17º

Santa Quitéria, 38 anos!

06/05/12 às 19:02 - Atualizado às 19:05   |  Leônidas Dias - folhadetamandare@terra.com.br
União Santa Quitéria, alguns dos atletas da foto já são sessentinhas, brilhou também no passado. (Foto Fábio Ferrari).

Leônidas Dias, do Jornal do Estado, teve a honra de dirigir tecnicamente, e por duas temporadas, a equipe do União Santa Quitéria, resultado de fusão entre Ipê e Vila Inah e a vitoriosa união atinge a marca de 38 anos. A cobertura da comemoração obteve o profissionalismo do jornalista Fabio Ferrai, também do Jornal do Estado.
No dia 24/04/1.974, uma fusão entre o Vila Inah Esporte Clube e do Ipê Esporte, deu origem a um dos clubes mais vitoriosos e competitivos do futebol amador do Paraná. Adotando como sua casa o Estádio Maurício Fruit e estampando em seu estandarte as cores amarelo e verde, foi fundado o União Recreativa Esportiva Santa Quitéria, um clube que já nasceu forte e que fez questão de demonstrar essa força ao longo dos seus 38 anos de existência.
Sob o comando do seu primeiro presidente, José Leite ou simplesmente “Zé Leite”, lembrado até hoje por sua visão futurista e sua grande paixão pelo futebol, o clube ainda no seu primeiro ano de existência, conquistou um grande e respeitável triunfo dentro do futebol amador. A equipe formada por: Adeniz, Adilson, Airton, André, Luciano, Paulo e Amauri, Celso, Tetéu, Luiz Carlos, Gilmar, Índio, Nico, Sapo, Pilão, Airton Martins e Crim, atletas comandados pelo competente treinador Mazolinha, fazendo jus ao título de “Grandioso”, na sua primeira participação na Liga Amadora de Futebol, conseguiu a façanha de sagrar-se campeão da primeira divisão do certame.

Grandioso Quitéria — Nos anos seguintes, a equipe do Santa Quitéria continuou jogando com a mesma determinação e pegada, revelando-se um time bastante aguerrido e muito competitivo. Suas características demonstradas dentro de campo transformou o “Grandioso Quitéria” numa equipe difícil de ser vencida. Como resultado do seu estilo de jogo, voltou a levantar o “caneco” da Liga Amadora nos anos de 1.982 e 1.987, sagrando-se assim tricampeão da 1ª Divisão de Futebol Amador. Foi também neste período que a equipe conquistou o tetracampeonato da divisão de aspirantes (1.975/1978/1979 e 1981).
Mas após a conquista do tricampeonato, o clube passou por um período difícil e conturbado. Fatores negativos fizeram com que o clube ficasse oito anos sem disputar o Campeonato Amador da Série A. Situação que parecia ter chegado ao fim, quando em 2.005, no seu retorno para a 1ª Divisão, o clube ficou com o vicecampeonato, fato que encheu de esperança os dirigentes do clube. Porém, essa esperança veio abaixo no ano seguinte (2.006), quando o time foi novamente rebaixado para Série B.
Inconformados com a situação do clube, os dirigentes decidiram que o calvário do Santa Quitéria chegaria ao fim e que era o momento de dar a volta por cima. Foi então que em 2.007 a coisa mudaria de rumo. Neste ano foi criada a 1º Copa Paraná e, 20 anos após o seu último triunfo, o esquadrão auriverde reencontrou o caminho das vitórias e sagrou-se o primeiro campeão da cobiçada Copa Paraná.
Conquistas — A conquista da Copa Paraná em 2.007 era o elemento que faltava para fazer o Santa Quitéria voltar a frequentar as finais dos torneios que disputava. Mostrando muito empenho e raça dentro das quatro linhas, em 2.010 o clube viveu o seu grande auge dentro do cenário do futebol. Com um time forte, determinado e tecnicamente perfeito, tornou-se bicampeão da Copa Paraná, campeão da Copa Barão e de quebra ainda conquistou o concorrido e disputado título da 1ª Divisão do Futebol Amador, sagrando-se tetracampeão de uma das competições mais importantes e disputadas do estado do Paraná.
Em 2.011, embora não tenha conseguido chegar as finais nos torneios que disputou, o “Grandioso Quitéria” viu o seu comandante de ataque, Dinda, ser eleito o artilheiro da 1º Divisão do Futebol Amador, com a respeitável marca de doze gols marcados.
Para 2.012 a expectativa de um ano promissor é grande entre os dirigentes do Santa Quitéria. Agora sob o comando de Ricardo Lecheta, eleito presidente para biênio 2.012 / 2.013, e tendo como vicepresidente o aguerrido Roberto Braga, o clube tem como prioridade manter a base do time de 2.010, que era uma equipe forte e também providenciar melhorias no Estádio Maurício Fruit, a fim de proporcionar aos seus aficionados torcedores mais conforto para poderem acompanhar de perto o seu “Grandioso” e campeoníssimo União Recreativa Esportiva Santa Quitéria. (Fábio Ferrari – Jornal do Estado)

 

Taça Paraná através dos tempos
Organizado anualmente pela Federação Paranaense de Futebol, esta competição tem o objetivo de reunir os campeões das Ligas interioranas e também da capital e do litoral do Estado em uma tradição que ocorre desde o ano de 1.964. O campeão é o representante do estado em algumas competições amadoras no Brasil e na América do Sul, como o Campeonato Sul-Brasileiro de Futebol Amador.
O futebol amador do Paraná se confunde com os grandes clubes do Estado, pois desde 1.917 já existiam torneios exclusivos para times de bairro e que alimentavam, em algumas oportunidades, os clubes de massa quando estes levavam para seus elencos, alguns jogadores. Em Curitiba e nas principais cidades do Estado, criaram-se varias Ligas de futebol. Alguns campeões destas Ligas chegaram a disputar algumas fases do Campeonato Paranaense de Futebol, bem como, vários clubes de várzea obtiveram acesso ao campeonato profissional e assim, em 1.947, a Federação Paranaense de Futebol (F.P.F.) começou a organizar, oficialmente, o futebol amador. No início da década de 1.960, a F.P.F. fez algumas tentativas em um torneio estadual, porém, somente em 1.964, com a criação da Taça Paraná, a federação obteve sucesso. A Taça Paraná foi criada pelo então superintendente da F.P.F., Hugo Weber (1.918-2011), como sendo a principal competição amadora do Estado, mantendo, até a atualidade, esta condição.
Os troféus da Taça Paraná recebem o nome de grandes personalidades do futebol amador e são de posse transitória. Este troféu deixará de ser transitório quando uma mesma equipe for campeã em três ocasiões alternadas ou duas vezes consecutivas.
O primeiro campeão da Taça Paraná foi o Ferroviário Esporte Clube, de União da Vitória, e o atual campeão é o Internacional Esporte Clube, de Campo Largo.
O clube que mais vezes venceu esta competição é o Trieste Futebol Clube, de Curitiba, que se sagrou campeão em dez edições. (Fabio Ferrari – Jornal do Estado)

Ano    Campeões (1.964 a 2.011)
1964    Ferroviário Esporte Clube (União da Vitória)
1965    Trieste Futebol Clube (Curitiba)
1966    Trieste Futebol Clube (Curitiba)
1967    Esporte Clube Corinthians (Londrina)
1968    Fanático Futebol Clube (Campo Largo)
1969    Trieste Futebol Clube (Curitiba)
1970    Trieste Futebol Clube (Curitiba)
1971    Trieste Futebol Clube (Curitiba)
1972    Clube Social Esportivo União Medianeirense (Medianeira)
1973    Sociedade Operária Beneficente Esportiva Iguaçu (Curitiba)
1974    Clube Esportivo e Recreativo Aimoré (Matelândia)
1975    Esporte Clube XV de Novembro (Londrina)
1976    Fanático Futebol Clube (Campo Largo)
1977    Demafra Futebol Clube (Paranavaí)
1978    Fanático Futebol Clube (Campo Largo)
1979    Fanático Futebol Clube (Campo Largo)
1980    Internacional Esporte Clube (Campo Largo)
1981    Internacional Esporte Clube (Campo Largo)
1982    Grêmio Esportivo Caramuru (Chopinzinho)
1983    Fanático Futebol Clube (Campo Largo)
1984    Trieste Futebol Clube (Curitiba)
1985    Trieste Futebol Clube (Curitiba)
1986    Fanático Futebol Clube (Campo Largo)
1987    Esporte Clube VII de Setembro (Dois Vizinhos)
1988    Trieste Futebol Clube (Curitiba)
1989    Vila Fanny Futebol Clube (Curitiba)
1990    Trieste Futebol Clube (Curitiba)
1991    Vila Fanny Futebol Clube (Curitiba)
1992    Associação Atlética Palmeira (Palmeira)
1993    Esporte Clube Flórida (Flórida)
1994    Pitanga Esporte Clube (Pitanga)
1995    Ypiranga Futebol Clube (Palmeira)
1996    Internacional Esporte Clube (Campo Largo)
1997    Combate Barreirinha Futebol Clube (Curitiba)
1998    Combate Barreirinha Futebol Clube (Curitiba)
1999    Combate Barreirinha Futebol Clube (Curitiba)
2000    Combate Barreirinha Futebol Clube (Curitiba)
2001    Colombo Futebol Clube (Colombo)
2002    Combate Barreirinha Futebol Clube (Curitiba)
2003    Assoc. Esp. Recreativa Engenheiro Beltrão (Eng. Beltrão)
2004    Grêmio Esportivo Recreativo Madeirit (Guarapuava)
2005    Combate Barreirinha Futebol Clube (Curitiba)
2006    Trieste Futebol Clube (Curitiba)
2007    Clube Atlético Loandense (Loanda)
2008    Associação Desportiva São Manoel (São Manoel do Paraná)
2009    ACE Urano (Curitiba)
2010    AD São Manoel (São Manoel)
2011    Internacional Esporte Clube (Campo Largo)

Grupos e tabela da Copa FOLHA
Arbitral realizado na semana passada definiu dois pontos importantes, entre outros, para a terceira fase e o grupo dos oito, evidente que vai mostrar maior equilíbrio e daí emoções. Classificam-se duas equipes de cada grupo. Os grupos são os seguintes:
GRUPO 1: Deportivo Bordignon, Sete de Setembro, AE Bocaiuvense e Menino Deus;
GRUPO 2: XV de Pinhais, Fênix, Scorpions e Quatro Barras.

 

As feras do Quitéria
Aproveitando as festividades em comemoração ao seu 38º aniversário, em solenidade realizada nas dependências do Estádio Maurício Fruet, o Santa Quitéria apresentou na sexta (27), parte do seu elenco para o Campeonato Amador da Série A de 2.012.
Contando com a presença de dirigentes, patrocinadores, atletas, imprensa e convidados ligados ao futebol, o presidente Nino fez questão de enfatizar e exaltar todo o trabalho que vem sendo desenvolvido pela atual diretoria. O presidente também aproveitou para agradecer o empenho e a dedicação de todos os membros da diretoria em prol da grandeza do clube.
Para este ano, o técnico Jurandir Senna contará com grande parte do elenco que comandou em 2.011, além de reforços importantes contratados recentemente. Segundo informações do próprio Jurandir, dois ou três reforços ainda devem ser anunciados nos próximos dias.
Até o momento, o elenco do Santa Quitéria conta com os seguintes atletas: Jonas, Willian, Maicon, André Vinicius, Leandrão, Juninho, Seco, Jonatas, Marcelus, Ednaldo, Junior, Marcelo Maia, Julianinho, Dinda, Silvio, Jean, Cristiano, Feijão e Baloy.

 

Comissão Disciplinar da APE
Resultados das pautas de julgamentos da Comissão Disciplinar da APE, realizada na quinta-feira, dia 03:
CINQUENTINHAS:
Jogo: URE Santa Quitéria x Vila Fanny
Denúncia: Invasão de campo por torcedor do Santa Quitéria.
Resultado: Absolvido o Santa Quitéria com recomendação à diretoria para ter mais cuidados nos acessos ao campo nos próximos compromissos em seus domínios.
COPA PARANÁ:
Jogo: ARBESC x América
Denúncia: WO do ARBESC.
Resultado: Por falta de defesa ficou mantido o contido no Ato Adm. 02/12.
Recurso Pedido de Revisão de Pena:
Atleta: Paulo Roberto Xavier da Silva.
Resultado: Por falta de presença do solicitante, o processo foi adiado para ser incluso em pauta da próxima reunião da Comissão.
COPA INTEGRAÇÃO:
Jogo: GR Ipiranga x Vila Fanny
Denúncia: WO do Vila Fanny.
Resultado: Pela defesa apresentada, foi mantido o WO, mas com permanência do clube na competição e denunciado o treinador Paulista para ser julgado na próxima reunião da Comissão.
Jogo: ABE Novo Mundo x AM Vila Torres / EC Morenos
Denúncia: Agressão de atletas:
Resultado: Atletas do Vila Torres / EC Morenos eliminado o atleta Allan D. Y. V. Alves, três partidas de suspensão para os atletas: Raphael O. Silva e Ruverson C. P. Pinto, duas partidas para os atletas: Eliton S. Moreira, Valdecir G. Lima, Rogerio F. Rodrigues, Carlos H. F. S. Meira e Giancarlo S. Objuth. Atletas do Novo Mundo: três partidas para o atleta Rodrigo A. Ameigide, duas partidas para os atletas, Ronivan Mendes P Lopes e Wesley Jr Brito.

 

Jogos Universitário
Aconteceu na tarde de sexta-feira (3), na sede da Federação Paranaense de Desportos Universitários (FPDU), o Congresso Técnico do XIII Jogos Universitários Metropolitanos (Jum’s).
A reunião contou com representantes das oito instituições de ensino que estarão participando da competição. O congresso foi presidido pelo presidente da FPDU, Ney de Luca Mecking, e do coordenador geral dos jogos Cezar Finck.
A programação das modalidades coletivas e individuais será divulgada pela FPDU na próximo terça-feira (8).

Publicidade
0 Comentário