Coluna Falando com as Torcidas: Atlético, Coritiba e Paraná

01/08/17 às 00:00 - Atualizado às 16:16

Sobre o jogo de quinta feira contra o Grêmio, na Baixada, gostaria de destacar a diferença que a torcida atleticana faz. Mesmo com o resultado adverso que ocorreu no primeiro jogo de ida, mais de 11 mil pessoas se fizeram presentes na Baixada, para um publico total de 14 mil pessoas. E não é só a presença do torcedor, mas sim o incetivo que durou os 90 minutos. Antes de querer criticar essa torcida, pense muito bem antes de falar!
Grupo
Não sei o que está acontecendo dentro do grupo de jogadores, mas espero que as vitórias voltem a ocorrer o mais rápido possível. O jogo contra Vasco (ontem) é muito importante para o clube. Só acho que está na hora de mudar o estilo de jogo. O momento é de tentar fazer o mais simples, mas de forma inteligente. Depois do culto que teve na Baixada, que tudo volte ao normal.
Um Ultra abraço!

Gabriel Barbosa | barbosagabriel@ig.com.br


No limite
Nova derrota (2x0 em casa, para o Atlético Mineiro) expõe mais uma vez as limitações e coloca o time do Coritiba no limite da tabela. A "gordura acumulada" se foi. Agora é "pele e osso". Escrevo no domingo, antes do jogo do Vasco, contra o arquirrival. Seja como for, seja qual for o resultado, a inevitável mudança no Coxa não pode mais tardar.
O começo tem que ser pela postura. O time, salvo raríssimas exceções, não demonstra o menor comprometimento com uma causa. Time de fantasmas, gente sem motivo para vencer. Estão de passagem e tem data e hora marcada para irem embora, deixando a conta para a torcida. Mas é mais rápido mudar o sistema defensivo e afastar oscdescomprissados, dando oportunidade 
Nossa torcida sofreu um sistemático e reincidente processo de enfraquecimento. Perdeu a identidade.

Coritiba, a Torcida que nunca abandona

Luiz Carlos Betenheuser Jr | blogluiz@gmail.com


De endoidar!
Lisca Doido, o novo treinador paranista, tem como currículo o fato de ter sido derrotado apenas numa oportunidade como mandante na segundona. A mácula do folclórico comandante ocorreu quando treinava o Joinville. Carente de ídolos e com uma inteligente promoção (a qual agrada a todos, menos aos sócios de carteirinha que sempre alegam sentirem-se lesados por atos dessa natureza) os paranistas foram em bom número ao Dorival de Britto para empurrar a equipe e o novo treinador frente o Santa Cruz no sábado passado. Quem lá esteve presenciou uma onda de paranismo que há tempos está aguardando para explodir. Frente tal apoio, os comandados pelo "doido" superaram o oponente pernambucano pelo sonoro placar de 4 a 0.
A goleada talvez não seja uma máxima com esse elenco mas com o retrospecto de Lisca, outro golaço de Minho, as boas atuações de Alemão, Róbson e Vilela, o Paraná volta a tracionar e passa a demonstrar um futebol mais perto da competitividade que dele se espera.
Nesta terça às 19:15, o Dorival de Britto deverá ter novamente um bom público, vez que a promoção segue valendo e Lisca e seus comandados tem todos os motivos para contagiar quem lá comparecer para empurrar o Tricolor frente o CRB com uma doideira sadia que certamente deverá finalizar com um grito entalado desde 2007 na garganta dos paranistas.
Força Tricolor

David Formiga | davidformiga@gmail.com

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop