Indignada

17/08/17 às 00:00
(foto: Franklin de Freitas)

Acusada de ter ficado com parte dos salários de ex-assessores, a vereadora Kátia Dittrich (SD) usou a tribuna da Câmara Municipal de Curitiba, ontem, para se defender. Em rápido discurso, ela alegou estar “tranquila” em relação à denúncia de seis ex-funcionários de seu gabinete, que a acusam de ter retido parte dos vencimentos deles. “Estou tranquila com relação a esse assunto. Eu ainda não recebi o teor completo, mas quero exteriorizar a minha indignação”, disse. “Providências serão tomadas”, afirmou.

Amor
Katia disse que “talvez tenha errado amando demais as pessoas” e procurou destacar o trabalho que a levou a ser eleita. “Sou ativista e protetora dos animais há 11 anos. Resgatei mais de mil animais e levo sempre comigo o olhar de cada um deles. Se eu devo alguma coisa alguém, é a eles. E se estou aqui, é por causa deles”. Antes de encerrar, prometeu “continuar com o trabalho” e disse esperar “que tudo seja resolvido”.

29 de abril
O governador Beto Richa (PSDB) afirmou ontem ter ficado feliz com a decisão da Justiça que rejeitou ação do Ministério Público contra ele; o ex-secretário da Segurança Pública, Fernando Francischini (SD) e oficiais do comando da PM pelos confrontos de 29 de abril de 2015, durante a votação das mudanças na previdência dos servidores públicos, que terminou com mais de 200 feridos. Richa disse, porém, não comemorar a decisão.

Exemplo
“Fico muito feliz e confesso que não fico surpreso porque sempre acreditei que o destino daquelas denúncias seria este mesmo, o arquivamento, visto que ficou muito claro o papel da polícia de proteger uma instituição democrática como é a Assembleia Legislativa. Comemorar não dá porque aquele dia os fatos e as imagens foram lamentáveis. A gente espera que isso sirva de exemplo e não aconteça nunca mais”, alegou o governador.

Unila
Diante da forte reação contrária, o deputado federal Sérgio Souza (PMDB) desistiu da ideia de extinguir a Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila) para criar a Universidade Federal do Oeste do Paraná. “A Unila não deve acabar, seu formato é que deve ser repensado”, afirmou. “Quero que a sociedade conheça minha proposta que foi apresentada sem temores”, disse o peemedebista.

Campus
Sérgio Souza esclareceu que a UNILA, com seus 356 docentes, 517 funcionários e mais 117 empregados terceirizados, mantém 29 cursos de graduação com 3575 alunos. A proporção é de um servidor para 3,6 aluno. Ele também lembrou que, entre os anos de 2011 e 2016 a dotação orçamentária da entidade chegou a R$ 846 milhões e das dificuldades junto ao Tribunal de Contas da União pela universidade por não ter cumprido o cronograma de obras em seu campus de Foz do Iguaçu. A obra, iniciada em 2011, foi paralisada em 2014. No mês de junho passado o TCU levantou a possibilidade de supressão da doação do terreno por parte da Binacional Itaipu. “É preciso rever a obra do campus que foi projetada com instalações superiores a demanda”, disse o deputado.

Pacote
A Comissão de Finanças da Assembleia Legislativa aprovou ontem parecer favorável ao novo pacote de ajuste fiscal do governo Beto Richa, que corta gratificações de professores que atuam no sistema prisional, e prevê benefícios para policiais militares aposentados ou em vias de se aposentar continuarem trabalhando, entre outras medidas. Em sua justificativa, o governo alega a necessidade de redução e racionalização de despesas para enfrentar as difíceis circunstâncias da economia nacional.

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Últimas de Política em debate
Política em Debate TV Assembleia
Política em Debate Clima eleitoral
Política em Debate Sem chance
Blogs
Ver na versão Desktop