12º

Curitiba tem inverno mais quente, mais seco

Com calor, consumo de água aumentou, mas Sanepar garante que não vai haver desabastecimento

22/08/12 às 21:22 - Atualizado às 21:38   |  Da Redação
Barragem do Iraí é o que apresenta o nível mais baixo entre os reservatórios da RMC: 89% (foto: Franklin de Freitas)

Quarta-feira foi o dia mais seco e quente deste inverno em Curitiba. A temperatura máxima atingiu 26,6ºC e a umidade relativa do ar 23,9%. As duas situações combinadas provocaram o estado de atenção/vigilância por parte da Defesa Civil. Quando a umidade atinge valores abaixo de 20% o nível é de alerta. O forte calor acontece num período quando ainda falta um mês para o fim do inverno, e se agrava porque não chove significativamente em Curitiba há mais de um mês.
O calor já fez aumentar o consumo de água potável em 5% nas últimas duas semanas na região comparado a outros meses, conforme a Sanepar. Apesar disso, o período de estiagem registrado neste mês não afetou significativamente o abastecimento em Curitiba e região. Os níveis de reservação estão altos e não há possibilidade de racionamento.
Apenas no Sistema Miringuava, onde a captação é feita diretamente do rio Miringuava, foi registrada diminuição da vazão da água. O sistema é responsável pelo abastecimento de aproximadamente 12% da população da Região Metropolitana, especialmente o município de São José dos Pinhais. O sistema vem utilizando água das barragens.
Em situações como esta, a Sanepar aciona o Sistema de Abastecimento Integrado de Curitiba que, justamente por trabalhar de forma integrada, supre a demanda de regiões com problemas no fornecimento de água tratada. As quatro barragens que atendem o SAIC estavam com uma capacidade média de reservação de 94%, suficiente para o abastecimento da população nos próximos seis meses.


Estão disponíveis para uso da população 141.363.000 m³ de água, de um total de 151.000.000 m³. Até ontem, a  barragem de Piraquara II apresentava 100% da sua capacidade de reservação, Piraquara I estava com 97%, o Passaúna 96% e o Iraí com 89%. Ainda não temos falta de água, mas devemos ficar atentos se essa estiagem continuar”, afirma a gerente de Produção da Sanepar, Rita de Cássia Gorny Becher.
Interior — O Paraná também registrou ontem a maior temperatura do ano desde abril. Foi em São Miguel do Iguaçu, que teve a marca de 34ºC. Os termômetros também passaram dos 30ºC em vários outros municípios no Norte, Noroeste e Oeste do Estado. O mesmo deve ocorrer hoje.
Por causa da baixa umidade do ar, quase todo o Estado esteve em estado de atenção, um nível acima do de alerta, quando o estado do clima já é prejudicial à saúde. Segundo Instituto Tecnológico Simepar, o tempo permanece com a mesma situação pelo menos até o final de semana, ou seja, quente e seco.
Mudança no clima só a partir do domingo quando pode haver declínio nas temperaturas em algumas áreas. Pode chover a partir de segunda-feira em áreas isoladas do Estado. Hoje a máxima na Capital pode girar em torno dos 26ºC, mas até o domingo a previsão é de que os termômetros não passem dos 20ºC e a mínima fique na casa de 11ºC.

 

Veja os problemas causados pelo ar seco

Complicações alérgicas e respiratórias devido ao ressecamento de mucosas;
Sangramento pelo nariz;
Ressecamento da pele;
Irritação dos olhos;
Eletricidade estática nas pessoas e em equipamentos eletrônicos;
Aumento do potencial de incêndios em pastagens e florestas

Publicidade
0 Comentário