Ministro elogia Arena “100% brasileira”

12/06/12 às 21:55 - Atualizado às 22:06   |  Silvio Rauth Filho
Aldo na Arena: reinauguração vai atrasar três meses (foto: Valquir Aureliano)

O ministro do esporte, Aldo Rebelo, visitou ontem as obras na Arena e gostou de ser o único estádio brasileiro da Copa 2014 que irá utilizar serviços somente nacionais. “Vi a apresentação completa do projeto, de prazos e etapas cumpridas. Não há problemas de fornecedores. É um dos poucos casos de que as matérias-primas e serviços são todos paranaenses e brasileiros. Tem estádios com ajuda de empresas da Espanha e outros países”, declarou.

Sobre o empréstimo do BNDES, Rebelo contou que não haverá obstáculo. “O BNDES já fez um enquadramento do pedido de empréstimo. Ou seja, já passou por uma análise e acolheu o pedido em um primeiro momento. Não vejo nenhum obstáculo e barreira de natureza legal que crie a ideia que teremos dificuldades nas obras complementares, porque o estádio já está com a estrutura pronta”, afirmou. “Vejo com grande otimismo o andamento das obras da Arena. Vejo o empenho do Atlético e dos governos para fazer uma boa Copa do Mundo”, comentou.

A previsão de entrega do estádio, porém, sofreu uma alteração. Antes, era março de 2013 e agora passou para junho de 2013. “Não tivemos, nos últimos meses, o ritmo que gostaríamos, porque não tivemos a liberação do potencial construtivo, e algumas atividades tiveram que sofrer alterações”, afirmou Mario Celso Petraglia, presidente do Atlético. “Estamos caminhando bem. Recebemos do governo, através do potencial construtivo, e mais uma participação dos recursos próprios. Vamos conseguir deslanchar a obra de uma maneira infinitamente maior do que da maneira que tivemos agora. Revimos os projetos todo e estamos em condição de ligar o nosso querido Furacão e entregar para Curitiba essa obra maravilhosa”, disse.

Ontem, Rebelo recebeu da Universidade Federal do Paraná um estudo sobre o orçamento da reforma da Arena, que era uma exigência do Ministério do Esporte. Segundo o professor da UFPR responsável pelo parecer, Mauro Lacerda, os valores estão dentro da realidade. “Recomenda-se acompanhamento constante nas obras, mas (o custo) não está supervalorizado. Tem valores que estão abaixo de preço de mercado”, declarou Lacerda. A conclusão da Arena está orçada em R$ 184,6 milhões, dos quais R$ 138 milhões virão via financiamento.

Publicidade
0 Comentário