14º

Piso salarial de Curitiba chegará a R$ 1.100 em novembro

Sindicato dos servidores considerou positivo o mínimo proposto pela Prefeitura, mas reclamou do reajuste geral

04/04/13 às 00:00
Reunião entre a Secretaria de Recursos Humanos da Prefeitura e sindicatos, ontem (foto: Valdecir Galor/SMCS)

A Prefeitura de Curitiba vai aumentar o piso salarial dos servidores municipais em até 55%, sobre o valor pago em janeiro deste ano. Com o aumento, que será concedido de forma gradual, ao longo de 2013, nenhum servidor ganhará menos que R$ 1.100,00 no holerite de novembro. O novo piso salarial será o maior entre as capitais da região Sul e o maior entre as cidades da região metropolitana de Curitiba. A proposta foi apresentada ontem, durante reunião com o Sindicato dos Servidores Municipais de Curitiba (Sismuc) e do Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal de Curitiba (Sismmac).
O valor do menor salário pago ao funcionalismo atualmente é de R$ 811,63, maior que o mínimo nacional e até novembro menor que o mínimo estadual, de R$ 904,20. O novo piso beneficiará também aposentados e pensionistas e está entre as ações da nova Política de Valorização dos Servidores Municipais de Curitiba, elaborada pela atual gestão.
Os servidores avaliaram a proposta do mínimo para o funcionalismo municipal como positivo. Contudo, reclamaram da oferta de reajuste para todos os servidores neste ano. A proposta da Prefeitura é de aumento de 6,77%. Os servidores, que negociam com o novo governo desde o começo do ano, pediam 40% para repor perdas históricas. A Secretaria de Recursos Humanos se defende, e diz que a previsão no orçamento deste ano era de reposição de 5,5%.


Avanços — A negociação de ontem também foi marcada por alguns avanços consideráveis, na opinião dos próprios sindicatos. A Prefeitura concorda em incorporar 100% do PPQ (R$ 275) até agosto de 2013. Isso ocorreria em duas parcelas — maio R$ 75,00 e agosto R$ 100, e mais um adicional de R$ 100 em novembro. O superintendente da secretaria Christian Luiz da Silva declarou que o PPQ será extinto porque não atende a finalidade que deveria atender. Os demais servidores que não ganham PPQ contariam com um abono salarial R$ 283, em uma única parcela.
A secretária municipal de Recursos Humanos, Meroujy  Giacomassi Cavet, ressaltou que este é um dos primeiros passos desta administração para um processo que será continuo de reconhecimento dos servidores. “Nos próximos dias serão iniciados os estudos para a criação, reestruturação ou aperfeiçoamento dos planos de cargos e salários”, diz Meroujy. Os planos de cargos e salários serão implantados a partir do ano que vem.
Com relação às punições da greve passada, a Prefeitura concorda em retirar as faltas das fichas funcionais com recuperação das perdas. A gestão também admite a possibilidade de reposição das greves dos educadores e as gerais de 2011 e 2012.

Publicidade
0 Comentário