º

Após morte de policial em Campo Largo, Sinclapol convoca paralisação

Segundo sindicato manifesto simboliza a indignação com a superlotação carcerária e o pleno desvio de função.

05/09/13 às 16:17 - Atualizado às 10:11   |  Redação Bem Paraná

O Sinclapol convocou a categoria para participar de manifestação e paralisação geral em todas as unidades de Polícia do Paraná, durante um dia inteiro, nesta sexta-feira (6).O protesto lamenta a morte de Marcos Gogola, investigador e superintendente da Delegacia de Polícia Civil, do município de Campo Largo, na Região Metropolitana de Curitiba, que aconteceu na manhã desta quinta (5), quando ele atuava em pleno desvio de função na guarda e condução de presos. O incidente também feriu o carcereiro conhecido como "Chiquito", socorrido em estado grave, com risco de morte. "A morte de Gogola é culpa da inércia da Seju (Secretaria Estadual de Justiça) e do Depen (Departamento de Execução Penal do Estado do Paraná), que permitem e mantém esta situação degradante nas carceragens das delegacias de polícia", disse André Gutierrez, presidente do Sinclapol.

Segundo Gutierrez, é fundamental a adesão da categoria neste manifesto que simboliza a indignação dos policias com a superlotação carcerária e o pleno desvio de função. "Hoje os policiais permanecem em constante risco de morto e perigos reais à saúde física e psicológica. Eles deixam de trabalharem nas ruas, na investigação criminal - o que lhes é atribuído legalmente - para serem verdadeiros babás de presos, correndo riscos de perder a vida, contraírem doenças e serem feridos ou mortos a qualquer instante, como aconteceu com o nobre policial e investigador Marcos Gogola. Estamos indignados com esta situação e vamos cobrar das autoridades legais as devidas medidas", salientou o presidente do Sinclapol.

Gutierrez convoca os policiais da capital e região metropolitana para acompanharem ainda o velório e o enterro do investigador Marcos Gogola, em alusão e homenagem aos nobres serviços prestados à Polícia Civil. O velório e o enterro acontecem no Cemitério Municipal Água Verde, em Curitiba, na Capela 4. O velório será realizado hoje e o enterro amanhã, ainda sem horários definidos. O telefone de contato do cemitério para confirmação dos horários é: (41) 32422912. "Será uma justa homenagem aos trabalhos e a grande figura humana de Gogola, e um momento para nossa reflexão ante todo este triste cenário", ressaltou Gutierrez.

Publicidade
12 Comentários
  • Waldir Triana 09/09/13 às 09:36
    Estamos desolados. Sequer tínhamos nos recuperado do incidente em Pinhais que vitimaram dois irmãos policiais civis e, novamente perdemos... É o final dos tempos!!
  • giovane. 06/09/13 às 15:13
    a policia tem q começa mata um poco decs bandidos ai a coisa começa a fica diferente, mes sinceros pesames a familha dece herói da policia ....
  • SONIA REGINA CUNHA BREIDE 06/09/13 às 11:06
    Os policiais estão desprotegidos pelo atual sistema e correm risco de vida todos os dias. Não há planejamento, é tudo no improviso, é notório a superlotação carcerária e não há profissionais para exercer a função de cuidar dos presos..A função da Polícia é investigar...A morte de Govola da forma como foi é inaceitável.
  • Robson Frigotto 05/09/13 às 22:49
    Tive o prazer e a honra de trabalhar com o Gogola, uma pessoa muito humilde, querido e justo. Lamentável esse ocorrido. Não estou acreditando no que aconteceu até agora. Desejo toda força e os meus sinceros pesar a toda família. LUTO.
  • gilsinho mauri 05/09/13 às 22:44
    É brincadeira o que estão fazendo com nossa policia que é babá de presos!!!! tem que colocar os promotores para trabalhar nas delegacias e esvaziar já! pega uma área rural com cerca elétrica e camaras igual o Hitler fez e em caráter de emergência põe os meliantes pra trabalho braçal. As desculpas governamentais é que tem que esperar as licitações e os presídios só vão ficar prontos em 8 anos, enquanto isso os policiais vivem correndo riscos. E o Caso Thainá??????????????? não entendo como ainda os policiais estão presos e os estupradores em Brasilia blindados não sei do que...........e os promotores (juizes frustrados) desafiando a classe policial. Tá faltando o que pra acabar com essa folia do Gaeco? no tempo do Anibal os bandidos eram mortos - não tinha nada de cadeia e os promotores ficavam quietinhos.
  • JULIO CEZAR TORRES 05/09/13 às 22:17
    Em nome da Secretaria Municipal de Segurança de Campo Largo, só temos a lamentar e pedir forças a esse grande POLICIAL CIVIL, vai com DEUS amigo, Superintendente MARCOS ANTONIO GOGOLA
  • Leandro Pinheiro 05/09/13 às 22:14
    Leandro: Mas a covardia mesmo está dentro do Estado do Paraná. Dentro da Secretaria de Segurança. Nenhuma polícia fez concurso pra ficar cuidando de preso. Fez pra investigar! Esta é sua atribuição Constitucional. Ou não? Como pode ainda o policial civil estar sendo "chicoteado" pela Corregedoria, pelo MP e pelo Judiciário pra executar tal tarefa. Como ainda precisamos estar "lutando" pra provar que é desviou de função. Porque o MP não prova sua coragem cobrando de uma vez por todas a correção desta patifaria do Executivo? Estamos no segundo secretário de segurança pública que é promotor de justiça. Parece estratégia política. Será que não sabe desta distorção. Ou está onde está "pra tão somente bajular o rei". Não está pra fazer diferença! Daí elege Delegados pra cúpula e estes, que representam a classe, covardemente se calam. Tenho certeza, se honestos, que suas consciências pesam.
  • Leandro Pinheiro 05/09/13 às 22:02
    Leandro: Brasil subdesenvolvido! Legislador canalha e frouxo (deputados federais e senadores). Este é um caso que a policia deveria se mobilizar pra prender estes bandidos vagabundos com a certeza do Estado os EXECUTAREM legalmente, mediante a pena de morte. Daí não haveria vontade de vingança. Outro caso é de qualquer brasileiro que fosse vítima desta gente maldita. Manifesto meu desprezo pela legislação vigente que favorece descaradamente esta "gentalha nojenta". Você, seja qual segmento da sociedade pertença e que defende a preservação destes bandidos, meu desprezo (e posso garantir de muitos outros brasileiros honestos de meu convívio). Você não me representa e não lhe dou o direito de se manifestar em meu nome (e de tantos de meu convívio). Esta sua defesa idiota há de lhe alcançar. Você ou alguém que lhe é próximo há de ser vítima desta gente!
  • vanderlei 05/09/13 às 21:58
    simplesmente estamos abandonados e a merce dos vagabundos, lamento colega e que Deus tenha um bom lugar pra voce....
  • Paulo Henrique Turim 05/09/13 às 19:27
    Trabalhei pessoalmente junto com ele na Delegacia de Almirante Tamandaré. Grande figura. Pessoa boníssima, falava que após a aposentadoria pretendia advogar, brincando que iria soltar aqueles que ele prendeu. Lamentável o que ocorreu. Pesar a toda a sua família e amigos!.
  • SUELY MARIA PEREIRA 05/09/13 às 17:11
    Registro aqui minha indignação com o descaso que o governo trata os 3 pilares que sustenta uma nação desenvolvida e civilizada: a educação, saúde e segurança estão sucateadas e à deriva. Até quando? não dá mais para aguentar tamanha irresponsabilidade!
  • luciane da maia 05/09/13 às 16:34
    policial gogola dignidade plena ,o conheci pouco tempo mas que foi grande essa oportunidade pois éra uma ótima pessoa ,um ser humano maravilhoso.