17º

Após a prata, Marin garante Mano na seleção

12/08/12 às 22:39 - Atualizado às 22:39
O lateral Rafael: eleito pela CBF como vilão da derrota (foto: Rafael Ribeiro/CBF)

José Maria Marin, presidente da CBF, afirmou neste domingo que não pretende demitir Mano Menezes por causa da derrota na decisão dos Jogos Olímpicos de Londres. A declaração foi dada em Estocolmo, onde nesta quarta-feira a seleção brasileira vai disputar um amistoso contra a Suécia — jogo que o treinador preferia que não existisse por ser muito próximo da decepção com o resultado ruim diante do México. No sábado, o Brasil perdeu a medalha de ouro ao ser derrotado por 2 a 1 pelos mexicanos.

Segundo o cartola, o trabalho feito por Mano Menezes é bom e não pode ser interrompido por causa de uma derrota, ainda que tenha sido uma das derrotas mais duras sofridas pelo Brasil nos últimos anos.
Desde os amistosos que a seleção fez nos Estados Unidos, entre o fim de maio e o começo de junho, o presidente da CBF tem elogiado bastante o trabalho de Mano Menezes e o ambiente da equipe, então não é surpresa Marin sair em defesa do treinador mesmo em um momento em que muitos torcedores desejam ver uma troca no comando do time. É preciso lembrar, no entanto, que o cartola também tem falado muito em analisar a situação com calma e só tomar uma decisão depois da volta ao Brasil, já tendo ouvido a opinião de diversas pessoas envolvidas com a seleção.

Sendo assim, não é impossível que Marin mude de ideia quando retornar ao País, especialmente se a equipe perder para a Suécia e a pressão popular pela queda de Mano Menezes for ainda maior do que já está sendo.
Vilão — A CBF publicou ontem, após a derrota na final olímpica, uma nota crítica ao lateral direito Rafael. O jogador do Manchester United errou o passe que originou o primeiro gol mexicano, logo aos 28 segundos de partida. No segundo tempo, quando o México já vencia a seleção brasileira por 2 a 0, Rafael chegou a discutir e trocar empurrões com o zagueiro Juan.


Na Inglaterra

Brasil 1
Gabriel; Thiago Silva, Juan, Rafael (Lucas) e Marcelo; Sandro (Alexandre Pato), Alex Sandro (Hulk), Rômulo e Oscar; Leandro Damião e Neymar. Técnico: Mano Menezes

México 2
Corona; Jiménez (Vidrio), Chávez, Herrera, Aquino (Ponce); Mier, Reyes, Peralta (Jimenez), Enríquez; Fabián e Salcido. Técnico:  Luís Fernando Tena

Gols: Peralta (M, 1-1º E 29-2º) e Hulk (B, 46-2º)
Cartões Amarelos: Marcelo (B); Leandro Damião (B); Jiménez (M); Vidrio (M) e Reyes (M)
Público: 86.162
Estádio: Wembley, Londres, no sábado
Árbitro: Mark Clattenburg (GBR)



Publicidade
0 Comentário