Bar gay proíbe casais heterossexuais de se beijarem; organização LGBT critica decisão

Segundo fundador de organização LGBT, atitude equivale a expulsar clientes pela cor da pele

04/05/12 às 20:45 - Atualizado às 20:54 Redação Bem Paraná com G1
(foto: Reprodução)

A decisão de um bar gay na Dinamarca de proibir casais heterossexuais de se beijarem dentro de suas instalações está causando polêmica até mesmo entre a comunidade gay.

O assunto ganhou destaque após uma mulher contar à imprensa que foi impedida por seguranças de beijar o seu namorado no local.

O dono do bar Never Mind, Christian Carlsen defende que a regra não é discriminatória, mas é uma forma de proteger seus clientes gays, já que Copenhague é rica em bares heterossexuais, enquanto as opções para homossexuais é mais restrita. Para ele, os bares gays na região atraem muitos heterossexuais e isso limita a quantidade da comunidade GLS nesses locais.

“É importante para a comunidade gay que o Never Mind continue como um lugar gay”, disse Carlsen.

Porém nem mesmo a comunidade gay apóia o dono do bar. O fundador da organização LGBT Homosocialt Fællesskab, Jobbe Joller, afirma que a atitude é equivalente a expulsar clientes pela cor da sua pele.

 “Em um primeiro momento, achei que fosse uma piada. Eu disse a ele [dono do bar] em um tom muito sério que isso era doentio e a comunidade LGBT considera que todos devem ter direitos iguais", disse Joller à agência de notícias Pink News.

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop