Alegria

27/06/17 às 00:00

Quando eram passados mais de 40 minutos do 2º tempo, o Atlético ganhava de 4 a 1, jogava no campo do time baiano, pressionando a saída de bola, tentando o quinto gol. A torcida saiu da Baixada eufórica. A alegria era tanta que o mau começo de campeonato já foi esquecido pela torcida. Se antes todos tinham uma certa desconfiança para o jogo de amanhã contra o Grêmio, pela Copa do Brasil, ela já na existe mais; podemos, sim, buscar um resultado positivo em Porto Alegre.
Voltando ao jogo de domingo, agora temos um meio-de-campo. Claro não podemos queimar o menino Matheus Anjos, mas ele já demonstrou que tem personalidade e vai ser titular absoluto, pode ter certeza.
Sobre a Libertadores, onde for o jogo estaremos lá, apoiando, como sempre. Pode ser no Pinheirão, na Baixada ou onde for, o povo rubro-negro estará presente!
Um Ultra abraço!

Gabriel Barbosa | barbosagabriel@ig.com.br


A série de quatro jogos "decisivos"
Os últimos resultados do Coritiba — e aí, a derrota de 2x0 para o Cruzeiro — mostram as limitações do elenco. Exceto pelo empate em casa, contra o Bahia — quando Kleber foi expulso, prejudicando o próprio time, que segue prejudicado por uma infame punição “prévia” do Tribunal Desportivo —, os demais jogos contra Corinthians, Grêmio e o próprio time de Minas traziam ares de complicação. Ares confirmados com “chuvas e tempestades”.
Segue a vida. Agora vem uma série de quatro jogos, dos quais três em casa, contra Vasco, Sport, Avaí (fora) e Fluminense. Essa série de jogos tem tudo para ser decisiva para mostrar até onde o time comandado por Pachequinho poderá ir.
Pachequinho começa a ter as cobranças inerentes ao cargo. Jogadores que não estão bem estão jogando. Outras vezes, demorando para serem substituídos. Nessa série de quatro jogos, Pachequinho estará na mira. Sim, eu sei das limitações do elenco do Cori, mas futebol é assim mesmo: a corda sempre estoura no lado do mais fraco. Ele será muito cobrado caso o time verde e branco não pontue bem.
Coritiba, a Torcida que nunca abandona!

Luiz Carlos Betenheuser Jr | blogluiz@gmail.com


Qual o objetivo, afinal?
O Paraná entrou no avião em boa fase visando pontuar frente ao Internacional e ao Juventude. Quatro pontos seriam suficientes para credenciar o Paraná à luta pelo acesso.
A imprensa nacional coloca o Paraná Clube como equipe favorita ao acesso. No entanto, a bipolaridade em campo e lapsos ou surtos (além de alguns eventos) impedem a equipe de fincar os pés no G4.
O ponto conquistado no Beira-Rio teve gosto amargo. Afinal, o Paraná foi superior ao mandante em todos os quesitos, tendo finalizado mais que o dobro, porém, sem converter nenhuma oportunidade criada em gol.
Frente o Criciúma (que ocupava a parte de baixo da tabela), o Paraná estava melhor até o árbitro comprometer a peleja e expulsar Cristóvam (quem mais desarma na Série B), que já tinha amarelo. A expulsão ainda na primeira etapa condenou o plantel ao desgaste e, como se viu, à derrota.
O Paraná tem neste sábado, em pleno Durival de Britto e Silva, a possibilidade de somar mais três pontos, convencendo e manter certa regularidade. O objetivo do Tricolor tem que estar latente em cada dividida, em cada ataque. Apenas com capricho, zelo e dedicação o plantel paranista conseguirá transformar o favoritismo em acesso.
Força Tricolor

David Formiga | davidformiga@gmail.com

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop