Crise faz consumidor pesquisar o dobro em compras na internet

Estudo mostra que antes de finalizar compra, internauta avalia outros sites

24/07/17 às 00:00 - Atualizado às 21:59
Costume de comparar preços já acontece no comércio convencional, e se acentua na crise (foto: Franklin de Freitas)

Uma das principais vantagens de fazer compras online é poder pesquisar os preços dos produtos em diversas lojas, com a comodidade de não precisar se deslocar de um lugar para outro à procura de descontos. E, em tempos de crise, os usuários do e-commerce têm aproveitado, cada vez mais, esse benefício. É o que aponta pesquisa realizada pelo Cuponomia, portal que reúne ofertas e cupons de desconto dos principais players de comércio eletrônico do país. Nos últimos dois anos, o número de pesquisas feitas pelos consumidores brasileiros, antes de concluir uma compra, mais que dobrou.

No primeiro semestre deste ano, o número de visitas a lojas onlines por usuário, antes de efetuar a transação, cresceu 140%, em relação ao mesmo período de 2015. “Com a crise econômica instalada no país, o consumidor tem dedicado mais tempo para pesquisar preços e buscar alternativas para economizar, sem precisar abrir mão da compra”, afirma Antônio Miranda, CEO do Cuponomia.

De acordo com o site, o número de cupons de desconto utilizados pelos usuários para compras online cresceu 50% nos últimos dois anos. Já o faturamento de vendas geradas para o e-commerce à partir do mercado de cupons passou de R$ 300 milhões, em 2015, para R$ 500 milhões, em 2016.

Convencional
O mesmo acontece com o comércio covnencional. Com a crise e o desemprego, o consumidor seleciona mais o que vai comprar — preço, qualidade, facilidade de pagamento. O Procon Paraná sempre faz essa orientação ao consumidor, especialmente em épocas de datas especiais, como Páscoa e Natal.

"É preciso ter cuidado com as promoções que, muitas vezes, podem ser produtos de estoques antigos", diz um quadro com orientações do Procon.
O consumidor de lojas físicas e online, têm direitos que devem ser respeitados. O Procon faz orientação sobre estes casos. No ano passado foram cerca de 92 mil atendimentos, por telefone, email e pessoalmente.

 

 

Com cadastrar no e-commerce sem medo

1 Utilize senhas com mais de oito dígitos e que possuam letras maiúsculas, minúsculas, números e caracteres especiais;

2 Não utilize data de nascimento, número de documentos, números de telefone como senha;

3 Nunca utilize a mesma senha para vários cadastros;

4 Verifique a origem dos e-mails recebidos para confirmar se a fonte é confiável;

5 Não clique em links vindos por e-mail que sugiram a alteração de dados cadastrais. Em vez disso, entre no site e faça as alterações necessárias usando o seu login e senha;

6 Adquira o hábito de trocar suas senhas periodicamente.

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop