Fuja da gafe!

05/09/16 às 00:00 Adriane Werner.

Uma palavra mal colocada, uma piada fora de hora, um comentário preconceituoso... tudo isso pode prejudicar as vendas e os relacionamentos profissionais.
Você já reparou como as pessoas públicas cometem gafes? Frases agressivas, vulgaridades, piadas fora de hora ou até bate-boca pela imprensa são comuns entre as chamadas celebridades. Basta folhear uma revista de fofocas ou mesmo as de informações jornalísticas para se deparar com pérolas ditas por pessoas de grande visibilidade.
Agora, se pessoas que estão na frente dos holofotes o tempo todo deixam escapar palavras infelizes, imagine o risco que podemos correr no dia-a-dia, no relacionamento com clientes, fornecedores, colegas de trabalho e amigos em geral? Frases mal colocadas podem por tudo a perder em uma negociação e, por isso, o cuidado deve ser permanente.
Piadas, por exemplo, são facas de dois gumes e, a menos que se tenha certeza de que elas poderão provocar bons efeitos, devem ser evitadas. Pense bem: quase todas as piadas que circulam por aí podem ser consideradas politicamente incorretas. Elas são contra portugueses, contra negros, contra loiras, contra homossexuais, contra advogados... você já ouviu alguma piada a favor??? Então, o risco de criar animosidades, rixas, provocar resistências, é muito grande. Por que arriscar? Na dúvida, é melhor buscar outra forma de quebrar o gelo e despertar a simpatia do interlocutor.

Além das piadas, que normalmente soam ‘de mau gosto’, temos que cuidar também com as gafes, chamadas ‘bolas fora’. Mais uma vez os exemplos de pessoas públicas chamam atenção – como o George W. Bush insinuando que a Rainha da Inglaterra teria mais do que 200 anos, ou nossa ministra pronunciando o sonoro “relaxa e goza”, ou ainda o ex-presidente dizendo que aposentado é vagabundo. Mas, cá entre nós, quem não conhece alguma pessoa inconveniente, que fala palavrões e vulgaridades à mesa de um restaurante, que conta piadas ‘cabeludas’ na frente de quem quer que seja? E mais, em um exercício de autocrítica sincera: quem nunca cometeu uma gafe, pagou um mico ou deu uma bola fora? Atire a primeira pedra... Mas, que é possível fugir desse constrangimento, é.
Fica aqui, portanto, o velho conselho de mãe: “pense duas vezes antes de falar”. Isso pode ajudar a evitar problemas e mal-entendidos e, assim, facilitar o caminho para o sucesso nas negociações. (texto adaptado do livro Etiqueta Social e Empresarial, de Adriane Werner – editora Intersaberes)

Adriane Werner. Jornalista, especialista em Planejamento e Qualidade em Comunicação e Mestre em Administração. Ministra treinamentos em comunicação com temas ligados a Oratória, Media Training (Relacionamento com a Imprensa) e Etiqueta Corporativa.

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop