Paraná e África do Sul estudam firmar parcerias no agronegócio

05/06/17 às 16:50 - Atualizado às 16:56 AEN

Os governos do Paraná, da África do Sul, e a Ocepar (Organização das Cooperativas do Paraná) discutiram nesta segunda-feira (05) parcerias na área do agronegócio. Entre os focos estão acelerar as trocas comerciais no setor, especialmente na área de avicultura, suinocultura, açúcar, farelo de soja e fertilizantes. 

O Seminário Paraná – África do Sul sobre Agronegócios - promovido na sede do Sistema Ocepar, em Curitiba, teve a participação do vice-ministro da Agricultura, Indústria Florestal e Pesca da África do Sul, Bheki Cele; e o embaixador do país no Brasil, Ntsiki Mashimbye. 

De acordo com o presidente da Agência Paraná de Desenvolvimento (APD), Adalberto Netto, o evento faz parte de uma agenda bilateral que começou em dezembro do ano passado. “Além de impulsionar parcerias tecnológicas e na área do agronegócio, o foco também é impulsionar negócios no setor automotivo, de turismo e na área de logística com aquele país. Estamos construindo uma agenda de longo prazo com a África do Sul”, diz. 

A África do Sul ocupa apenas a 24.a posição entre os maiores mercados do Paraná, mas as exportações paranaenses para o País vêm em franco crescimento. De janeiro a abril de 2017 foram US$ 50,24 milhões, 85% mais do que os US$ 27 milhões registrados no mesmo período do ano passado, de acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC). 

“A exportação de frango ocupa 92% da pauta das cooperativas do Paraná para a África do Sul e ainda há espaço para reforçar essa atuação assim como explorar outros mercados. Trata-se de um mercado importante. A África do Sul participa com 50% do poder de compra do continente”, diz Gilson Martins, assessor técnico-econômico da Ocepar. Os sul-africanos têm interesse também em conhecer mais a fundo o sistema cooperativista do Estado. “Um dos objetivos deles é incentivar esse modelo de produção no País”, diz Martins. 

Os participantes da missão sul-africana devem visitar nesta terça-feira (06) a região dos Campos Gerais para conhecer a Alegra, unidade industrial das cooperativas Castrolanda, Frísia e Capal e a fazenda Frankana. 

No próximo ano, uma missão paranaense deve visitar o continente. Além da África do Sul, estão previstas visitas a Botsuana, Zimbábue e Tanzânia. Entre as áreas de interesse do Estado na África do Sul estão a produção vinícola e a tecnologia de produção de alimentos em clima seco, lembra Adalberto Netto, da APD. 

PRESENÇAS - Estiveram presentes no seminário o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken; o secretário estadual do Planejamento, Cylleneo Pessoa Pereira Júnior; o chefe do Departamento de Desenvolvimento Rural Sustentável da Secretaria da Agricultura, Richardson de Souza. 

AGRONEGÓCIO ATRAI MISSÃO SUL-AFRICANA - A vice-governadora Cida Borghetti destacou o interesse do Governo do Paraná em estimular e auxiliar as parcerias, inclusive com cooperativas e empresas privadas. “O agronegócio é uma das grandes forças da economia paranaense, abrigamos as duas maiores cooperativas do país, a Cocamar, em Maringá; e a Coamo, em Campo Mourão. A cadeia produtiva também se destaca com a piscicultura que vem se desenvolvendo a cada ano”, afirmou. 

Cida Borghetti recebeu, no Palácio Iguaçu, o embaixador da África do Sul no Brasil, Ntiski Mashimbye, acompanhado do vice-ministro da Agricultura, Indústria Florestal e Pesca, Bheki Cele; e do governador da província sul-africana do Noroeste, Supra Mahumapelo. 

O vice-ministro Bheki Cele explicou que veio ao Paraná buscar bons exemplos de negócios. “Temos interesse em desenvolver parcerias nos setores de agricultura, floresta e pesca. Além disso, buscamos modelos em cooperativas”, disse. Durante o encontro, também foi sinalizado o interesse da comitiva sul-africana em fortalecer os laços com o Paraná nas áreas de turismo, cultura e educação.

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop