17º

Marca feminina de roupas do Paraná investe no atacado e ganha o Brasil

A marca Gôra lança nova coleção de inverno para lojistas de sete estados

19/01/10 às 00:00
A grife curitibana Gôra de moda feminina: vendas e produção dobrada (foto: Divulgação)
A grife curitibana Gôra, de moda feminina, resolveu inverter o caminho para ampliar a sua participação no mercado nacional. A partir deste ano, a empresa vai se voltar para o atacado e, com isso, conquistar o mercado de sete estados brasileiros. A troca de ramo é uma estratégia de conquista de mercado. A decisão foi tomada em parceria com consultores do Sebrae-PR das áreas de marketing, finanças, do Programa Competitividade no Vestuário. Com 80% da produção focada no atacado, a Gôra segue um caminho inverso de muitas marcas e prova que inovar com planejamento e segurança é um passo importante para o crescimento.

As sócias Charlene Gora, diretora administrativa, Nicolle Gora, estilista, e Nina Guimarães, diretora de imagem, já experimentam o novo segmento desde 2008 e, desde a temporada passada, as vendas e a produção dobraram, a carteira de clientes aumentou, o mercado ampliou para sete estados, além da expansão para cidades do interior Paraná. A nova coleção de inverno, lançada em janeiro para lojistas, é o quarto trabalho da grife no atacado.

A principal motivação para a mudança é a rentabilidade do setor. Na última temporada, durante o lançamento da coleção Primavera/Verão 2010, a empresa já computava 19 novos clientes e 100% de alta nas vendas, em relação à temporada anterior. “A conquista de mercado foi acelerada pelo trabalho de representantes em centros de compras estratégicos para a marca. Em locais pouco explorados pela concorrência, como em Vilhena, em Rondônia, o representante abriu um novo mercado”, comemora Charlene. O Paraná representa 58% das vendas, seguido por São Paulo com 26%.

Para 2010, a atuação da Gôra expande-se para Brasília, Santa Catarina, Goiás, Rio Grande do Sul e cidades do interior do Paraná. Para suprir a demanda de roupas femininas de alto padrão em alfaiataria, os esforços de marketing, criação e produção estão voltados a estudar cada necessidade das praças. 

O primeiro grande desafio foi adequar a mão de obra ao volume das peça e investir em estrutura. “Precisamos terceirizar uma facção maior de costureiras para dar conta da larga escala, além de lidar com os prazos de entrega e o planejamento das reposições do estoque”, comenta Charlene.

Temporada Inverno 2010 – As sócias apostam no lançamento, em Janeiro, da coleção de inverno intitulada Peregrino e na entrada em novas praças para dobrar as vendas em relação à coleção anterior. Para alcançar o sucesso prospectado, a Gôra viajou pelo mundo e retratou as tendências tribais na moda para a cidade.

Peregrino é resultado das observações da estilista Nicole Gora do estilo das tribos nômades mais remotas do Tibet, Mongólia e norte da África. As peças privilegiam os tons vivos e variados como os ocres, pinks e mostardas.

As referências tribais estão nas grandes metrópoles produzindo um cenário cheio de sobreposições, contrastes de formas e abundância de tecidos. Destaque para as golas envolventes, cortes drapeados, ombros fortes e encorpados — um jogo marcante de volumes que sintetiza tão bem a imagem da Gôra. Também os tecidos surpreendem: cetins e sedas compostas entram em cena, trazendo leveza a uma estação que já não vive apenas de lãs e flanelas. Informações também pelo www.usegora.com.br

Publicidade
1 Comentário
  • Adelaide 27/08/10 às 20:20
    Gostaria de ver os modelos de roupas que vocês fabricam, pois estou montando uma loja..........Obrigada.