Cerca de 30% dos brasileiros já fingiram orgasmo, afirma pesquisa

Site adulto de relacionamento divulga pesquisa sobre hábitos sexuais dos brasileiros e lança “Mapa do Orgasmo”

27/07/17 às 15:40 - Atualizado às 08:27 Redação Bem Paraná com assessoria
(foto: Reprodução)

Agradar o(a) parceiro(a), falta de química e cansaço são os principais motivos que levam as pessoas a fingir orgasmo. Segundo pesquisa divulgada pela Sexlog.com, maior rede social adulta da América Latina, 5% dos homens e 8% das mulheres afirmam nunca terem atingido o ápice do prazer em uma relação sexual ou durante a masturbação. Para eles, a justificativa mais comum é que, apesar de gozarem, não se sentem completamente satisfeitos. Já as mulheres alegam que não “chegam lá” porque o parceiro não consegue satisfazê-las.Outros pontos interessantes da pesquisa para endossar sua matéria:

"1/4 dos entrevistados já fingiram orgasmo"


"Os principais motivos para mulheres fingirem orgasmo são: agradar parceiro, falta de química da relação, cansaço, não conseguir gozar"

"56% das pessoas tiveram o primeiro orgasmo com menos de 15 anos... por isso é fundamental uma conversa franca e transparente com os jovens"

"68.7% das pessoas que tiveram o primeiro orgasmo com mais de 30 anos sentem o coração disparar como uma reação do orgasmo"

"51% dos adultos entre 30 e 40 anos acham que a transa pode para ser legal mesmo sem gozar"

"33% das pessoas que curtem transar "De lado" já tiveram orgasmo 3 vezes em uma relação"

"A posição 'Por trás' foi a que responderam as pessoas que tiveram mais orgasmos em uma transa (1.2%)"

"Enquanto metade das mulheres acham fundamental gozar, o restante não goza e se considera satisfeita em apenas transar"

A pesquisa, que revelou que os estados que mais “gozam” são Minas Gerais e São Paulo,  traz ainda outros dados importantes e curiosos sobre o comportamento sexual do brasileiro, que podem ser conferidos no site www.mapadoorgasmo.com.br. O mapa é mais uma iniciativa da rede social que, além de informações, também permite que o usuário faça check-in toda vez que atingir o orgasmo, seja sozinho ou com outra(s) pessoa(s) e compartilhar nas redes sociais.

A iniciativa é parte da campanha da Sexlog.com que defende o movimento denominado sex-positive. Para a rede social, a vida sexual deve ser tratada de maneira natural desde sua descoberta, que para 56% das pessoas começou cedo, antes dos 15 anos. 

O sexo oral é a forma mais fácil de chegar ao orgasmo para 17% dos homens e para 29% das mulheres o estímulo com as mãos pode ser poderoso. Agora o que mais broxa ambos os sexos? Falta de higiene e mau cheiro.

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop