Comunicação escrita em novos tempos

09/01/17 às 00:00 Adriane Werner

Há tempos estamos comentando o quanto é importante para o profissional desenvolver a habilidade de comunicar-se bem, persuadir o cliente sem tornar-se inconveniente, portar-se bem em público... Mas, e quando ele precisa comunicar-se por escrito? Quais são as habilidades necessárias? Como levar as informações necessárias sem provocar mal-entendidos ou distorções? Escrever bem é uma necessidade para profissionais das mais diversas áreas.

Em tempos de novas e mais novas tecnologias, de pressão por resultados, de rapidez no atendimento e nas respostas ao cliente, boa parte da comunicação, necessariamente, se dá por escrito. Portanto, mãos à obra! É fundamental escrever.

E para que o resultado seja efetivo, a primeira dica para escrever bem é buscar sempre a clareza e a objetividade, o que não é difícil se tomarmos o caminho da simplicidade. Não é necessário escolher palavras sofisticadas, estruturas gramaticais complexas ou expressões que eram usuais na chamada ‘redação empresarial’ dos tempos idos. Isso significa dizer que não precisamos – e nem devemos – começar uma mensagem com “Venho por meio desta...”. Pelo contrário, o ideal é ir direto ao assunto, sem rodeios nem floreios.

A utilização correta das normas da Língua Portuguesa também é desejável, pra não dizer básica! Erros de concordância estão entre os mais comuns, mas normalmente a releitura do texto pode evitá-los. Devemos atentar para detalhes como perceber se começamos a frase no singular e terminamos no plural, se começamos no feminino e terminamos no masculino, se mudamos de sujeito no meio do período. Reler em voz alta ou para algum colega é um bom exercício para encontrar e corrigir possíveis erros.

Por fim, não podemos deixar de lado algumas pequenas observações a respeito da comunicação por e-mails, torpedos em telefones celulares e outras formas de mensagens instantâneas. A nova linguagem própria dessas mensagens já se instalou, e seria utópico afirmar que devemos seguir regras rígidas da Língua Portuguesa nesses rápidos contatos. Encurtar palavras, utilizar símbolos ou mensagens cifradas não é proibido, mas é necessário tomar cuidado para não parecer demasiado ‘adolescente’ ou mesmo para não confundir o receptor, que pode não estar habituado com ‘:-&’, ‘vc’, ‘hj’ e outras expressões comuns na era digital.

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop