Baixa

10/08/17 às 00:00
(foto: Franklin de Freitas)

O presidente de URBS, José Antonio Andreguetto, pediu demissão ontem do cargo. Ele será substituído interinamente pelo diretor de Transporte da URBS, Antonio Carlos Pereira de Araújo. Segundo a prefeitura, Andreguetto teria encaminhado o pedido de desligamento ao prefeito Rafael Greca (PMN) há 30 dias. Ontem, ele alegou “motivos pessoais” para a decisão.

Frota
Nos bastidores, o comentário é de que Greca estaria insatisfeito com a dificuldade de Andreguetto em conseguir uma saída para o impasse envolvendo a renovação da frota de ônibus da Capital. Desde 2013, as empresas que operam o serviço obtiveram uma liminar na Justiça desobrigando-as de comprar veículos novos. Recentemente, o prefeito afirmou que se não houver uma saída negociada ou uma decisão da Justiça, a prefeitura vai comprar ônibus novos com recursos próprios.

Relações perigosas
A delação premiada do executivo da J&F, Ricardo Saud – controladora do grupo JBS – e do ex-presidente da Câmara Federal e ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB) pode respingar na bancada federal do Paraná. De acordo com reportagem publicada ontem pelo jornal Folha de São Paulo, Saud deve detalhar ao Ministério Público Federal, os nomes e circunstâncias em que parlamentares receberam dinheiro do grupo para apoiar a eleição de Cunha – preso em Curitiba desde o final do ano passado – para a presidência da Câmara, em fevereiro de 2015. Ao todo, o grupo teria repassado R$ 30 milhões para financiar a compra de votos para o peemedebista. Desse total, R$ 12 milhões teriam sido repassados em dinheiro vivo.

Rastros
Além disso, o próprio Cunha – na negociação de delação premiada – estaria prometendo dar “nomes aos bois” sobre como e para quais deputados esse dinheiro teria sido repassado. De acordo com a Folha, o peemedebista alega que o dinheiro não passou por ele, mas teria sido entregue diretamente pela J&F aos parlamentares. Cunha foi eleito com 267 votos contra 136 votos do candidato da ex-presidente Dilma Rousseff, Arlindo Chinaglia (PT-SP). Antes da eleição, em dezembro de 2014 e janeiro de 2015, ele esteve em campanha no Paraná. Em Curitiba, foi recebido na Assembleia Legislativa e reuniu-se com a bancada federal do Estado.

Férias no TJ
O Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do Estado do Paraná (Sindijus-PR) enfatiza que a remuneração de férias não gozadas foi uma grande conquista da categoria, em razão da constante luta da Entidade em defesa dos servidores. Em decorrência desta conquista, recentemente o Tribunal de Justiça do Parnaá reconheceu administrativamente o direito à remuneração das licenças especiais não gozadas. Tal reconhecimento levou à aprovação de lei pela Assembleia Legislativa do Paraná. E agora buscamos o valor retroativo há cinco anos.

Uber
O projeto que regulamentava serviços de transporte individual compartilhado, como Uber e Cabify, foi arquivado, ontem, pela Comissão de Legislação e Justiça da Câmara de Vereadores. Os parlamentares aprovaram voto em separado da vereadora Julieta Reis (DEM), que pediu o arquivamento sob o argumento de que a questão já foi regulamentada por decreto assinado recentemente pelo prefeito Rafael Greca (PMN). Segundo ela, é preciso “esperar como será aplicado na prática para depois virar lei”. “O decreto tem mais facilidade para se adaptar às mudanças (de um aplicativo)”, afirmou.

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Últimas de Política em debate
Blogs
Ver na versão Desktop