Indignada

17/08/17 às 00:00
(foto: Franklin de Freitas)

Acusada de ter ficado com parte dos salários de ex-assessores, a vereadora Kátia Dittrich (SD) usou a tribuna da Câmara Municipal de Curitiba, ontem, para se defender. Em rápido discurso, ela alegou estar “tranquila” em relação à denúncia de seis ex-funcionários de seu gabinete, que a acusam de ter retido parte dos vencimentos deles. “Estou tranquila com relação a esse assunto. Eu ainda não recebi o teor completo, mas quero exteriorizar a minha indignação”, disse. “Providências serão tomadas”, afirmou.

Amor
Katia disse que “talvez tenha errado amando demais as pessoas” e procurou destacar o trabalho que a levou a ser eleita. “Sou ativista e protetora dos animais há 11 anos. Resgatei mais de mil animais e levo sempre comigo o olhar de cada um deles. Se eu devo alguma coisa alguém, é a eles. E se estou aqui, é por causa deles”. Antes de encerrar, prometeu “continuar com o trabalho” e disse esperar “que tudo seja resolvido”.

29 de abril
O governador Beto Richa (PSDB) afirmou ontem ter ficado feliz com a decisão da Justiça que rejeitou ação do Ministério Público contra ele; o ex-secretário da Segurança Pública, Fernando Francischini (SD) e oficiais do comando da PM pelos confrontos de 29 de abril de 2015, durante a votação das mudanças na previdência dos servidores públicos, que terminou com mais de 200 feridos. Richa disse, porém, não comemorar a decisão.

Exemplo
“Fico muito feliz e confesso que não fico surpreso porque sempre acreditei que o destino daquelas denúncias seria este mesmo, o arquivamento, visto que ficou muito claro o papel da polícia de proteger uma instituição democrática como é a Assembleia Legislativa. Comemorar não dá porque aquele dia os fatos e as imagens foram lamentáveis. A gente espera que isso sirva de exemplo e não aconteça nunca mais”, alegou o governador.

Unila
Diante da forte reação contrária, o deputado federal Sérgio Souza (PMDB) desistiu da ideia de extinguir a Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila) para criar a Universidade Federal do Oeste do Paraná. “A Unila não deve acabar, seu formato é que deve ser repensado”, afirmou. “Quero que a sociedade conheça minha proposta que foi apresentada sem temores”, disse o peemedebista.

Campus
Sérgio Souza esclareceu que a UNILA, com seus 356 docentes, 517 funcionários e mais 117 empregados terceirizados, mantém 29 cursos de graduação com 3575 alunos. A proporção é de um servidor para 3,6 aluno. Ele também lembrou que, entre os anos de 2011 e 2016 a dotação orçamentária da entidade chegou a R$ 846 milhões e das dificuldades junto ao Tribunal de Contas da União pela universidade por não ter cumprido o cronograma de obras em seu campus de Foz do Iguaçu. A obra, iniciada em 2011, foi paralisada em 2014. No mês de junho passado o TCU levantou a possibilidade de supressão da doação do terreno por parte da Binacional Itaipu. “É preciso rever a obra do campus que foi projetada com instalações superiores a demanda”, disse o deputado.

Pacote
A Comissão de Finanças da Assembleia Legislativa aprovou ontem parecer favorável ao novo pacote de ajuste fiscal do governo Beto Richa, que corta gratificações de professores que atuam no sistema prisional, e prevê benefícios para policiais militares aposentados ou em vias de se aposentar continuarem trabalhando, entre outras medidas. Em sua justificativa, o governo alega a necessidade de redução e racionalização de despesas para enfrentar as difíceis circunstâncias da economia nacional.

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Últimas de Política em debate
Política em Debate Caso isolado
Blogs
Ver na versão Desktop