Brasil pode perder 80 mil hectares em áreas protegidas

23/05/17 às 23:05 Ceres Battistelli | cerestb@gmail.com

Uma reduçao de quase 80 mil quilômetros quadrados – equivalente ao território de Portugal – em áreas protegidas federais no Pará, Amazonas e Santa Catarina está prestes a acontecer. Estas áreas protegidas sofrem um ataque sem precedentes promovido com o apoio de setores do governo e do Congresso Nacional. De um lado estão produtores rurais que ocupam irregularmente essas áreas protegidas. De outro, o Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC). As informações estão em um dossiê lançado pelo WWF-Brasil e que aponta projetos em tramitação no Congresso Nacional, entre eles, o PL 3751 que torna caducos todos os atos de criação de unidades de conservação cujos proprietários privados não foram indenizados no período de cinco anos.


Aquecimento global não ‘desacelerou’

Uma pesquisa divulgada recentemente pela revista “Science Advances” negou a desaceleração no aquecimento global, alardeada por cientistas que negam a existência das mudanças climáticas. De acordo com o levantamento, a temperatura global teve um aumento expressivo entre 1998 e 2012, período que ficou conhecido como “hiato climático”, porque o aquecimento do planeta teria sido inferior ao de décadas atrás. Segundo os defensores da teoria, esta seria uma prova de que a elevação dos termômetros é um fenômeno natural, e não uma consequência de ações humanas.


IAP faz consulta pública sobre Floresta do Palmito

O Instituto Ambiental do Paraná (IAP) promoveu ontem (23), uma consulta pública para ampliação e mudança da categoria de uso da Florestal Estadual do Palmito. O objetivo é ouvir a população nas decisões de melhoria ambiental da Floresta que ganhará mais área e maior proteção ambiental. O objetivo do Governo do Estado é somar cerca de 1.200 hectares aos 530 já protegidos e tornar o local mais restritivo quanto às atividades que podem ser realizadas. Com isso, a Unidade de Conservação deixa de ser da categoria de Uso Sustentável passando a ser de Proteção Integral.


CAR terá controle social por módulo de consulta

Com o intuito de fortalecer o controle social, o governo federal disponibilizou os dados públicos registrados no Cadastro Ambiental Rural (CAR), em novembro de 2016, por meio de um módulo de consulta pública acessível a qualquer cidadão. A ferramenta online contém informações ambientais das propriedades rurais, menos os dados pessoais dos proprietários e posseiros.

O CAR é um registro público eletrônico de âmbito nacional, obrigatório para todos os imóveis rurais, que integra as informações ambientais das propriedades e posses rurais do país. As informações do cadastro compõem uma base de dados para controle, monitoramento, planejamento ambiental e econômico, e combate ao desmatamento. Mais de quatro milhões de propriedades rurais já estão registradas no Sistema Nacional de Cadastro Ambiental Rural (SiCAR).

Blogs
Ver na versão Desktop