Tem preço agradar seu cliente?

30/05/17 às 00:00 Desmar Milléo Junior

Durante as minhas palestras procuro, sempre que posso distribuir algum tipo de brinde para os participantes. Geralmente faço um jogo usando quatro produtos que relaciono a alguns comportamentos humanos e no fim da palestra distribuo estes produtos e mais alguns outros. É uma festa geral. Já vi senhores e senhoras com mais de 50 anos de idade, simplesmente brigarem, como criança, por alguns brindes. Eles lutam por aquela simples lembrança como se fosse à coisa mais importante da vida deles, pelo menos naquele momento.
Uma das coisas que pude perceber com o passar do tempo e das palestras, é que as pessoas gostam de ganhar alguma coisa, seja esta coisa útil ou não, usável ou não, comível ou não. Como clientes gostamos de ser presenteados e lembrados. Quem não se lembra da primeira viagem de avião, quando já na entrada você escolhia o jornal, depois ganhava uma bala e ainda o lanche, tudo de “graça”? Mesmo sem fome ou vontade de ler, não recusamos.
Quem não se lembra daquele hotel, em que quando se chega depois de um dia cheio de trabalho ou passeios, encontra ao lado da cama um chocolatinho de menta?
Caso eu distribuísse dinheiro nas minhas palestras, provavelmente muitas pessoas ficariam ofendidas, pois estes valores não passariam de 5 ou 10 reais, que é quanto custam no máximo os brindes distribuídos. Com certeza eu estaria correndo um risco enorme e talvez não atingisse o meu objetivo, que é fazer as pessoas não esquecerem de alguma coisa boa que ouviram e se identificaram durante a palestra, ou ainda que pudesse ser útil na sua vida. Da mesma forma, as empresas quando distribuem brindes não podem deixar o cliente se sentir comprado, o cliente quer se sentir amado, especial. As empresas ao distribuírem brindes com sua marca associada estão reforçando a sua imagem perante os seus clientes e futuros clientes, devido à rotatividade destas lembranças. Quem já não ganhou uma caneta, um boné, um chaveiro, uma agenda ou uma camiseta promocional e deu de presente para um terceiro? Assim, não será somente o cliente direto que recordará daquela marca que distribuiu brindes.
Um simples mimo, como o envio de um cartão personalizado no dia do aniversário, ou um simples telefonema, podem fazer com que o cliente se torne fiel. Muitas vezes não é necessário nenhum super desconto, apenas uma pequena lembrança fará com que a empresa jamais seja esquecida.

Um grande abraço e boa semana.

#treinamentoscomjogosdenegocios&palestrasdemetasevendas

 

 

Desmar Milléo Junior, Autor do Livro: “Apenas Boas Intenções Não Bastam”,  Palestrante nas áreas motivacional, comportamental e vendas.Treinamentos com Jogos de Negócios & Simuladores.  SITES: www.milleo.com.br  &

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop