Quando, depois da separação, a guarda dos filhos fica com o pai

Advogados da área familiar já perceberam que cada vez mais os homens estão “brigando” para conseguir esse direito, e vencendo

07/08/09 às 00:00 - Atualizado às 14:14   |  Da Redação
Era assim até algumas décadas. O casamento acabava, e a guarda dos filhos ia quase que naturalmente para a mãe. Há algumas décadas, poucos pais se propunham a brigar na Justiça pela guarda dos filhos. Há algumas décadas, pais e mães eram diferentes. Nas últimas décadas, a situação começou a dar sinais de mudança. Ainda que tênue, houve uma clara predisposição do pai em ficar com a guarda dos filhos, fator que se mantém nos dias atuais. Se ainda não existem números que quantifique esse caminho, quem trabalha na área, confirma.

“O que existe é uma mudança de perfil tanto do pai quanto da mãe, quando eles se separam. A mãe sabe que também tem uma carreira para cuidar e o pai está mais disposto a assumir as tarefas com os filhos”, explica a presidente do Instituto Brasileiro de Direito de Família, seção Paraná (IBDFAM-PR), a advogada Adriana Aranha Hapner, apoiando a tese percebida pelos advogados de Família.

Em 1998, o chefe de compras Edson dos Santos, hoje com 39 anos, se separou, e ficou com a guarda da filha do casal. Mayara, agora com 13 anos, tinha apenas dois quando os pais se separaram. “Temos uma ótima relação, somos amigos. A Mayara é a minha inspiração para acordar todos os dias”, conta. “Até aprendi a cozinhar”, brinca o pai. O paizão tem outro relacionamento, mas nunca deixou de ter a filha como prioridade.

Para ficar com a guarda, precisou adaptar a vida e até os costumes. “Eu tive o apoio da empresa que eu trabalhava na época, que compreendeu a situação e me deixou cuidar dela. Sozinho eu tinha que trocar fraldas, dar papinhas, preparar mamadeiras, trabalhar. Mas foi gratificante”, lembra. “Mais tarde, consegui colocar ela numa escolinha e foi justamente isso que me deu pontos positivos no momento da decisão do juiz para declarar quem ficaria com a guarda da criança”, acrescenta.

De acordo com Adriana, é exatamente essa dedicação que conta para a decisão judicial. “Os juízes levam em consideração o benefício que a criança vai ter, mas não é só na questão financeira, é também a questão de estrutura para o desenvolvimento dela”, afirma.
No ginecologista — O chefe de compras lembra-se de outras situações que ele precisou enfrentar, e para a qual teve que se adaptar também. A primeira vez que levou Mayara ao ginecologista. “Na sala de espera estavam as mães e suas filhas, e somente eu de homem aguardando. Quando a médica chamou a Mayara, ela esperava uma mãe acompanhar a filha e foi um misto de surpresa e contentamento da médica quando entramos eu e ela na sala de consulta”, conta Edson. “Ela nos disse que foi a primeira vez que um pai trazia sua filha para uma consulta ginecológica”, orgulha-se.

“Em épocas comemorativas na creche, como o Dia das Mães, pra Mayara não ficar triste, já que todas as crianças estavam com suas mães, eu estava lá, recebendo a homenagem, e isso era muito importante pra ela para não se sentir abandonada. Algumas vezes a emoção tomava conta e as lágrimas eram inevitáveis”, recorda.

Publicidade
14 Comentários
  • Marcelo 22/11/13 às 22:39
    Meu comentário é para o Alexandre que está separado à 7 meses e não consegue ver os filho, meu caro vá atrás dos seus direitos, como pai ela não pode por lei lhe impedir de ver os próprios filhos, e mais, conforme você leu aqui nesse blog, hoje em dia, dependendo da situação de cada um, o próprio pai poe ficar com a guarda das crianças, se ela submete os próprios filhos à coerção moral e/ou física isso pode ser averiguado e quem sabe você consiga a guarda. Procure um advogado, se não tiver condições o estado pode providenciar um
  • alexandre 22/11/13 às 20:31
    estou separado a 7 meses nesse periodo nao consigo ver meus 2 filhos, a mae coagiu meus filhos de certa forma, que se eles fossem na casa da vó no qual onde eu resido que e cerca de 200m ela daria ma surra neles, comprei um celular para cada um deles, por sua vez ela tomou e mantem trancado com ela nao permitindo que eles falem comigo, a cerca de um mes atras conseguir ve-los porem por 5 minutos o que fazer pois ela esta fazendo de tudo para eu tomar atitudes desapropriada, o que fazer gostaria de uma orientaçao para entra em juizo
  • daniela 07/02/10 às 22:29
    Olá querido pai da Mayara, queria primeiramente parabenizá-lo pelo grande pai que vc é, mas gostaria de saber pq a mãe foi excluída de todos esses momentos? Opção dela?
    Sou mãe e estou me separando tb, mas participo ao pai do filho todos os momentos possíveis.
    Não seria injusto privar a mãe de participar?
  • Gilmar Henrique Matte 10/11/09 às 23:56
    Olha,semana passada minha ex mulher simplesmente disse que ia embora e levaria meu filho de 4 anos junto eo fez alegando ser dela o direito da guarda. Fugiu a noite para Florianópolis distante + ou - 600km, pois moro em Novo Hamburgo/RS, para morar de favor, fazer ¨bico¨de manicure, e deixar meu nene com a sogra de uma prima que ela quase nunca teve contato. E agora o que faço?
  • Vitor 13/10/09 às 10:07
    Estou passando pelo mesmo caso, nao sou casado no papel , em dezembro vai fazer 6 anos de uniao, mas minha esposa quer se separar, e vou brigar pela guarda da minha filha de 4 anos, espero conseguir, e ter a mesma sorte.
  • REGINALDO 05/10/09 às 12:05
    ESTOU SEPARADO A 5 ANOS MEU FILHO FICOU COMIGO NA EPOCA ELE TINHA 3 ANOS HOJE ESTA COM 8 . A mae dele entrou com separacao litigiosa quando, saiu a separacao e nao consta nada sobre o filho que temos nem os bens isso é normal.
  • Luceli 29/08/09 às 01:17
    seria tanta coisa boa pra falar a seu respeito...mas em poucas palavras "Parabéns por vc ser um grande exemplo de como ser um verdadeiro Pai"...eu sempre fui uma mãe e pai de meus filhos; e hj te admiro muito por sua fibra, e sei que a Mayara vai ser grata a vc pelo resto de sua vida...bjuxxxx
  • carlos cesar 28/08/09 às 22:25
    vcx ta de parabens eu tambem to pasando pelo mesmo casa e eu me orgulho de vc
  • Jéssika Ribeiro 07/08/09 às 15:06
    Edson Pai Amigo, um exemplo para qualquer um!
    É de admirar o relacionamento de pai e filha, uma alegria só, um brilho no olhar, uma família perfeita!
    Nossa como passa rápido em, parece que foi ontem que o Edson ia buscar a Mayara na escolinha e sentava do ladinho dela ensinando a lição de casa, dizendo o que é certo e o que é errado, ela tem uma educação inigualável e um doce de menina.
  • Adriane 07/08/09 às 11:05
    Legal a historia do Edson,parabenizo a reportagem por ter colocado o assunto em pauta pois uma grande maioria dos pais não se atentam sobre essa questão. Claro que cada caso deve ser analisado com muito critério, e as condições de cada pai ou mãe em atender as necessidades dos filhos.
  • Fabiana 07/08/09 às 11:01
    Parabéns Edson, vc realmente é um batalhador e prova que não só as mulheres como os homens também podem educar e criar seus filhos sem problemas alguns.
    Vc é uma raridade, os tempos estão mudando, mas na verdade num é uma falta de mostrar que são capazes, mas os homens num querem é responsabilidade.
  • Marcia Selenko 07/08/09 às 10:04
    Quero dar os parabéns ao Edson.
    Sou separada tenho 4 filhos e sei como não é facíl, mas para as mães é menos difícil, um homen assumir este papél é admiravel.
  • Suellen Ferreira 07/08/09 às 09:26
    Gostaria de parabenizá-los por essa matéria, pois é um incentivo para os pais lutarem pelos seus filhos e darem bons exemplos para eles.
  • José Augusto 07/08/09 às 09:20
    Hoje estou esperando uma decisão judicial da minha separação e também pedir a guarda da minha filha que está com 11 anos, processo muito contubardo devido a ex não concordar com o divórsio e faz pressão psicológica com a menina contra minha personalidade a qual está colocando a nossa filha em um jogo de empurra, empurra com isso o relacionamento entre eu e minha filha está ficando distante. tenho medo com isso futuramente com a guarda a menina não se adapite devido a mãe está inflamando a cabecinha da criança.