Horrível é não comemorar

02/12/15 às 00:00 - Atualizado às 15:40 Mauro Mueller | falecomomauro@yahoo.com.br

Com a alegação de custo alto para a manutenção, o Clube Atlético Paranaense está planejando a instalação de uma grama artificial no seu campo de jogo. 100% dos jogadores e ex-jogadores com quem conversei, reprovaram a grama artificial, porque segundo eles, se trata de uma grama que machuca na queda e prejudica o impacto do joelho no chão. Outro dado importante: Não se tem notícia de um campo de futebol em grama sintética em estádios da primeira divisão dos mais importantes campeonatos na Europa.

A versão da empresa que está tentando nos convencer que a grama é viável para o espetáculo de futebol é assim: “o campo é homologado em laboratórios europeus, atende diversas questões da Fifa. Quique da bola, rolagem, tração, índice de absorção de impacto, tudo dentro dos padrões. Também fazemos medições em condições clima frio, molhada, seca, completa”. O mesmo gramado somente é utilizado em poucos campos de treinamentos e também num estádio da segunda divisão da Itália.
A minha pergunta é: Porque então os estádios de primeira divisão da Europa não colocaram esta grama em seus palcos, que muitas vezes sofrem com o mesmo frio e até maior que Curitiba e às vezes passam várias rodadas com a neve¿

Horrível mesmo é comentar grama do estádio. Queria comemorar a vaga na Copa Libertadores, ou uma bela campanha do clube. Não vou cair na besteira de comentar a campanha eleitoral. Estou acompanhando, lendo os sites e comentários dos sócios que votam e para saber sobro o dia a dia do clube depois das eleições e eu preciso acompanhar. Mas, jamais quero aqui dar a minha opinião que possa influenciar este os aquele candidato. Aqui não, violão!

Horrível também é ver opiniões de torcedores do Coritiba efetivando o Pachequinho no cargo de técnico do clube. Calma lá, alto aí meus amigos e minhas amigas. Pachequinho tem uma história linda como jogador, escreveu sua trajetória de atleta brilhante e é o maior artilheiro da história do Couto Pereira. Merece uma estátua, que nunca foi feita. E como ele é baixinho, é barata de mandar fazer. Sem dúvida, ele é um funcionário exemplar do clube. Mas, ao efetivar o grande ex-jogador, ex-funcionário de Ney Franco na comissão técnica do Coritiba, o ídolo alvi-verde vai começar outra trajetória e na quinta derrota, será criticado igualzinho ao que foi Ney Franco, Marquinhos Santos, Marcelo Oliveira e tantos outros técnicos, vítimas do imediatismo que sofre o futebol brasileiro há décadas. Pachequinho efetivado técnico, vai enfrentar as mesmas pressões que outros técnicos brilhantes enfrentaram ao passar pela nossa cidade. E você pode ter certeza que por melhor que seja o técnico, pelas contratações feitas no clube nos últimos três anos, nenhum técnico duraria mais que o período de Marquinhos, ou Ney. Ney trouxe com ele as duas salvações do time, o goleiro Wilson e o artilheiro do time, Henrique Almeida. O péssimo elenco queimou Ney Franco, que dificilmente volte ao clube, sem antes vencer um grande título.

Meu sonho nem é um Alex Ferguson, mas pelo menos um treinador extremamente profissional, que entenda a história do clube, que tenha paixão pelo trabalho, mas que tenha um elenco de jogadores que venham para conquistar títulos, somados à categorias de base. Ultimamente os clubes de Curitiba contratam nomes que vem à Curitiba para turismo, recuperação de lesões, recuperação de problemas pessoais, ou que venham recuperar o dinheiro perdido de empresários.

Mauro Mueller é apresentador do Show de Bola da Rede Massa, radialista e ator

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop