16º

Curitiba chega a 100ª unidade do Comunidade Escola

Programa incentiva a cidadania e as atividades da população nos finais de semana

16/06/12 às 18:24 - Atualizado às 18:24   |  SMCS

A Prefeitura de Curitiba implantou neste sábado (16), a 99ª unidade do Programa Comunidade Escola na escola Doutel de Andrade, no Boa Vista, e na semana que vem será implantada a 100ª unidade, atendendo assim mais famílias que passam a ter atividades gratuitas aos sábados e domingos.

Pela manhã, o programa foi implantado na Escola Jornalista Claudio Abramo, no Capão Raso. “Com este projeto nós estamos abrindo os espaços públicos para a comunidade. Ao todo, Curitiba tem 189 escolas e 240 creches, atendendo mais de 150 mil crianças. É muita responsabilidade e estamos fazendo da melhor maneira possível”, disse o prefeito Luciano Ducci. Ele lembrou que a educação na capital paranaense foi considerada a melhor do Brasil pelo Ministério da Educação.

A secretária da Educação, Liliane Sabbag, disse que a escola Doutel de Andrade foi a primeira a receber o ensino integral em Curitiba, no ano de 1982. “Nossa escola é referência porque foi o ponta pé inicial em busca do ensino integral. Agora, com a Comunidade Escola, realmente estamos oportunizando o integral de segunda a segunda. A comunidade deve aproveitar tudo o que está sendo ofertado aqui”, destacou Sabbag.

Vacinação - A programação incluiu atividades como implantação de chips em cães e gatos e doação de animais, jogos gigantes e intelectivos, futebol, camarim de pintura, cama elástica, oficinas de artesanato, curso de informática básica e orientações nas áreas de saúde e alimentação além da vacinação contra a poliomielite.

“Hoje é um dos dias mais felizes para mim. Sempre sinto uma alegria enorme dos dias de vacinação, porque nesses dias estamos cuidando das nossas crianças, do nosso futuro”, disse Ducci ao lado do Zé Gotinha, símbolo da campanha.

Um dos três filhos da costureira Scheila Mathias, 31 anos, estuda na escola. Ela aproveitou o lançamento do programa para vacinar os dois menores que estudam numa creche próxima e se divertir com as atividades oferecidas.

“O João Victor, meu filho mais velho, sempre gostou de estudar aqui e agora a escola ficará melhor ainda. É importante a interação da comunidade sem contar que além de um espaço para o lazer com a família nos finais de semana, nós ganhamos um espaço para fazer cursos e conquistarmos renda extra”, completou.

Já a catarinense Synara Rodrigues, que mora há dois meses na capital, garantiu que só tem elogios para a escola onde sua filha Damarys começou a estudar. “Faz pouco tempo que estou aqui mas estou gostando muito do ensino ofertado para minha filha. Além disso é difícil ter um local para brincar com as crianças, para a família toda”.

Programa - Em sete anos, o Comunidade Escola registra mais de 11 milhões de participações em 182 mil atividades socioeducativas, como oficinas para geração de renda, atividades esportivas, culturais e informática, que promovem a cidadania e a cultura de paz em todas as comunidades.

“É a maior rede de participação social de Curitiba. Isso multiplica muito as oportunidades em saúde, educação e principalmente em convício social. Aqui a população encontra geração de renda, cultura e esporte”, afirmou Luciano Martins de Oliveira, coordenador do Comunidade na Escola.

Para a geração de renda, são 38 cursos gratuitos nas áreas de gastronomia, artesanato, prestação de serviços, idiomas e informática. No ano passado, foram ofertadas 13.525 vagas para os cursos do programa.

Oliveira lembra que cerca de 800 voluntários de todas as idades e 300 instituições trabalham para oferecer as atividades do programa. "Em sete anos de funcionamento, o Comunidade demonstrou que as portas das escolas, que foram abertas nos finais de semana para atividades educativas, de esporte, lazer, saúde e geração de renda, são também portas que se abrem para muitas parcerias de sucesso", disse.

“Era um sonho antigo que agora se transformou em realidade. Este projeto contribui para a educação integral das crianças e a escola passa a ser um local de encontro da comunidade e da família”, ressaltou Aparecida Amélia Ganacin, diretora da escola.

Publicidade
0 Comentário