24º

Dia dos pais

10/08/12 às 00:57   |  Valmor Bolan

O Dia dos pais nos leva a reflexão sobre o sentido e o valor da família nos tempos atuais, de tão grandes desafios. A tarefa dos pais hoje ficou mais complexa, porque aumentaram as demandas, os cuidados e afazeres, as responsabilidades, especialmente a necessidade de dialogar mais com os filhos, educar, e afirmar uma cultura de princípios e valores, construídos a partir do cotidiano, numa realidade cada vez mais exigente. Hoje, não se aceitam mais imposições de cima para baixo, os filhos requerem dos pais que eles sejam primeiramente exemplos de ética, de respeito, de trabalho, de dedicação e de afeto. Mesmo pressionado por muitas obrigações do dia-a-dia, os pais não podem se esquecer que o trabalho é meio para a estabilidade da família, e não fim em si mesmo.
O que acontece, às vezes, é que muitos pais se deixam levar pelas circunstâncias, se estressam pelo excesso de atividades, e descuidam da atenção para com os filhos, pensando que estão sendo pais somente quando eles conseguem pagar as contas, dar mesadas e presentes. Não é só isso que se deve levar em consideração. Os filhos esperam dos pais atitudes também de escuta, de partilha, de docilidade, de entretenimento saudável, e que os pais sejam capazes de criar momentos lúdicos de interação, pois é isso que contribui para um amadurecimento afetivo, um maior equilíbrio emocional, e uma grau de confiança capaz de minimizar conflitos e ampliar possibilidades de convergência e aprendizado pessoal. Por isso, é certo valorizar os pais que trabalham e lutam por dar o melhor para sua família e filhos, mas que não sejam sucumbidos pelo ativismo.
Os pais terão também filhos maduros quando a relação que estabelecem em família estiverem pautadas em princípios sólidos como a fidelidade, o mutuo-respeito, a solidariedade e a generosidade. É assim que os filhos aprenderam, desde cedo, o valor humano, a entenderem que é preciso um ajudar o outro, e de que em família um deve completar o que falta no outro, pois todos têm as mesmas necessidades de realização como pessoa humana. Daí que o ambiente de casa deve ser favorecido pela conversa sincera, pela descontração, e também pelos compromissos, que começam desde a colaboração em tarefas simples do cotidiano, bem como a atenção nos estudos, um consumo moderado, a sobriedade, o lazer saudável, etc. Quando tudo isso é vivido então a família torna-se uma benção, e os pais são cumulados de muitas alegrias.
Que neste dia dos pais saibamos reconhecer também as dificuldades, as lacunas, as deficiências, e tantas outros fatores que tornam difícil a vivência da paternidade como desejada e ajudemos os pais que se empenham no melhor cumprimento de suas atribuições, e que sejamos gratos ao muito que fazem para consolidar o valor da família, num tempo de corrosão de valores. Valorizando os pais, estaremos contribuindo para que tais valores sejam preservados de tantas ameaças, e que consigamos fortalecer o esforço daqueles que lutam por viver com dignidade a vocação de ser pai.

Valmor Bolan é doutor em Sociologia e Presidente da Conap/Mec(Comissão Nacional de Acompanhamento e Controle Social do Prouni)

Publicidade
0 Comentário