24º

MP propõe ação e requer exoneração de comissionados

Instituição estima que cerca de 157 servidores ocupem esses cargos irregulares

13/03/12 às 13:05   |  Redação Bem Paraná, com MP-PR

O Ministério Público do Paraná, através da Promotoria de Justiça de Proteção do Patrimônio Público de Cascavel, apresentou ação civil pública contra a Prefeitura para que a Justiça determine ajustes no quadro de servidores comissionados do Executivo municipal. O MP-PR sustenta que as leis que autorizaram a criação de alguns cargos afrontam a Constituição Federal e por isso requer a exoneração dos ocupantes dos postos de gerente de divisão, gerente de projetos, gerente de núcleo, assessores I, II, III e IV. O responsável pelo caso é o promotor de Justiça Gustavo Henrique Rocha de Macedo.

Na ação, a Promotoria de Justiça aponta as irregularidades dessas leis. Destaca, por exemplo, o fato de não descreverem as atribuições dos servidores, o que cria situações de absoluta desigualdade – pessoas ocupantes do mesmo cargo executam tarefas distintas, em locais totalmente diversos, e com a mesma remuneração.

Além disso, as leis dispuseram que alguns desses cargos se situam em níveis hierárquicos distantes da cúpula administrativa do Município, quebrando o vínculo de confiança que deve haver entre o servidor nomeado e o nomeante, no caso, o prefeito. “Dessa forma, servidores comissionados ocupam espaços na administração pública próprios de servidores efetivos, violando-se a regra do concurso público”, afirma Macedo.

O MP-PR estima que cerca de 157 servidores ocupem esses cargos irregulares.

Publicidade
0 Comentário