Juíza revoga prisão preventiva de acusada de matar tenente da PM

10/08/17 às 13:48 - Atualizado às 16:42 Redação Bem Paraná com assessoria
(foto: Arquivo Bem Paraná)

A juíza Mychelle Pacheco Cintra Stadler concedeu a revogação da prisão preventiva feita pela defesa de Francielle Carolina Moscakeski, acusada de ter assassinado o marido, o tenente da Polícia Militar Cássio Ormond Araújo.

A defesa alegou em seu pedido que Francielle informou que agiu em legítima defesa, pois no dia do crime, teria sido estuprada pelo marido. O relato afirma que "ela conseguiu se desvencilhar do marido e efetuou o disparto". A defesa também alega que "era comum a acusada ser estuprada pelo marido".

Ainda de acordo com o despacho da juíza, o Ministério Público ofereceu denúncia contra Francielle por homicídio qualificado. A denúncia foi recebida mesmo havendo várias versões para o ocorrido. Primeiro foi tratado como suicídio, depois disparo acidental e por último legítima defesa. Para juíza é necessário que ser apure melhor os fatos.

Além disso, a acusada não tem antecedentes criminais e tem residência fixa. A juíza fixou ainda medidas cautelares que devem ser cumpridas pela acusada: comparecer bimestralmente em juízo para comprovar a ativida lícita e endereço, proibição de se ausentar da Comarca sem autorização, advertência de que a prática de outro crime implicará na reanálise do benefício, proibição de se aproximar das testemunhas arroladas na denúncia até a data da audiência.

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop