14º

Imóvel: quando é a hora de comprar?

Agora é a hora de comprar e reformar

15/11/10 às 15:09   |  Redação Bem Paraná

Quando se pensa em compra de imóveis, normalmente aparece a dúvida de se é a hora exata de comprar ou não. Vale a pena financiar ou é melhor poupar para comprar à vista no futuro? Os preços dos imóveis estão altos: é melhor esperar para ver se os preços caem ou a melhor alternativa é comprar agora?

Todas essas dúvidas são típicas de quem está pensando em comprar um imóvel. Compra à vista é sempre melhor do que a prazo. A questão é: imóveis têm os preços muito altos e poucas pessoas tem condição de comprar à vista. Se você possui poupança ou saldo no FGTS, utilize-o para baratear suas prestações. Quanto menos juros você pagar, melhor. Porém, se você não tem poupança, mas possui capacidade de pagamento, aproveite as condições que o governo oferece e faça um financiamento integral.

Lembre-se: você vai financiar pela tabela SAC, o que significa que as parcelas de amortização são decrescentes.

É fato que hoje os imóveis estão caros. Porém, sempre se fala que os imóveis estão com os preços altos e eles sempre acabam subindo ainda mais. Agora, graças às facilidades de financiamentos, a demanda está aumentando, puxando também os preços para cima. Portanto, a expectativa é de que os preços continuem em alta. Por isso, se você tem condições de comprar hoje, mesmo que seja via financiamento, compre.

Na esteira da facilidade de financiamento imobiliário, vem também o financiamento para construção e reforma. A Caixa Econômica Federal oferece uma linha de crédito específica para compra de material de construção, o Construcard, que além de taxas muito acessíveis, ainda permite o pagamento do financiamento em até 54 meses, além de uma carência de 6 meses para a aquisição do material para reforma.

Para saber mais sobre linhas de crédito para compra e reforma, procure o banco de sua preferência, mas não se restrinja a consultar um único banco, pois há muita diferença entre as taxas cobradas por cada instituição.
 

Publicidade
0 Comentário