18º

Estudo revela qualidades nutricionais de morango

Fruta previne câncer e ajuda a retardar o envelhecimento

09/06/09 às 00:00   |  Redação Bem Paraná

Sabe aquela fruta vermelha e doce muito utilizada na decoração de bolos e fabricação de geleias? Uma pesquisa realizada pela engenheira de alimentos Cláudia Degáspari e pela ex-aluna da UTP Éricka Quinato, revelou que além de bonito e gostoso, o morango também possui aspectos nutricionais e funcionais muito importantes. “Os resultados obtidos nesta pesquisa, quer sejam positivos ou negativos, são de suma importância para a comunidade científica e para o público em geral, visto que podem aparecer detalhes que indiquem características nutricionais importantes ou aspectos toxicológicos ainda desconhecidos.”

 

Cláudia Degáspari, que é professora doutora do curso de Nutrição da Universidade Tuiuti do Paraná há 13 anos, trabalha no desenvolvimento de produtos alimentícios e orienta os acadêmicos em seus Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC). “Fui orientadora da aluna Éricka Quinato de Nutrição e tivemos a curiosidade de pesquisar e dar ênfase ao morango. Existem muitos estudos sobre frutas, mas, pouco se sabe sobre o morango. Foi um trabalho bem elaborado e aceito, inclusive, para publicação”, conta a professora. 

 

Segundo a professora, o morango, o suco de uva e o vinho, apresentam substâncias que colaboram na melhora do perfil lipídico do sangue fazendo com que os níveis do mau colesterol (LDL) abaixem e os do bom colesterol (HDL) aumentem. “Além disto, estudos feitos nos últimos 10 anos comprovam o potencial das substâncias denominadas compostos fenólicos, presentes no morango em grande quantidade. Entre estes compostos, há uma substância chamada antocianina, responsável pela coloração avermelhada nas frutas. São propriedades muito interessantes. Estudos comprovam a sua eficiência no combate ao câncer, bem como no retardamento do envelhecimento precoce, pois evita a formação de radicais livres, que causam o envelhecimento de uma forma generalizada.”

 

Doenças como a malária, câncer, artrite e diabetes estão diretamente ligadas à produção desses radicais livres, podendo ser combatidas por propriedades antioxidantes presentes nos compostos fenólicos encontradas no morango.

 

Estão sendo feitas pesquisas na Coréia sobre o ácido elágico, um outro composto presente no grupo dos fenólicos. Foi apresentado em Nova York um trabalho sobre o assunto, no qual foi verificado que esta substância presente no morango previne a destruição do colágeno, responsável pela elasticidade e envelhecimento da pele, bem como do organismo em geral. “É uma descoberta recente, mas em breve teremos grandes avanços com relação a isso. Não apenas na área alimentícia, mas também na área de cosméticos.” Cláudia conta que foram feitos experimentos para testar o ácido elágico não somente com ratos, mas também com pele humana. E foi verificado que após a aplicação desse ácido a pele fica prevenida da ação do raio ultravioleta do tipo B, que é o prejudicial.

 

Além dos compostos fenólicos, o morango apresenta uma característica muito interessante que diz respeito ao teor de fibras, que são divididas em dois grupos: as fibras solúveis e as insolúveis. As solúveis ao entrar em contato com o organismo absorvem água e combatem o mau colesterol. Já as insolúveis, presentes nas sementes do morango, não têm capacidade para absorver a água, mas aumentam o movimento da parede intestinal, ajudando a combater a constipação, ou seja, o ‘intestino preso’. “Isso é extremamente importante, pois quanto menos tempo as pessoas ficarem com as fezes retidas no organismo, melhor. Muitas vezes as fezes contém substâncias que podem induzir o câncer de intestino. Logo, quanto mais mobilidade intestinal, melhor será para o organismo,” explica a professora.

 

Apesar de todos os benefícios do morango, ele apresenta alguns problemas chamados de fatores antinutricionais. A presença do ácido oxálico, que aumenta a incidência de cálculos renais e o ácido acetílico, que provoca alergia em determinadas pessoas. “Mas é claro, somente quando ingerido em grandes quantidades.”

 

A professora explica que o morango é uma fruta muito sensível. Apresenta um revestimento muito frágil na superfície, que protege contra o ataque dos fungos. “Esta fruta é muito suscetível a ter essa parede superficial danificada, por isso que ele é vendido dentro de bandejinhas.” A sua conservação deve ser feita à temperatura de 0 ºC, com umidade relativa de 90% e o tempo de conservação pode ser de 2 a 5 dias.

 

O trabalho realizado em parceria é um levantamento bibliográfico sobre as pesquisas atuais com relação ao morango e seus componentes nutricionais. Segundo a professora, estudos sobre frutas vermelhas têm crescido muito nos últimos dez anos, porém, estão dispersos na literatura nacional e internacional. “Às vezes o estudo de pesquisa bibliográfica não é muito valorizado, mas ele traz muitos benefícios, pois faz uma busca atualizada sobre os estudos em geral.”

 

“Os resultados obtidos nesta pesquisa, quer sejam positivos ou negativos, são de suma importância para a comunidade científica e para o público em geral, visto que podem aparecer detalhes que indiquem características nutricionais importantes ou aspectos toxicológicos ainda desconhecidos.”

 

 

Confira na íntegra a pesquisa feita sobre os aspectos funcionais e nutricionais do morango:

http://ojs.c3sl.ufpr.br/ojs2/index.php/academica/article/viewFile/11660/8219

 

Publicidade
0 Comentário