24º

Polícia britânica diz existir possibilidade de que menina Maddie esteja viva

Com essa hipótese, agentes da Scotland Yard pediram reabertura do caso

25/04/12 às 08:57 - Atualizado às 10:23   |  Do G1, com agências internacionais
A pequena Maddie desapareceu na noite de 3 de maio de 2007, poucos dias antes do aniversário de quatro anos (foto: Divulgação/Scotland Yard)

A polícia britânica afirmou nesta quarta-feira (25) que existe uma "possibilidade" de que Madeleine McCann, a menina desaparecida em 2007 em circunstâncias misteriosas durante as férias da família em Portugal, esteja viva, e pediu às autoridades deste país a reabertura do caso.
"Acreditamos sinceramente que existe uma possibilidade de que ela esteja viva", disse Andy Redwood, da Divisão de Homicídios e Crimes Graves da Scotland Yard.A polícia britânica divulgou uma projeção de como seria Maddie com 9 anos.

A pequena Maddie desapareceu na noite de 3 de maio de 2007, poucos dias antes do aniversário de quatro anos, em seu quarto em um complexo turístico de Praia da Luz, no Algarve, sul de Portugal, onde seus pais a deixaram antes de jantar com um grupo de amigos a poucos metros de distância.
O caso, que gerou imensa atenção da imprensa britânica e internacional, foi investigado durante 14 meses e arquivado sem resultados em Portugal, mas os pais da menina, Gerry e Kate McCann, convencidos de que a filha foi sequestrada, pressionaram para que o governo britânico determinasse à polícia uma revisão dos diferentes elementos da investigação.

O inspetor Redwood afirmou nesta quarta-feira (25) que durante a revisão foram detectadas 195 "oportunidades de investigação", mas não quis revelar detalhes sobre as pistas.Ele limitou-se apenas a afirmar que algumas eram oculares.

"Há informação realmente nova que estamos desenvolvendo", disse.
Segundo a polícia britânica, os colegas portugueses também desejam uma reabertura do caso, mas a decisão corresponde à justiça do país.
G1

Publicidade
1 Comentário
  • jaqueline 25/04/12 às 10:06
    como que depois de tanto tenpo ainda haja esperança