substituir o admirado Ney Franco. Oliveira, mesmo sem perder em Campeonatos Paranaenses desde o ano passado (e o Coxa há 45 jogos) e tendo ganho um título estadual e chegado a decisão da Copa do Brasil 2011, nunca foi unanimidade. Bastou o Coritiba perder rendimento e a pressão sobre ele tornou-se enorme. Mas, em contrapartida, o IFCstat, grupo de estudos e análises holandês, coloca Marcelo Oliveira como o melhor técnico do Brasil no momento e o 14o do Mundo.

Clique para ler o ranking completo

Marcelo está a frente de Muricy Ramalho, campeão da Libertadores pelo Santos, do badalado Wanderley Luxemburgo e do campeão brasileiro Tite, do Corinthians. Está a frente de grandes nomes, como Marcelo Bielsa, do Athletic Bilbao, e de ex-craques como Didier Deschamps (campeão mundial com a França em 98) técnico do Olympique Marseille. Pep Guardiola (Barcelona), José Mourinho (Real Madrid) e Alex Ferguson (Manchester United) encabeçam a lista.

A base do estudo são as últimas 52 semanas de trabalho e os resultados entre elas. O fato de o Coritiba ser um time de porte médio no Brasil e ter o desempenho que teve em 2011 (período ainda em vigor na soma de pontos) o fazem somar mais na proporção do que se dirigisse um clube maior potencial em outros países, casos dos campeões mundiais Liverpool e Borussia Dortmund. O estudo leva em conta o tamanho do desafio do técnico. Marcelo Oliveira soma 8100 pontos. Arsene Wenger, do Arsenal, está em 9o. com 8601.

Fato é que se o desempenho do Coxa não agrada a torcida, a continuidade do trabalho premia Marcelo Oliveira com esse status individual. Toda e qualquer análise sobre o desempenho dele no comando alviverde tem que passar pela reformulação do elenco.

Mas é importante dizer que é atribuição do treinador fazer o time jogar, seja qual elenco ele tiver nas mãos. Quando Ney Franco era treinador do Atlético, em 2008, eu o entrevistei logo após a venda de Ferreira e Clayton, quando o Furacão estabelecia o recorde (já quebrado pelo Coritiba de Marcelo Oliveira) de vitórias seguidas em campeonatos paranaenses. Ney, sem lamentar o “desmanche”, me disse: “Sou técnico. Tenho que treinar quem está aí para fazer o melhor.” O time até seguiu jogando bem, mas acabou vice-campeão.

Curiosidade: Juan Ramón Carrasco, técnico do Atlético, aparece na 307a. posição. Ricardinho, do Paraná, ainda não disputou nenhum jogo oficial e não está no ranking.

Comentários